Vernissage – Capítulo 40 (Últimos Capítulos)

Vernissage – Capítulo 40 (Últimos Capítulos)

09/01/2018 No ar vernissage Web Novela 0

 

VERNISSAGE – CAPÍTULO 40 (ÚLTIMOS CAPÍTULOS)

 

CENA 01 – IGREJA MATRIZ – DIA:

CONTINUAÇÃO IMEDIATA DO CAPÍTULO ANTERIOR:

Chega o dia do casamento de Heloísa e Daniel. O rapaz já está no altar esperando, ansioso.

Daniel, olhando para o relógio: Meu Deus, e esse atraso?

João: Calma aee, pai. Logo, logo ela chega.

De repente, a marcha nupcial começa a tocar e os convidados ficam em pé, olhando para a porta.

João: viu, não falei?

As portas se abrem. Close na expressão de felicidade de Daniel.

Pelos portais da igreja, Heloísa entra acompanhada pelo pai, sorridente e deslumbrante. Os seus olhos estão fixos em Daniel, que, por sua vez, não se contém e chora de tanta felicidade. Eles chegam ao altar e Aristides entrega a filha ao genro.

Por fim, a cerimônia transcorre lindamente.

Padre: Daniel Vieira, você aceita Heloísa Rangel como sua legítima esposa, prometendo amá-la, cuidá-la e respeitá-la, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe?

Daniel: Sim. Eu aceito!

Padre: Heloísa Rangel, você aceita Daniel Vieira como seu legítimo esposo, prometendo amá-lo, cuidá-lo e respeitá-lo, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe?

Heloísa: Aceito!

Padre: Então, diante de Deus e destas testemunhas, eu vos declaro marido e mulher. Os noivos podem se beijar.

Daniel e Heloísa se beijam. Todos os convidados os aplaudem. Eles saem da igreja e, na porta, recebem uma chuva de arroz dos convidados. Todos seguem para a festa.

 

CENA 02 – RESTAURANTE BON’ APETIT – DIA:

O restaurante foi fechado para a festa de Daniel e Heloísa. Em uma mesa, estão sentadas Paola, e Mirella. De repente, vem Rafael, de cadeira de rodas.

Mirella: Oi, meu amor. – os dois trocam um selinho – Onde você tava?

Rafael: Eu tinha ido a um banheiro. Demorei porque, na minha situação, qualquer atividade fica mais difícil, né… mas ainda bem que o banheiro daqui é adaptado.

Mirella: Pois é. Seria bom se todos os locais fossem assim.

Rafael: é, mas você viu o perrengue que foi na nossa chegada né? Aqui não tinha rampa de acesso, foi difícil subirmos com essa cadeira de rodas pela escada.

Paola: Isso eu achei um absurdo. Não sei como o dono não foi multado ainda. Os locais devem oferecer, por lei, acessibilidade para qualquer deficiência. Mas enfim.

Rafael: Bom, mudando de assunto. – ele tira uma caixinha de veludo do bolso. – Mirella Vieira Rangel. Você aceita se casar comigo, e ser minha esposa para toda vida?

Mirella, radiante: isso é sério?

Rafael: Nunca falei tão sério em toda minha vida.

Mirella: é claro que eu aceito. – os dois se beijam e ele coloca o anel de compromisso no dedo dela.

Mirella: Meu amor, vamos dançar?

Rafael: Não tem como né meu amor? Olha minha situação.

Mirella: Bobagem. Hoje em dia, não existem limites, meu querido. Vem.

Eles vão para a pista de dança e deixam Paola sozinha.

Paola: Pois é. Eu fiquei aqui. Sozinha. Será que a vida não vai me dar uma oportunidade para amar?

De repente, chega João e se assenta ao lado dela.

João: Olá, moça bonita.

Paola: Oi João.

João: sozinha?

Paola: Pois é… sua irmã está lá, toda feliz com o Rafael e eu fiquei aqui. Sem ninguém nem pra dançar, ao menos.

João: Não seja por isso. Quer dançar comigo?

Paola: Com você? Duvido que saiba dançar.

João: Então tá. Fique ai sozinha. – ele vai saindo, quando ela a chama novamente.

Paola: João, espera. Vamos dançar. Mas ‘ai’ de você se pisar no meu pé.

Os dois riem e vão para a pista de dança e começam a dançar.

Em uma outra mesa, Ofélia e Aristides estão conversando.

Aristides: Vamos dançar também?

Ofélia: Ari, não tenho mais idade pra isso.

Aristides: E desde quando existe idade certa pra dançar? Vamos, querida.

Ofélia: Ta bom, vamos.

Os dois vão pra pista de dança e começam a dançar. De repente, Ofélia passa mal e cai no chão. Todos se desesperam.

Heloísa, chegando perto: Mãe, mãe!!!

Aristides, tentando animá-la: Ofélia, querida, por favor…

Ofélia, perdendo os sentidos: Helô, minha filha… chegou a hora de sua mãe partir e se encontrar com sua irmã. Saiba que eu te amo muito só quero que seja feliz… só te digo isso… seja feliz..

Heloísa, chorando: Mãe, por favor, não se vá.

Ofélia: E Ari, meu amor. Saiba que… eu sempre… eu sempre te amei. E continuarei te amando no além.

Ofélia desmaia e morre. Heloísa se desespera em cima do corpo da mãe. Aristides chora, bem como Mirella e João.

 

CENA 03 – CEMITÉRIO MUNICIPAL NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS – DIA.

 

No dia seguinte, ocorre o velório de Ofélia. Os familiares e amigos lhe prestam sua ultima homenagem. O caixão, enfim, é lacrado e segue para o túmulo para ser sepultado. Lá, o caixão é sepultado debaixo de muita comoção e lágrimas, principalmente de Aristides, Heloísa, Mirella e João.

DOIS DIAS DEPOIS…

 

 

CENA 04 – AEROPORTO DOM PEDRO II – MANHÃ:

Aristides decide ir embora do país.

Heloisa: Ah, paizinho. Vou sentir tanta saudade do senhor…

Aristides: Eu também, minha filha. Eu também. Mas chegou a hora de eu respirar novos ares. Conhecer novos lugares. Queria sua mãe ao meu lado…

Heloísa: Eu sei. Mas ela está com você. No seu coração. Esse é um lugar de onde ela nunca vai sair.

Aristides: Com certeza.

Som do Aeroporto: Atenção passageiros com destino a Paris: Favor, dirijam – se ao portão 08.

Aristides: Bom, chegou a minha hora.

Os dois se abraçam.

Heloísa: Eu te amo muuuito pai! Vá com Deus.

Aristides: E eu a você, minha filha. Que Deus te abençoe.

Aristides parte e Heloísa fica o olhando com lágrimas nos olhos.

CENA 05 – CASA DA FAMÍLIA BARRETO – DIA.

 

Francisco e Joana estão na sala, assistindo e conversando.

Joana: Mas fiquei com uma tristeza pela dona Heloísa, sabia? Poxa, no dia do casamento, perder a própria mãe? Ah, não sei se aguentaria tanta dor.

Francisco: Pois é. Tomara que fique tudo bem com eles, sofreram tanto nas mãos daquela cretina, e ainda são suspeitos da morte dela.

Joana: Nossa. Parece até um karma.

De repente, alguém toca a campainha.

Joana: Ué? Quem pode ser?

Francisco: eu vou ver.

Francisco vai até a porta e se surpreende com a visita.

Francisco: Henrique? (*)

Henrique: E aí, irmão? Ta com saudade?

CENA 06 – APARTAMENTO DE HELENA / HELOÍSA – DIA:

Apesar da recente perda, Heloísa e Daniel se preparam para viajar em lua de mel.

Daniel: Vamos, querida?

Heloísa: Vamos, meu amor. Apesar de eu não estar com clima, acho que esse tempo será bom para mim.

Zoraide: Mas não é perigoso? Vocês não podem sair da cidade.

Daniel: Não, Zoraide, vai dar tudo certo. Pegamos uma pousada para apenas dois dias ali em Verdes Campinas, nem é tão longe. A polícia nem vai sentir nossa falta.

Zoraide: Bom, se é assim, né… tomara que dê tudo certo. Que Deus proteja vocês.

Daniel e Heloísa estão carregando as malas no carro quando são surpreendidos pela polícia.

Delegado Paredes: Pegos no flagra, fugindo! Heloísa Rangel, você está presa pelo assassinato de Fernanda Carvalho.

Close no olhar desesperado de Heloísa.

Heloísa: O quê?

A imagem congela e se transforma em um quadro pintado a óleo em uma grande exposição, juntamente com os quadros dos capítulos anteriores.

(*) – O Personagem Henrique é representado pelo ator Mário Frias

FIM DO CAPÍTULO 40

Felipe De Lima Veiga

Editor e produtor de criação visual Cyber Séries