Vernissage – Capítulo 19

Vernissage – Capítulo 19

CENA 01 – GALERIA ART’ VIDA – DIA – INTERNA:

CONTINUAÇÃO IMEDIATA DO CAPÍTULO ANTERIOR:

Daniel pega um microfone: Bom Dia, amigos! É com muito prazer que lhes apresento este Vernissage, que antecede nossa próxima grande exposição. Agradeço a Presença de todos, esperamos que gostem do que iremos apresentar hoje. – todos aplaudem. – Agora, continuem… – ele é interrompido por Helena.

Helena, avançando no microfone de Daniel: espera, espera, espera! Eu quero falar algumas coisas.

Daniel, cochichando: Helena, por favor! Não me faça passar vergonha!

Helena: Calma, Daniel me deixa falar! Bom… Hoje eu to feliz. Feliz mesmo. Essa exposição está linda, esse vernissage está lindo, vocês estão lindos, tudo lindo! Mas to mais feliz ainda em ter esse cara aqui do meu lado. – ela abraça a Daniel. – esse cara é gente boa! Legal pra caramba! Ele me traiu com uma vagabunda – ela aponta pra Fernanda – Ali ó a vagabunda dele. – Fernanda não consegue esconder a raiva no olhar, mas se contem.

Helena continua: Então, ele me traiu com aquela vagabunda, e agora quer tirar essa galeria de mim. De tanto ele insistir, estou abrindo mão da minha parte na galeria. Isso aí. Vai ficar tudo com ele, e eu vou me jogar no mundo. Mas chega de delongas, chega de abrir a minha vida com vocês.  – Ela bebe em um só gole toda bebida do seu copo – Vamos comemorar. Hoje é dia de Festa!

De repente, ela dá um suspiro forte e cai no chão desacordada. Fernanda observa tudo e da um pequeno sorriso de canto. Todos se desesperam. Daniel tenta acorda-la novamente:

Daniel, dando pequenos tapas no rosto de Helena: Helena… Helena, acorda, por favor. Helenaaa!

O desespero é geral. Daniel grita por Francisco.

*Trilha sonora tensão

Daniel: Franciscoooo. Franciscooo.

Francisco o responde: Sim, Daniel.

Daniel: Chama um médico, imediatamente.

Francisco o faz. Um dos convidados, chamado Igor, se propõe em ajudar.

Igor: Licença, seu Daniel. Eu tenho conhecimentos de primeiros socorros, eu posso ajudá-lo?

Daniel: sim, por favor.

Igor se aproxima de Helena e checa suas pulsações e se há respiração.

Igor: ela teve uma parada cardíaca.

Ele começa a fazer massagens cardíacas em Helena, mas não obtém resposta. Ele tenta até respiração boca-a-boca, mas Helena continua sem esboçar reação alguma. Ele acaba desistindo.

Igor: Vamos ter que aguardar o socorro médico. Ela não reage.

Daniel fica mais desesperado ainda. De repente, do lado de fora, encosta a ambulância. Os paramédicos entram na galeria. Lá, afastam as pessoas e examinam Helena. Eles a colocam numa maca e a levam para o hospital.

Daniel: Meu Deus! O que está acontecendo?! – ele fica desolado. Todos estão chocados com o ocorrido.

De longe, Fernanda comemora de forma contida o sucesso de seu plano.

CENA 02 – APARTAMENTO DE OFÉLIA – DIA – INTERNA:

Ofélia não pôde ir ao evento. Estava em casa, assistindo o telejornal, quando de repente…

Televisão: e uma ultima notícia: Vernissage é marcado por tragédia. A empresária Helena Rangel tem mal súbito ao apresentar evento em sua famosa galeria.Ela foi encaminhada para um hospital com parada cardíaca. Mais informações…

Ofélia se desespera: Meu Deus, minha Filha!!! Aristides, Aristides!!!

Aristides, vindo correndo para a sala: O que foi, querida?!

Ofélia: Nossa filha, tidinho! Nossa filha passou mal e foi para hospital!

Aristides: Meu Deus, mas como? Como você soube?

Ofélia: O telejornal noticiou que ela teve um mal súbito no Vernissage e que foi para o hospital. Ai, meu amor, vamos para o hospital, eu estou desesperada, minha filha não pode morrer!

Aristides: Vamos sim, meu amor, mas mantenha a calma. Vai ficar tudo bem com nossa filha!

Aristides e Ofélia vão para o hospital.

CENA 03 – HOSPITAL MIGUEL ARCANJO – DIA:

Helena chega de maca e desacordada no hospital. Os médicos a levam para uma UTI. Na recepção, chegam Aristides e Ofélia

Ofélia, parando um médico: Por favor, doutor, me dê notícias de minha filha. Me diga que ela vai ficar bem.

Médico: Suponho que sua filha seja Helena Rangel, sim?! Ela foi encaminhada para a UTI e fará alguns exames. O estado dela é critico, já que ela teve uma parada cardíaca e estava sob efeito de álcool. Mas qualquer informação, avisaremos. – o doutor se afasta

Ofélia: Efeito de álcool, como assim? Tidinho, nossa filha nunca foi de beber uma taça de vinho se quer.

Aristides: Não sei, querida, não sei. Mas agora, precisamos rezar para que tudo fique bem com nossa filha.

Os dois se olham, assustados.

 

CENA 04 – APARTAMENTO DE HELENA – MEIO DIA:

 

O telefone toca e Zoraide atende:

Zoraide, ao telefone: Alô?… oi, seu Daniel… sim, João e Mirella estão em casa… O quê?… mas como ela está?… Sim, aviso eles, sim. Obrigado. – Zoraide desliga o telefone com semblante preocupado. Mirella desce e vê a empregada assustada.

Mirella: O que foi, Zoraide?

Zoraide: Era seu pai no telefone. Ele disse que sua mãe passou mal no vernissage e foi para o hospital

Mirella: O quê? Mas como ela está?

Zoraide: Pelo que ele me disse, parece que ela teve uma parada cardíaca e o estado é complicado.

Mirella se desespera: Não pode ser! Eu vou pro hospital.

Zoraide: Espera, minha filha, espera. Aguarde notícia aqui.

Mirella: Não, Zoraide. É a minha mãe que está nesse hospital. Eu vou chamar João Victor e nós vamos para o hospital.

Ela sobe as escadas e vai em direção ao quarto de João, que ainda dorme.

Mirella, balançando o rapaz: João… João… acorda. Você tem que me levar para hospital

João, acordando: Aff Mirella, o que é?!

Mirella: João, a mamãe passou mal no vernissage e está no hospital. Vamos, você sabe que eu não tenho habilitação e você vai ter que me levar.

João: Mas o que aconteceu com a mamãe?

Mirella: Não sei, João. O papai ligou aqui e avisou pela Zoraide.

João: Ah!!!  Tenho certeza que tem dedo dele no meio.

Mirella: Aff João, Não sei! Vamos logo para o hospital!

 

CENA 05 – HOSPITAL ARCANJO MIGUEL – RECEPÇÃO – TARDE:

 

João e Mirella chegam ao hospital e encontram Ofélia e Aristides preocupados.

Mirella: Oi vovó, oi vovô. E então, alguma notícia da minha mãe

Ofélia: oh, Minha filha. Nada ainda. Já estou aqui há um tempo e nada de o médico nos trazer alguma notícia

Mirella: Meu Deus. To tão preocupada.

De repente, chega Daniel.

Daniel: E então, pessoal, alguma notícia de Helena?

João, nervoso, partido pra cima do pai: Seu desgraçado, vagabundo, eu sei que foi você.

Daniel o interrompe: O que? Eu não fiz nada! Calma, João!

Mirella, segurando o irmão: Fica quieto, João, estamos num hospital!

João, ao pai: Escuta aqui: Se acontecer alguma coisa com a minha mãe, eu acabo com você!

Os dois se olham sérios.

Daniel: Bom, pelo visto não sou bem-vindo aqui. Me deem notícias, por favor.

Ele sai.

Todos estão aflitos aguardando alguma resposta, quando, de repente, vem o médico responsável pelo caso

Ofélia: E então, doutor? Como minha filha está

Médico, com expressão de lamento: Nós fizemos de tudo para reanimá-la, mas não obtivemos resposta. Infelizmente ela faleceu. Eu sinto muito.

Closes alternados na expressão de desespero de todos.

A imagem congela e se transforma em quadro pintado a óleo, em uma grande exposição juntamente com os quadros dos capítulos anteriores.

 

FIM DO CAPÍTULO 19

Felipe De Lima Veiga

Editor e produtor de criação visual Cyber Séries

Close