Vernissage – Capítulo 25

Vernissage – Capítulo 25

VERNISSAGE – CAPÍTULO 25

CENA 01 – MANHÃ – GALERIA ART’ VIDA – ATELIÊ:

CONTINUAÇÃO DO CAPÍTULO ANTERIOR:

Fernanda flagra Daniel e Heloísa se beijando

Fernanda, indignada: Mas o que esta acontecendo aqui?

Os dois se assustam.

*Trilha Musical tensão

 

Fernanda, avançando em Heloísa: Eu vou acabar com você sua vagabunda!

Elas começam a brigar com puxões de cabelo, tapas e se jogam no chão e começam a se rolar.

Daniel intervêm e puxa Fernanda

Daniel: Chega, Fernanda. Ta ficando louca, é?

Fernanda olha com raiva para Heloísa, que está encostada em uma mesa toda machucada e descabelada.

Fernanda: Eu vou acabar com você. Com vocês. Bem que a Helena me avisou.

Heloísa da um tapa na cara de Fernanda.

Heloísa: Limpe sua boca antes de falar de minha irmã!

Fernanda: Sua Cretina! – as duas retomam a briga e novamente são separadas por Daniel.

Daniel: Chega! Fernanda, Fora daqui! Fora!

Ela vai até o quadro de Helena e o rasga inteirinho.

Daniel: Sua louca, olha o que você fez!

Fernanda: Isso ainda é pouco. Vocês vão me pagar! Me pagar caro.

Fernanda Sai.

 

CENA 02 – CASA DE CAMPO DE ARISTIDES E OFÉLIA – MANHÃ:

 

Aristides está em um jardim lendo um poema.

 

Aristides:

Que a força do medo que tenho

Não me impeça de ver o que anseio;

Que a morte de tudo em que acredito

Não me tape os ouvidos e a boca;

Porque metade de mim é o que eu grito,

Mas a outra metade é silêncio…

 

Que a música que eu ouço ao longe

Seja linda, ainda que tristeza;

Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada

Mesmo que distante;

Porque metade de mim é partida

Mas a outra metade é saudade…

 

Que as palavras que eu falo

Não sejam ouvidas como prece

E nem repetidas com fervor,

Apenas respeitadas como a única coisa que resta

A um homem inundado de sentimentos;

Porque metade de mim é o que ouço

Mas a outra metade é o que calo…

 

Que essa minha vontade de ir embora

Se transforme na calma e na paz que eu mereço;

E que essa tensão que me corrói por dentro

Seja um dia recompensada;

Porque metade de mim é o que penso

Mas a outra metade é um vulcão…

 

Que o medo da solidão se afaste

E que o convívio comigo mesmo

Se torne ao menos suportável;

Que o espelho reflita em meu rosto

Um doce sorriso que me lembro ter dado na infância;

Porque metade de mim é a lembrança do que fui,

A outra metade eu não sei…

 

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria

para me fazer aquietar o espírito

E que o teu silêncio me fale cada vez mais;

Porque metade de mim é abrigo

Mas a outra metade é cansaço…

 

Que a arte nos aponte uma resposta

Mesmo que ela não saiba

E que ninguém a tente complicar

Porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer;

Porque metade de mim é platéia

E a outra metade é canção…

 

E que a minha loucura seja perdoada

Porque metade de mim é amor

E a outra metade… também.*

 

Ele fecha o livro.

Aristides: Ah, Leninha. Que falta você me faz…

Ofélia aparece e o abraça.

 

CENA 03 – RESTAURANTE BON’ APETIT – MEIO DIA:

 

Mirella e Rafael almoçam juntos.

Mirella: Adoro a comida daqui. Muito boa!

Rafael: Eu também gosto. Mas você vai gostar mais da minha comida. Tenho certeza.

Mirella: Ih nem vem, cara. Já não basta você ser convencido, agora é metido a cozinheiro? Duvido.

Rafael: Ah é, Dona Mirella. Então hoje você vai provar da minha comida.

Mirella: Hoje?

Rafael: Sim. Hoje. Você vai jantar comigo. La no meu apartamento.

Mirella: Eu vou porque quero ver você cozinhando.

Rafael: Então você vai ver.

Os dois continuam a almoçar.

 

CENA 04 – APARTAMENTO DE HELENA / HELOÍSA – MEIO DIA:

 

Heloísa chega toda machucada e mancando. João a ajuda a sentar no sofá.

João: Tia Heloísa! O que aconteceu com você

Heloísa: Aquela vaca da namorada do seu pai que apareceu toda neurótica na galeria. Ela me viu se beijando com seu pai e me deu uma surra.

João: O que? Você beijou meu pai? Mas como?

Heloísa: Ele me pegou desprevenida. E aquela vagabunda chegou bem na hora.

Heloísa tira uma pulseira de brilhantes do braço e põe sobre a mesinha de centro da sala. João fica olhando pra pulseira.

Heloísa: Zoraideee! Zoraidee!

Zoraide vem correndo e se assusta ao ver Heloísa naquela situação.

Zoraide: Dona Helô! O que aconteceu?

Heloísa: Uma tragédia, Zoraide. Uma tragédia. Mas me ajuda a subir, que lá em cima eu te conto.

Zoraide a ajuda a subir. Enquanto elas sobem, João pega a pulseira que a tia esqueceu ali na mesinha e sai correndo.

 

CENA 05 – DELEGACIA DE ESPERANÇA – TARDE:

 

Daniel vai até a delegacia depor. Na sala do delegado…

Delegado Paredes: Então você me confirma que a Dona Helena Rangel estava sob o efeito de álcool no dia de sua morte.

Daniel: Sim. E ela já estava bem alterada.

Delegado Paredes: Seu Daniel, eu vou te mostrar alguns objetos que encontramos na galeria e o senhor me informa se reconhece.

Ele pega o copo de Helena e o mostra.

Delegado Paredes: Esse copo?

Daniel: Esse era o copo que a Helena estava segurando quando teve o mal súbito.

O delegado pega o fraco de veneno.

Delegado Paredes: E esse frasco?

Daniel: Isso eu não sei o que é.

Delegado Paredes: Você tem certeza que não conhece?

Daniel: Absoluta, doutor.

Delegado Paredes: Pois saiba, sr. Daniel, que isso é um frasco de veneno. Foram feitos exames com esses objetos e foi encontrada a mesma substancia nos dois.

Daniel: Isso quer dizer que?

Delegado Paredes: Isso quer dizer que a dona Helena foi envenenada.

Daniel fica assustado e tem um flash Back.

 

FLASH BACK:

Daniel: Pois é… Chegou atrasada, foi até a sala dela e não voltou até agora. Pior, os convidados estão perguntando dela e eu não sei mais o que responder.

Fernanda: Bem o tipinho dela. Mas hoje ela vai ter o que merece.

Daniel: o que?

Fernanda: Nada… Nada não.

  FIM DO FLASH BACK.

 

Daniel: Não pode ser!

Close no olhar desesperado de Daniel.

 

AS HORAS SE AVANÇAM E ANOITECE EM ESPERANÇA.

*Trilha musical – Viva la Vida – Coldplay

 

CENA 06 – APARTAMENTO DE HELOÍSA – NOITE:

 

Fernanda está diabolicamente nervosa, jogando vasos e objetos contra a parede, e gritando feito uma louca.

Fernanda: Eu te odeio, Heloísa, eu te odeio, Daniel, Eu te odeio!!!

De repente, entra Bruno e segura a moça

Bruno: Que é isso, Fernanda, olha esse lugar!

Fernanda, nervosa: Eu vou acabar com eles, Bruno. Eu vou acabar com eles.

Bruno: Eles quem, Fernanda?

Fernanda: Com o Daniel e a Heloísa. Eu vi eles aos beijos na Galeria. Mas isso não vai ficar assim. Não vai!

Bruno: Calma, meu amor, calma. – ele abraça a moça, que vai se acalmando.

Fernanda: Eu vou acabar com eles. Eu vou.

Bruno: Vai, vai sim. Mas agora, fica calma.

Close no olhar maquiavélico de Fernanda.

 

CENA 07 – APARTAMENTO DE RAFAEL– NOITE:

 

Rafael mora sozinho em seu apartamento. O imóvel é bem moderno, sofisticado e está muito bem arrumado e organizado

Mirella: Arrumou o apartamento só por que eu vinha aqui, né danadinho?!

Rafael: Claro que não, moça. Saiba que soy muito prendado e organizado. Até por que se eu não fazer, quem fará por mim?

Mirella: Huuum. Meus parabéns. – eles trocam um beijo.

Rafael: Vamos lá pra cozinha, vou servir o jantar.

Eles vão. Lá, o rapaz serve o jantar em uma mesa a luz de velas muito bem decorada.

Mirella: Olha ele! Pelo menos a mesa arrumou direitinho.

Rafael, servindo a moça: Voil. Penne ao molho branco.

Mirella, provando o alimento: Huum. Nada mal, cheff.

Rafael: Eu sabia que você ia gostar.

Os dois continuam a jantar. Eles terminam a refeição e vão pra sala.

Mirella: Muito lindo o seu apartamento.

Rafael: Vamos lá, deixa eu te mostrar o quarto.

Eles vão. Lá, ela encontra um quarto totalmente arrumado e mega organizado.

Mirella: Nossa, Rafa. Me surpreendeu hein. Essa sua carinha aí não mostra essa super organização.

Rafael: E eu ainda vou te surpreender ainda mais.

Rafael começa a beijar a moça. Os dois se deitam na cama, começam a se despir e se amam pela primeira vez. Mas Mirella mal sabe que, ao amanhecer, será realmente surpreendida por Rafael.

*Trilha Musical: When I was Your Men (Bruno Mars)

 

CENA 08 – APARTAMENTO DE HELENA/HELOÍSA – NOITE:

 

Heloísa está dormindo quando acorda com o som da campainha. Ela coloca um roupão e desce para atender. É Daniel.

Heloisa, assustada: Daniel? O que você ta fazendo aqui?

Daniel: Eu não consigo parar de pensar em você. Eu to apaixonado por você, Heloísa.

Heloísa fica sem reação

 

A imagem congela e se transforma em um quadro pintado a óleo em uma grande exposição, juntamente com os quadros dos capítulos anteriores.

 

(*) poema de Oswaldo Montenegro

 

FIM DO CAPÍTULO 25

 ==================================================

E hoje, as 23 hrs, estreia:

Dois irmãos… Duas vidas…

 

De Marcelo Maia

Não Perca!

Felipe De Lima Veiga

Editor e produtor de criação visual Cyber Séries

Close