Vernissage – Capítulo 01

Vernissage – Capítulo 01

VERNISSAGE – CAPÍTULO 01:

Imagens aéreas mostram paisagens turísticas da fictícia cidade litorânea de Esperança/ES, com a Sede da prefeitura em estilo colonial, a Praça Oscar Niemeyer, o Shopping Esperança, O viaduto Barigüi, além, é claro, da movimentada praia, com pessoas surfando, expostas ao sol, caminhando beira-mar, enfim, típico de cidades litorâneas. Nosso tour termina na Galeria de Arte Art’Vida, cenário principal da nossa história.

*Trilha Musical: Life’s About to get Good – Shania Twain

CENA 01 – DIA – GALERIA ART’VIDA – INTERNA.

Imagens mostram a galeria, cheia de quadros de diversas categorias, uma recepcionista, e pessoas admirando. Chega ao atelier da galeria está Daniel pintando um dos quadros.

*Fad out da trilha musical

Daniel (enquanto pinta): A arte vai além de apenas pintar, compor, esculpir. Arte tem a ver com sentimentos. Sentimentos sinceros, que devem ser transpassados para a arte. Só assim ela será realmente admirada. Só assim serei considerado artista!

Chega Fernanda: Oi meu amoooooor! Falando sozinho é?

Daniel: Oi Bebe! Não, só estou refletindo sobre a minha arte… é bom refletir as vezes, sabia?

Fernanda: Sabia! Claro que Sabia. Aliás, falando em reflexão, você já pensou no destino da galeria? Que eu sabia você já se divorciou da Helena.

Daniel: Sim, Fernanda. Só que você tem que entender que esta galeria também é dela. Mas eu vou conversar com ela. Vou lhe fazer uma proposta.

Fernanda: Isso mesmo, meu Amor! – ela o beija – Bom, tenho que ir, até mais Baby!

Daniel: Até Mais.

Fernanda Sai e Daniel fica pensativo.

CENA 02 – DIA – GALERIA ART’VIDA (SALA DE HELENA) – INTERNA

 

Helena está sentada em uma mesa marrom com detalhes brancos, sala rústica, com quadros na parede, um notebook na mesa. Ela está pensativa, quando Daniel chega:

Daniel: Oi Helena. Posso conversar com você?

Helena: Sim, Daniel. Senta.

Daniel, se sentando: Na verdade a minha conversa é uma proposta.

Helena: Proposta? Que proposta?

Daniel Olha sério para Helena.

*Trilha sonora – tensão

CENA 03 – DIA – PRAIA DOS ESPERANÇOSOS – EXTERNA.

 

Mirella é filha de Helena e Daniel. Ela está caminhando e conversando na praia com sua amiga, Paola.

Mirella: pois é, amiga. E foi assim que eu fiquei solteira.

Paola: Mas, Mirella. Você confia demais nos homens. Essa história de príncipe encantado, de amor verdadeiro, é tudo balela. Hoje em dia os homens não querem mais compromisso.

Mirella: Credo, Paola. Do jeito que você fala, parece que nenhum homem presta no mundo. Mas eu ainda acredito que vou encontrar uma pessoa, que vai me amar e me fazer muito feliz.

Paola: tá vendo amiga? É até por isso que você continua virgem, porque é ingênua, não é ousada!

Mirella: Chega, Paola. Minha virgindade é minha virgindade. Eu só vou perdê-la quando encontrar alguém especial. Não me encha o saco em relação a isso.

Paola: Ta bom, Mirella, calma! Não tá mais aqui quem falou. Mudando de assunto, vamos naquele quiosque que tem aquele sorvete de frutas tropicais que eu amo??

Mirella: Ta bom!

As duas riem e continuam andando.

CENA 04 – APARTAMENTO DE BRUNO – DIA – INTERNA

 

Mostra a fachada de um prédio judiado pelo tempo. Entra no apartamento e mostra Bruno e Fernanda se beijando loucamente.

Fernanda: Brunão… o que é isso? Ta com um fogo hoje hein?!

Bruno: é, meu amor, uma semana sem te ver já fiquei assim. E aí? Sou melhor que o tal do Daniel?

Fernanda: Mil vezes melhor! Aquele paspalho é um sonso, até me beijando me dá sono. Eu só to com ele por causa daquela galeria que está dando um dinheirão. Aquela idiota da Helena logo, logo vai para as cucuias, daí, é só um passo pra eu me casar com Daniel e tudo aquilo será meu!

Bruno: Nosso. Não se esqueça da 2ª parte do plano, que é se divorciar dele e ficar com o seu macho aqui.

Fernanda: huum machão! Lógico que eu não me esqueci da segunda parte do plano. Mas enquanto ele não se concretiza, vamos ensaiar nossa comemoração lá no quarto, vamos?

Bruno pega Fernanda no colo e a leva para o quarto beijando-a loucamente. Ela a joga na cama e começa a se despir e, conforme a beijava, tirava suas roupas, a deixando completamente nua. Os dois se envolviam voluptuosamente em um ato sexual de muito prazer, confirmado nas expressões de prazer de Fernanda.

*Trilha Musical: Próprias Mentiras – Deborah Blando

CENA 05 – DIA – RESTAURANTE BOM’APETIT.

*Fad out – trilha musical

 

Aristides e Ofélia estão almoçando:

Ofélia: nossa! Como eu amo o essa salada de rabanete daqui! E esse peixe grelhado então?! Divino!

Aristides: Delicia mesmo, meu amor. Mas melhor mesmo é estar aqui com você.

Ofélia: Ah. Tidinho. Como sempre galanteador. Desde que nos conhecemos. E hoje temos tantas coisas lindas, realizamos tantos sonhos juntos. Mas o mais importante é que tivemos duas filhas gêmeas. Lindas.

Aristides: é verdade, querida. Helena e Heloísa são nossas preciosidades. Uma pena a Heloísa ser tão metida a aventureira e viver fora do Brasil. Está longe da gente. Sinto tantas saudades dela.

Ofélia: Pois é, meu amor. Eu também sinto muito a falta de Heloísa. Mas minha maior preocupação é com a Helena. Desde que ela se separou do Daniel ela anda tão triste, tão abatida.

Aristides: Pois é minha querida, eu também percebi isso. Mas nossa filha é forte, logo, logo ela já supera tudo isso.

Ofélia: tomara, mesmo, querido. Agora, vamos terminar de comer, antes que a nossa comida esfrie e o nosso suco esquente.

Os dois riem e continuam a comer, conversando com áudio em fad-out.

CENA 06 – DIA – GALERIA ART’VIDA – SALA DE HELENA:

 

Helena: e então, Daniel? Qual é a tal proposta?

Daniel: Então, Helena. Você sabe que desde que nos separamos, nós tivemos diversos desentendimentos, muitas brigas, e eu não quero magoar você. Por isso eu quero comprar a sua parte na Galeria.

Helena, perplexa: você quer o que?

Daniel: Isso mesmo que você ouviu Helena. Te ofereço quinhentos mil reais pela sua parte na galeria.

Helena não consegue acreditar no que acabara de ouvir. Sua expressão continua mais perplexa do que nunca.

*Trilha Musical – tensão

 

Helena: olha que absurdo você acabou de me falar, Daniel. Isso aqui é a minha vida! Mas eu não deveria esperar outra coisa de um egoísta ridículo feito você. Você acha que isso aqui tem preço, é? Que eu sou que nem aquela sua namoradinha, que se vende por qualquer valor?

Daniel: não meta a Fernanda nessa história. Respeite-a, ela é minha namorada.

Helena: Sua namorada e pivô da nossa separação, você esqueceu? E desde que nos separamos, você está sempre tentando tirar vantagem em cima de mim. Não abro mão disso aqui nunca!

Daniel: Não abre mão? Esqueceu que quem abriu essa galeria foi eu? Ela é minha!

Helena: é, mas se não fosse o meu dinheiro, ela não seria o que é hoje. Portando, NÃO – ABRO – MÃO! Mais uma vez você conseguiu destruir meu dia. Vou embora. Passe muito bem.

Daniel: helena… Helena, Espera… Merda!

Daniel continua sentado, visivelmente irritado.

O dia termina e anoitece em Esperança. Os “esperançosos” terminam mais um dia de trabalho, e pelo movimento nas ruas, estão voltando para suas casas.

*Trilha Musical: Verdade – Zeca Pagodinho

CENA 07 – NOITE – CASA DOS BARRETO:

 

Uma mesa bem arrumada está sendo posta para o jantar. Joana está a arrumando. Na sala, Olavo, 15 anos, assiste TV. Francisco, que trabalhava como gerente administrativo na galeria Art’Vida, chega em casa:

*Fad out trilha musical

Francisco: Boa Noite, Família.

Joana: Olá meu amor! Os dois se beijam.

Francisco: E aí filhão? Tudo beleza?

Olavo: Daí pai! Tudo de boa. – os dois se abraçam, Francisco o beija na testa.

Francisco: E o futebol hoje?

Olavo: Fiz três gols hoje, pai. Até pedi musica!

Francisco: Esse é o meu garoto! Nossa, mas que cheiro gostoso é esse?

Joana: Hoje eu fiz aquele frango assado que você adora, meu amor.

Francisco: nossa, que mesa bonita, querida! O que vamos comemorar?

Joana: a vida, meu querido. A nossa vida. Vamos comemorar a nossa felicidade.

Os dois se beijam.

Joana: Olavo, meu filho. Vá lavar as mãos e venha jantar!

Olavo: já to indo, mãe.

CENA 08 – NOITE – RUA.

 

João Victor é filho de Helena e Daniel. Ele está com um grupo de amigos bebendo e pichando um muro. De repente, aparece um carro da polícia.

João Victor: Ih! Sujou pessoal, corre que os ‘home’ tão vindo.

Tiago: Corre galeraa!

Todos estão correndo. Os policiais vão atrás de carro. Mas João Victor pisa em um buraco e cai. O carro para e o policial rende João Victor. Os outros fogem.

Policial: Você está encrencado guri!

Close na expressão de pânico de João.

CENA 09 – NOITE – APARTAMENTO DE HELENA

 

Helena chega e se senta no sofá. Seu semblante triste é notado pela empregada, Zoraide.

Zoraide: que cara é essa, patroinha?

Helena: mais uma vez Daniel conseguiu me tirar do sério.

O telefone toca, Zoraide atende.

Zoraide: Alô?!… Sim, é da residência dela… Ela está sim, só um minutinho… Patroa, é pra você, da polícia.

Helena: Polícia? O que será que a polícia quer comigo uma hora dessas? – ela pega o telefone – Alo?!… sim, sou eu mesma, Helena Rangel… é o meu filho sim… Ai Meu deus, Preso?… tá bom, to indo pra aí… – Helena desliga o Telefone.

Zoraide: o que aconteceu patroa?

Helena: O João Foi preso. Eu vou pra delegacia.

Close no semblante assustado de Helena.

*Trilha Sonora – tensão

A imagem congela e se transforma em um quadro pintado a óleo em uma grande exposição.

 

FIM DO CAPÍTULO 01

 

 

Felipe De Lima Veiga

Editor e produtor de criação visual Cyber Séries

  • Anjo Nerd

    parabens pela historia…
    muito bem escrita

  • Eduardo Moretti

    Parabéns Lipe. Adorei a estreia, história gostosa de acompanhar, agil e envolvente. Sucesso querido, vc merece. s2

  • Wellyngton Vianna

    Parabéns amigo. Belíssima estreia. Sem duvidas do seu sucesso! Esse filho da Helena é um cabeça oca rsrs