Vernissage – Capítulo 23

Vernissage – Capítulo 23

VERNISSAGE – CAPÍTULO 23

 

CENA 01 – TARDE – HOSPITAL ARCANJO MIGUEL:

Joana e Francisco tiveram alta, e foram chamados para conversar na sala do doutor responsável pelo caso.

Doutor: Bom, o primeiro passo já foi dado. Agora, o material segue para exame.

Francisco: E como ficaremos sabendo quem é compatível?

Doutor: Eu aviso. Agora, vocês já podem ir para casa e repousar lá. Mas é pra repousar, viu dona Joana. Por que eu sei que a senhora é bem agitada.

Joana: Ah sou mesmo, doutor. Não consigo ficar parada. Não sei nem como vou aguentar ficar parada por uma semana.

Doutor: Bom, o importante é que vocês são casados e um vai poder cuidar do outro nessa semana né?!

Joana e Francisco se olham, sem graça.

Francisco: Bom, doutor. Já podemos ir?

Joana: Espera. Eu queria dar uma olhadinha no meu filho, eu posso, doutor?

Doutor: Claro. Eu levo vocês até lá.

Eles vão até o quarto do rapaz.

 

Lá…

 

Olavo está deitado quando entram seus pais no quarto.

Olavo: Pai! Mãe!

Francisco: Oh, meu filho. Como você tá? – ele beija a testa do rapaz. Joana faz o mesmo.

Olavo: Pois é… vou levando. Mas e vocês?

Joana: Ah… Estamos com um incômodo aqui, uma dorzinha ali, sabe. Normal quando passamos por esse tipo de procedimento, mas fomos medicados e…

Olavo, interrompendo: Mãe, não é sobre isso que eu to falando. Eu quero saber sobre a nossa família. Quando vamos voltar a ser uma família Feliz de novo? Quando você vai voltar pra casa, pai?

*trilha sonora – emoção

Francisco e Joana se entreolham e ele diz: Olha, filho, essa é uma situação complicada. Primeiro, vamos focar na sua saúde.

Joana: é filho. Sua saúde é o que importa nesse momento.

Olavo fica meio chateado.

Joana: Bom. Só viemos ver como você está. Vamos Francisco?

Francisco: Vamos. – ele vai até ao menino e o beija na testa – Fica bem, filho. Vai dar tudo certo.

Joana vai até ao garoto e o abraça também: A mamãe te ama muito, filho. Fica com Deus!

Os dois saem do quarto.

 

CENA 02 – TARDE – APARTAMENTO DE HELENA/HELOÍSA:

Heloísa chega da Galeria.

Zoraide: Chegou cedo, dona Helô.

Heloísa: Pois é, Zoraide. Eu fui lá só pra conhecer o ambiente mesmo.

Zoraide: Dona Helô, eu posso conversar com a senhora, um instante?

Heloísa: Senhora não. Você, por favor. Mas, pode falar, Zoraide.

Zoraide: eu queria saber como vai ficar a minha situação aqui. Se eu vou continuar por aqui, ou se a senh… Você vai me dispensar.

Heloísa: Eu nunca iria te dispensar, Zoraide. Você já é nossa conhecida de anos, é fiel, amiga, faz parte da família. E eu vou precisar muito de você. Principalmente agora, na minha reinstalação aqui no Brasil. Além, e claro, de cuidar dos meninos.

Zoraide: Ai, muito obrigada, dona Helô. Você não sabe como isso me deixa feliz.

Heloísa: Que bom, Zoraide. Que bom. Mas, vamos até o quarto, preciso arrumar algumas coisas por lá ainda.

As duas vão.

 

CENA 03 – PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO DO SHOPPING – TARDE:

Mirella e Rafael estão conversando.

Rafael: E então, meu amor. Como você está?

Mirella: Ahh, Rafa. Ainda to muito abalada. Choro todas as noites, sabe.

Rafael: Eu nem consigo imaginar essa dor. Minha mãe mora longe e tal, eu sinto saudade, mas nem se compara.

Mirella: Não mesmo.

Rafael: Mas você pode contar comigo pra tudo, ta bom? Eu vou sempre estar aqui pra você.

Mirella: Obrigada, meu amor. Muito obrigada.

Os dois se abraçam. Rafael aparenta estar compadecido da moça.

 

CENA 04 – CASA DOS BARRETO – TARDE:

Um taxi estaciona a frente da casa. Francisco e Joana desembarcam dele. Os dois entram em casa.

Joana: Bom, acho que é isso né. Muito obrigado por enfrentar essa barra comigo

Francisco: Estou fazendo pelo Olavo, Joana. Não precisa me agradecer. Bom, eu tenho que ir.

Joana o segura: Espera… Mas e nós?

Francisco: Joana, vamos primeiro focar na recuperação do Olavo. Mas eu já tomei uma decisão perante a isso.

Joana: Como assim?

Francisco: Depois que Olavo for transplantado, eu vou querer o divorcio. Bom, eu realmente tenho que ir.

Francisco sai e Joana se senta, com um semblante triste.

 

CENA 05 – TARDE – APARTAMENTO DE DANIEL:

Daniel está junto com Fernanda. Eles conversam.

Fernanda: E agora? O que vai ser da galeria?

Daniel: Bom, por enquanto precisamos nos reorganizar. Mas em breve quero retomar as atividades.

Fernanda: Isso mesmo. Não se pode deixar abater. Aconteceu? Aconteceu. Infelizmente. Mas, bola pra frente.

De repente, alguém bate na porta.

Daniel, atendendo a porta: Posso ajudar?

Agente Policial: Bom dia, sou da polícia – ele mostra o distintivo – Vim lhe entregar essa intimação.

Daniel: Intimação?

Agente Policial: Sim. Assine aqui, por favor. – Daniel assina – Tenha um bom dia.

O policial sai. Daniel entra no apartamento com cara de aflição.

Fernanda: quem era, meu amor?

Daniel: Um policial. Recebi uma intimação para depor sobre a morte da Helena.

Fernanda, apreensiva: Sério? Bom, tenho que ir.

Daniel: Aonde você vai.

Fernanda: Vou pra casa, tenho uns assuntos pra resolver.

Daniel: Assuntos?

Fernanda: Sim, meu amor. Coisa de mulher. – ela dá um selinho no rapaz – Tchau.

Fernanda Sai. Ela entra no elevador e faz uma ligação.

Fernanda, ao telefone: Oi, Bruno… Vá pro meu apartamento, agora… Tchau.

 

AS HORAS SE PASSAM E ANOITECE EM ESPERANÇA…

 

CENA 06 – UM BECO QUALQUER – NOITE:

João está com alguns amigos no beco. Foca no dedo dele, fumando um cigarro de maconha.

Thiago: E aee mano? Como você tá?

João: To mais ou menos… – ele dá uma tragada no cigarro.

Murilo: Mas você vai ficar melhor. Esse aí que você ta tragando é do bom.

João: Eu não devia estar fazendo isso.

Thiago: Fica de boa, mano. Tranquilo.

Murilo: é, mano. Vai ficar tudo sossegado!

Eles continuam a fumar maconha.

 

CENA 07 – APARTAMENTO DE FERNANDA – NOITE:

Já é quase meia noite e Daniel está na rua, chegando no apartamento de Fernanda Ele estaciona em frente e entra no condomínio. Como ele tem a chave, ele entra sem chamar e vai até ao quarto dela. Chegando lá, se surpreende com Fernanda e Bruno, dormindo abraçados, nus.

Daniel, inconformado: Fernanda! Fernandaaa.

Fernanda acorda e se assusta ao ver Daniel: Daniel? O que você tá fazendo aqui? Não é nada disso que você ta pensando.

Nessa hora, Bruno acorda e se desespera também.

Daniel: E não estou pensando, Fernanda. Estou vendo! Eu vou acabar com vocês dois!

Close no olhar desesperado de Fernanda.

A imagem congela e se transforma em um quadro pintado a óleo em uma grande exposição juntamente com os quadros dos capítulos anteriores.

“FIM DO CAPÍTULO 23”

Felipe De Lima Veiga

Editor e produtor de criação visual Cyber Séries

Close