Dupla Face: Episódio 6 – E tudo se volta contra mim

Dupla Face: Episódio 6 – E tudo se volta contra mim

Eduardo chega ao apartamento de Bruna, a porta está aberta e isso o preocupa, ao se dirigir ao quarto da namorada, a encontra dormindo, com um vestido curto e propício para a noite, um pouco desconsertado com a situação, ele se aproxima:

Eduardo – Não acredito!

Olha para o rosto dela, está maquiada, sequer percebe a presença dele. Após muito observar seu estado, ele decide acordá-la:

Eduardo – Bruna, Bruna acorda!

Bruna reclama ainda sem abrir os olhos:

Bruna – Hum… me deixa!

Eduardo se irrita:

Eduardo – Bruna!

Ela abre os olhos e se assusta:

Eduardo – O que é isso? Por que está desse jeito?

Bruna fica pasma:

Bruna – Edu! O que você está fazendo aqui?

Eduardo – Como assim? Eu fiquei preocupado com você, marcamos de almoçar juntos e você sequer atendeu o telefone.

Bruna se preocupa:

Bruna – Marcamos é? Droga! Me perdoa!

Eduardo – O que você fez? Está bêbada Bruna?

Bruna – Edu…

Eduardo irritado interrompe:

Eduardo – Você está bêbada… onde estava?

Bruna sem argumento fica em silencio, Eduardo se afasta:

Bruna – Espera amor!

Bruna levanta-se da cama:

Bruna – DROGA! Eu já estava indo te encontrar!

Eduardo – Hum… você nem tirou a roupa da balada, do jeito que chegou se jogou na cama. Fiquei te esperando a um tempão no restaurante.

Bruna se aproxima:

Bruna – Me desculpa lindo…

Eduardo encerra a conversa:

Eduardo – Olha, você está sem condições até para conversar. Por favor vá tomar um banho, descanse, recupere-se. Mais tarde falaremos sobre isso, ok?

Eduardo segue em direção a porta e Bruna o segue insistindo:

Bruna – Edu. Não vai…

Eduardo vira-se e segura nos ombros dela:

Eduardo – Bruna, eu te amo! Mas o que você faz comigo, não é justo, conversamos depois.

Ele sai do apartamento e a deixa sozinha, Bruna lamenta:

Bruna – Eu sou uma imbecil.

Uma mulher avista Marcelo na rua caído no chão desmaiado:

– Meu deus!

Ela se aproxima e tenta despertá-lo, mas sem sucesso:

– Nossa, coitado!

Ela grita por socorro:

– Socorro! Alguém ajude.

Ela pega seu celular e liga para a ambulância. Algumas pessoas começam a abrir os protões de suas casas:

– Ajuda aqui gente! Esse homem está todo machucado, olha isso!

As pessoas se aproximam.

Na “Construtora Paes Medeiros”, Ernesto sai de sua sala junto com Giovanna e cumprimenta Isadora:

Ernesto – Dora, você veio.

Isadora levanta-se do sofá onde aguardava:

Isadora – Olá Ernesto, sim, pedi para o motorista me deixar aqui.

Ernesto – Já foi ao shopping?

Isadora – Sim, estou voltando de lá, achei melhor vir hoje mesmo.

Ernesto – Que bom! Vou te mostrar tudo, mas antes quero te apresentar essa moça aqui, a Giovanna, ela é nossa gerente do financeiro. Giovanna, essa é a Isadora uma amiga nossa muito especial, está passando uns dias lá em casa.

Giovanna e Isadora dão um aperto de mão sorrindo:

Giovanna – Muito prazer Isadora! Seja bem-vinda.

Isadora – Obrigada flor, o prazer é todo meu.

Isadora percebe a gravidez de Giovanna:

Isadora – Está tão linda… de quanto tempo?

Giovanna – Obrigada. 7 meses!

Isadora – Oh… coisa mais linda, parabéns.

Ernesto – Você conhecerá o pai também, ele trabalha aqui conosco!

Isadora – Hum, será um prazer!

Ernesto – Vamos?

Eles vão na frente e Isadora mais atrás os seguindo, Dora vira-se rapidamente e olha pra Lorena de uma maneira um pouco ameaçadora.

Lorena sentada a sua mesa, a encara séria e meio que assustada:

Lorena – Que mulher estranha… eu hein.

Já caminhando por setores, Ernesto e Giovanna mostram a Isadora cada detalhe da sede da construtora, ela fica mais admirada com o luxo e organização, na sala onde estão inúmeras maquetes de projetos já concluídos pela empresa e outros mais, que ainda estão em execução na cidade de São Paulo e em outras capitais. Gênesis chega ao local:

Gênesis – Bom dia!

Ernesto – Oh, bom dia, apareceu no momento certo, quero apresenta-lo á Isadora, uma grande amiga. Dora, esse é o Gênesis, esposo da Giovanna.

Isadora sorrindo cumprimenta o rapaz com um formal aperto de mão:

Isadora – Muito prazer!

Gênesis – O prazer é meu.

Isadora faz gracinha com os nomes do casal:

Isadora – Vocês combinam até nos nomes, Gênesis e Giovanna G & G, não é lindo?

Todos sorriem:

Gênesis – E estamos pensando no “G” para o nome do nosso filhotinho!

Isadora sorrindo retruca:

Isadora – Ah … que graça!

Ela vira as costas suavemente para olhar outra maquete em exposição e em sua imaginação debocha dos nomes demonstrando repulsa:

“ Que ridículo, como se já não bastasse os pais com esses nomes horríveis, o nome do filho com a mesma inicial, que coisa mais cafona”, meu Deus, não estou disposta a isso”.

Giovanna – A filha do Ernesto sofreu um atropelamento!

Gênesis – Meu deus! E como ela está?

Ernesto muda a expressão alegre para triste.

Alguns instantes se passam. No Rio de Janeiro, Sandra chega ao apartamento de Renata e observa triste, a bagunça que ficou no quarto onde Danilo a agrediu:

Sandra – Meu Deus! O que a minha filha passou nas mãos daquele canalha!

O celular de Sandra toca ela vê que é Isadora:

Sandra – Oi Dora!

Isadora está ao lado de Ernesto:

Isadora – Amiga como você está? Estou preocupada, aliás estamos, o Ernesto está aqui do meu lado!

Sandra – Oh amiga, obrigado! Ele não foi para a construtora hoje?

Isadora – Sim, estamos na construtora!

Sandra – Ah! Foi conhecer, que legal, está gostando?

Isadora – Estou amando, é tudo muito lindo… nossa, essas maquetes são incríveis! Acho interessante como as obras ficam idênticas a elas após prontas.

Sandra – Pois é!

Isadora – Mas me conta, como está a Renata?

Sandra – Está bem, estou no apartamento dela, vou tomar um banho, me trocar e voltar para o Hospital!

Isadora – Está certo querida, eu vou passar a ligação para o Ernesto, ele está muito preocupado. Se cuida tá?

Sandra – Ok linda, obrigada!

Isadora entrega o celular a Ernesto:

Ernesto – Amor?

Sandra – Oi Ernesto!

Ernesto – Como ela está?

Sandra – Melhor, fará uns exames de imagem hoje, para ver a possibilidade de alta.

Ernesto – Ah então essa semana mesmo vocês estão voltando?

Isadora escuta e não gosta:

Sandra – Espero que sim. Ela sente muito sua falta, faz muito tempo que não a vê Ernesto.

Ernesto – Pois é, eu também sinto muitas saudades, mas não posso deixar a construtora assim, estamos tendo algumas reuniões importantes essa semana.

Sandra chama a atenção de Ernesto:

Sandra – Mais importante que sua filha? Ernesto, ela foi atropelada, podia ter morrido!

Ernesto – Mas graças a Deus isso não aconteceu! Olhe, diga que a amo e peça que ela entenda meu lado. Aliás, eu preciso saber como isso aconteceu.

Sandra um pouco desconfiada:

Sandra – Não posso contar por telefone!

Ernesto – Ok, por favor, me mantenha informado!

Sandra – OK!

Ernesto – Um beijo!

Ernesto desliga o celular:

Sandra lamenta o comportamento frio de Ernesto com a filha.

Em seu quarto no Hospital, Renata lembra do sonho que teve em que avistava um homem estranho (Eduardo) que jamais havia visto:

Renata – Quem era aquele homem lindo? Será que ele existe? Ah… que loucura minha, claro que ele não existe!

Renata sorri de si mesma:

Renata – Só eu mesmo para imaginar uma loucura dessas.

Logo ela muda a expressão alegre para outra triste e pensativa:

Renata – Vai ser difícil me apaixonar novamente, vou precisar superar o que passei, vou precisar deixar de lado aquela Renata, que morreu atropelada. Não sei se aquele homem existe, mas o conselho dele, eu estava precisando tanto ouvir.

Algumas horas se passam.

Em São Paulo, já em sua casa, Eduardo se leva em cochilo, sentado em sua poltrona na sala e tem um rápido sonho:

No sonho, Eduardo está no mesmo restaurante e na mesma mesa onde esperava por Bruna para o almoço, quando de repente, Renata, maquiada e bem vestida, extremamente linda, chega e senta-se a mesa junto com ele:

Renata – Demorei, mas estou aqui!

Eduardo se surpreende e questiona a ausência de Bruna:

Eduardo – Desculpe, mas, quem é você? Estou esperando outra pessoa!

Renata sorri:

Renata – Não, você está esperando por alguém que te ame de verdade, alguém que te valorize. Eu estou aqui para isso, para te amar e valorizar!

Renata beija Eduardo.

Confuso e intrigado com o sonho, Eduardo acorda e percebe que está em sua casa sozinho e lamenta:

Eduardo – Quê? O que foi isso?

Ele sorri.

Em sua sala, Gênesis comenta com Giovanna sobre a chegada de Isadora:

Giovanna – O que você achou da Isadora?

Gênesis – Achei educada, simpática.

Giovanna – Eu também, só que nunca ouvi falar dela antes, parece ser tão íntima deles né?

Gênesis – Verdade, isso também percebi!

Giovanna – Ele nos apresentou como ela sendo uma amiga, será que é alguém da família?

Gênesis – Acredito que não! A Sandra é uma mulher muito influente, ela deve ter várias amigas como a Isadora.

Giovanna – Tem razão. E o acidente da Renata, coitada né?

Gênesis – Pois é.

Marcelo acorda sentado no leito da emergência de um hospital, mesmo sentindo uma forte dor de cabeça ele levanta, pega suas coisas e se prepara para sair da enfermaria, uma enfermeira chega e tenta impedir:

Enfermeira – Onde vai senhor? Não pode sair agora!

Marcelo não responde e a enfermeira continua insistindo:

Enfermeira – Senhor, preciso aplicar sua medicação, o senhor não pode sair assim.

Marcelo ignora e sai do local apressado e com uma certa raiva. Do lado de fora do hospital, ele apanha um táxi.

O táxi percorre a região do entorno do shopping onde ele foi agredido e lá ele observa atento, até avistar de longe, os dois jovens que lhe atacaram:

Marcelo – Para aqui colega! Pode encostar vai, vai!

Ele paga o taxista e sai do carro apressado indo em direção aos tais jovens que estão distraídos, usando drogas numa rua vazia próxima a um viaduto:

Marcelo – Seus filhos da mãe!

Os jovens se assustam e se preparam para correr, mas neste momento, Marcelo tira da sacola uma pistola e aponta para eles os ameaçando:

Marcelo – Se correr, eu descarrego ela em vocês!

Jovem 1 – Não cara, por favor! É aquele cara mano.

Jovem 2 – Desculpa aí, mandaram a gente fazer isso com você!

Jovem 1 faz sinal para o jovem 2 não contar:

Marcelo – Quem?

O jovem 1 tenta acobertar Isadora:

Jovem 1 – Ele tá drogado irmão.

Jovem 2 – O cara vai matar a gente mané!

Marcelo – Fala logo! Vou manda bala! Quem mandou?

Eles ficam receosos, um olha para o outro sem coragem de contar, irritado Marcelo atira para o lado e logo um deles fala:

Jovem 1 – A gente não conhece. Foi uma madame, ela pagou 200 reais para mim e 200 para ele.

Marcelo se toca logo que se trata de Isadora:

Marcelo – Desgraçada! Foi uma mulher né?

Marcelo baixa a arma e se aproxima dos jovens disfarçando:

Jovem 2 – Ela disse pra nós esperar você sair do shopping.

Marcelo – Aí vocês foram lá e me desceram pauladas?

Marcelo dá um soco no Jovem 1 e um chute no Jovem 2 e aponta a arma novamente:

Marcelo – Vaza daqui! Vai! Miseráveis!

Eles saem correndo e Marcelo com raiva, chuta uma garrafa PET vazia que estava no chão:

Marcelo – Desgraçada! Vagabunda!

Anoitece. Rick está no apartamento de Bruna. Sentados no sofá, eles comentam sobre Eduardo:

Rick – Você não acha melhor terminar com ele logo amiga?

Bruna – Com o Edu?

Rick – É … você não gosta dele.

Bruna – O que? Eu amo ele! Ficou louco?

Rick – Você pinta e borda, tadinho ele é tão certinho.

Bruna – Sabe quem tem culpa né?

Rick – Quem?

Bruna – Você “querida”!

Rick – Eu?

Bruna – Você!

Irritado, Rick dá um fora daqueles em Bruna:

Rick – Olha mulher, “NUM ME ARRASA NÃO! ” a namorada sem vergonha aqui é você, não é por que te chamo pra sair, se divertir, que você tem que abandonar seu namorado perfeito, poderia muito bem me frear com um não. Agora é tarde, teu bofe tá puto contigo e eu não tenho culpa nenhuma nisso flor!

Bruna – É, e agora eu me sinto mal por aceitar ir nas suas festinhas.

Rick – Mulher… você bebeu demais, eu disse o seguinte lá embaixo no táxi: Bruna, toma um banho e vai dormir, mas acho que você só ouviu a parte do vai dormir e caiu na cama do jeito que chegou, ainda por cima, deu bolo no coitado do namorado.

Bruna – Tá, tá, eu vacilei. O Ernesto está vindo aqui hoje, e eu não estou afim. O que eu faço?

Rick – Amiga, não vou mais dar esse tipo de opinião a você, sabe porquê?

Bruna olha para o amigo, franzindo a testa e fazendo sinal de não com a cabeça:

Rick – Porque você entende tudo errado, esses rolos aí com o coroa, você é quem vai resolver. Estou indo, amanhã tenho que estar cedinho no salão.

Rick levanta-se do sofá:

Bruna – Ah não vai Rick, me perdoa aí poxa!

Rick – Relaxa a gete é amigo até nas tretas . Tchauzinho, passa lá no salão amanhã que a gente conversa, aproveito e dou um jeitinho nesse cabelo!

No Rio de Janeiro, Renata come iorgut, em seu quarto no hospital:

Sandra – Seu pai ligou! Disse que está morrendo de saudades, e quer vê-la logo!

Renata – Ah…eu também, não vejo a hora de poder abraça-lo, só acho que ele é bem esquecidinho de mim né.

Sandra – Está com muitos compromissos, você sabe que ele não para. O que importa, é que se preocupa com você!

Renata – Eu amo vocês demais.

Sandra sorri:

Renata – Mãe, e aquela sua amiga, você não falou dela desde que chegou aqui.

Sandra – Ah! É verdade, a Isadora está em casa.

Renata – Em… casa? Lá na nossa casa?

Sandra – É filha, onde mais?

Renata – você tem foto dela aí?

Sandra – Sim!

Sandra mostra a foto de Isadora junto com ela em seu celular e Renata observa receosa:

Sandra – Que cara é essa? Ela não é feia.

Renata – Não, não é não. Esse é o problema! Mãe, você confia de deixá-la sozinha com meu pai?

Sandra – Sim, claro, por que não? a Isadora não é uma qualquer, ela tem princípios, educada, uma pessoa de boa índole.

Alguém bate a porta e logo após abre, é o médico:

Médico – Boa noite!

Sandra – Oi Doutor!

Renata – Boa noite!

Médico – tenho ótimas notícias, a tomografia do quadril feita hoje, confirmou que a cirurgia foi um sucesso, e você já pode se recuperar em casa!

Elas comemoram:

Renata – Que bom!

Sandra – Quando terá alta Doutor?

Médico – Amanhã mesmo.

Renata – Ai que bom. Não vejo a hora de voltar para casa!

Médico – Mas lembre-se Renata, terá que ter repouso por um mês, sendo a primeira semana na cadeira de rodas.

Sandra – Com certeza, ela ficará sobre minha administração! Nem se preocupe!

Todos sorriem e Renata segura na mãe de Sandra.

Isadora Chega de táxi em frente à casa dos Paes Medeiros, ela desce do carro e caminha até o portão, quando de repente, alguém a puxa pelo braço e encosta na parede do muro apertando seu pescoço, logo ela vê que é Marcelo:

Marcelo – Sua vaca! Você mandou os moleques de rua me espancar não foi? Você tá brincando comigo Isadora? Sua vadia!

Isadora luta tentando escapar, mas não consegue, Marcelo aperta seu pescoço com força a deixando totalmente sem ar.

Wellyngton Vianna

Recifense, 23 anos, CEO fundador do CYBER SÉRIES.

“Escrever liberta, podemos criar, recriar e inovar. Podemos tornar públicas as nossas idéias”.