Garota de Ipanema – Capítulo 28

Garota de Ipanema – Capítulo 28

 

NOVELA DE: EDUARDO MORETTI.

(CONTINUAÇÃO DO CAPÍTULO ANTERIOR).

 

Daniel, Helô e Pedro ficam sem saber o que falar e o clima fica tenso… Até que Daniel quebra o gelo.

DANIEL – Não vai me convidar pra entrar, Helô? (indaga sério, olhando o tempo todo para Pedro).

HELÔ (Sem graça) – Claro. Por favor, Daniel… Entra.

Daniel entra e Helô olha para Pedro e dá sinal para que ele vá embora…

HELÔ – O meu amigo já estava de saída, eu vou acompanhar ele até a porta…

DANIEL (Sarcástico) – Calma Helô… Pra que tanta pressa? Você não vai me apresentar o seu novo amigo?

Helô fica sem reação, até que Daniel se levanta e vai até Pedro, lhe estendendo a mão…

DANIEL – Prazer, eu me chamo Daniel e sou o marido da Helô.

HELÔ – Ex-marido, Daniel. É o termo mais correto, já que nós estamos separados.

DANIEL – Não no papel… Nós estaremos separados oficialmente mesmo, só quando os papéis e todos os tramites legais correrem, até que isso aconteça, tecnicamente nós ainda somos casados, sim! (Diz sério).

PEDRO – Bom é melhor eu ir andando…

DANIEL (Intimidador) – Calma cara. Que pressa é essa? Parece que está fugindo. Nós ainda nem fomos apresentados… Como já disse, eu sou Daniel e você? Como é seu nome?

HELÔ – Ele está com pressa, sim Daniel. Está atrasado para o trabalho e você esta sendo grosseiro e inconveniente, por favor, deixa ele ir agora…

DANIEL – Mas qual é o problema gente, dele se apresentar pra mim, dizendo seu nome? E depois pelo que eu vi aqui, vocês dois são muito mais do que simples amigos… E eu quero ser apresentado ao cara que está saindo com a minha ex-mulher e que certamente irá conviver com o meu filho. Será que eu usei o termo correto agora, Helô? (Diz a encarando e sorrindo).

HELÔ (Séria) – Sim, Daniel. Você usou, sim. Esse é o Carlos, meu colega de trabalho e também médico. Satisfeito? E na minha casa, eu tenho o direito de receber quem eu quiser, além do que eu não devo mais satisfação da minha vida pra você e nem pra ninguém, ok?

PEDRO – Para com isso, Helô. Todo esse clima está ridículo. Nós somos adultos e temos que agir como tal, depois uma hora ele vai ter que saber mesmo, e é melhor que seja o quanto antes e da nossa boca… Como você já deve estar desconfiado, eu sou o Pedro. Eu e a Helô voltamos e vamos ser felizes, como já devíamos ter sido há mais de vinte anos atrás…

DANIEL – Ah, mas eu sabia… Bem que eu desconfiava dessa sua partida repentina de Americana, deixando casa, trabalho, marido e filho pra trás e tudo por quê? Pra correr atrás de um amor da juventude, que você jurava que já tinha esquecido! Se bobear foi até de caso pensado, quem sabe até não estava tudo combinado entre vocês dois, com a internet hoje em dia, fica fácil de encontrar as  pessoas. (Diz chegando perto de Helô).

HELÔ – Não foi assim que aconteceu, Daniel. Eu nunca mais vi o Pedro, eu juro. Eu só o reencontrei quando cheguei aqui no Rio. Você tem que acreditar em mim…

PEDRO – Você esta muito exaltado cara, relaxa… (Diz colocando a mão no ombro dele).

Daniel nervoso, se vira com tudo e dá um soco em Pedro que cai no chão.

DANIEL – Tira essa mão de cima de mim! Seu verme imundo.

HELÔ – Olha o que você fez, Daniel? Precisa resolver as coisas no braço?

Nesse  momento, Flávia chega…

FLÁVIA – Meu Deus! O que esta acontecendo aqui?

DANIEL – Pergunta pra sua amiguinha… Aliás, nem precisa né? Você sabe de tudo o que ela faz e a apóia também. Com certeza deve ter rido muito da minha cara, enquanto essa daí me traia com o único amor da vida dela… Eu quero distância de vocês duas. Você me feriu profundamente Helô. O meu filho, não merece a mãe que tem… Não é a toa que ele sente vergonha de você… (Diz e olha mais uma vez para Pedro, ainda no chão) – E você fique bem longe de mim. Se você atravessar o meu caminho de novo, eu acabo com a tua raça. (Diz e sai batendo a porta).

Pedro se levanta do chão e vai até Helô que esta chorando, preocupado…

PEDRO – Você esta bem, meu amor?

HELÔ – Me deixa em paz, Pedro. Vai embora, por favor.

FLÁVIA – Pode deixar que eu cuido dela, Pedro. Os ânimos agora estão exaltados, é melhor você ir agora e esperar a poeira baixar.

PEDRO – Ta bom, qualquer coisa me liga ta? Desculpa qualquer coisa Helô… (Diz e sai arrasado).

Flávia então vai até a amiga que está sentada no sofá cabisbaixa e chora muito e a consola, abraçando Helô bem forte…

 

CORTA PARA:

CENA 1. EXTERNA – INTERNA |DIA AMANHECENDO |CLIPE DE IMAGENS DO RIO | COBERTURA DE ANSELMO BITTENCOURT.

 

{Começa tocar: Easy – The Commodores}

 

Cam pega imagens do Rio: Praias, mar, calçadão, ruas, trânsito, corcovado, pão de açúcar, prédios…

 

CORTA DIRETO PARA: COBERTURA DE ANSELMO – SALA.

Anselmo finalmente sai do hospital e é recebido com festa em casa, por Paloma, Edu, Liah e Maroca.

 

ANSELMO – Mas que surpresa boa, que recepção mais calorosa… Mas precisou de eu ir parar no hospital pra vocês me fazerem essa festa toda? (Diz rindo).

CELINA – Ah deixa de ser ingrato, meu amor… Você sabe que todos nós te amamos, mesmo você sendo esse velho teimoso e ranzinza, viu. (Diz sorrindo e dando um beijo nele).

MAROCA (Emocionada) – Seja bem vindo, seu Anselmo. O senhor nos deu uma susto daqueles, mas graças a Deus, tudo acabou bem. Agora eu vou pra minha cozinha, senão não tem almoço hoje nessa casa…

ANSELMO – Já foi chorar… Mas é boba mesmo. E as minhas princesas como estão? Que saudades eu senti de vocês meus amores, vem cá me dar um abraço, que eu só tive um infarto, não vou quebrar não…

Paloma e Liah correram e abraçaram o avô… Os três ficaram se olhando e emocionados se abraçaram bem forte…

ANSELMO – E você meu rapaz, como é que vai essa força?

EDU – Não tão bem e forte como o senhor, mas vou levando. (Diz sorrindo e abraçando Anselmo) – Fica firme agora, que o senhor ainda vai enterrar muita gente. O senhor é guerreiro que eu sei… E vai viver até pelo menos uns cento e cinqüenta anos.

ANSELMO – Obrigado meu filho. Olha esses cento e cinqüenta, eu não sei não… Mas posso fazer um esforço e chegar até os cento e quarenta e nove. (Diz brincando).

CELINA – Bom, esta tudo muito bem… Todos já viram o nosso querido Anselmo, se emocionaram, mas agora é hora dele descansar um pouco, tomar os remédios e cama. Tem que fazer repouso viu senhor teimoso?

ANSELMO  – Agora vai começar a parte chata. Eu detesto repouso… (Diz resmungando enquanto Celina o acompanha) – Repouso é pra mulher grávida, quando nasce o filho e fica de resguardo, não pra mim…

Liah vai até a cozinha junto com Maroca, e Paloma e Edu ficam sozinhos na sala…

EDU – O seu avô é um homem e tanto. Eu não consigo imaginar minha vida sem ele…

PALOMA – Nem eu… Edu, eu queria te falar uma coisa. Não é uma coisa agradável de dizer, mas eu prefiro que você saiba da minha boca…

EDU – O que foi? Pode falar… Seja o que for eu agüento.

PALOMA (Triste) – Lembra que eu te falei que tinha uma cara, e que eu estava gostando dele? Então, nós estamos juntos… Eu to namorando com ele.

EDU (Sem graça) – Poxa que bacana, Paloma. Eu fico feliz por você… Você merece tudo de melhor nesse mundo e eu espero de coração que ele te faça muito feliz.

PALOMA – Obrigada. Eu desejo tudo em dobro pra você, que merece ser muito feliz também. E desculpa te falar assim…

EDU – Sem problemas. Era natural que uma hora acontecesse né? Obrigado por ter me contado. Bom agora deixa eu ir andando que eu tenho uma audiência no fórum às dez. Fica com Deus. (Diz dando um beijo no rosto dela e sai).

PALOMA – Amém! Vai com Deus também… (Diz olhando pra ele sair e ficando pensativa).

 

CORTA PARA:

CENA 2. INTERNA |DIA |ATHELIÊ GAROTA DE IPANEMA – SALA DE REUNIÕES.

 

{Começa tocar: Instrumental Suspense}

 

ESTELA (Ao celular) – Oi… Presta atenção, que eu não posso demorar… O lance tem que ser hoje, pega tudo e vem pra cá agora que eu e a Beatriz estamos sozinhas. Te vira e vem logo, eu te falei que ia ser quando desse, é tem que ser hoje. Faz tudo conforme combinamos, tchau… É hoje Beatriz, que você vai ter o que merece… Vadia!

 

CORTA PARA:

ABERTURA:

 

 

CENA 3. INTERNA |DIA |SUPERMERCADO.

Betina fazia compras tranquilamente, quando deu de cara com Flávia que vinha de frente, e resolveu disfarçar e fingir não vê-la.

 

FLÁVIA (Sorridente) – Oi Betina. Tudo bem?

BETINA (Séria) – Oi. Eu nem tinha te visto. Eu estou ótima.

FLÁVIA (Sem graça) – Que bom… Coincidência né? Nós duas fazendo compra no mesmo supermercado.

BETINA – Pois é, normalmente é a minha mãe que vem, porque eu não tenho saco pra fazer supermercado, mas hoje pro meu azar ela não pode vir, ai cá estou… Afinal, não me custa nada. Mas foi bom te ver, tenha um bom dia e boas compras. (Diz e sai empurrando o carrinho).

FLÁVIA (Sem graça) – Ta bom… Tchau.

 

CORTA PARA:

CENA 4. INTERNA |DIA |INSIGHT PUBLICIDADE – SALA DE LEILA.

Leila esta em cima de uma escada, tentando alcançar um livro na estante e Marcos passa e vê ela…

 

MARCOS – Da licença. (Diz batendo na porta) – Precisando de ajuda ai Leila?

LEILA – Não obrigada. Ta tudo sob controle… Ai… (Diz virando e acaba se desequilibrando e cai nos braços de Marcos que a segura).

Surge um clima e os dois ficam se olhando por alguns segundos…

LEILA – Nossa, eu sou mesmo uma desastrada. Ainda bem que você estava aqui, porque senão o tombo teria sido feio… Po… Pode me colocar no chão agora. Obrigada por ter me segurado…

 

{Começa tocar: Photograph – Ed Sheeran}

 

Nesse momento Marcos não se segura e beija Leila com furor… Leila tenta resistir no começo, mas também se entrega… Depois o afasta.

LEILA – Chega, para. Me põe no chão… Ta vendo só? Era exatamente isso, que eu não queria que acontecesse.

MARCOS – Me desculpa mais não deu pra segurar… E você também gostou que eu percebi Leila, pra que negar? Você esta gostando de mim tanto quanto eu de você, pra que complicar as coisas?

LEILA – Você me respeite viu… E eu não estou gostando de você coisa nenhuma. Eu tenho idade pra ser sua mãe e exijo respeito. Agora sai daqui…

MARCOS – Leila por favor, não faz parecer errado um sentimento tão bonito e verdadeiro, que não é!

LEILA (Grita) – Sai daqui agora! Por favor…

Marcos sai chateado e Leila respira fundo e fica preocupada…

 

CORTA PARA:

CENA 5. EXTERNA |DIA |RUAS DO RIO – PRAIA – BANCA DE JORNAL.

 

{Começa tocar: Garota de Ipanema – Melim}

 

Cam mostra imagens do Rio, suas paisagens e cartões postais, praia, mar, calçadão, Ipanema… Depois foca em uma banca de jornal, onde revistas da Atrevida estampam Helô e a sua volta depois de vinte anos… Não demora e o burburinho corre o Rio de Janeiro e todo mundo fica sabendo de sua volta…

TEODORA – A capa ficou linda, e as fotos também… Agora sim a Helô vai ter o retorno que merece… (Diz folheando sua revista, toda orgulhosa).

Enquanto isso, no apartamento de Flávia…

FLÁVIA – Bom dia raio de sol… E se prepara amiga, que agora os seus fãs não vão mais te dar sossego… A sua capa na Atrevida saiu. (Diz entregando a revista pra Helô) – Eu fui buscar pão na padaria da esquina e na banca ao lado ta o maior alvoroço e todos falando da Garota de Ipanema…

HELÔ – Meu Deus! Vai começar a exposição de novo e logo agora que a minha vida esta um caos…

Nesse momento Bruno entra na sala…

FLÁVIA – Bruno olha só… A sua mãe que linda na capa da revista.

BRUNO – Pois é na internet e nas redes sociais não se fala em outra coisa, a não ser na volta da Garota de Ipanema.

HELÔ – Já esta na internet também? Agora é que eu não tenho mais sossego mesmo… (Diz cobrindo a cabeça com almofada).

FLÁVIA – Relaxa amiga e aproveita… Que tudo tem um lado bom na vida e é nele que você tem que pensar. Agora levanta desse sofá e vai tomar café que a gente tem que ir trabalhar.

BRUNO – Bom eu já vou indo. (Diz tomando um gole de suco e pegando uma maçã).

HELÔ – Vai pra onde filho? Você nem tomou seu café direito, tem que se alimentar…

BRUNO – Tomei sim… Eu vou à praia. Beijos fui.

HELÔ – Que será que esse menino anda aprontando?

FLÁVIA – Relaxa amiga, ele esta bem. A mudança de ares fez muito bem pra ele.

HELÔ – Eu só espero que ele esteja limpo e tenha parado de vez de se drogar.

Na cobertura de Beatriz, Liah e Paloma estavam eufóricas com as fotos da tia…

PALOMA – Nossa mais a nossa tia é mesmo linda né? Olha que fotos incríveis…

LIAH – E esses olhos dela? Acho lindos. Fora a simpatia, o charme…

BEATRIZ – O que é que vocês estão vendo ai, posso saber?

PALOMA (Sorrindo) – Claro. É a tia Helô de destaque na Atrevida desse mês. A senhora quer ver?

BEATRIZ – Dispenso. Eu já vi na internet… Acho de péssimo gosto as pessoas ficarem enaltecendo uma pessoa por causa de um título até hoje, já tendo se passado mais de vinte anos. E eu já te falei mil vezes pra não me chamar de senhora, que saco! Tchau pra vocês. (Sai e bate a porta).

Paloma e Liah se olham e riem…

 

CORTA PARA:

CENA 6. EXTERNA |DIA |PRAIA DE IPANEMA.

 

{Começa tocar: Let Her Go – Passenger}

 

Pedro dá aulas de surf para Bruno ainda na areia…

PEDRO – O principal é você se equilibrar em cima da prancha, sempre com pés afastados assim e pisando dessa forma que é a mais correta e segura também, que fica mais difícil as ondas te derrubarem… Alguma dúvida?

BRUNO (Ri) – Todas… Sinceramente é muita informação, mas acho que da pra fazer sim.

PEDRO – Claro que dá, mas na prática e deitado na prancha pra começar viu… (Diz sorrindo) – Bora lá? (Diz saindo correndo com uma prancha e Bruno pega a outra).

Bruno encontrou um pouco de dificuldades no início e levou vários tombos, mas aos pouco já conseguia ficar em pé na prancha por pelo menos alguns segundos. Ele e Pedro estavam se dando super bem, e com essa nova amizade e o surf também como aliado, ele já nem se lembrava do vício das drogas…

 

CORTA PARA:

CENA 7. INTERNA |TARDE |LEBLON – APARTAMENTO DE LENITA.

Lenita estava reunida com suas amigas, Betina e Paloma, mostrando as suas opções de doadores de esperma, para a sua reprodução assistida.

 

LENITA – Moreno claro, 30 anos, 1.85 de altura, 85 kilos, porte atlético, formado em Direito, fala inglês e espanhol fluente… Fala sério, de que adianta saber tudo isso, se não se pode ver o cara? É desanimador…

PALOMA – É a política desses bancos de doação, o anonimato total… Depois não dá pra acreditar mesmo que esses caras são tudo isso que dizem as fichas né?

BETINA – Claro que não. Esse mesmo aposto que é baixinho, gordo, barrigudo e careca… (Diz rindo) – Mas veja pelo lado bom amiga, pelo menos o seu filho vai ser advogado e poliglota.

Betina e Paloma caem na risada… E Lenita joga uma almofada nela.

LENITA (Desanimada) – Muito amigas, vocês não estão me ajudando em nada… E ainda me deixaram mais insegura. Como eu vou poder escolher o pai do meu filho através de um currículo e sem rosto?

PALOMA – Desculpa amiga, mas você também foi no método mais complicado pra se ter um filho.

BETINA – Concordo com a Paloma. Sai pra night, encontra um cara gato, gostoso e sexy, flerta com ele, depois transa e pronto. Ele nem precisa saber que vai ser papai… É bem mais fácil, prazeroso e você não vai precisar gastar dinheiro com clínica nenhuma.

LENITA – Nem pensar, eu não quero qualquer tipo de envolvimento com o pai do meu filho, por isso escolhi fazer esse bebê através de reprodução assistida. Mas isso é tão normal gente, estamos no século vinte e um, existem várias mulheres que não querem se casar, mas querem ser mães independentes e recorrem a esse e outros métodos hoje em dia. Isso é falta de informação e preconceito bobo de vocês…

PALOMA – Ta legal, a gente não precisa brigar por causa disso né… Outra rodada de vodka pra gente… (Diz colocando mais no copo delas e no seu) – E de volta para a análise dos candidatos.

BETINA – Eu faço até questão de cooperar dessa vez… Deixa que eu leio a próxima ficha. Vamos lá… Homem branco, 28 anos, 1.92 de altura, 95 kilos, olhos claros, descendência européia… Produtor musical… Ah não, me desculpa Lenita, mas não dá. Essas fichas fazem os caras parecerem o homem perfeito, mas a gente sabe que isso não existe né? Nem foto e endereço tem pra gente confirmar tudo isso. Eu sei que é a política das clínicas nesses casos, mas o que eu quero dizer é que esperma é esperma gente, qualquer um pode doar e não precisa ser rico, bonito, loiro e graduado em alguma coisa pra isso né? Tudo isso aqui pra mim é invenção, até porque muitos desses homens na maioria das vezes não sairiam doando semêm por ai… Me beija né?

PALOMA – Eu confesso que concordo com ela, amiga. Mas te apóio no que você decidir fazer.

LENITA – Eu agora já não consigo pensar em mais nada… Me dá essas fichas aqui. (Diz pegando as fichas e jogando em cima da mesinha) – Eu nunca pensei que ser mãe independente pudesse ser tão complicado, mas eu não vou desistir do meu sonho… Isso eu não vou.

 

CORTA PARA:

CENA 8. INTERNA |TARDE |ATHELIÊ GAROTA DE IPANEMA.

Beatriz trabalhava concentrada na sua sala, quando escutou Estela gritando e vozes… De repente foi surpreendida em sua sala por um homem alto, de capuz cobrindo todo rosto e uma arma apontada para cabeça de Estela…

 

BEATRIZ (Espantada) – Mas o que é isso? O que esta acontecendo aqui?

HOMEM – Não deu pra perceber não madame? Isso é um assalto, Perua.

BEATRIZ – Mas aqui não tem nada pra roubar. Você acha mesmo que eu seria burra de guardar dinheiro aqui?

HOMEM – O que eu acho é que a senhora deve ficar caladinha, senão quiser levar um tiro no meio da cara… Agora passa o dinheiro que eu sei que aqui tem cofre, ou eu vou começar fazendo um estrago na sua amiguinha aqui, estourando os miolos dela na tua frente.

ESTELA – Por favor, Beatriz… Me ajuda. Eu não quero morrer. (Diz chorando).

BEATRIZ (Apavorada) – Ta bom, calma. Me acompanhe…

HOMEM – E é bom a senhora não tentar nenhuma gracinha ta me ouvindo?

Beatriz vai andando na frente, enquanto o homem aponta a arma pra ela e leva Estela segurando-a com o braço em volta do pescoço dela. Beatriz abre o cofre atrás do quadro na sala de reuniões e entrega todo o dinheiro pra ele, maços e mais maços de dólares… Depois ele tira a chave da porta e pega o telefone e leva com ele e as tranca dentro da sala. Ele foge em seguida e elas começam a gritar por socorro desesperadas…

BEATRIZ – Como foi que esse ladrão entrou aqui? O alarme não tocou?

ESTELA – Ele estourou o alarme… Eu te falei pra colocar um segurança aqui, que os assaltos estavam freqüentes e você não me ouviu…

BEATRIZ – Eu não quero pensar nisso agora, a gente tem é que sair daqui… Ele levou todo meu dinheiro, mais de quinhentos mil dólares tinha naquele cofre, eu estou arruinada agora… (Diz começando a chorar e a se desesperar) – Socorro! Alguém nos ajude…

 

CORTA PARA:

CENA 9. INTERNA |TARDE |APART HOTEL.

Helô estava hesitante em bater na porta de Daniel, mas ela não podia deixar as coisas sem serem esclarecidas, e foi pensando nisso, que ela respirou fundo e bateu… Não demorou muito e Daniel abriu surpreso ao vê-la…

 

HELÔ (Sem graça) – Oi Daniel. A gente precisa conversar…

DANIEL – Eu sei… Entra. Você quer beber uma água, um suco…

HELÔ – Não obrigada. Eu gostaria mesmo é de falar com você sobre o ocorrido lá em casa.

DANIEL – Não precisa explicar nada. Você não me deve mais satisfações da sua vida…

HELÔ – Devo sim. Pelo menos enquanto nós formos casados… Eu tenho uma carinho enorme por você Daniel e um respeito muito grande também. O nosso casamento não deu certo, mas você sempre será uma pessoal muito especial na minha vida, um amigo querido, além do pai do meu filho. E eu gostaria sinceramente que as coisas continuassem assim, com nós dois sendo bons amigos… Quando eu vim pro Rio, foi com o intuito de rever a minha família e de dar espaço para o Bruno, já que ele me culpa por ele ter escolhido se drogar. Em nenhum momento eu desconfiei que o Pedro pudesse estar vivendo ainda no Rio e que eu iria me reencontrar com ele. Se fosse esse o caso, por mais que me doesse, eu teria sido sincera com você… Quando eu cheguei aqui, eu o reencontrei por acaso e sofri a maior traição da minha vida… O encontrei casado com a minha própria irmã, com filhas e tudo. A minha irmã a quem eu sempre confiei cegamente e que agora eu já não confio mais, porque eu tenho sérios motivos pra achar que foi ela quem armou pra me separar do Pedro. Enfim, o casamento deles também acabou e só por isso que eu e ele, que ainda nos amamos muito, decidimos nos dar uma segunda chance.

DANIEL – Eu entendo de verdade e sinto muito por essa situação toda com a sua irmã… Eu peço também desculpas pelo modo que agi na sua casa e da Flávia, com quem irei me desculpar depois. Eu pensei muito Helô, e decidi deixar você ir… Cansei. Eu quero, preciso e mereço ser feliz também e se não for com você, será com outra mulher… Eu assinei os papéis do divórcio hoje e já encaminhei para o meu advogado, logo você receberá uma notificação, nós seremos chamados diante de um juiz, onde colocaremos um ponto final na nossa história. Eu desejo que você seja feliz de coração… E conte comigo para o que precisar sempre, a nossa amizade continua.

HELÔ – Muito obrigada, Daniel. Eu também te desejo toda felicidade do mundo. (Diz dando a mão pra ele, que segura e os dois se olham sorrindo e selando a paz).

DANIEL – Só tem uma coisa… Eu não quero que o nosso filho chegue perto desse Pedro, eu encontrei um apartamento e me mudo com ele na semana que vem. Você poderá ir lá quando quiser e marcar com o Bruno de sair com ele, depois nós vemos tudo isso… Mas sem a presença do Pedro, ok? Eu gostaria que você respeitasse esse meu último pedido. O Bruno agora esta bem, não tem usado mais drogas, graças a Deus conseguimos afastar ele de tudo isso ainda no começo, e a nossa vinda pro Rio foi fundamental pra que ele se tornasse outro garoto também, longe das más companhias. Agora ele esta mais calmo, tranqüilo e espero que continue assim, ele não precisa de mais complicações na vida dele.

HELÔ – Claro. Você tem toda razão. Eu gostaria de te fazer um convite, na verdade o convite é do meu pai, que graças a Deus já esta melhor e de alta em casa. Ele quer conhecer você e o Bruno e pediu que nós fôssemos jantar com ele hoje… Você topa?

DANIEL (Sorri) – Claro, eu vou sim. Eu sempre quis conhecer sua família.

HELÔ (Sorri) – Que bom…

 

CORTA PARA:

CENA 10. INTERNA |TARDE |ATHELIÊ GAROTA DE IPANEMA.

 

BEATRIZ – Graças a Deus, que o senhor ouviu nossos gritos. Muito obrigada viu, uma boa tarde. Ai que velho chato, achei que não fosse mais embora. Eu vou agora na delegacia prestar queixa, e você fecha tudo e pode contratar um segurança, que eu devo admitir que depois de hoje, realmente vai ser preciso. E vê lá hein, quem vai colocar aqui dentro, Estela.

ESTELA – Pode deixar… (Diz sorrindo).

 

CORTA PARA:

CENA 11. INTERNA |TARDE |CAFÉ LEBLON.

 

{Tocando: Complicamos Demais – Alinne Rosa}

 

Helô havia marcado um encontro com Paloma, e a esperava ansiosa para ver a sobrinha que ela tanto adorara conhecer, não demorou muito e Paloma chegou toda sorridente…

PALOMA – Desculpa a demora tia Helô. (Diz a cumprimentando com um beijo) – Meu carro novo chegou hoje e eu tive que ir buscá-lo na concessionária, por isso me atrasei.

HELÔ – Sem problemas, dez minutos não é nem considerado um atraso. Depois eu estava me deliciando aqui com o meu cafezinho cremoso, que por sinal é ótimo. O lugar aqui é bastante agradável, eu não conhecia.

PALOMA – Antes era uma livraria, ai fechou e abriram esse café que eu amo vir de vez em quando, por isso marquei de te encontrar aqui, eu confesso. Ah parabéns pela revista, ficou linda a capa e todas as outras fotos.

HELÔ – Obrigada. Você não sabe o esforço que é ter que sair na rua agora sem ser reconhecida, você viu aquele dia o sufoco na praia.

PALOMA – Nossa é verdade… E olha que agora é oficial né? O Rio todo já sabe, aliás o Brasil inteiro.

HELÔ – Eu só espero que esqueçam logo, eu nunca gostei desse tipo de exposição, sempre preferi o anonimato.

PALOMA – Entendo. Mas eu mesma iria gostar dessa exposição se fosse para o reconhecimento do meu trabalho, do dom que eu tanto amo… Eu curso moda.

HELÔ – É eu ouvi dizer que você desenha muito bem… Aliás, que é você quem desenha para a Garota de Ipanema e não a sua mãe, como todos pensam.

Paloma olha para Helô espantada e fica sem saber o que dizer…

HELÔ – Não se preocupe. Quem me contou foi a Leila, eu sou de confiança Paloma, e quero o seu bem. Pode contar comigo. Eu conheço muito bem a Beatriz, muito antes de você e eu sei bem como ela é. Mas também não estou aqui para julgar ela, muito menos você. Eu só queria que você soubesse, que eu estou do seu lado pro que der e vier.

PALOMA – Muito obrigada, Tia. É muito bom saber que eu posso contar com a senhora.

HELÔ – Agora me conta essa história direito… Porque a Beatriz usa os seus desenhos?

Paloma começou a contar tudo para Helô, que ouviu atenta e não cansava de se surpreender com as barbaridades da irmã… Aos poucos ela e Paloma ficavam cada vez mais amigas…

 

CORTA PARA:

CENA 12. INTERNA |TARDE |INSIGHT PUBLICIDADE – SALA DE LEILA.

 

LEILA – Pode entrar. (Diz ao ouvir baterem na porta).

ADNA (Sorridente) – Oi… Tudo bem?

LEILA – Adna minha amiga… Mas que surpresa boa. (Diz se levantando e indo até a amiga, depois as duas se abraçam).

ADNA – Desculpa ir invadindo a sua sala assim, mas eu que pedi pra Betina não te avisar, porque eu queria fazer uma surpresa.

LEILA – Imagina, você tem passe livre aqui… Senta e fica a vontade. Como você esta? Tem quase um ano que não nos vemos, você sumiu…

ADNA – Pois é, eu andei ocupada sendo madrinha de outros dois ex-alcóolatras, enfim você sabe como a tarefa é árdua…

LEILA – Se sei… O Hélio me falava da própria experiência dele, eu também via de perto né? Depois que ele apadrinhou você e ficamos amigas, é que eu pude entender melhor toda situação e ver que ele não era o único que passava por aquilo tudo. Que Deus o tenha.

ADNA – O Hélio era um homem extraordinário e te amava muito. Um amor que dava até gosto de ver…

LEILA – É… Ele me fazia se apaixonar por ele todos os dias, com tantas delicadezas. (Diz pensativa).

ADNA – Bom mas eu vim te ver mesmo pra dizer que agora eu estou morando no Rio, e que na semana que vem, eu vou expor os meus novos trabalhos na Galeria de Artes Modernas e vim trazer o seu convite em mãos.

LEILA – Mais que notícia boa, Adna. Que bom que você voltou a pintar, eu amo a sua arte. Com certeza eu estarei lá e irei comprar uma tela sua, pra colocar no meu apartamento.

ADNA (Sorri) – Oba! Não é pra me gabar não, mas as telas estão incríveis… Eu pintei cartões postais do Rio.

LEILA – Nossa que maravilha, já estou louca pra ver. E me diz uma coisa, você esta sabendo que a Helô voltou?

ADNA (Emocionada) – Sim, eu quase morri do coração quando vi ela linda na capa da Atrevida… Meu Deus, depois de mais de vinte anos, que loucura… A minha sobrinha linda de volta, eu preciso revê-la logo.

LEILA – Pois é, eu já estive com ela e posso garantir que ela está mais linda ainda pessoalmente, e um amor de pessoa como sempre. Eu vou te passar o número do celular dela, assim você liga pra ela e combina de se encontrarem… Quanto coisa boa tem acontecido ultimamente, você e a Helô de volta, é muita felicidade pra mim. Fora a sua vitória, a posição que você está… Eu to muito orgulhosa de você amiga.

Diz sorrindo para Adna, que sorri entusiasmada de volta…

 

CORTA PARA:

CENA 13. INTERNA |TARDE |LEBLON – APARTAMENTO DE FLÁVIA.

Helô chega em casa e percebe Flávia com o pensamento longe no sofá e com cara de choro…

 

HELÔ (carinhosa) – Oi… Esta tudo bem amiga? (Indaga sorrindo, enquanto senta ao lado dela) – Que carinha é essa? Aconteceu alguma coisa?

FLÁVIA – Oi… Eu nem vi você chegar. (Diz limpando o rosto) – Nada não, eu estou bem. É que de vez em quando bate essa tristeza mesmo, eu fico mais sensível, ai como sou uma manteiga derretida você já viu né? Acabo chorando muito.

HELÔ – Mas algum motivo tem que ter, a tristeza assim como a alegria não vem de repente. Sabe o que eu acho amiga, que você precisa sair mais se distrair, ver gente, conhecer um cara especial, que te faça feliz de verdade e te complete. Você é nova e linda, mas fica muito ocupada com o trabalho, precisa tirar mais tempo pra você… Desde aquela época em Americana quando você namorou o Marcelo, que eu não namorou mais ninguém, e olha que faz tempo isso hein…

FLÁVIA – Quem me dera alguém especial surgisse na minha vida… Pra ser sincera com você, até tem alguém mas eu estou com medo dos meus sentimentos.

HELÔ – E você já falou com ele? Se declarou…

FLÁVIA – Não. Mas ela, quer dizer essa pessoa parece que também esta afim de mim… Mas é que é complicado sabe?

HELÔ – Não sei por quê… Se você está gostando dele e acha que ele também gosta de você, é só marcar um encontro, se abrir com ele. Qual o problema nisso? Vai me dizer que é vergonha? Porque hoje em dia as mulheres também chegam nos homens viu, é super normal…

FLÁVIA – Não é isso… É que…

Nesse momento Bruno chega e ela para de falar…

BRUNO – Oi, oi… Boa tarde.

HELÔ – Oi filho você estava com o seu pai? Ele te falou do jantar na casa do seu avô? Você vai né?

BRUNO – Estava sim e ele me falou… Eu vou, eu quero conhecer o meu avô e as minhas primas também. A senhora podia passar uma roupa pra mim?

HELÔ – Claro com todo prazer. (Diz sorrindo e olhando pra Flávia, as duas fazem cara de surpresas) – Aliás vou fazer mais que isso, eu vou ajudar você a escolher uma roupa bem bonita.

BRUNO – Que bom, então vamos que já esta anoitecendo, e eu ainda tenho que tomar banho, fazer a barba…

HELÔ – Vai indo que eu já vou… Nossa me tratando bem e tudo, você viu?

FLÁVIA – Sim, ele esta diferente. Esta mudando pra melhor…

HELÔ – Depois nós continuamos a conversar ta bom amiga? Se precisar de mim é só chamar. Você não quer ir jantar com a gente na casa do papai?

FLÁVIA – Não imagina. Jantar de família, depois eu estou bem curtindo a minha fossa… Vai lá.

BRUNO – O mãe, vem logo…

HELÔ – Já to indo… Fica bem ta. (Diz dando um beijo na amiga).

Flávia volta a se deitar no sofá e fica pensativa…

 

CORTA DIRETO PARA: QUARTO DE BRUNO.

Helô chega ao quarto de Bruno e começa a escolher uma roupa pra ele, que esta no banho, quando de repente o seu celular toca e ela vê que é Pedro ligando. Ela vai até o quarto dela e fecha a porta para atender.

 

HELÔ (Ao celular) – Alô… Pedro?

PEDRO (Ao celular) – Oi, Helô. Graças a Deus! Eu pensei que você não fosse me atender, eu estava preocupado com você e com saudades.

HELÔ – Eu estou bem, graças a Deus. E também com saudades, meu amor…

PEDRO – Nosso último encontro terminou tumultuado, e você acabou ficando nervosa e me botou pra fora da sua casa, enfim, eu estava ansioso pra falar com você e ver como as coisas estão.

HELÔ – Me desculpa por ontem, as coisas realmente fugiram do controle. Mas graças a Deus terminaram bem. Eu procurei o Daniel hoje e falei com ele. Pra resumir a história, ele se desculpou e finalmente caiu em si. Ele já deu entrada nos papéis do divórcio e vai me dar a separação.

PEDRO – Mas que notícia boa, meu amor… Você não sabe o quanto isso me faz feliz.

HELÔ – O Daniel é um cara muito bom e sensato, ele só esta com o orgulho ferido. É uma pena ele ainda gostar de mim, mas eu tenho fé de que logo ele irá encontrar uma boa mulher que o fará feliz como ele merece.

PEDRO – É… O maior problema mesmo será a Beatriz. Essa sim dará trabalho quando souber que nós dois estamos juntos. Mas ela não vai conseguir nos separar de novo. Isso eu não vou permitir.

HELÔ – Eu te amo. (Di sorrindo) – Olha só agora eu vou ter que desligar que o Bruno esta em casa e nós vamos jantar com o papai ai hoje. Ele me pediu perdão e nós estamos de bem de novo, graças a Deus.

 PEDRO – Que bom, eu fico muito feliz por você. Eu vou prepara uma noite só pra gente viu… Eu quero muito passar um tempo só com você, meu amor. Bom jantar pra vocês. Eu te amo.

HELÔ – Eu também te amo, Pedro. Beijos. (Diz desligando o celular e depois volta para o quarto de Bruno).

 

CORTA PARA:

CENA 14. EXTENA |NOITE |CLIPE DE IMAGENS DO RIO.

 

{Começa tocar: A Canção Que Faltava – Isabella Taviani}

 

Cam mostra imagens privilegiadas da noite do Rio, com as luzes iluminando a cidade, e uma lua cheia e linda, num céu estrelado a testemunhar os corações aflitos e apaixonados…

 

CORTA DIRETO PARA: LEBLON – APARTAMENTO DE LEILA – QUARTO.

Leila está pensativa e tenta se concentrar lendo um livro, já deitada em sua cama e vestida com uma camisola de seda. Betina sairá de casa e como era sexta-feira, deveria voltar tarde… Leila sem conseguir prender atenção no livro, se levantou, foi até a cozinha e pegou um pote de sorvete no freezer da geladeira e depois uma colher na gaveta. Depois se sentou na bancada da cozinha e começou a pegar colheradas do sorvete de chocolate que era o seu preferido e a saborear… Não demorou muito e a campainha tocou.

 

LEILA (Surpresa) – Ué quem será uma hora dessas? Eu não estou esperando ninguém… (Diz se levantando e indo atender a porta).

Leila abre a porta, e fica surpresa ao dar de cara com Marcos…

LEILA – Marcos? O que você esta fazendo aqui?

MARCOS (Nervoso) – Eu estava rodando a cidade… (Diz já entrando afobado) – Eu estava em casa, com o pensamento em você e fui ficando inquieto. Tentei ver TV, ouvir música, mas nada resolveu… E quando eu percebi que passaria outra noite em claro pensando em você, foi que eu resolvi sair de casa e começar a rodar de carro sem rumo pela cidade. E mesmo assim, acabei parando aqui no seu apartamento. E sabe por que, Leila? Porque não importa o que eu faça ou o que você diga, no fim das contas, todos os caminhos e até os meus pensamentos me levam até você. E tem sido assim, desde que eu te conheci… E você se nega a viver isso, nega até mesmo que sente o mesmo por mim, mas não é isso o que eu vejo nos seus olhos. E eu estou cansado…

LEILA (Confusa) – Eu… Eu não sei o que dizer.

MARCOS – Espera, eu ainda não terminei… (Diz respirando fundo) – Eu tomei uma decisão importante. Eu amo você, mas não posso continuar do seu lado sem viver isso, sem você me dar uma chance, porque você esta com medo, por causa de idade e do preconceito e esta sendo covarde… E se você insistir em não me dar essa chance, eu irei embora amanhã mesmo e não tem mais sociedade… E então o que vai ser?

LEILA – Sabe o que eu acho? Que você já falou demais… (Diz indo na direção dele e o beija).

Os dois finalmente se rendem a paixão e se beijam loucamente…

 

CORTA PARA:

CENA 15. INTERNA |NOITE |IPANEMA |COBERTURA DE ANSELMO – SALA.

Anselmo estava feliz conversando com Helô e Daniel, ele nunca se sentira tão realizado na vida em ter a filha de volta no seu convívio…

 

ANSELMO – Mas que bom que vocês continuam bons amigos… Isso mostra a maturidade dos dois, principalmente a sua Daniel. Você é um homem muito honrado, que eu fiquei muito feliz de conhecer e que eu espero continuar tendo a sua amizade daqui pra frente, afinal você é o pai do meu neto varão. (Diz rindo).

DANIEL (Sorri) – Muito obrigado pela sua consideração, seu Anselmo. Eu também estou feliz de conhecê-lo e por mim essa amizade continua sim.

HELÔ – O Daniel é um homem extraordinário, papai. Eu sinto muito orgulho do pai que ele é, e do marido que ele foi… E estou feliz de vocês terem se dado bem.

Em outro canto da sala, Bruno conversa com Paloma.

PALOMA – Mas e você? Não está fazendo faculdade ainda?

BRUNO – Não. Eu ainda não descobri de verdade o que eu gosto de fazer…

PALOMA – Mas nem por hobby assim, não tem nada que você goste?

BRUNO – Bom tem a fotografia… Eu amo sair por ai fotografando.

PALOMA – Pode ser uma opção, lá mesmo onde eu curso moda, eles tem vários cursos e recentemente abriram um de fotografia. Se você quiser eu posso dar uma olhada pra você…

Nesse momento Liah, que acabara de chegar e estava cumprimento Helô, chamou a atenção de Bruno, o deixando hipnotizado. Paloma até percebeu e sorriu ao notar o interesse de Bruno em Liah…

PALOMA – Liah vem aqui… Esse é o Bruno, o nosso primo.

Bruno olhou espantando para Paloma quando ela disse a palavra primo, depois voltou a olhar para Liah, que o olhava tímida, e desviava o olhar…

BRUNO (Sorri) – Prazer, Bruno.

LIAH – Liah… O prazer é meu.

Os dois se olharam por alguns instantes e parecia que nada mais além daquele momento existia, o toque e o calor de suas mãos causaram certo furor e arrepio, deixando os dois sem graça e ao mesmo sorrindo a toa… Nascia ali, um amor proibido.

Não demorou muito e Celina pediu a Maroca que servisse o jantar, e todos se reuniram a mesa para saborear um verdadeiro banquete em família. Anselmo estava todo feliz de ter todos os seus netos reunidos com ele, além de Helô claro, a sua filha predileta… Todos comiam e conversavam animadamente, quando a campainha tocou e Maroca foi atender… Logo em seguida todos tiveram uma bela surpresa…

BEATRIZ (Cínica) – Boa noite a todos. Mas que feio vocês não me esperaram para o jantar? (Indaga séria e depois sorri) – Eu estou brincando gente, não se assustem… Eu nem sequer fui convidada pra esse jantar, não é mesmo papai? (Diz olhando séria para Anselmo).

Anselmo fica com ódio de Beatriz, a vontade dele é de esganar ela…

 

(Closes alternados nos rostos de: Paloma, Celina, Daniel, Helô, Anselmo e por último Beatriz).

 

FIM DO CAPÍTULO.

(A imagem congela. Depois se transforma em um cartão postal, jogado sobre Ipanema).

{O capítulo se encerra com a música: Let’s Stay Togheter – Tina Turner}.

 

 

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”