Tormento D’Amore | Cap. 01| Bastardos Inglórios

Tormento D’Amore | Cap. 01| Bastardos Inglórios

 

Em PRETO e BRANCO, vemos italianos a bordos de um grande navio, dando adeus para aqueles que ficam no cais. O navio parte em direção ao sul, rumo ao Brasil, arranhando os céus com as fumaças de seus funis e aos dit, dit que saem das suas turbinas. Letreiro: 1889, Porto de Civitavecchia, Itália.

CENA1  EXT/ PORTO DE CIVITAVECCHIA/ DIA.

Imagem normal. O navio já está partindo. Fabrizio, 18, cabelos marrons e lisos, olhos azuis, usando roupas plebéias, e seu amigo Giuseppe, 18, olhos claros, cabelos pretos e usando uma boina, correm desesperadamente atrás do Navio. Carregam em suas costas, pequenas mochilas, na certa com pouca quantidade de roupas. Freiam num parapeito na ponta da ponte, arfantes. Eles gritam para a embarcação, mas já estão longe e não podem os ouvir.

FABRIZIO

(Grita) Si prega! Attendere per noi! Vogliamo anche andare in Brasile!

GIUSEPPE

(Grita) Ritorno! Nós também adiamo ao Brasile! (bravo) Ritorno, bando de figli di puttana!

FABRIZIO

Não adianta, Giuseppe! Eles não nos escutam mais!… Droga!

Giuseppe deixa sua mochila cair, e se ajoelha, entristecido, a olhar sua embarcação indo embora.

GIUSEPPE

Nostros sognos de mudar de vita se era, Fabrizio! Vamos continuar nessa vita maledetta e miserável!

FABRIZIO

Calma amigo mio! Deve haver um jeito de sair deste país!

GIUSEPPE

Ma come?

FABRIZIO

Io no sei ainda! Ma deve de haver!

CORTA PARA:

CENA2  INT/ BAR D’AVILA/ SALÃO/ DIA.

Salão de um bar modesto italiano, onde no meio tem uma mesa de sinuca, e nela, dois homens, de aparência mau caráter e golpistas, Pedro e Ramon, jogam enquanto conversam, fumam um cigarro e tomam uma vodka.

O SINO que fica em cima da porta ressoa, sinal de que tem alguém entrando. São Fabrizio e Giuseppe, depressivos e desanimados. Os dois caminham até o balcão, aonde o barman vai os atender.

BARMAN

O que vão querer, rapazes?

GIUSEPPE

Qualcosa que tira o gosto amargo desta vita meledetta!

BARMAN

Cosa è successo?

FABRIZIO

Perdemos o navio que ia para o Brasile!

BARMAN

Áncora só na próxima embarcação, se ainda houver!

GIUSEPPE

Porque? Não haverá mais outra embarcação?

BARMAN

Ouvir dizer que esta era lo ultimo!

Fabrizio e Giuseppe que já estavam angustiados se desesperam mais ainda.

BARMAN

Mas não desanimem, pelo que sei amanhã parte uma outra embarcação! Ele não é o navio dos emigrantes, ma pode levá-los!

GIUSEPPE

Non podemos, estas embarcações são de primeira classe, só para personas ricas!

BARMAN

Ma isso non importa; Há também a tripulação da segunda classe, que fica no convés inferior!

FABRIZIO

Ma de qualquer forma no adianta, estamos sem dinheiro!

Fabrizio e Giuseppe que já estavam angustiados se desesperam mais ainda.

Os dois homens, que estavam jogando sinuca, Pedro e Ramon, que também estavam ouvindo a conversa, se aproximam deles.

PEDRO

Perdono, ma stavamo ascoltando tua conversa, e… Queremos fazer-lhes uma proposta!

FABRIZIO

Tale proposta?

RAMON

E ‘che abbiamo due passaggi della seconda classe per lo navio qui parte domani, 11:00!

Fabrizio e Giuseppe se olham vibrantes.

FABRIZIO

Sério? E por quanto estão vendendo?

RAMON

Por apenas 200 liras!

Fabrizio e Giuseppe fecham seus sorrisos, pois não tinham essa quantia em dinheiro.

GIUSEPPE

Poi non vai dar! Nós não temos mais dinheiro!

Ramon e Pedro trocam olhares enrodilhados, e com sorrisos maliciosos.

PEDRO

E que tal tornamos esta partida mais interessante?

FABRIZIO

In Che modo?

Os dois homens, a olharem para Giuseppe e Fabrizio, riem manhosamente. Ambos se olham, intrigados, sem entender. O barman a observar tudo, sacando tudo.

CORTA PARA:

CENA3  INT/ HOTEL VERONA/ QTO DE SOPHIE/ DIA.

Sophie, 15, jovem meiga, forte, alva e carismática. Tem os lábios avermelhados. Sua franja cai sobre seus belos olhos azuis, que se encaram em frente a um espelho em forma oval. Usa um vestido real, belo, de bordas rosas; porém ela parece não satisfeita com a aparência. A porta se abre e entra Dolores, 45, cabelos curtos e encaracolados, pele alva, usando um chapéu vermelho. Em suas mãos, traz outro chapéu igual ao seu, de cor branca. Vem por detrás de Sophie.

DOLORES

Gostou do vestido que comprei pra você?…

SOPHIE

(Fria) Não!

DOLORES

(Sem dar ouvidos) Que bom que gostou! Trouxe aqui este chapéu, ele combina com você! É branco e lindo! Já terminou suas malas? Lembre-se que amanhã embarcamos as 11:00 para o Brasil!

SOPHIE

Ótimo! Já não aguentava mais ter que conviver nesse lugar!

DOLORES

Olha o jeito que fala, mocinha! Tenha bons modos e compostura. Lembre-se que somos uma família de barões, e jamais profira desta maneira diante de seu pai, você sabe como ele é!

SOPHIE

Rígido, cruel, impiedoso… (encara sua mãe, fria) Assim como a senhora é!

Dolores, espantada com o que acabara de ouvir da filha, se enraivece e lhe dá um tapa na cara.

DOLORES

(Brava) Me respeita, garota. Eu sou sua mãe! Que ousadia é essa de querer me enfrentar?! Nunca mais faça isso! E apronte-se, que ainda essa noite temos um jantar com a família dos Cavalcanti!

Dolores joga o chapéu em cima da cama e sai, furiosa. Sophie passa a mão em seu rosto onde sua mãe lhe batera. Deixa rolar algumas lagrimas. Ela caminha até a janela, mostrando que está na cobertura de um prédio de mais de 200 andares. Para ela é como se estivesse numa masmorra, presa.

CORTA PARA:

 

CENA4  INT/ HOTEL VERONA/ SUÍTE/ DIA.

Raul, 60, cabelos grisalhos, de aparência de imperador, dando uma acochada em sua gravata borboleta, em frente ao espelho.

Dolores entra, estarrecida.

RAUL

Ouvi algumas vozes alteradas! Aconteceu alguma coisa com a Sophie?

Dolores tenta conter a ira… E disfarça.

DOLORES

Não foi nada, meu amor! Estava apenas tendo uma prosa com nossa filha que está ansiosa para voltar pra casa, e ainda agradeceu pelo vestido e pelo chapéu que compramos a ela!

RAUL

É bom mesmo ela ter gostado! Custou muito caro! (Olha o relógio) Já está quase na hora de irmos ao jantar com os Cavalcanti!

Nos olhares rebuscados de Dolores, pensativa.

CORTA PARA:

CENA5  INT/ BAR D’AVILA/ SALÃO/ DIA.

Uma disputa de sinuca, entre duplas: Fabrizio e Giuseppe versus Pedro e Ramon. Jogo empatado. Giuseppe é o próximo a tentar encaçapar as bolas. Ele arremata sobre a bola branca e ataca contra as outras coloridas, porém apenas duas encaçapam. Fabrizio baixa a cabeça, um pouco tenso.

GIUSEPPE

Scusa, Fabrizio!

FABRIZIO

Relax! Ainda falta mais uma partida!

 

É a vez de Ramon. Ele batera a bola branca contra as outras coloridas e consegue encaçapar 5. Ele e Pedro comemoram. Giuseppe o olha com vontade de quebrar o taco na cabeça dele.

Ramon e Pedro estão na frente. Fabrizio agora pode mudar os números do jogo, precisa fazer pelo menos 15 pontos para vencer. É sua vez. Ele dá umas balançadas na cabeça, suspira… Debruça-se sobre a mesa de sinuca, com o taco em posição de lançar… Tempo. Suor escorre sobre suas testas. Ele dispara a bola branca e consegue encaçapar as bolas de cores marrom (4 pontos), Azul (5 pontos) e a preta (7 pontos), dando no total de 16 pontos.

GIUSEPPE

(Ainda lhe caindo a ficha) Abbiamo vinto?

FABRIZIO

Ganhamos, Giuseppe! Ganhamos! (Agita, grita) Nós vamos para o Brasile! Hallelujah, hallelujah!

Fabrizio e Giuseppe começam a fazer a dançinha da vitória. Se abraçam, se beijam no rosto e pulam de alegria. Os dois homens, com cara de fracassados, vão tentando sair de fininho. Fabrizio olha de soslaio…

FABRIZIO

Hei, e as nossas passagens? Nós ganhamos!

PEDRO

É que… Que…

Pedro e Ramon vão tentando correr, mas se deparam com o Barman em frente à porta, com uma espingarda nas mãos.

BARMAN

Deem as passagens aos rapazes! Eles ganharam!

Pedro puxa as passagens de dentro do bolso e entrega a Fabrizio, depois saem correndo.

FABRIZIO

Grazie, senhor!

BARMAN

Aqueles caras são uns golpistas! Buona fortuna em sua nova jornada in Brasile!

CORTA PARA:

CENA6  INT/ RESTAURANTE/ SALÃO/ NOITE.

CAM a vagar pelo grande salão da alta sociedade, com pessoas de alto escalão da nobreza. E em uma das mesas, estão Raul, Dolores e Sophie, que estão diante do Sr. e da Sra. Cavalcanti.

Close nos olhos secos de Sophie, com os pensamentos longe.

CAVALCANTI

E então, Raul? Como está indo os negócios com o café?

RAUL

Uma beleza! As safras de café estão brotando com uma rapidez que você nem imagina…

Sophie parece se incomodar com a conversa. Vai se levantando. Dolores a segura pelo braço, discretamente.

DOLORES

Onde está indo?

SOPHIE

Eu vou lá fora!

DOLORES

Não demora!

Sophie se larga de sua mãe e sai. Dolores volta a encarar os Cavalcanti, com um sorriso forçado no rosto.

CORTA RÁPIDO PARA:

CENA7  EXT/ RESTAURANTE/ NOITE.

Sophie sai do restaurante, angustiada. Ela se encosta na parede e começa a olhar para as estrelas…

Close nas estrelas…

FUSÃO COM:

CENA8  EXT/ BECO/ NOITE.

Close nas estrelas. CAM desce, mostrando Fabrizio em um beco, vislumbrando as estrelas.

Clipe: alternar estas cenas com a de Sophie em frente ao restaurante. Ambos se deslumbrando com a luz do luar. Mergulham em um oceano de estrelas. É como se suas almas gêmeas se encontrassem ali por acaso.

Fim do clipe.

CENA9  EXT/ BAR D’AVILA/ QUARTINHO/ DIA.

CAM close no relógio de parede, marcando 10:45. Agora relevamos Fabrizio e Giuseppe, ainda dormindo em redes. O ambiente que se encontram é apertado, úmido e fedorento.

Os ponteiros começam a mudar.

A porta se abre e o Barman entra.

BARMAN

(Grita) svegliarsi! Andiamo! Alzare.

Os dois começam a despertar, ainda bocejando.

BARMAN

Pelo visto não querem ir para Brasile!

GIUSEPPE

Claro que queremos!

FABRIZIO

E nós adiamo para Brasile!

BARMAN

E em que navio pensam que vão? Os da 11:00 sai em 5 minutos!

Fabrizio e Giuseppe levantam-se rapidamente, já se vestindo. Agora eles se apressam.

FABRIZIO

Veloce, Giuseppe! Não podemos perder este navio!

CORTA PARA:

CENA10 EXT/ PORTO DE CIVITAVECCHIA/ DIA.

O TIRO DE IMAGENS CONTINUA EM UMA REVEALAÇÃO FLORIOSA enquanto a brilhante superestrutura branca do imenso Navio prepotente se eleva montanhosamente para além do trilho, e acima disso os funis de cor lustrada se erguem contra o céu como os pilares de um grande templo. Tripulantes atravessam o convés, diminuídos pela incrível escala do vapor.

Uma multidão de centenas enegrece o cais ao lado do Navio como formigas em um sanduíche de geléia.

EM UMA ÁREA RESTRITA, um AUSTIN 10 estaciona em frente, buzinando para que as pessoas abrissem caminho. A multidão vai se afastando. O carro estaciona. Dele desce Raul, Dolores e Sophie, que ergue a cabeça, admirada com o enorme Navio.

RAUL

Contemplem essa belezura! Pertence a Montecchio de La Vachia, é um grande amigo meu! O conheci na Inglaterra!

DOLORES

(Impressionada) Aquele dono de uma das maiores usinas da Europa?

RAUL

Ele mesmo! Agora vamos entrar antes que parta!

Eles entram e vão para o andar da primeira classe.

PASSAGEM DE TEMPO.

A porta do navio já vai fechar. Fabrizio e Giuseppe vêm correndo e chegam a tempo, antes que as portas se fechem. Eles entregam as passagens e entram a bordo. O guia os direciona até o convés inferior — segunda classe.

O NAVIO Parte em alto mar… Rumo ao Brasil.

CORTA PARA:

CENA11 EXT/ CONVÉS DA SEGUNDA CLASSE/ DIA.

Os italianos plebeus vagam por ali. NO CORRIMÃO, estão Giuseppe e Fabrizio. Os dois a olharem sempre para frente.

FABRIZIO

Guarda lì, Giuseppe! Fra poco saremo in Brasile e le nostre vite saranno cambiati!

Fabrizio vai saindo…

GIUSEPPE

Dove sei?

FABRIZIO

Dare un giro!

GIUSEPPE

Fare attenzione a non entrare nella piattaforma di prima classe! A loro non piace la gente come noi a piedi ai loro posti!

Fabrizio continua sua caminhada.

CENA12 INT/ PRIMEIRA CLASSE/ SALÃO/ DIA.

Em um grande SALÃO deslumbrante, de tapetes vermelhos, paredes bem pintadas e piso maciço. Os nobres passeiam por ali. Sophie aparece, atrás dela, Dolores. Sophie cambaleia um pouco, passando mal. Dolores a ampara.

DOLORES

Aconteceu algo, filha? Está sentindo-se bem?

SOPHIE

Não é nada. Estou apenas enjoada! Acho que vou vomitar!

Sophie se solta dos braços da mãe e sai.

CORTA PARA:

CENA13 EXT/ CONVÉS DA SEGUNDA CLASSE/ DIA.

Sophie aparece ali fora, enjoada. À frente, vem Fabrizio, caminhando tranquilamente. Ela caminha até o corrimão e começa a vomitar. Fabrizio a avista de longe e corre para ajudá-la.

FABRIZIO

Você stai bene?

SOPHIE

Não… É que eu estou um pouco e/…

Sophie vomita na camisa de Fabrizio.

SOPHIE

Ai me desculpa! Eu não queria fazer isso. Por favor, me perdoa!

FABRIZIO

Non ti preoccupare! Va tutto bene!

Fabrizio tira a camisa, mostrando seu físico atlético. Sophie olha por um instante e disfarça, envergonhada.

FABRIZIO

Mi chiamo Fabrizio, Fabrizio Meneghetti! Il suo?

SOPHIE

Sophie Campbell!

Os dois fixam seus olhares um no outro, já admirados. Eles se aproximam, mas–

DOLORES

O que significa isso?

Os dois olham para Dolores que está parada na porta, encarando-os, perplexa, pensando que Sophie estava sendo abusada. A puxa pelo braço rapidamente.

Na tensão…

FIM DO CAPÍTULO