Insensato destino: Capítulo 10

Insensato destino: Capítulo 10

 

 

Capítulo escrito por Reryson Silva

Classificação indicativa: 

 

Continuando capítulo anterior

Germana: Vou pensar no caso, é daqui um mês. Falta muito!

Jerusa: Por que a senhora está com essa cara? Está com uma aparência tão perplexa.

Germana: É porque eu estou vendo você aqui na minha frente, peste. Vai procura o que fazer! Olha, se perguntarem por mim estou no salão.

Germana sai, deixando Jerusa falando só

***

Aracati-CE| Família Silva

Imagem relacionada

Cortez não acreditava no que ouvia de sua filha Karine.

Cortez: Mas que “bexiga” é essa minha filha?

Karine: A papai, eu tava chegando à padaria e o padeiro tava imitando o andado dele, ai tinha uma Drag Queen lá que disse assim: “Quando ele passa a Claudia raia, solta purpurina.”

Julianne: Amor você tem que resolver isso, antes que seja tarde demais.

Cortez: Quando eu voltar!

Karine: Quando o senhor voltar? (risos) Ai ele vai já ter operado, e virado lenda que nem o Pai da Noite.

Julianne: Deixa de falar besteira, menina.

Ramón era o adolescente, indeciso na sua vida sexual. Ele não sentia atrações por garotas, mas sim por meninos. E tinha vergonha de assumir sua verdadeira opção sexual. Talvez não fosse vergonha, e sim o medo da reação da sua família. Ele era completamente apaixonado por Diego, um garoto completamente preconceituoso e arrogante. Ramón chegava parasse despedir do seu pai e rapidamente todos mudavam de assunto.

Ramón: Pai, boa viagem!

Cortez: Obrigado filho. Quando eu voltar termos um grande conversa, esta bem? Chegou a hora de eu levar você num cabaré, pra saber o que é vida.

Ramón: Credo pai! Você não tem vergonha de falar isso não? Ainda mais na frente da sua esposa?

Cortez: Quem manda aqui sou eu. Até logo, meus amores.

Cortez vai indo a caminho de Fortaleza, para sua outra família.

Karine: Se prepara viu? Vem bomba pra ti Ramón.

Ramón: Chata!

***

Rio de Janeiro| Família Matarazzo

Resultado de imagem para rio de janeiro

A tarde já estava acabando. Todos jantavam na família Matarazzo.

Daniel: Está linda, meu amor tudo isso é para receber a nossa filha?

 Germana: E pra você também! Amanhã ela está chegando pela manhã.

Daniel: Sim.

O dia amanhece Daniel, Germana, Nicolle e Andréa esperavam Angelis no aeroporto.

Germana: Meu Deus que ansiedade.

Daniel: Eu também!

Andréa: Olha lá vem ela.

Nicolle: (sussurrando) Jesus, essa é a Angelis?

Angelis acabava de desembarca. Totalmente irreconhecível, com novo visual e estilo. Viajou uma menina e voltou um mulherão. Mas Germana não gostou nada da “nova,” Angelis.

 

Fim do capítulo 10.