Hierarquia – Capítulo 4

Hierarquia – Capítulo 4

Hierarquia

Novela de Débora Costa

Escrita Por

Débora Costa

Colaboração

Tainá Andaluz

Direção

Wellyngton Vianna

Núcleo

Cyber Séries

Personagens desse capítulo

ANA

ANTÔNIO

BÁRBARA

CARLOS

DIEGO

FRANCO

GAEL

GUILHERME

JÉSSICA

JÚLIA

LAURA

LIGIA

NÁDIA

OTÁVIO

PEDRO

SANDRA

 

 

 

 

Cena 1/Int./Hospital/Sala de Espera/Noite.

Franco, Guilherme, Bárbara e Lígia estão sentados, preocupados, Franco se levanta.

FRANCO

Não é possível essa demora! Será que esqueceram que estamos aqui esperando noticias?

GUILHERME

Fica calmo papai, daqui a pouco o médico vem falar conosco.

Bárbara segura a mão de Guilherme.

BÁRBARA

Você que eu vá buscar alguma coisa para seu pai meu amor? Água ou chá para ele se acalmar.

Guilherme solta a mão de Bárbara bruscamente, Lígia observa.

GUILHERME

Não seja intrometida que ninguém te pediu nada, nem era para você estar aqui.

Guilherme se levanta, se aproxima de Franco, Bárbara fica triste, Lígia se senta ao lado dela, o médico se aproxima.

FRANCO

O que aconteceu com minha mulher?

MÉDICO

Dona Laura foi vítima do boa noite Cinderela.

GUILHERME

Mas como isso é possível? Tenho certeza que nenhum dos convidados faria algo assim com a minha mãe.

FRANCO

Mas contra mim sim, a Bárbara derrubou a taça da sua mãe e eu dei a minha pra ela e depois disso a Laura desmaiou.

LÍGIA

Vovô mas quem faria uma coisa dessas com você?

FRANCO

Otávio.

GUILHERME

E como minha mãe está agora?

MÉDICO

Ainda sobre o efeito das drogas, mas estável, ela pode acordar a qualquer momento, com licença, qualquer novidade eu aviso vocês.

O médico sai, Franco se senta pensativo.

FRANCO

Dessa vez Otávio foi longe demais.

Cena 2/Ext./Mansão Bittencourt/Jardim/Noite.

Júlia, Carlos e Ana estão tirando as coisas que pertencem ao Buffet do jardim, Otávio chega bêbado, sorri.

OTÁVIO

O circo já acabou? Cadê todo mundo?

JÚLIA

Otávio a sua mãe passou mal.

Otávio fica sério, preocupado.

OTÁVIO

Como assim? O que aconteceu com ela?

ANA

A gente não sabe, mas ela desmaiou do nada e a levaram para o hospital.

Otávio fica desnorteado.

OTÁVIO

Eu vou lá ver minha mãe, eu sei que ela está bem, mas vou ver ela.

JÚLIA

É melhor você esperar aqui Otávio, do jeito que você está não vai nem conseguir chegar na metade do caminho.

OTÁVIO

Eu tenho que ver a minha mãe!

JÚLIA

Eu levo você então.

CARLOS

Júlia você não tem que se meter, ele é bem grandinho, eles que se entendam e resolvam seus problemas sozinhos.

ANA

Carlos se a Júlia quer ajudar o rapaz você não tem que se meter.

CARLOS

Não gosto deles e você sabe por que, vamos embora logo.

Carlos e Ana saem, Júlia está com pena de Otávio.

OTÁVIO

Pode ir Júlia, eu vou sozinho, pego um taxi.

JÚLIA

Carlos é eu patrão e amigo, mas não meu dono, eu disse que vou te levar e vou.

OTÁVIO

Obrigado… Então vamos quero ver minha mãe.

Júlia e Otávio saem.

Cena 3/Int./Apartamento de Diego/Quarto/Noite.

Diego entra, está bravo, pega o celular, liga para Marcos.

DIEGO

Tio deu tudo errado! Na hora do brinde Franco deu a taça dele para a Laura! A coitada está no hospital, minha intenção nunca foi fazer mal a ela e sim pra esse desgraçado do Franco!

Diego ouve Marcos falar.

DIEGO

Eu quero que ele sofra antes de tirar tudo o que pertence a ele, vou precisar de você aqui tio, Franco tem que pagar pela morte dos meus pais, e vai ser caro, muito caro.

Cena 4/Int./Apartamento de Audrey/Sala/Noite.

Audrey está deitada no sofá mexendo no celular, algo lhe chama a atenção e lê.

AUDREY

A designer de joias Laura Bittencourt é levada as pressas da festa do marido o bancário Franco Bittencourt para o hospital, durante a festa Laura desmaiou, até o fechamento da matéria o motivo não foi divulgado.

Audrey se senta, sorri olhando o celular.

AUDREY

Desejo do fundo do meu coração que ela morra assim Franco e todo o dinheiro dele ficam comigo.

Cena 5/Ext./Casa de Antônio/Quintal/Noite.

Antônio está pensativo, preocupado, Pedro se aproxima.

PEDRO

Você está preocupado com a Laura não é?

ANTÔNIO

Não Pedro, só estou aqui pensando em alguma coisas.

PEDRO

Não precisa mentir vô, você ficou assim desde quando te contei que ela passou mal na festa e desmaiou.

ANTÔNIO

Pedro você não faz ideia de quanto eu amei a Laura, achei que ela me amava também, ela aceitou se casar comigo, mas ela conheceu Franco e ficou com ele, isso me doeu muito.

PEDRO

Não gostei do Franco, ele queria me dar dinheiro porque ajudei a Lígia, eu não aceitei e vi na cara dele que ele ficou bravo.

ANTÔNIO

Fez bem Pedro, não aceitar nada que venha desse homem é o certo.

PEDRO

Eu vou descansar o dia hoje foi agitado.

ANTÔNIO

Pedro você vai perguntar para a Lígia como a Laura está?

PEDRO

Só se o senhor quiser, mal conheci a Lígia, mas quero me afastar dela.

ANTÔNIO

Por quê? Você não gostou dela?

PEDRO

Ao contrário, por ter gostado dela que quero me afastar, boa noite vô.

Pedro entra Antônio fica pensativo.

Cena 6/Int./Hospital/Sala de Espera/Noite.

Guilherme está sentado, Otávio e Júlia se aproximam, Guilherme se levanta.

OTÁVIO

Como a mamãe está?

GUILHERME

Ela está bem Otávio, você tentou atacar o papai e acabou nisso, a nossa mãe hospitalizada.

OTÁVIO

Eu? Mas eu não fiz nada, do que você está falando?

GUILHERME

Não se faça de desentendido Otávio, você colocou boa noite Cinderela no vinho do papai, é melhor você sair daqui porque ele está uma fera com você.

OTÁVIO

Eu não fiz nada disso Guilherme!

Franco chega na sala de espera, fica com raiva ao ver Otávio, se aproxima, dá um soco no rosto de Otávio que cai no chão.

FRANCO

Já estou farto de você! Das suas armações contra mim! Mas isso acaba aqui Otávio! Quero você fora de casa.

Júlia está assustada, Otávio se levanta limpando o sangue que sai do canto de sua boca encara Franco.

OTÁVIO

Você sabe que eu não ajo pelas costas igual a você, se eu tivesse feito algo teria ficado pra ver no que iria dar.

Franco segura Otávio pelo colarinho.

FRANCO

Agora você vai ver em que vai dar essa sua armação!

Júlia está aflita, assustada.

JÚLIA

Franco o Otávio ficou no quarto dele durante a festa, ele só saiu de lá para ir beber mais e quando ele voltou ficou surpreso com o que aconteceu.

Franco olha Júlia de cima a baixo, solta Otávio.

FRANCO

Não pedi sua opinião, aliás, nem sei o que você está fazendo aqui, não é nada.

Júlia fica sem reação, o médico se aproxima.

MÉDICO

Com licença, vim avisar que a dona Laura já acordou e está chamando pelos filhos.

OTÁVIO

Vou ver minha mãe e ninguém vai me impedir.

GUILHERME

Nós vamos falar com ela.

MÉDICO

Me acompanhem por favor.

Otávio, Guilherme e o médico saem da sala de espera, Júlia sem graça olha Franco.

JÚLIA

Se está tudo bem com dona Laura então já vou indo.

FRANCO

Otávio já tem muitos problemas, espero que você não seja mais um.

JÚLIA

Não sei por que o senhor não gosta de mim, mas pelo que vi o maior problema do Otávio é o senhor.

Júlia sai, Franco se senta, sério.

FRANCO

Ainda bem que Laura já está melhor, cansei de ficar aqui bancando o marido preocupado.

Cena 7/Dia Seguinte/Int./Casa de Antônio/Sala/Dia.

Antônio está sentado, pensativo, Carlos se aproxima.

CARLOS

Bom dia pai, a Sandra já foi buscar a Mirella?

ANTÔNIO

Bom dia meu filho, ainda não ela foi tomar café só estava te esperando.

CARLOS

Tudo bem… Ontem eu conheci a famosa Laura.

ANTÔNIO

Imaginei.

Antônio se levanta.

CARLOS

Ela me disse que não te deixou por causa do dinheiro do Franco, mas por ter um motivo forte.

Antônio olha Carlos.

ANTÔNIO

Que motivo?

CARLOS

Não sei, ela não contou.

ANTÔNIO

Porque é mentira! Laura engana com aquele jeito meigo e aparentemente sincero, mas ela é ambiciosa.

CARLOS

Ela queria saber como você estava, mas eu fiquei com raiva dela e não estendi a conversa.

ANTÔNIO

Fez bem meu filho.

Sandra se aproxima.

SANDRA

Que bom que você já está aqui Carlos, estou com muita saudade da Mirella, daqui a pouco ela chega na rodoviária.

CARLOS

Então vamos Sandra.

Sandra beija o rosto de Antônio, sai acompanhada de Carlos, Antônio fica triste, Pedro se aproxima.

PEDRO

Bom dia vô.

ANTÔNIO

Bom dia Pedro, eu vou dar uma volta, não demoro.

Antônio sai.

Cena 8/Ext./Rua/Dia.

Antônio sai de sua casa, caminha pensativo, Ligia vem de frente para ele olhando as casas, olha Antônio.

LÍGIA

Oi com licença, bom dia, o senhor pode me falar onde fica o buffet ideal festas.

ANTÔNIO

Bom dia, é aqui nessa rua mesmo um pouco mais para a frente, mas está fechado agora, você quer marcar alguma festa?

LIGIA

Não eu vim agradecer por terem feito a festa do meu avô ontem.

ANTÔNIO

Você é Ligia Bittencourt?

Ligia sorri.

LIGIA

Sou sim, muito obrigada pela ajuda, quem sabe dou sorte e encontro o Pedro por lá.

ANTÔNIO

Meu neto está em casa.

LIGIA

Então você é o famoso Antônio? Pedro me falou muito do senhor.

ANTÔNIO

Espero que bem, você quer ir até minha casa para falar com ele?

LIGIA

Eu gostaria ontem minha avó passou mal e nem pude agradecer por tudo.

ANTÔNIO

Como sua avó está?

LIGIA

Bem, já voltou para a casa, foi um susto, alguém colocou o tal de boa noite Cinderela em uma das taças e minha avó tomou.

ANTÔNIO

Entendo bem Ligia a minha casa é a terceira pode ir lá.

LIGIA

Obrigada.

Ligia se afasta de Antônio.

ANTÔNIO

Ela é muito parecida com Laura, espero que meu neto tenha mais sorte do que eu.

Cena 9/Int./Casa de Júlia/Sala/Dia.

A campainha toca, Júlia vai abrir a porta, fica surpresa ao ver Otávio.

JÚLIA

O que você está fazendo aqui? Como descobriu meu endereço?

OTÁVIO

Bom dia pra você também Júlia, posso entrar?

JÚLIA

Não! Seja lá o motivo de você estar aqui não me importa, vai embora.

OTÁVIO

Eu vim pedir desculpa por ontem, pelo modo que Franco te tratou e agradecer pela ajuda.

JÚLIA

Não precisava ter vindo aqui pra isso, era só me mandar uma mensagem ou me ligar, se descobriu meu endereço poderia ter descoberto o telefone também.

OTÁVIO

Descobri, mas não seria a mesma coisa por telefone, pessoalmente é melhor.

JÚLIA

Que seja vai embora.

Júlia fecha a porta, a campainha toca novamente, Júlia não abre a porta, a campainha toca sem parar, Júlia fica irritada, abre a porta, olha Otávio.

JÚLIA

Você quer parar com isso!

OTÁVIO

Eu não sou como Franco… Não fui eu quem te tratou mal.

Júlia olha muito Otávio.

JÚLIA

É verdade, desculpa, pode entrar.

Otávio entra.

JÚLIA

Como sua mãe está?

OTÁVIO

Bem, ela voltou pra casa.

JÚLIA

Que bom fiquei preocupada.

OTÁVIO

Você é linda Júlia.

JÚLIA

Pode parar com isso, acabei de me arrepender de ter deixado você entrar.

OTÁVIO

Não fiz nada demais só falei que você é linda.

Otávio se senta.

OTÁVIO

O que você tem para beber aqui?

JÚLIA

Para você água ou café.

Otávio sorri.

OTÁVIO

Sério? Não vai me dar nem um pouco de cerveja?

JÚLIA

Essa hora da manhã não.

OTÁVIO

Então vou te levar para tomar café comigo.

JÚLIA

Eu vou trabalhar daqui a pouco.

Otávio se levanta se aproxima de Júlia.

OTÁVIO

Então temos tempo para um café, me deixa fazer isso porque estou mal pelo que Franco fez.

JÚLIA

Ele me quer longe de você, disse que vou ser um problema, só não sei por quê.

OTÁVIO

Eu sei, Franco é racista, e uma porção de coisas desagradáveis que se for falar termino daqui três dias, mas não me importa o que quer ou não e sim o que eu quero e eu quero sair com você agora e a noite.

JÚLIA

E se eu quero ou não vale alguma coisa pra você?

OTÁVIO

Claro que vale, mas duvido que você não queira sair comigo.

Otávio sorri, Júlia dá risada.

JÚLIA

Convencido… Eu tenho que ir trabalhar Otávio, não posso sair com você agora.

OTÁVIO

Então vamos sair a noite, venho te buscar as oito horas.

JÚLIA

Aceito com uma condição, que você não beba, é muito desagradável estar com alguém bêbado.

OTÁVIO

Não prometo, mas juro que vou tentar.

JÚLIA

Então até a noite Otávio.

OTÁVIO

Está me mandando embora?

JÚLIA

Estou.

Otávio sorri, beija o rosto de Júlia, sai, Júlia sorri se senta pensativa.

Cena 10/Int./Mansão Bittencourt/Suíte de Laura e Franco/Dia.

Laura está de frente para o espelho, arrumando o cabelo, Franco entra.

FRANCO

Achei que iria te encontrar deitada.

LAURA

Não tem motivo, estou ótima, vou até a joalheria ver como estão as coisas.

FRANCO

Nós precisamos conversar sobre Otávio.

Laura olha Franco.

LAURA

Eu tenho certeza que ele não teve nada haver com o que aconteceu.

FRANCO

Quem mais teria motivos para armar contra mim?

LAURA

Quer que eu enumere?

Franco sorri.

FRANCO

Não tinha inimigos na festa Laura, só convidei puxa saco, sócios, imprensa e alguns parentes, está na cara que foi Otávio, estou farto dele, é meu filho, mas age como meu maior inimigo.

LAURA

Já foi Franco, vamos esquecer essa história, está tudo bem.

FRANCO

Não está já arrumei um lugar para Otávio passar um tempo, é uma clinica de reabilitação.

LAURA

Não! Eu não vou ficar longe de Otávio! Ele é seu filho! Aja como pai e não carrasco!

FRANCO

Por ser pai de Otávio é que faço isso, se não fosse já teria sumido com ele.

Franco vai saindo.

LAURA

Fui eu Franco… Quis me vingar por tudo que você me fez, a intenção era que a festa acabasse mal, então eu consegui a droga e coloquei na sua taça, mas na hora deu tudo errado e eu acabei tomando o seu vinho.

Franco encara Laura, se aproxima.

FRANCO

Não venha com essa, você não é capaz de fazer mal a uma mosca.

Laura encara Franco.

LAURA

Á uma mosca não, mas á alguém desprezível como você sim, fui eu Franco, por isso dei certeza que não foi nosso filho, queria acabar com aquela palhaçada de uma vez.

Franco dá um tapa no rosto de Laura, que cai no chão.

FRANCO

Nunca mais tente nada contra mim ou vai se arrepender!

Franco sai, bate a porta, Laura se senta no chão, chora com a mão no rosto.

Cena 11/Int./Mansão Bittencourt/Corredor dos Quartos/Dia.

Nádia está saindo do quarto de Gael, dá de frente com Franco.

FRANCO

O que você está fazendo aqui?

Nádia está assustada com a presença e o flagra de Franco, não sabe o que falar.

FRANCO

Vamos diga logo! O que você está fazendo na minha casa?

Gael sai de seu quarto.

GAEL

Nádia estava comigo Franco.

Franco nervoso.

FRANCO

Eu já falei pra você levar suas piranhas para o motel, apartamento ou para o inferno! Menos na minha casa!

GAEL

Fala baixo, essa casa também é minha e eu faço o que quiser.

Nádia observa a discussão.

FRANCO

Tenho certeza que você não vai querer entrar numa briga judicial comigo, tiro tudo o que te pertence e te coloco na rua!

GAEL

Não exagera Franco.

Franco olha Nádia.

FRANCO

Você está demitida, não quero o seu tipo de mulher trabalhando no meu banco e saia pelos fundos dessa casa.

Franco sai, Nádia fica desesperada.

NÁDIA

Não posso perder meu emprego! Gael você tem que me ajudar.

GAEL

Sinto muito Nádia não posso fazer nada, adorei passar a noite com você, agora tenho que sair, desce e pede para um dos empregados te mostrar onde fica a saída deles.

Gael sai, Nádia fica chora, com raiva.

NÁDIA

Desgraçados! Isso não vai ficar assim!

Cena 12/Int./Casa de Antônio/Sala/Dia.

A campainha toca, Pedro vai abrir a porta, Ligia sorri ao ver Pedro.

LIGIA

Oi Pedro, bom dia.

PEDRO

Ligia…

LIGIA

Eu vim aqui agradecer por tudo que fizeram ontem na festa e dizer que já depositei o dinheiro.

PEDRO

Não tem que agradecer, é nosso trabalho.

Ligia fica chateada pelo modo que Pedro está a tratando, sorri sem graça.

LIGIA

Eu já vou indo.

Ligia vai saindo, Pedro a segura, a olha.

PEDRO

Você já tomou café da manhã?

LIGIA

Não… Mas não precisa se incomodar.

PEDRO

Se você quiser entrar eu acabei de preparar algumas coisas e estou sozinho.

LIGIA

Se eu entrar… Você vai continuar me tratando assim? Frio?

PEDRO

Desculpa Ligia, não era a minha intenção.

Ligia entra, olha Pedro.

LIGIA

Eu não tenho mais nada com o Diego, ele não me deixa em paz e sempre atrapalha quando tento me aproximar de alguém, ele te viu como uma ameaça.

Pedro olhando Ligia nos olhos.

PEDRO

Eu sou uma ameaça para ele?

LIGIA

Seria se eu fosse namorada dele, mas não sou.

PEDRO

Ligia pode parecer absurdo, mas não consigo parar de pensar em você.

LIGIA

Não é absurdo porque a mesma coisa acontece comigo… Eu vim aqui pra te ver Pedro, não queria que você ficasse mal comigo por causa do Diego.

PEDRO

Está tudo bem.

Ligia e Pedro se olham, Pedro segura a mão de Ligia, os dois fecham os olhos, encostam a testa um no outro, se olham, se beijam.

Cena 13/Int./Banco BRT Nacional/Sala de Guilherme/Dia.

Guilherme está sentado, pensativo, Jéssica entra, joga uma pasta em cima da mesa.

JÉSSICA

Isso é pra você assinar.

Jéssica vai saindo, Guilherme se levanta, corre até Jéssica a segura a olha.

GUILHERME

E meu beijo de bom dia?

JÉSSICA

Sua mulher não te deu?

GUILHERME

Não faz assim Jéssica, você sabe que as coisas são complicadas.

JÉSSICA

Eu encontrei uma solução muito simples Guilherme, quebrar essa corrente que me prende á você e procurar a minha felicidade em outro lugar.

Audrey se aproxima.

AUDREY

Com licença, eu gostaria de falar com Franco Bittencourt, ele está?

Guilherme e Jéssica estranham a presença de Audrey.

GUILHERME

Meu pai ainda não chegou, mas para você estar aqui na administração deve ser um assunto importante, como você se chama?

AUDREY

(sorri) Você não me conhece?

Jéssica olha Audrey, sorri.

JÉSSICA

Audrey Medeiros.

AUDREY

Exatamente.

GUILHERME

Continuo na mesma, desculpe.

JÉSSICA

Audrey é uma modelo conhecida mundialmente.

GUILHERME

Entendo, desculpa Audrey essas coisas de mundo da moda nunca foi comigo.

AUDREY

Você é tão direto quanto seu pai, gosto disso.

GUILHERME

Que assunto você tem com meu pai?

AUDREY

Negócios, ele não te falou que minha escola para modelos é patrocinada por esse banco?

GUILHERME

Não… O que é estranho porque sei de tudo em relação ao banco, mas você pode esperar na sala dele é a última do corredor, acompanha ela Jéssica.

Jéssica e Audrey saem Guilherme pensativo.

 GUILHERME

Por que meu pai não me falou desse patrocínio?

Cena 14/Int./Rodoviária/Lanchonete/Dia.

Sandra está sentada em uma das mesas, aflita, Gael se aproxima, sorri.

GAEL

Só você para fazer com que eu entre numa espelunca como essa, como vai Sandra? Estava com saudades.

Gael se abaixa para dar um beijo em Sandra que vira o rosto.

SANDRA

Não foi pra isso que te chamei para vir aqui Gael.

Gael sorri se senta.

GAEL

Então foi pra que?

SANDRA

Eu acho que já está na hora de você conhecer sua filha, ela vive me perguntando de você e já cansei de dar explicações para sua ausência.

Gael fica sério, encara Sandra.

Fim do Capítulo

 

 

Close