Garota de Ipanema – Capítulo 21

Garota de Ipanema – Capítulo 21

 

NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

(CONTINUAÇÃO DO CAPÍTULO ANTERIOR)

 

{Começa a tocar: Instrumental Tensão}

 

HELÔ (Atônita) – Como é que é? Que brincadeira de mau gosto é essa? Isso é verdade Pedro? Responde! (grita).

PEDRO – É. Eu não queria, eu juro pra você que não queria Helô, apenas aconteceu… Me perdoa, por favor!

HELÔ – Essas coisas não acontecem do nada. Vocês estão casados há quase vinte e três anos! Foi praticamente na mesma época em que eu fui embora do Rio… Vocês já estavam de caso quando eu ainda estava aqui? Você sempre agiu pelas minhas costas Beatriz? Bem que a Lenita me falava, vivia me avisando pra não confiar em você e eu não acreditava…

BEATRIZ – Ela vivia fazendo a sua cabeça contra mim né? Isso sim…

HELÔ – Quem sabe ela não estava certa o tempo todo, não é mesmo?

BEATRIZ – Acredite no que te fizer dormir melhor à noite… A minha consciência esta tranqüila.

PEDRO – Helô me escuta… Eu estava muito mal com a nossa separação… Você me deixou do nada, não queria falar comigo, eu estava confuso. Foi quando eu e a Beatriz nos aproximamos, nos tornamos amigos, ela me ajudou, me deu forças… Eu confesso que voltei a ter até esperanças de um dia ter você de volta, mas de repente você foi embora, não deu mais notícias e um dia… (Respira fundo) – Uma única vez aconteceu… Eu e a Bia, você sabe. Depois ela acabou ficando grávida e eu me casei com ela por esse motivo apenas, não foi por amor, não foi pra me vingar de você, nada… Apenas aconteceu…

HELÔ (Confusa) – Engraçado… Porque você sempre dizia que não queria ter filhos e nem se casar tão cedo. Chegou a me dizer, que se isso acontecesse com a gente, você me pediria pra tirar o bebê… E quando acontece com você e outra pessoa, você faz o cara certinho que assume a criança e ainda por cima se casa?

PEDRO – São coisas que a gente diz antes de acontecer, na hora do nervoso, mas que quando acontecem de fato, a nossa atitude é diferente, a gente acaba optando por fazer a coisa certa… Você sabe como funcionam essas coisas, não se deve levar em consideração.

HELÔ – Não eu não sei de mais nada… E que saber? Tudo isso é demais pra mim. Eu vou embora…

PEDRO (Aflito) – Helô espera, vamos conversar melhor… Helô.

BEATRIZ – Deixa-a ir… Vai ser melhor assim.

PEDRO (Grita) – Cala a sua boca! Você não estava com enxaqueca? Veio fazer o que aqui? (Diz a encarando e depois sai correndo atrás de Helô).

Helô já esta no calçadão, ela corre até o carro, abre a porta e entra… Pedro chega e fica batendo no vidro pra ela abrir…

PEDRO – Abre essa porta Helô… Você não pode dirigir nesse estado, vamos conversar… Helô!

Helô nem da ouvidos e sai com carro cantando os pneus…

PEDRO – Reza pra não acontecer nada com ela… Porque se acontecer alguma coisa, eu acabo com a tua raça. (Dia a Beatriz e atravessa a rua correndo, indo embora).

Beatriz fica pensativa, e depois começa a rir sem parar…

 

CORTA PARA:

CENA 2. INTERNA |NOITE |APARTAMENTO DE LEILA.

 

{Começa a tocar: A Canção Que Faltava – Isabella Taviani}

 

Leila sem sono caminha pelo apartamento e sai no terraço gourmet, onde ela se senta numa poltrona e começa a observar a vista e pensar na vida… Logo Betina chega e ela nem percebe a filha do lado a olhando…

BETINA (Sorrindo) – Alô alô, terra chamando… Acorda dona Leila. Pensando na vida? (Diz sentando-se ao lado da mãe).

LEILA – Um pouco, eu perdi o sono. Ai eu resolvi vir aqui fora, tomar um pouco de ar. E o cinema com foi? Chegou cedo…

BETINA – Chato. Acabou que o filme não era lá essas coisas, por fim saímos mais cedo e fomos comer uma pizza. Você deveria ter ido com a gente, a Lenita pensou em te ligar e dizer pra você ir nos encontrar, mas eu disse que você já deveria estar dormindo e ela acabou desistindo. A senhora precisa sair mais mãe, conhecer gente, quem sabe um novo amor…

LEILA (Ri) – Um amor? Na minha idade? Mas nem pensar… Eu estou namorando com o meu trabalho, aliás, casada com ele e muito feliz, obrigada. Eu não quero saber de amor não, já me aposentei nessa área.

BETINA – Que conversa é essa dona Leila? E desde quando existe idade para amar? Tem pessoas muito mais velhas que a senhora e não tão gatonas e gostosas assim e que namoram sabia? Um homem maduro, regulando com a sua idade, seria uma ótima companhia. Além de te deixar mais animada e menos solitária. É sério mãe, pensa nisso. Eu te dou todo o meu apoio. (Fala sorrindo e faz um carinho no rosto da mãe) – Eu quero te ver feliz dona Leila…

LEILA – E quem disse que eu não sou?

BETINA – Precisa interpretar melhor então, porque não parece. Pensa nisso ta? Agora deixa eu ir dormir que eu estou morrendo de sono… Boa noite.

LEILA – Boa noite filha. Dorme com Deus.

Leila ficou pensativa e logo em seguida se levantou e foi fechando tudo, apagando as luzes e foi para o quarto.

 

CORTA PARA:

CENA 3. EXTERNA |AMANHECENDO |CLIPE DE IMAGENS.

 

{Tocando: Sorte e Azar – Cazuza}

 

Cam – Mostrando a cidade por cima de uma vista panorâmica… Prédios, o pão de açúcar, o cristo, bondinhos, o mar…

 

CORTA DIRETO PARA – LEBLON – APARTAMENTO DE FLÁVIA.

Helô contou tudo para a amiga que ficou chocada, cena já iniciada…

 

FLÁVIA (Pasma) – Eu não estou acreditando nisso… Casado com a sua irmã? E você que pensava que nem iria mais vê-lo, acabou o reencontrando nessa situação…

HELÔ – Pra você ver amiga, imagina como eu fiquei e como eu estou até agora. Parece um pesadelo, eu jamais imaginaria algo assim se eu não tivesse visto e principalmente ouvido, tudo que ouvi. Eu nem preguei o olho essa noite direito, eu não sei o que pensar…

FLÁVIA – Eu imagino, nossa… Se fosse comigo acho que eu pirava. Agora essa história toda esta mal contada hein, pra mim você deve abrir o olho com a sua irmã. Ela esta com a vida que era pra ser sua… Ela tem a marca Garota de Ipanema, ela se casou com o Pedro.

HELÔ – Eu também pensei nisso, e devo admitir que acho que eu estive errada esse tempo todo em relação a ela, a lealdade dela. O pior é que aquela minha amiga, a Lenita sempre me alertava sobre a Beatriz… Dizia que ela tinha ciúmes e inveja de mim, e eu nunca dei ouvidos, preferia não acreditar. Afinal ela é a minha irmã né?

FLÁVIA – Eu posso imaginar… Fica difícil mesmo de a gente acreditar que alguém tão próximo a nós como uma irmã, seja capaz de nos querer mal. E o que você pretende fazer agora?

HELÔ (Séria) – Eu vou procurar a Beatriz ainda hoje. Eu quero ouvir da boca dela como tudo aconteceu… E depois eu irei fazer como diz o ditado, e manter o inimigo bem perto de mim, pra poder acabar com ele. Porque se tudo foi de caso pensado e a Beatriz me odeia mesmo, ela deve ter me aprontado muitas… E na hora certa, eu a farei pagar por tudo que me fez. Acabou a brincadeira… A Helô boba e boazinha que todos conheciam, morreu.

 

CORTA PARA:

CENA 4. INTERNA |DIA |INSIGHT PUBLICIDADE – SALA DE LEILA.

Lenita e Leila conversam sobre um projeto, e Leila da uma boa notícia para amiga…

 

LENITA – Bom ficamos assim então, amanhã no primeiro horário eu vou até o cliente e mostro o projeto finalizado pra ele ver se esta tudo de acordo e dar o aval dele. (Diz fechando a pasta).

LEILA – Combinado. E eu só espero que ele goste, porque esse cliente é chato e indeciso. Eu me lembro uma vez que eu cheguei a mudar um mesmo projeto uma cinco vezes até ele se decidir pra valer… Ah eu já ia esquecendo de te dizer, eu recebi uma notícia maravilhosa essa manhã e acho que você também vai gostar. A Paloma falou com a Betina que a tia dela voltou… A Helô esta no Rio. (Diz sorrindo).

LENITA (Surpresa) – A Helô? Nossa depois de tanto tempo… Isso é maravilhoso! Eu achei que nunca mais fosse vê-la. Onde ela esta ficando?

LEILA – Parece que ela esta ficando no apartamento de uma amiga dela.

LENITA – Será que ela já sabe da Beatriz e o Pedro? Eu gostaria tanto de ver a minha amiga… Meu Deus! Mesmo que ela não queira me ver. Ai que ódio da Beatriz! Tudo por causa dela. Ela conseguiu destruir minha amizade com a Helô… Nossa eu fiquei até ansiosa agora, tem um filme passando na minha cabeça…

Leila se levanta e vai até a bandeja na mesinha e serve um copo de água pra Lenita…

LEILA – Toma. Você esta nervosa… Procure se acalmar. A emoção foi forte demais, vocês eram muito amigas né?

LENITA – Inseparáveis… Mais do que irmãs. Eu sofri muito esses anos todos sem a Helô por perto, mas em compensação fiz outra grande amiga e sócia… Você. (Fala sorrindo).

LEILA – O minha amiga, obrigada. (Diz abraçando-a) – Você também é uma grande amiga e sócia. (Ri) – Eu tenho certeza de que a Helô vai querer te ver sim. Já se passaram tantos anos, depois vocês eram muito novas na época, eu duvido que a Helô seja do tipo que guarde rancor, não combina com ela.

LENITA – Deus te ouça. Eu to esperando por esse reencontro há mais de vinte anos…

 

CORTA PARA:

CENA 5. INTERNA |DIA |CAFETERIA – CAFÉ & PROSA.

 

{Tocando: Complicamos Demais – Alinne Rosa}

 

Helô esperava ansiosa por alguém, enquanto tomava o seu café em uma cafeteria no Leblon…

CELINA – Oi Helô, bom dia! (Diz dando um beijo em Helô).

HELÔ – Oi… Que bom que você veio Celina.

CELINA – Desculpa o atraso… Mas o seu pai você sabe como é né? Não gosta quando saio de casa sem ele, começa a implicar com tudo logo cedo. (Comenta sorrindo).

HELÔ – Sei sim… Saudades daquele velho ranzinza. Você falou com ele sobre mim?

CELINA – Falei… E ele como sempre saiu e nem quis me dar ouvidos.

Helô faz uma cara de desanimada… E Celina pega em sua mão.

CELINA (Pondera) – Tenha paciência minha querida… Você acabou de voltar, e seu pai é muito orgulhoso. Mas eu vou continuar falando com ele, e eu tenho certeza de que um dia desses ele vai querer te ver sim! O Anselmo te ama, sempre amou…

HELÔ – Obrigada por estar sempre do meu lado, Celina. Se tem uma coisa que eu senti falta esses anos todos foi do seu apoio e carinho. (Conclui sorrindo) – Mas eu chamei você aqui pra falar de outro assunto muito delicado.

Celina a olha apreensiva…

HELÔ – Toma um café, um pedaço de bolo e eu te falo em seguida. (Diz e dá sinal para a garçonete que vem atendê-la).

 

CORTA PARA:

CENA 6. EXTERNA |DIA |PRAIA DE IPANEMA.

 

{Começa a tocar: Instrumental Triste}

 

Liah esta andando na praia de camiseta, calça e tênis… Ela senta na areia de frente para o mar e tira o tênis, depois fica pensativa e pensa em tudo que a mãe lhe disse… (Off – Lembrando de tudo. Imagens vem a sua cabeça, da mãe a humilhando). Ela começa a chorar e fica cabisbaixa…

 

CORTA DIRETO PARA: CAFETERIA – CAFÉ & PROSA.

 

CELINA – Você então já esta sabendo de tudo né minha querida? Me desculpa não ter contado nada, mas eu não tive coragem…

HELÔ – Tudo bem Celina, eu entendo. Pra ser sincera eu levei um baque, o Pedro e a Beatriz casados, era a última coisa que eu poderia imaginar na vida… Parece que estou vivendo um pesadelo. Ta doendo muito, eu estou me sentindo traída. Imagina o amor da minha vida casado com a minha irmã… É por isso que eu te chamei até aqui, eu gostaria que você me explicasse essa história direito, como foi que tudo aconteceu… E o mais importante, se você acha que a Beatriz armou tudo desde o começo porque ela me odeia? Quem é a Beatriz de verdade, Celina?

CELINA – Eu sempre fui alertada pela Maroca de que a Beatriz sentia inveja e ciúmes de você, e eu me negava aceitar isso Helô, porque eu tenho vocês como minhas filhas… Mas hoje em dia eu acho que sim. A Beatriz sente como se você tivesse tirado tudo que é dela, desde a atenção do Anselmo, os amores do colégio, até a vitória do concurso que pra ela deve ter sido a gota d’água. Aliás, disso você se lembra né? E eu vi com os meus próprios olhos o ódio que ela ficou, parecia até outra pessoa de tão transtornada que ela chegou em casa naquele dia.

HELÔ – Sim eu me lembro daquele dia do concurso, ela chegou a ficar magoada comigo. A própria Lenita sempre me mandava abrir os olhos com ela, mas eu não notava nada demais… Todos esses anos e só agora que eu voltei e encontrei ela aparentemente com uma vida que era pra se minha, que eu achei tudo muito estranho… Ela se casou com o homem que eu amava, se tornou dona da marca Garota de Ipanema que eu ajudei a criar…

CELINA – E não é só isso viu…

HELÔ (Surpresa) – Como é que é? Ainda tem mais?

CELINA – A filha mais velha dela é adotada. O Pedro e ela se casaram porque ela ficou grávida na época, mas sofreu um aborto espontâneo com três meses de gravidez… Foi uma época difícil, ela ficou até deprimida. Depois de um tempo ela disse que queria ter um filho, mas tinha medo de passar por tudo aquilo de novo e colocou na cabeça que queria adotar uma criança e o Pedro acabou aceitando… A filha deles se chama Paloma, o mesmo nome da filha que você perdeu…

HELÔ (Pasma) – O quê? Isso também já é demais… Parece que ela tem uma espécie de obsessão comigo…

CELINA – Pois é… Por isso eu não sei te responder quem é a Beatriz de verdade. Pra mim ela é um mistério até hoje. Eu não consigo imaginar o que se passa na cabeça dela…

HELÔ – Mas eu preciso saber de tudo. Porque eu acho que a Beatriz nunca foi a irmã que eu achei que ela fosse… E isso agora esta martelando na minha cabeça. Quem sabe o que ela foi capaz de fazer contra mim todos aqueles anos em que eu morava aqui? Ah mas eu vou descobrir, ah se vou… Inclusive a história da minha filha que nunca foi bem contada. (Conclui decidida).

 

CORTA PARA:

CENA 7. INTERNA |DIA |CASA DE TEODORA – MESA DO CAFÉ DA MANHÃ.

 

TEODORA – Zilu você sabe que horas o Rodrigo saiu hoje? Me passa a geléia César, por favor!

ZILU – Não senhora, dona Teodora. Ele deve ter saído bem cedo, pelo menos ele não me pediu nada, saiu sem tomar café.

TEODORA – Obrigada. Pode ir… Eu ando preocupada com o Rodrigo. Ele anda distraído, abatido, tem preferido ficar mais tempo no trabalho do que em casa, e tudo isso por causa da Débora.

CÉSAR – Também pudera né? Ela sufoca ele. Desse jeito não há homem que agüente… Mas não esquenta não amor, o Rodrigo já em um homem e muito ajuizado. Ele sabe se cuidar.

TEODORA – Eu sei… Desde criança ele sempre foi um bom menino. O homenzinho da casa como eu costumava dizer… (Ri) – Ele gostava de cuidar de mim e de tudo, depois que o pai dele foi embora com outra mulher… Mas mesmo assim eu me preocupo com ele, com a felicidade dele, sabe como é coração de mãe.

CÉSAR – Você precisa é relaxar um pouco minha querida… Que tal uma das nossas aventuras hoje hein? (Indaga sorrindo).

TEODORA – Não. Definitivamente eu estou sem cabeça pra isso… Depois eu tenho uma reunião importantíssima hoje na revista. Deixa pra outro dia ta bom meu amor… Eu vou me arrumar agora, beijo. (Diz e sai).

César fica desanimado…

CÉSAR – Poxa e o que eu vou ficar fazendo hoje?

 

CORTA PARA:

CENA 8. EXTERNA |DIA – TARDE |FACULDADE DE MODA.

 

{Tocando no carro: Let Her Go – Passenger}

 

Edu para o seu carro na porta da faculdade e espera Paloma sair… E não demora ele a vê de longe e começa assoviar pra ela.

EDU – Aqui… Paloma!

PALOMA (Sorridente) – Oi Edu. Que você esta fazendo aqui?

EDU – Eu vim te buscar. (Fala e sai do carro, dando a volta e abrindo a porta pra ela entrar) – O seu carro novo ainda não chegou que eu sei, e vai levar pelo menos mais umas duas semanas pra chegar… Foi o seu pai me disse. Então eu estou oficialmente me candidatando ao cargo de seu motorista particular a partir de hoje. (Fala e sorri) – Por favor, senhorita.

PALOMA – Muito obrigada. (Diz e entra no carro).

Edu da à volta correndo e todo animado…

PALOMA – Olha Edu, eu agradeço a sua carona e todo o carinho e cuidado que você tem por mim, mas eu não me sinto bem abusando de você assim… É sério.

EDU (Sério) – O que eu sinto por você é muito mais do que carinho e você sabe disso… Mas eu também não estou te cobrando nada Paloma, muito pelo contrário. Eu vou estar sempre do seu lado pro que der e vier, e depois não me custa nada fazer esse favor pra você. Deixar você andar de ônibus ou ficar gastando dinheiro com táxi todos os dias, eu não vou. Depois será um prazer estar na sua companhia…

PALOMA – Você é um anjo. Mas tem o seu trabalho, os seus compromissos… Não é justo, você pode se prejudicar por minha causa e eu não quero isso.

EDU – Fique tranqüila que isso não vai acontecer. Meus horários são flexíveis e depois o meu maior e melhor patrão, chama-se Anselmo Bittencourt. Esse você conhece bem e ele jamais me demitiria. Só com o que eu ganho do seu avô, eu poderia mandar o meu emprego pro espaço… E algo me diz que ele me apoiaria nessa decisão. (Conclui rindo).

PALOMA (Ri) – Ta bom. Você me convenceu… Mas eu fico te devendo hein?

EDU – E eu já vou começar a cobrar… Quer ser minha acompanhante hoje? Tem uma festa da empresa em que eu trabalho e eu detesto ir sozinho nesses eventos… Você topa? Nada muito formal… Traje obrigatório, faça o seu estilo. O que me diz?

PALOMA – Bom sendo na condição de fazer o meu estilo… Eu topo. Eu vou com você sim. (Diz rindo).

EDU (Ri) – Vai ser divertido, eu prometo.

Os dois sorriem um para o outro e se encaram por alguns segundos, mas Paloma desvia o olhar. Um carro que esta saindo da faculdade começa a buzinar para que Edu saia com o carro.

EDU (Ri) – Nossa eu acabei me esquecendo… Estamos bloqueando a entrada. Vamos? (A encara com olhar sedutor e da partida).

 

CORTA PARA:

CENA 9. INTERNA |INÍCIO DE NOITE |BARZINHO – LEBLON.

 

{Tocando: Love On The Brain – Rihanna}

 

Betina esta sentada num cantinho bebendo um drink, quando percebe a mesma mulher do outro dia, chegando no bar e sentando-se no balcão sozinha, ela pede uma bebida… Betina a observa de longe intrigada, depois decide pagar pra ver e vai até lá…

BETINA – Hei, mais uma tequila, por favor! (Pede ao bartender e depois olha sorrido para a mulher do lado) – Hoje eu tive um dia daqueles… Ai pra relaxar só mesmo tomando uma tequila. Esse barzinho é o meu preferido no fim do dia para um happy hour. Prazer, eu me chamo Betina. E você? (Indaga estendendo a mão para ela).

FLÁVIA (Sorri) – Prazer, eu sou a Flávia. E essa rodada é por minha conta… (Diz tirando dinheiro da carteira e colocando em cima do balcão para o bartender que trouxe a tequila) – Eu sei bem como é ter um dia daqueles…

Betina levanta o copo pra ela e elas brindam…

BETINA – Vem, vamos pra minha mesa…

 

CORTA PARA:

CENA 10. INTERNA |NOITE |COBERTURA DE BEATRIZ BITTENCOURT – SALA.

A campanhia toca e Paloma que já estava pronta para o seu encontro com Edu, desce as escadas e vai atender…

 

PALOMA – Pode deixar que eu atendo, Chica.

Paloma abre a porta e da de cara com Helô e a reconhece do pequeno acidente no trânsito as envolvendo dias atrás…

PALOMA (Sorri) – Você?

HELÔ (Sorri) – Paloma?

Nesse momento Beatriz chega…

BEATRIZ (Curiosa) – Eu posso saber de onde vocês se conhecem?

Paloma olha para Helô sorrindo e depois se vira olhando para mãe… Beatriz olha para a filha e depois para Helô, que retribui o olhar com um ar de mistério.

 

(Cam – Close no rosto de Helô).

 

 

FIM DO CAPÍTULO.

(A imagem congela. E depois se transforma em um cartão postal, jogado sobre Ipanema).

{O capítulo se encerra com a música: Always – Bon Jovi}.

Always - Bon Jovi (Tema de Pedro Helô)

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”