Pensar e sentir , os motivos do existir para a Neurociência

Pensar e sentir , os motivos do existir para a Neurociência

 

 

Sabe aqueles processos mentais imaturos, que todos temos, uns mais outros menos, por mais maturidade e idade que se tenha? Pois é, a neurociência pode ajudar e muito no nosso contínuo processo de autoconhecimento. Veja também neste post dicas de como alcançar o autoconhecimento através do trabalho.

Treinamento do nosso cérebro

Nosso cérebro foi treinado ao longo de muitos anos para expressar em palavras, desde o pensamento mais simples até os mais complexos e, às vezes, é incapaz de conter uma opinião inadequada.

Para o cérebro, o curso natural é planejar uma ação e em seguida executá-la, ou seja, pensar e expressar o pensamento imediatamente. Por isso é muito comum, logo em seguida, vir aquela sensação de arrependimento, de incontinência verbal, de língua solta, e novos pensamentos surgem… “porque eu não me contive”, “que gafe ter verbalizado o que eu achava”… E nesta hora, não há borracha, assessoria de comunicação e nem a tecla delete que dê jeito.

A habilidade de se conter verbalmente é algo que se constrói

 Quando crianças, ao começarmos a dominar a fala, aprendemos a traduzir pensamentos em palavras rapidamente e com muita sinceridade, não hesitamos em falar em alto e bom som que “eu não gosto mais de você”, simples assim! E assim, o ciclo de rebeldias infantis, do tipo “eu não quero tomar banho” e pedidos instantâneos de desculpas, expresso por um melodioso, “eu te amo mamãe”, só terminam, ou melhor dizendo, continuam de outra forma, na adolescência.

O amadurecimento da parte cerebral responsável por esta ação fica pronto no final da adolescência.

E porque então, às vezes, enquanto seres humanos adultos não nos contemos?

A Neurociência explica os nossos processos mentais

A resposta para esta pergunta, diz respeito a tudo aquilo que constitui o nosso processo mental, o pensar, o sentir e o agir, pois os nossos sistemas cerebrais, verdadeiramente, só aprendem fazendo e treinando continuamente.

Treinando seu cérebro

Parar por alguns segundos, respirar profundamente, inspirando e expirando, com atenção focada nesta ação, concedendo tempo para uma boa irrigação cerebral antes de agir, auxilia não ter um comportamento reativo.

E outras possibilidades, tais como, tentar escrever, preparar a sua fala previamente e se ater a ela, ficar calado da próxima vez podem ser recursos acessíveis.

E se, mesmo sabendo disso tudo, para se antecipar aos efeitos adversos das suas palavras, o cérebro pré-frontal, responsável por esta ação, não conseguir se conter, uma outra sugestão seria fazer parcerias com o cérebro de mentores mais experientes.

Perceba quantas oportunidades podem ser perdidas no seu dia-a-dia profissional e na sua vida de forma geral, se você não fizer uso dos conhecimentos que a neurociência nos fornece. Pense nisso!

 

Fonte :
http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/o-que-a-neurociencia-tem-a-ver-com-nosso-processo-de-pensar-sentir-e-agir/104298/
Charlotte Marx

Campineira. 26 anos. Estudante de medicina. Autora e divulgadora do Cyber Séries. A escrita para mim é uma companheira da madrugada, a qual surpreendentemente assume o piano e me encanta com suas nuances. Inseparável da arte, esta só viva quando se pode voar e ser quem desejar. Sou viciada no que faço!Ler, por sua vez, é personificar o universo, é observar o amadurecimento de uma planta chamada vida. É amar veladamente o intracelular.