Garota de Ipanema – Capítulo 37

Garota de Ipanema – Capítulo 37

NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

(CONTINUAÇÃO DO CAPÍTULO ANTERIOR)

Eduardo Conceição ainda indignado com o que acabará de presenciar acaba esbarrando em uma lata velha e fazendo barulho… Beatriz ouve e na mesma hora se vira…

BEATRIZ (Séria) – Quem esta ai? Eu fiz uma pergunta… Quem é que esta ai?

Eduardo fica gelado e morrendo de medo, prende a respiração e faz até o sinal da cruz… Ele vê Beatriz a uns dez metros de distância, procurando por alguém em meio à escuridão e decide se levantar devagarinho e sair pela porta de onde veio…

BEATRIZ – Ta querendo ter o mesmo fim que essa pobre infeliz teve e voar daqui de cima também? Aparece seja quem for… Ou eu vou até ai e te pego pelos cabelos e arranco um por um. Última chance, não vai aparecer não? Quem esta ai? (Diz se aproximando da mureta devagar e aparece de repente) – Te peguei!

Beatriz não encontra ninguém lá atrás e decide dar uma última olhando em tudo antes de descer… Depois ela sai e pega o elevador… Enquanto isso, Eduardo desce as escadas todo afobado e correndo, mal conseguindo respirar, morrendo de medo de Beatriz…

EDUARDO (Nervoso) – Ai meu Deus, tomara que ela não tenha me visto. Maldita hora em que eu fui cismar de subir atrás daquela outra louca que há essa hora já virou presunto no asfalto… Eu e essa minha curiosidade ainda me matam viu… (Diz descendo ainda as escadas correndo) – Por favor, por favor! Minha nossa senhora protetora dos comprimidos, não é comprimido… Como é que é mesmo? Eu já não estou falando coisa com coisa… Todos os Santos e o nosso Senhor do céu me protejam, que eu sou muito jovem e não quero morrer! (Grita).

CORTA DIRETO PARA: HALL DO HOTEL.

Beatriz sai apressada do elevador e de longe ela já vê um tumulto lá fora…

ESTELA – Beatriz… Graças a Deus, que eu te encontrei amiga. (Diz vindo de frente a ela).

BEATRIZ (Sem paciência) – O que é Estela? Eu to com pressa, não esta vendo que eu já estou de saída?

ESTELA – Desculpa. Não vai levar mais que dois minutos.

BEATRIZ (Seca) – Fala de uma vez.

ESTELA – Você não imagina o fuzuê que esta lá fora… Até polícia já chamaram e o IML também, parece que uma mulher se jogou de lá de cima, ainda não se sabe ao certo de qual andar foi, eles vão investigar ainda, enfim… Parece que não teve testemunhas, e a mulher esta morta. Eu nem tive coragem de ir até lá pra ver porque eu fico impressionada fácil…

BEATRIZ – Acabou? Posso ir agora?

ESTELA (Sem graça) – Claro, me desculpa se eu atrasei você.

BEATRIZ – Francamente Estela, me parar por causa de uma pobre infeliz que resolveu acabar com a própria vida e agora esta estatelada no chão? Me poupe, eu tenho mais o que fazer né? Antes ela do que eu.

Diz e sai rapidinho, ela mal olha para a aglomeração de pessoas em volta do corpo e já entrega as chaves do carro para o manobrista… Ela vai ficando impaciente, pois o manobrista demora um pouco, quando ele finalmente surge com o carro, Beatriz da à volta e o olha torto pegando as chaves da mão dele. Depois ela entra no carro e da partida, se arrancando o mais rápido possível dali. Ela ainda cruza com a polícia que estava chegando…

CORTA DIRETO PARA: SALÃO DE FESTAS DO HOTEL.

Eduardo bufando e todo suado tenta se recuperar do ocorrido e Teodora que o vê de longe com a mão no coração e com aparência pálida, vai até ele ver o que aconteceu…

TEODORA (Preocupada) – O que foi bicha? Você esta se sentindo bem? Ta pálida, suando frio… Toma um pouco de água, bebe… Respira fundo. Ta melhor?

EDUARDO – Tomara que eu fique depois de hoje viu… Ai meu Deus.

TEODORA – Como assim?

EDUARDO – Nada não… Bobagem, coisa minha. Bom eu já vou indo agora pra casa, que eu estou morto de cansaço.

TEODORA – Mas você esta bem pra dirigir? Você parecia estar sentindo-se mal? Quer que eu te leve em casa?

EDUARDO – Não precisa querida, obrigado. Foi só um mal estar, uma queda de pressão, enfim… Agora eu já estou melhor.

Nesse momento uma mulher veio correndo de la de fora e anunciou a todos:

MULHER – Gente vocês precisam ver o que aconteceu… Parece que uma mulher pulou do último andar do prédio e esta morta lá fora, tem até polícia ai…

Todos ficaram espantados e correram para fora do hotel pra ver de perto o que estava acontecendo…

TEODORA – Ué você não vai até la ver Eduardo? De certa forma é mais matéria para o seu blog…

EDUARDO – Deus me livre! Eu não quero publicar essas coisas no meu blog não, depois eu passo mal vendo sangue. Eu vou mesmo é pra casa, tchau querida.

TEODORA – Tchau… Estranho, ele nunca perde uma oportunidade… Deixa pra lá.

Teodora saiu pra fora do hotel e nem chegou perto do local, os policias já haviam isolado a área e tinha muita gente em volta. Ela viu Adna e Leila e foi até elas…

TEODORA – Meu Deus… Parece que foi feio mesmo hein?

LEILA – O legista disse que ela morreu na hora, quebrou pescoço, pernas, braços, a coluna, tudo no impacto. Tem até fraturas expostas…

ADNA – Eu nem cheguei perto, esse tipo de acidente impressiona demais. Não sei como tem gente que chega bem de pertinho pra ver…

TEODORA – Sem contar que ficam relatando tudo depois, um horror…

Nesse momento um policial chega por trás delas e as assusta…

POLICIAL – Vocês conheciam a vítima?

TODAS (Em uníssono) – Ai que susto!

POLICIAL – Conheciam ou não? (Diz mostrando o documento de RG dela).

LEILA – Não, eu nunca a vi antes…

ADNA – Eu me lembro de tê-la visto no desfile…

TEODORA – Jura? Laura Macedo… Eu não vi. O que será que leva uma pessoa a ir num desfile e depois se matar?

POLICIAL – É isso o que nós iremos investigar a partir de agora… Mas é bem provável que ela não tenha se matado, afinal se ela veio ao desfile e estava aparentemente tudo bem, ela não teria motivos pra se matar depois e logo aqui? Nós estamos trabalhando com a possibilidade de homicídio doloso. Nós pegamos os nomes de todos os hóspedes e das pessoas envolvidas no desfile, inclusive dos convidados, todos serão chamados a depor. Estejam sob aviso, boa noite senhoras.

As três se olharam curiosas e ficaram preocupadas com a situação toda, pois todos agora eram suspeitos…

CORTA PARA:

ABERTURA:

CORTA DIRETO PARA: COPACABANA – APARTAMENTO DE DANIEL.

DANIEL – Eu não to acreditando nisso… O Bruno estava tão bem, bastou ele ficar amigo do seu surfista que olha ai o resultado, se drogando de novo. E a culpa é sua…

HELÔ (Nervosa) – Do que você esta falando, Daniel? Eu não tenho culpa de nada, isso eu não vou carregar comigo. Depois pelo que o Pedro me falou, ele nem imaginava que o Bruno pudesse ser o meu filho, foi tudo por acaso que eles se conheceram na praia e ficaram amigos. Qual é o seu problema, hein? A gente já não tinha virado essa página?

DANIEL – O tanto que eu pedi pra ele ficar longe do Bruno… Hoje foi a maior muvuca na praia, quando eu vi os dois juntos… Me desculpa ta, eu fiquei com a cabeça quente de tanta coisa ao mesmo tempo, eu sei que você não tem culpa de nada. Vem cá… (Diz dando um abraço em Helô) – A gente vai resolver isso. O Bruno agora vai precisar de todo o nosso apoio pra sair disso e pra sempre.

Enquanto isso, no quarto de Bruno… Liah e Paloma o haviam colocado na cama e Liah continuava sentada ao lado dele, fazendo um cafuné em seus cabelos, o que o fizera pegar logo no sono…

PALOMA – Vamos Liah, o Bruno agora precisa descansar.

LIAH (Triste) – Eu queria tanto poder ficar com ele, cuidando dele…

PALOMA – Você já fez o que podia, agora ele esta dormindo, vai acordar só amanhã e você também precisa ir pra casa e descansar. Vem, vamos… Amanhã você liga pra ver como ele esta, se estiver tudo bem vocês marcam e saem um pouco. (Disse pegando ela pela mão).

Paloma foi levando Liah e ela apagou a luz do quarto antes de dar uma última olhada nele e saiu fechando a porta.

CORTA PARA:

CENA 1. INTERNA |NOITE |LEBLON – APARTAMENTO DE FLÁVIA.

Flávia e Betina deitadas no sofá assistiam ao noticiário e ficaram chocadas com a notícia da morte no desfile…

FLÁVIA – Nossa que tragédia! Quem será que era essa mulher?

BETINA – Nem imagino, nunca vi mais gorda na vida… Será que alguém do nosso convívio que estava no desfile a conhecia?

FLÁVIA – Não sei, mas pode ser que sim né? Já que ela estava no desfile. Agora ter se matado eu acho muito difícil viu, pra mim isso ta com cara de assassinato. Alguém a empurrou de lá de cima.

BETINA – Eu também acho… Agora quem será que teria motivos pra matar ela? Essa é a pergunta que não quer calar…

CORTA PARA:

CENA 2. INTERNA |NOITE |IPANEMA – COBERTURA DE BEATRIZ – SUÍTE MASTER – BANHEIRO.

Beatriz estava debaixo do chuveiro pensativa e incomodada, pois ela não parava de se lembrar da morte de Laura, que ficava rodando em sua cabeça como um filme… Ela esfregava a bucha cheia de espuma pelo corpo tão forte, como se quisesse lavar a própria alma…

BEATRIZ (Off) – Bem feito, quem mandou se meter comigo… Acabou pagando com a própria vida. Dessa graças a Deus, eu estou livre… Eu só preciso descobrir agora quem mais estava lá em cima daquele prédio, e que deve ter visto tudo. Essa pessoa pode acabar com a minha vida. Mas antes que isso aconteça, eu descubro quem é, e acabo com ela primeiro…

CORTA PARA:

CENA 3. INTERNA |NOITE |HOSPITAL MEMORIAL DR. AFONSO MORETTI.

Rodrigo e César que haviam chegado desesperados ao hospital aguardavam notícias de Débora há mais de uma hora.

RODRIGO (Nervoso) – Que droga! Eu não agüento mais tanta espera… Que será que ta acontecendo lá dentro?

CÉSAR – Calma, você não viu a enfermeira falar que teve um acidente grande na estrada? Deve ser por isso que esta demorando tanto, os médicos devem estar sobrecarregados… Logo teremos notícias. Não falei? Olha o doutor ai…

Rodrigo levantou-se na mesma hora e foi falar com o médico…

RODRIGO (Preocupado) – E então doutor? A Débora esta bem?

DOUTOR – Não se preocupe… Agora esta tudo sob controle, Rodrigo. A Débora teve um aumento de pressão significativo, ela chegou aqui com a pressão arterial em dezenove por dez. Avaliando ela melhor, eu cheguei ao diagnóstico. Ela esta com pré-eclâmpsia… A pré-eclâmpsia é o súbito aumento da pressão arterial, normalmente seguida de inchaço e dores de cabeça. Se não tratada a tempo, ela pode provocar um edema cerebral, convulsões e levar a mulher ao coma.

RODRIGO – Nossa Doutor, eu já ouvi falar sobre isso, mas eu não imaginava que fosse tão grave assim…

DOUTOR – Mas fique calmo, porque apesar de ameaçadora, ela é passível de prevenção. E o mais importante de tudo além do acompanhamento médico, é que ela faça repouso até o fim da gravidez, e que não passe por qualquer tipo de estresse ou nervoso, pois a pressão pode subir rapidamente e culminar nos problemas que eu disse, podendo ser fatal.

RODRIGO – E quando ela vai poder voltar pra casa?

DOUTOR – Bom ela esta descansando agora, a pressão já esta normal, ela esta medicada, enfim… Dentro de mais algumas horas eu a libero, é bom que ela fique um pouco em observação. Depois eu vou passar uma receita dos medicamentos que ela terá que tomar, e uma dieta específica para ajudar a controlar a pressão dela, entre as recomendações, é muito importante que ela tome bastante água e líquido em geral e evite sal em excesso. E qualquer sinal de alteração na pressão, você deve trazê-la imediatamente.

CORTA PARA:

CENA 4. INTERNA |NOITE |LEMA – APARTAMENTO DE ESTELA.

Estela e Jonas conversavam sobre os acontecimentos do desfile e Estela tinha suas suspeitas…

JONAS – Mas então teve de tudo nesse desfile? A Garota de Ipanema na passarela, a revelação da verdadeira estilista, briga do filho da Helô com o amante dela e até assassinato? Porra… Olha só tudo o que perdi, além da comida e bebida de graça.

ESTELA – É mais você como empregado da Beatriz, não poderia comparecer mesmo, ta louco? Agora, tem uma coisa não me sai da cabeça…

JONAS – O que?

ESTELA – Eu encontrei com a Beatriz na saída do hotel, e ela me parece nervosa, apressada, como se ela tivesse querendo sair dali o mais rápido possível… Será que ela não teve nada a ver com a morte dessa mulher? Isso ta martelando na minha cabeça.

JONAS – Você acha que ela seria capaz de matar alguém?

ESTELA – O que? Mas é claro que sim Jonas. Aquela lá é capaz de tudo… Vindo dela, eu não duvido de nada.

JONAS – Mas ela conhecia a tal mulher?

ESTELA – Pelo menos eu nunca as vi juntas… O que nesse caso, também não quer dizer nada. Vamos ver o que eu descubro…

CORTA PARA:

CENA 5. INTERNA |NOITE |APARTAMENTO DE LEILA – GÁVEA.

Marcos já de pijama, assistia TV distraído, quando Leila chegou de mansinho e se sentou perto dele…

MARCOS (Sorrindo) – Que surpresa gostosa, meu amor… Eu pensei que você já estivesse dormindo. (Diz dando um beijo nela).

LEILA – Não, eu perdi o sono… Acho que foi por causa dessa história toda de assassinato, nossa que noite foi essa…

MARCOS – Pois é, eu também estava pensando nisso até agora… Na TV também só dá isso nos noticiários.

LEILA – Sabe o que é mais engraçado nessa história toda?

MARCOS (Curioso) – O que meu amor?

LEILA – É que diante de uma tragédia de uma proporção dessas, agente fica mais reflexiva e pensando sobre a vida, em como ela é frágil e passa tão depressa… Hoje nós estamos aqui vivos, com saúde, felizes e amanhã a gente não sabe como vai ser.

MARCOS – É verdade. Tudo pode acabar assim, num piscar de olhos… Por isso devemos sempre aproveitar a vida e as oportunidades que nos aparecem de estarmos bem, realizados e sermos felizes…

LEILA – Exatamente. E foi pensando nisso, que eu tive a resposta sobre a proposta que você me fez outro dia…

MARCOS (Animado) – O que? Sobre o meu pedido de casamento? E o que você decidiu?

LEILA (Sorri) – Eu decidi que sim, meu amor… Eu aceito me casar com você, Marcos.

{Começa tocar: Photograph – Ed Sheeran}

Marcos ficou tão feliz, que saiu correndo e pulando pelo apartamento… Leila começou a rir sem parar de ver a alegria dele. Um homem lindo e apaixonante, parecendo criança… Depois ele a pegou pela mão e a abraçou forte e emocionado prometeu;

MARCOS – Eu prometo te fazer a mulher mais feliz desse mundo! Eu te amo…

Ele a carregou no colo e enquanto a beijava, foi levando ela para o quarto, onde depois de deitá-la na cama, ele tirou a camiseta e deitou-se por cima dela a beijando e acariciando o tempo todo, deslizando suas mãos macias e másculas por todo o seu corpo, arrancando de Leila calafrios e gemidos ofegantes de prazer, numa noite de amor e prazer intensos…

CORTA PARA:

CENA 6. INTERNA |NOITE |IPANEMA – COBERTURA DE ANSELMO – SALA.

Depois de uma noite bem sucedida, movimentada e cansativa, Helô finalmente chegava em casa em frangalhos, mas apesar de tudo com a sensação de dever cumprido…

HELÔ – Boa noite. Ainda acordados? (Disse ao ver o Pai e Celina na sala vendo TV).

CELINA (Sorri) – Nós estávamos esperando você chegar…

HELÔ – Mas por quê? Não precisava terem se dado ao trabalho, depois eu já sou bem grandinha pra vocês ficarem me esperando chegar, não acham? (Diz se jogando no sofá).

ANSELMO – E desde quando um filho já é grande o suficiente para os pais não se preocuparem com ele, hein?

HELÔ (Sorri) – É verdade, agora eu sou mãe e devo concordar com vocês.

CELINA – E não importa a idade, parece que filho é sempre um bebezinho… Deu tudo certo com o Bruno?

HELÔ (Aliviada) – Graças a Deus. Eu o deixei em casa, ele já estava bem mais calmo quando chegamos, eu falei com o Daniel e expliquei tudo, e quando saímos de lá, o Bruno já estava dormindo.

ANSELMO – Que bom, pelo menos por hoje terminou tudo bem. Mas você sabe que o Bruno vai precisar de um bom tratamento né minha filha?

HELÔ – Sim papai, eu e o Daniel iremos ver isso. Mas é aquela história, o Bruno precisa querer se tratar, caso contrário, nós não poderemos fazer muita coisa por ele…

CELINA – Vamos torcer pra que tudo de certo… E sobre o crime, você teve mais alguma informação?

HELÔ (Espantada) – Crime? Do que vocês estão falando?

ANSELMO – Do assassinato que ocorreu lá no desfile, você não ficou sabendo? Não se fala em outra coisa na TV.

HELÔ – No desfile? Mas eu não estou sabendo de nada. Deve ter sido depois que eu sai pra levar o Bruno pra casa… Que horror! Me contem essa história direito.

Anselmo e Celina contaram tudo o que sabiam para Helô que ficou chocada com toda a história…

CORTA PARA:

CENA 7. EXTERNA |DIA AMANHECENDO |CLIPE DE IMAGENS.

{Começa tocar: Beija Eu – Silva}

Cam – Mostra imagens do Rio, começando em Fade In e terminando em fade Out. (Trânsito, prédios, calçadão, praia, mar, céu azul, pessoas fazendo rapel, voando de asa delta, fazendo exercícios na areia, andando de bike na ciclovia, pegando onda…

CORTA DIRETO PARA: COBERTURA DE ANSELMO – MESA DO CAFÉ DA MANHÃ.

Helô, Anselmo e Celina estão reunidos a mesa, tomando café e Maroca entra toda feliz…

MAROCA (Feliz) – Da licença gente. Helô, olha só que bacana as notas que saíram no jornal… Os críticos estão falando super bem do desfile e claro, da Garota de Ipanema.

HELÔ (Curiosa) – Deixa eu ver… “O Desfile mais Aguardado do Ano, com a volta da Eterna Garota de Ipanema, foi um Sucesso”. – Helô Bittencourt voltou com tudo e arrasou na passarela, mostrando que continua linda, além de desfilar como nunca, com todo o seu charme, beleza e graciosidade no melhor estilo carioca.

CELINA (Sorri) – Olha que maravilha… Parabéns Helô! Deixa eu dar uma olhadinha…

ANSELMO – Você merece todo sucesso do mundo, minha filha… Papai ta muito orgulhoso. (Conclui sorrindo).

HELÔ – Obrigada gente… Eu fiquei muito feliz com a crítica, pelo menos o dia hoje ta começando bem e que continue assim. Amém!

Helô passa o jornal para Celina que dá uma olhada e continua lendo:

CELINA – “E o grande destaque da noite ficou por conta de Paloma Bittencourt, que foi revelada por sua tia Helô, como sendo a verdadeira e única estilista da marca, desde que Beatriz Bittencourt mãe de Paloma se lançou no mercado como estilista, o que de fato ela nunca foi, já que usava o talento da filha para fazer o seu nome. Por fim, a empresária saiu com o rabinho entre as pernas e não foi mais vista pelo resto da noite”.

MAROCA – Eu no lugar dela não saia nem na porta de casa mais, depois de um escândalo desses? É ruim hein…

ANSELMO – Ah mais ela sai… E vai sair com a mesma cara lavada de sempre e nariz empinado. A Beatriz nunca teve vergonha na cara, não. E sobre o crime, meu amor… Tem alguma nota?

CELINA – Tem sim, ta aqui na página policial… “E a polícia confirmou depois da análise detalhada da perícia que a morte de Laura Macedo de 45 anos no prédio do Hotel Plaza no Rio, que foi palco do desfile da Garota de Ipanema na noite de ontem, trata-se mesmo de um homicídio. As investigações já começaram pela busca do assassino e todos os presentes serão interrogados”.

HELÔ – Coitada dessa moça, que a alma dela descanse em paz e que a justiça seja feita.

Todos ficam calados e assentem…

CORTA PARA:

CENA 8. INTERNA |DIA |BARRA – MANSÃO DE TEODORA.

Rodrigo chegava do hospital, ajudando Débora que andava devagar e ainda se recuperava do choque…

TEODORA – Graças a Deus, vocês chegaram. Eu mal consegui dormir essa noite de tanta preocupação depois do que o César me contou…

RODRIGO – Mais agora já passou mãe e esta tudo bem. A Zilu socorreu a Débora em tempo, obrigado Zilu.

ZILU – Que isso, Rodrigo… Não tem que agradecer nada não.

RODRIGO – Aqui esta a receita com os medicamentos que ela tem que tomar e os horários, eu já comprei tudo, depois eu pego dentro do carro. (Diz entregando a receita para Zilu) – E ai também tem a prescrição de uma dieta que ela deve seguir a risca, até o fim da gravidez.

ZILU – Sim, senhor.

TEODORA – Você esta melhor, Débora?

DÉBORA – To sim, obrigada. Só de saber que não aconteceu nada com o meu filho, eu já fiquei aliviada.

CÉSAR – Você é forte, jovem, saudável, vai dar tudo certo você vai ver.

RODRIGO – Bom, eu vou levar ela pro quarto que ela precisa descansar agora. Da licença gente…

TEODORA – Claro meu filho… Se precisar de qualquer coisa Débora é só falar.

Rodrigo a pegou no colo para subir as escadas e levá-la até o quarto. Teodora e César se olharam com pesar, enquanto Teodora meneava a cabeça…

CORTA PARA:

CENA 9. INTERNA |DIA |APARTAMENTO DE LUCIANA.

A campainha toca e Luciana vai atender…

LUCIANA – Já vai… Edu, que surpresa boa. (Diz dando um beijo nele) – Entra. Só não repara a bagunça, que essa semana a faxineira não veio e eu to tendo que me virar sozinha e ainda cuidar do meu pequeno príncipe Gabriel. (Diz sorrindo).

EDU – E cadê ele?

LUCIANA – Ta brincando lá dentro, no quarto.

EDU – É o seguinte, você vai trocar ele e se arrumar também, depois vai pegar um biquíni e um calção pro Gabriel, que a gente vai sair.

PALOMA – Mas nem pensar… Você ta vendo a zorra que esta esse apartamento? Além de organizar tudo, eu ainda tenho que lavar e passar roupa, senão daqui um pouco eu não to achando nem o Gabriel aqui no meio dessa bagunça toda.

EDU – Meu amor, hoje é sábado. Dia mundial de ser feliz, se divertir e aproveitar a vida, e não de ficar se preocupando com esses detalhes de casa…

LUCIANA (Sorri) – Pra vocês homens, é fácil falar né? Quando somos nós, as mulheres que colocamos a mão na massa…

EDU – Vamos fazer o seguinte… A gente sai, passa o dia fora, aproveita, você não vai ter que cozinhar, o que já é uma grande vantagem que eu sei… Depois à tarde, nós voltamos pra cá e encerramos a noite vendo um filme e comendo uma pizza, que tal? Ai se você quiser, eu durmo aqui hoje e amanhã levantamos cedo e eu te ajudo na faxina da casa, o que me diz?

LUCIANA – Bom, pensando bem… Até que não é uma má idéia, sabe? Eu topo. (Diz sorrindo) – Mas eu vou cobrar a parte da faxina viu e ai do senhor se amanhã fizer corpo mole.

EDU – Sim senhora. (Diz batendo continência) – Estarei ao seu dispor a sete da manhã em ponto… Lerê Lerê, Lerê Lerê Lerê… (Começa a cantar e ri).

LUCIANA (Ri) – Seu bobo… Combinado então. E eu posso saber aonde nós vamos?

EDU – Num clube, onde eu sou sócio. Você e o Gabriel vão adorar o lugar.

LUCIANA – Ta bom. Eu vou trocar o Gabriel e me arrumar então, já volto…

CORTA PARA:

CENA 10. INTERNA |DIA |IPANEMA – COBERTURA DE BEATRIZ – QUARTO DE PALOMA.

Paloma esta se preparando para sair, quando o seu celular toca.

PALOMA (Ao celular) – Alô… Sim, sou eu… Revista Moda & Praia, claro eu conheço sim. Pra quando seria? Ok. Eu topo sim… Obrigada, bom dia pra você também. (Desliga, toda feliz).

Nesse momento Liah entra no quarto…

PALOMA (Feliz) – Você não vai acreditar… Eu fui convidada pra dar uma entrevista pra maior revista de moda verão do Brasil, a Moda & Praia.

LIAH – Que legal, Paloma. (Diz abraçando a irmã) – Eu fico muito feliz por você…

PALOMA – Que foi Liah, você disse que esta feliz por mim, mas ta com uma carinha tão triste…

LIAH – É o Bruno, ele acabou de mandar uma mensagem e disse que quer me ver… Eu to nervosa, eu não sei como encarar ele, depois da briga dele com o papai ontem no desfile.

PALOMA – Relaxa, vai dar tudo certo. Você e ele tem que esquecer o papai e a tia Helô e pensar em vocês dois agora. Vocês não podem deixar que a relação deles atrapalhe a de vocês que é tão pura, bonita e esta só começando. Logo o papai e a tia Helô se acertam e vocês vão precisar aceitar isso também. Quer que eu vá junto, pra te dar uma força?

LIAH – Melhor não… Eu tenho que aprender a resolver as coisas sozinha. Eu vou pedir pra ele vir até aqui. Mas você já me tranqüilizou mais, obrigada.

PALOMA (Sorri) – Disponha… E força.

CORTA DIRETO PARA: COBERTURA DE ANSELMO – QUARTO DE HELÔ.

CELINA – Oi Helô, da licença.

HELÔ – Tem toda Celina, entra.

CELINA – Você tem uma visita lá embaixo…

HELÔ – Visita logo cedo? Quem é?

CELNA – É o Pedro. E ele disse que não vai embora enquanto você não descer e falar com ele.

CORTA DIRETO PARA: SALA.

Helô vem descendo as escadas e vê Pedro de costas no espaço gourmet, olhando para o mar…

HELÔ (Séria) – A Celina me disse que você queria falar comigo… Aqui estou eu, pode falar.

PEDRO – Eu vim falar com você sobre ontem e também saber do Bruno, como ele está?

HELÔ – O Bruno esta bem graças a Deus.

PEDRO – Que bom, eu fico mais tranqüilo em saber que ele esta bem. O Bruno é um garoto de ouro, eu gosto muito dele… Helô sobre ontem, eu juro por tudo que há de mais sagrado nessa vida, que eu não sabia que ele era o seu filho. A gente se conheceu por acaso na praia, ele tinha acabado de chegar ao Rio, tava desanimado, eu vi que ele se interessou pelo surf e decidi ajudar dando aulas pra ele, uma injeção de ânimo para que ele tivesse com que ocupar a cabeça, e mais nada.

HELÔ (Terna) – Eu sei Pedro. Eu confio em você… Me desculpa se ontem eu perdi a cabeça ta?

PEDRO – Sem problemas… Bom, eu já vou indo. Se você precisar de qualquer coisa me fala ta bom? Desculpa qualquer coisa.

HELÔ – Eu te acompanho até a porta…

{Começa tocar: Complicamos Demais – Alinne Rosa}

Helô abre a porta para Pedro e os dois se encaram por alguns segundos…

PEDRO – Tchau, Helô.

HELÔ – Tchau, Pedro.

Helô fecha a porta e fica pensativa…

CORTA PARA:

CENA 11. INTERNA |DIA |COBERTURA DE BEATRIZ – SALA.

Bruno acabara de chegar e esperava Liah, que logo desceu pra falar com ele…

BRUNO (Sem graça) – Oi linda, como você ta? (Diz dando um beijo nela).

LIAH – Eu estou bem e você?

BRUNO – Bem. Só um pouco confuso com tudo que aconteceu… Me desculpa por ontem, pelas coisas que disse sobre o seu pai, ele é gente boa mas ele é o responsável pela minha mãe deixar o meu pai e eu não posso ser conivente com essa história. Continuar sendo amigo do seu pai, seria o mesmo que trair a amizade do meu e isso eu não farei jamais. Espero que você entenda…

LIAH – Eu entendo sim. Só acho uma pena que tudo tenha sido assim… O meu pai é um homem admirável, de bom coração e amigo, vocês dois se dariam muito bem.

BRUNO – No momento eu só quero esquecer de tudo e de todos e me dar bem com você… Eu sou louco por você, Liah.

Bruno começou a beijar Liah com amor e carinho…

BEATRIZ – Mas o que é isso? Vocês perderam o juízo? Vocês dois são primos de primeiro grau, não podem se beijar.

LIAH (Chorando) – Mãe? A senhora não tinha saído?

BEATRIZ – Mas já voltei há muito tempo. Tempo suficiente de ver a besteira que você anda fazendo… E não adianta negar que ta na cara que essa não é a primeira vez que vocês fazem isso.

LIAH – Mãe, eu sei que não é certo, mas essa história de primos não tem nada a ver, eu e o Bruno nos amamos desde o primeiro momento em que nos vimos.

BEATRIZ – Pode não ter nada a ver pra vocês, porque pra mim tem e muito… E eu não irei permitir que você namore com esse garoto.

BRUNO – Tia Beatriz por favor, a gente…

BEATRIZ – Cala essa boca, seu moleque! E que intimidades são essas de tia? Eu não te dei liberdades pra me chamar assim, e depois eu não tenho sobrinho, muito menos desse tamanho. Esse namorico de vocês acaba aqui. Você não é mais bem vindo nessa casa e esta proibido de se aproximar de Liah de novo, entendeu? E você também Liah, esta proibida de vê-lo. E ai de você se me desobedecer… Eu te coloco num colégio interno fora do Brasil.

LIAH – Não mãe, por favor… Eu amo o Bruno.

BEATRIZ (Ri) – Ama? Me poupe Liah, você nem sabe o que é amor… Agora já para o seu quarto, e você rapaz vai embora agora. (Diz indo até a porta e abrindo pra ele sair).

BRUNO – A senhora ainda vai se arrepender disso tudo.

BEATRIZ – Isso é uma ameaça?

BRUNO – Não. É só um aviso mesmo, passar bem.

Beatriz bate a porta e se volta pra Liah que esta aos prantos…

BEATRIZ – Ainda aqui, Liah? Vai chorar lá no seu quarto, antes que você inunde toda essa sala. E eu vou ficar de olho em você viu… Namorar com primo? Só você mesma, sua idiota. Não tem capacidade pra arrumar um garoto, e se entrega para o primo que com toda certeza só que se aproveitar de você.

LIAH – Todo mundo tem razão… Você não tem coração, mãe… Não tem.

Liah vai para o quarto, enquanto Beatriz fica rindo dela…

CORTA PARA:

CENA 12. EXTERNA |DIA |RUAS DO RIO.

{Tocando no carro: Sorte e Azar – Cazuza}

Edu e Luciana estavam a caminho do clube, com o som do carro ligado bem alto e cantando juntos com a música… Gabriel no banco de trás, também se divertia com eles. De repente, Luciana olhou para o lado e o seu sorriso foi fechando e ela ficando cada vez mais séria ao observar um homem passando pela rua…

LUCIANA (Apavorada) – Não pode ser, não pode ser…

EDU – O que foi Luciana? Você ficou branca de repente…

LUCIANA – Eu vi o Marcelo, o pai do Gabriel. Ele me achou… Ele veio pro Rio, atrás do meu filho.

EDU – Calma. De repente ele só veio a passeio, não vai se desesperar a toa.

LUCIANA – Não. Ele veio atrás de nós, eu sinto isso. O que eu mais temia, aconteceu… E agora, o que eu faço? (Diz olhando para Gabriel no banco de trás e faz um carinho no filho).

Edu olhou pra ela apreensivo, sem saber o que dizer… Enquanto Luciana estava desesperada.

CORTA PARA:

CENA 13. INTERNA |TARDE |ATELIÊ GAROTA DE IPANEMA.

Helô e Paloma estavam arrumando a sala que seria de Paloma, para que ela já começasse a trabalhar na segunda-feira, quando foram surpreendidas…

PALOMA (Feliz) – Nossa, eu nem acredito que na segunda, eu já começo a trabalhar aqui e como estilista principal… Parece até que eu estou sonhando.

HELÔ (Sorri) – Você merece minha querida. E não se esqueça que além de estilista você também estará me representando aqui dentro hein?

PALOMA – Só espero poder dar conta do recado direitinho e te representar muito bem.

HELÔ – Eu tenho certeza que vai… Eu confio muito em você.

DETETIVE – Com licença. Desculpa ir invadindo assim, eu telefonei pra casa da senhora e a sua empregada me informou que a senhora estava aqui. Detetive Noronha. (Diz estendendo a mão para Helô e depois para Paloma).

HELÔ – Prazer, Helô.

DETETIVE (Sorri) – Eu sei e o prazer é todo meu… Eu sou seu fã.

HELÔ – Obrigada. Mas em que posso ajudá-lo?

DETETIVE – Eu gostaria de fazer algumas perguntas pra vocês, é sobre o homicídio que aconteceu no desfile ontem.

HELÔ – Bom, se nós pudermos ajudar.

DETETIVE – Vocês conheciam a vítima? O nome dela é Laura Macedo. Ninguém até agora disse que a conhecia, é como se ela estive naquele desfile por estar, sem ser convidada e sem conhecer ninguém ali…

HELÔ – Não. Por nome assim, eu nunca ouvi falar.

DETETIVE – Não sei se vocês chegaram a ver a foto dela na TV, mas eu tenho uma aqui comigo. (Diz tirando a foto da carteira) – E então vocês a conheciam ou não?

HELÔ – Não, realmente eu não conhecia. (Diz e entrega a foto para Paloma).

PALOMA (Surpresa) – Espera ai… Acho que eu to conhecendo ela sim.

O detetive e Helô olharam surpresos para Paloma, esperando ela falar de onde conhecia a vítima…

PALOMA (Categórica) – Essa mulher esteve na minha casa outro dia…

HELÔ (Curiosa) – Na sua casa? Fazendo o que?

DETETIVE – Você tem certeza disso?

PALOMA – Tenho sim, eu a reconheci assim que bati os olhos na foto… Ela esteve lá em casa uns dias antes do desfile, disse que era amiga da minha mãe e que estava de passagem no Rio. Laura… Eu me lembro muito bem, eu cheguei a falar com ela…

(Cam – Closes Alternados)

 

FIM DO CAPÍTULO.

(A imagem congela. Depois se transforma em um cartão postal, jogado sobre Ipanema)

{O capítulo se encerra com a música: A Sky Full Of Stars – Coldplay}

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”