Eu & as três – Capítulo 7

Eu & as três – Capítulo 7

Após a confusão na porta da igreja,Jorgeta foi para casa ainda mais nervosa do que quando saiu. Ao chegar Carminha estava na sala organizando-a. Jorgeta chega.

CARMINHA: Misericórdia! O que houve com a senhora dona Jorgeta?

JORGETA:Foram aquelas três ordinárias que fizeram isso.E vá chamar Clara que eu preciso falar com ela.

CARMINHA:A senhorita Clara saiu.

Nesse momento chega Romão e Ygor.

ROMÃO:O que é isso Jojô?Foi atropelada?

YGOR:Novo visual minha irmã?Esse é exclusivo para as missas da tarde?

JORGETA: Não me esquentam a cabeça do que já está.Essa cidade parece que não tem autoridade.Não tem homens de pulso firme pra ter atitudes.Não sei porque ainda não expulsaram essas três mulheres que vivem tirando o sossego de nossa cidade.

YGOR: Por que você pega tanto no pé dessas mulheres minha irmã.Até onde eu sei elas ainda não atacaram o seu marido.

JORGETA: Elas que não se atrevam e nem Romão tente se aventurar.Mas agora eu quero falar de outra coisa.Você Romão apoiou Clara a se formar em magistério às escondidas .

Enquanto o clima na sua casa está fervendo,Clara foi se encontrar com Pedro.

CLARA:Tudo o que eu quero é te namorar.

PEDRO:Também quero te namorar.Mas entre nós há uma barreira que nos impede de ficarmos juntos.

CLARA:Que barreira é essa Pedro?

PEDRO:Melhor dizendo existem barreiras.1ª a classe social a qual eu pertenço não é mesma sua,2ª sou um gari e 3ª sua família jamais irá nos abençoar.E consequentemente a minha família irá se constranger com essa situação e não nos abençoará também.

CLARA:Serei bem clara,bem suscinta:o que importa é o que está em nossos corações,emprego,classe social ,status nada disso é importante.E além do mais o meu pai já nos abençoou.

JORGETA:E sua mãe,com aquele gênio dela?

CLARA:O meu pai está do nosso lado.

PEDRO:Quando ela ficar sabendo posso até perder meu emprego.

CLARA:Fique tranquilo,da mamãe cuido eu.Nós já começamos uma “briga” pela manhã e agora noite irá continuar.Mas,vamos pensar em nós.( os dois se beijam)

Clara ao retornar para casa queria continuar a conversa com sua mãe e ainda falar de seu namoro com Pedro para ela.Mas como Jorgeta estava muito nervosa,tomou um calmante e foi dormir.

Pedro por sua vez,ao chegar em casa foi conversar com os pais sobre seu namoro com clara.

LUCILA:Meu filho,esse namoro é impossível.

PEDRO:Não mamãe.Não é impossível.Sabe por que?A gente se ama,e onde se tem amor,nada pode ser impossível.Eu e Clara nos amamos.

JOSÉ:Mas você já pensou no que os pais dela irão fazer quando souberem desse namoro?Na certa irão colocar nós dois no olho da rua.

PEDRO:Clara é bem segura em suas decisões.O pai dela aceita o nosso namoro.

LUCILA:O pai dela.Mas ,e a mãe, vai aceitar?Meu filho,seu Romão faz o que a esposa ordena.

PEDRO:O que nos importa agora,é o amor que sentimos um pelo outro.E seu Romão não vai nos mandar embora papai.Fique tranquilo.

LUCILA:Filho criado ,preocupações dobradas.

NO DIA SEGUINTE
CASA DO PREFEITO

Clara acordou cedo para continuar a conversa com a mãe ,logo pela manhã.Jorgeta chega na sala para o café.

CLARA:Bom dia minha mãe.Como dormiu?Meu tio disse que a senhora voltou muito nervosa da missa e ainda toda suja e descabelada.O que aconteceu por lá?

JORGETA:Esse assunto eu resolvo depois com aquelas bruxas solteironas.Mas eu quero saber por onde a senhorita estava até tarde ontem a noite?

CLARA:Esse é um outro assunto que trataremos depois que nos acertamos sobre aquele que começamos ontem.Mamãe eu não me via engenheira ,conversei com papai e ele me apoiou a estudar para aquilo que eu sonhava ser um dia,que era ser professora.

JORGETA:Mas professora minha filha,alfabetizadora!Isso não lhe renderá economicamente nada.

CLARA:Mas é o que eu sempre sonhei.E foi tão gostoso me preparar para essa função.Papai,me dará a vaga da escolinha aqui do bairro.

JORGETA:Que vergonha!A filha da primeira dama sendo uma professorinha da prefeitura.Isso acabará com minha auto estima.

CLARA:Agora a senhora aceita minha profissão?

JORGETA:Aceitar?Nunca.Vou ter que me acostumar com essa loucura sua.Mas que outro assunto você quer falar comigo?

CLARA:Serei bem clara e direta.Eu e Pedro estamos namorando e queremos sua benção.

JORGETA:Você o que?Esse Pedro é o mesmo garizinho da prefeitura?

CLARA:Ele é gari da prefeitura sim.

JORGETA:Você como professora,tá me corroendo a alma.Nunca aceitarei você namorando com aquele moleque sujo.Nunca Clara.Nunca.E tem uma coisa vou colocar ele na rua.

CLARA:Eu e ele nos amamos.E a senhora não é a patroa dele.Meu pai nos abençoou e ele não vai despedir o Pedro.

JORGETA:Mais uma vez seu pai.Ele está muito saindinho.Vou ter que cortar as asinhas dele.E você trata logo de esquecer esse rapaz.

NA PREFEITURA

Enquanto isso ,Romão recebe os soldados na prefeitura.

CARLA:Podem entrar,o seu prefeito está esperando por vocês.

S.LEITÃO:Obrigado senhorita Carla.

Se dirigem ao gabinete .

S.MENEZES:Com licença seu Romão.

ROMÃO:Oi, bom dia podem entrar. Vejo que estão preocupados.O que está acontecendo?Outro assalto na redondeza?

S.LEITÃO:Pior seu prefeito.Pior.

ROMÃO:Então falem logo o que está acontecendo.

S.MENEZES:Recebemos este documento do delagado regional,nos avisando que foi feita uma investigação sobre os assaltos ocorridos nas cidade visinhas.

ROMÃO:E o que descobriram?

S.LEITÃO:Há fortes indícios de que a quadrilha que vem atuando nesses assaltos,está alojada aqui em nossa cidade,e que tem um chefe perigosíssimo.

S.MENEZES:E é por isso que talvez o banco daqui e nem a lojas ainda não foram assaltadas.

ROMÃO:Aqui?E quem poderá ser esse chefão e também os demais intergrantes desta quadrilha?

S.LEITÃO:Este é o “X” da questão.Quem são eles?