Insensato destino: Capítulo 22

Insensato destino: Capítulo 22

 

Web Novela de Reryson Silva

 

 

 

 

 

Stella: Todos são suspeitos! Até eu queria acabar com Cleiton!

 

***

Rio de Janeiro

Germana andava sem rumo não acreditando na morte de seu melhor amigo e comparsa.

Germana: Morreu! Meu melhor amigo… Morreu.

Andréa ver sua amiga e a leva para casa.

***

Rio De Janeiro| Mansão Miller Hevrory

Ângela esta em casa no seu quarto e de repente ela começa a pensar no que aconteceu.

[Flashback:

Cleiton: Chegou a hora! A história se repete Ângela, só com que um final diferente. Matarei as duas.

Ângela: A minha filha não. O seu problema é comigo, e não com ela.

Cleiton se aproxima de Ângela e ela avança encima dele. Os dois começam a brigar, um querendo pegar a arma do outro. {…}

***

Cleiton: Eu vou te matar!

Ângela se aproxima de Cleiton botando arma em seu peito.

Ângela: Me mata vai! Só não mata a minha filha eu te peço!

De repente ALGUÉM entra e dar uma paulada em Angelis e em seguida em Ângela. E as duas caem no chão. {…} ]

Daniel chega para ver se estava tudo bem com Ângela.

Daniel: Tudo bem?

Ângela: Não ta nada bem… Não consigo parar de pensar, de lembrar o Cleiton me arrastando por aquele orfanato, vindo pra cima de mim. As imagens ficam todas embaralhadas, parece que falta uma parte para o quebra-cabeça. Talvez eu não tenha desmaiado só uma vez e sim duas. Mas aí eu não me lembro de nada.

Daniel: Calma, tenta se a calmar, por favor! Você, você não se lembra de ninguém? De uma pessoa, de ter ouvido algo?

Ângela balançava a cabeça negativamente.

Ângela: Não, não! Não lembro de nada. Quanto mais eu tento lembrar, quanto mais eu penso só me vem a mente eu com arma na mão. Daniel me da uma sensação muito ruim…

Daniel: Que sensação?

Ângela: De quem matou o Cleiton foi eu!

Daniel se assusta da declaração de Ângela.

Ângela: E a tia socorro, está me protegendo.

***

Cemitério Parque da Paz

O sai amanhece e Cleiton é enterrado e só quem vai ao enterro é Germana. Olha chorava muito com a perda do grande amigo. Ela se aproximava do tumulo.

Germana: Que pena que tudo terminou assim meu grande amigo.

E joga uma rosa vermelha em seu tumulo.

***

Ângela prestar depoimento.

Delegado: Depois que a senhorita pegou a arma, a senhorita disparou contra a vítima?

Ângela: Eu não sei, como eu falei pro senhor eu estava zonza, acho que alguém me acertou. E quando eu acordei ele tava morto e eu estava segurando arma…

A diretora Socorro chega gritando.

Diretora Socorro: Não, não! Eu preciso falar. Seu delegado!

Gritava ela. Daniel tentava segura-la

Diretora Socorro: Larga de mim, você não vai me impedir.

Delegado: O que está acontecendo aqui?

Diretora Socorro: Eu vim aqui dar o meu depoimento. A Ângela não pode ser acusada, ela é inocente. Ela não matou o Cleiton. Quem matou o Cleiton fui eu! Eu matei o Cleiton!

Será que a diretora está dizendo a verdade?

Fim do capitulo 22.