Dupla Face: Episódio 5 – Cilada

Dupla Face: Episódio 5 – Cilada

Um táxi, pára em frente ao prédio de Bruna e dele sai ela sorrindo à toa, dentro do carro está Rick, que também se diverte, ao comentar o quão foi boa a noitada que tiveram na RAVE:

Rick – Mulher, você está muito bêbada!
Bruna – Por culpa sua “Bi”. Eu devia ter ficado em casa e você me arrastou para aquele lugar.
Rick – Ah… muito sonsa você, vai dizer que não gostou?
Bruna – Foi maravilhoso, tinha cada gato…
Rick dá uma grande gargalhada:
Rick – Sabia que ia gostar! Agora pelo amor de deus amiga, vai tomar uma ducha e se joga na cama, não quero nem pensar, no tamanho da ressaca que você vai sentir quando acordar.

Bruna não para de sorrir:

Rick – Tchau querida, mais tarde dou uma passadinha por aqui! Kisses! (Beijos!)
Bruna faz sinal de coração com a mão pra Rick, que pede para o motorista seguir em frente:
Rick – Vamos moço!

Bruna observa o taxi indo embora. Já dentro de seu apartamento, Bruna sequer, vai para o banheiro, está tão bêbada, que cai na cama do jeito que chegou, fecha os olhos e se entrega ao sono.

Eduardo chega a Faculdade onde dá aulas de Gestão Empresarial, para turmas que cursam Administração, ele entra na sala e cumprimenta seus alunos:
Eduardo – Bom dia pessoal!

Os alunos respondem em coro:

Alunos – Bom dia!
Eduardo – Gente, adorei as provas de vocês, corrigi todas ontem e estavam muito boas, claro algumas poderiam ter sido melhores, mas no geral, vocês foram muito bem! Hoje vou entrega-las para vocês e faremos juntos uma análise dela, assim esclarecemos algumas dúvidas que surgiram e que acabaram causando alguns erros ok?

Duas alunas no fundo da sala comentam entre elas sobre o Professor:

Aluna 1 – Esse professor é ótimo, adoro ele!
Aluna 2 – E lindo né?

Elas sorriem:

Aluna 1 – Qualquer uma se esforça nas provas só para impressionar a ele.
Aluna 2 – Será que ele tem namorada?
Aluna 1 – Com certeza. Homem perfeito assim amiga, sempre está comprometido.

Elas sorriem juntas sem saberem que na verdade, Bruna, a namorada de Eduardo, não o valoriza como merece.

Na casa dos Paes Medeiros, Isadora se aproxima da mesa montada no jardim da casa onde está sentado Ernesto tomando seu café da manhã e lendo jornal:

Isadora – Bom dia Ernesto!Ernesto – Oi Isadora, bom dia! Sente-se.
Isadora – Obrigada! Você acorda cedo hein!

Isadora senta-se a mesa:

Ernesto – É, gosto de ser o primeiro a chegar na construtora, assim dou bom exemplo aos meus funcionários.

Ernesto dobra jornal e o coloca sobre a mesa:

Isadora – Isso é verdade.
Ernesto – Isadora, eu… gostaria de pedir desculpas mais uma vez, sobre o que nos aconteceu ontem jantar.
Isadora – Não se preocupe! Somos adultos para saber que o que aconteceu foi involuntário.

Ernesto joga sua lábia, e Isadora dá brechas para dar continuidade a seu plano de conquistá-lo:

Ernesto – Bom, na verdade, eu não classificaria como tão involuntário assim, você é uma mulher tão linda, qualquer homem sentiria uma grande vontade de beijá-la.Isadora – Então … no seu caso, foi vontade própria?
Ernesto – Eu detesto mentir, senti uma grande vontade beijá-la.
Isadora – E então … por que está pedindo desculpas?
Ernesto – Porque que de alguma forma, você sentiu-se mal.
Isadora – Ernesto, eu também detesto mentir. Sim, eu realmente me senti mal, mas não pelo beijo que me deu, para ser sincera, eu adorei. Eu fiquei mal por causa da Sandra, por ela ser minha amiga, entende?
Ernesto – Sim claro.

Ernesto fica sério e pensativo e Isadora percebe:

Isadora – Falei algo errado?
Ernesto – Não. Você é uma mulher culta e muito correta. O problema sou eu, as vezes eu acho que a Sandra merecia alguém melhor que eu.

Isadora toma um pouco de suco:

Ernesto – Ela me ama muito e…. Acredito que, não correspondo o bastante.
Isadora – Está dizendo que não a ama?
Ernesto fica desconsertado (considerando que trai Sandra com outra):
Ernesto – Não o quanto ela merece.
Isadora – Vamos mudar de assunto? Desculpa, é que você falando assim, eu penso na minha relação com o Luigi, meu Ex-marido, apesar de amá-lo tanto, ele me tratava tão mal.

Ernesto, acreditando nas mentiras de Isadora, se preocupa:

Ernesto – O que ele fazia?
Isadora – Nunca me deu atenção. Eu fazia tudo por ele, na esperança de me tornar alguém especial.
Ernesto – 81 anos? olha, desculpe, mas não sei como foi se apaixonar por um homem assim, além de ter idade de seu pai ainda te tratava mal.
Isadora – Ele não era assim antes de morarmos juntos. Me conquistou, era um tremendo senhor cavalheiro, mas acho que só quis me usar.
Ernesto – Eu sinto muito, sei que você o amava, mas agora já se foi e você pode esquecê-lo.
Ernesto pega na mão de Isadora que está sobre a mesa e olha em seus olhos:
Ernesto – Talvez, possa recomeçar com alguém especial.

Isadora sorri pra Ernesto. Nesse mesmo momento, Fátima, a empregada da casa, se aproximava da mesa para servir as frutas e acaba flagrando a cena:

Fatima – Me desculpem.

Ernesto e Isadora ficam desconfiados e se recolocam na situação:
Ernesto – Não se preocupe Fátima, pode servir.
Fátima – Com licença!

Fátima coloca as tigelas de frutas frescas na mesa e se retira:

Isadora – Obrigada!

Fátima um pouco sem jeito responde olhando pra Isadora:

Fátima – Por nada senhora.

Ao ver que Fátima se foi, Ernesto e Isadora se olham mais uma vez:

Ernesto – Será que ela ouviu?
Isadora – Não sei….
Ernesto – Não se preocupe, ela não é fofoqueira, trabalha conosco a anos e nunca tivemos problemas.
Isadora – Que bom!
Ernesto – Quer ir conhecer a construtora hoje?
Isadora – Agora?
Ernesto – Sim, depois do nosso café!

Isadora lembra que tem um encontro com Marcelo que está em São Paulo:

Isadora – Bom eu … estava pensando em ir ao shopping, preciso comprar umas coisinhas. Desculpa, pode ser amanhã?
Ernesto – Tudo bem! Quer uma carona? Tem um bem próximo a Construtora.
Isadora – Não, não se incomode! Eu peço ao motorista para me levar.
Ernesto – Ok!

Eles continuam o café da manhã.

No Rio de Janeiro, ainda no Hospital, Renata e Sandra conversam:
Renata – Eu não acreditei mãe. Quando vi o celular cheio de conversas do tipo “Manda 5kg de maconha para hoje à noite” – “Oi cara, tem “coca” aí? ”. Pessoas encomendando drogas a ele. Eu fiquei chocada. Certamente ele percebeu que havia deixado o celular no apartamento e voltou todo assustado, foi quando me viu lendo tudo.
Sandra – Meu deus! Eu só não entendi como ele ficou tão louco, poderia ter matado você minha filha.
Renata – Eu também não entendo, aquele, definitivamente eu não conheço. Ele me bateu… nunca esperava isso do Danilo. Ele tinha uma arma, eu nunca, jamais imaginei, o Danilo com uma arma mãe.

Sandra responde pensativa e intrigada:

Sandra – Meu Deus, um traficante …, graças a deus ele está preso.

Alguém bate na porta do quarto e Sandra vai abrir, é o policial que havia falado com Sandra ao telefone, avisando do atropelamento:

Policial – É o quarto de Renata Paes Medeiros?
Sandra – Sim minha filha!
Policial – Ah! Prazer, a senhora deve ser a Dona Sandra, sou o policial Domingues, fui eu que a avisou por telefone, sobre o que aconteceu.

Sandra aperta a mão do policial:

Sandra – Ah! prazer, pode entrar por favor!

Sandra abre mais a porta e o policial entra no quarto:

Policial – Olá Renata, como está?
Renata – Tentando me recuperar!
Policial – Estivemos no seu apartamento depois que foi socorrida pela ambulância, estava aberto e usamos seu celular para chamar sua mãe. Aqui está!

O policial devolve o celular a Renata:

Renata – Obrigada! E o meu apartamento, está aberto?

O policial tira a chave do bolso.

Policial – Não! Encontramos a chave e o deixamos fechado.
Sandra – E o rapaz? Vai ficar preso mesmo?
Policial – Danilo Mafra está preso, por ter cometido muitos crimes, será transferido hoje para o presídio masculino, lá ele vai aguardar a decisão do juiz. Assim que a senhora estiver recuperada, pedimos que compareça à delegacia para registrar o acontecido dando seu depoimento.
Renata – Ele tem chances de escapar?
Policial – Olha, pelo o que coletamos, ele tem condições de contratar um bom advogado pra tirá-lo o mais rápido possível.
Renata –. Vocês estão cientes que ele também é traficante de drogas?
Policial – Sim, aliás, estamos com o celular dele, tinha conversas onde usuários de classe média alta faziam pedidos para ele.
Renata – Eu vi ontem, essas conversas, terminei o relacionamento e ele surtou.
Renata começa a chorar:
Policial – O segurança do prédio foi baleado, mas está passando bem.
Renata – Meu deus! É verdade, eu vi!

Sandra fica pasma:

Sandra – Ele atirou no segurança?
Renata – Sim.

Sandra fica em choque.

Uma viatura chega na porta do presídio, os policiais tiram Danilo do banco de trás algemado e o levam para dentro, a expressão dele é apática e fria, Danilo observa o ambiente sujo e decadente do presídio enquanto caminha pelos corredores na companhia de dois policiais, eles o colocam em uma sela privada pois Danilo tem ensino superior. As algemas são retiradas:

E ele fica sozinho. Pensativo, ele conversa consigo mesmo:

Danilo – Preciso sair daqui! Mas cadê o imbecil do advogado?

Isadora Caminha no shopping Iguatemi em direção a praça de alimentação, sem perceber, ela passa por Marcelo que está sentado a uma das mesas a sua espera:

Marcelo – Você já foi mais atenta Isadora!

Ao ouvir, Isadora olha para ele com ódio e se aproxima sentando-se também na mesma mesa:

Isadora – Seu verme! Que história é essa de me extorquir?
Marcelo – Todo mundo precisa de dinheiro!
Isadora – É, inclusive eu! O que aconteceu? Achei que estivesse comigo nessa.
Marcelo – Ainda estou, só preciso de mais valorização!
Isadora – Valorização! Para você? Nem o maior dos trabalhadores é valorizado nesse país meu amor! Um vagabundo como você quer ser valorizado, me poupe.

Marcelo pega forte no braço de Isadora:

Marcelo – Não estou de brincadeira, sou tão perigoso quanto você!
Isadora – Sou mais! Acredite, você não quer ser meu inimigo Marcelo! Se não me soltar agora, eu armo agora mesmo um escândalo dentro desse shopping!
Marcelo – Você não pode!
Isadora sorri com ironia:
Isadora – Olha … sou protegida pela “maria da penha”!
Marcelo – Hum!

Isadora encara Marcelo olho no olho por alguns segundos e de repente grita com ar de vítima:

Isadora – Ai, me larga!

Instantaneamente todas as pessoas presentes na praça de alimentação, olham para eles. Marcelo larga o braço de Isadora lentamente e desconsertado com a situação, sussurra:

Marcelo – Você ficou louca?
Isadora – A mulher frágil aqui sou eu.

Alguns instantes depois, um segurança do shopping se aproxima:

Segurança – Está tudo bem, senhora?

Isadora contorna a situação:

Isadora – Sim, sim está tudo bem. Não foi nada. Briga de irmãos sabe como é? Brigamos até hoje!

Segurança – Tem certeza?

Isadora – Claro, é só briga de irmãos! Não tem importância, mas obrigada pela eficiência!

Segurança – Por nada.

O segurança vai embora.

Marcelo olha pra Isadora com muita raiva:

Isadora – Que foi? Não está gostando do nosso encontro querido? Que se dane! Quem está pagando a conta sou eu.

Isadora pega e abre, o cardápio:

Marcelo – Eu preciso de 10 mil reais!

Após ouvir, Isadora solta o cardápio:
Isadora – O que?
Marcelo – Preciso pagar o hotel!
Isadora – Que tipo de hotel é esse? 10 mil? A diária é?
Marcelo – Não, estou num hotel vagabundo, mas preciso de grana para me manter aqui.
Isadora – Mas eu não quero você aqui!
Marcelo – Preciso de grana Isadora … você está me encarando como uma ameaça, eu posso te ajudar muito nesse plano com a sua antiga comadre!
Isadora – Você só quer meu dinheiro!
Marcelo – Acha que vai conseguir sozinha? Não foi assim em Curitiba, você precisou de mim e vai continuar precisando. Você é não mentirosa, falou a verdade para o segurança do shopping; somos mais que amantes, somos irmãos, na maldade.

Marcelo sorri e Isadora o encara fixamente:

Isadora – Estou sem dinheiro aqui!
Marcelo – O que mais tem no shopping é caixa eletrônico…

Isadora abre a bolsa e tira o talão de cheques e Marcelo se anima:
Marcelo – Hum! Aceito também.

Isadora preenche um cheque e entrega nas mãos dele:

Isadora – Agora por favor, me deixe em paz …. Por enquanto não vou precisar de você. Talvez realmente precise mais para a frente.

Isadora levanta:

Marcelo – Já vai?
Isadora – Se eu ficar aqui por mais um minuto, posso perder a paciência. Cretino!

Ela sai e deixa Marcelo sozinho, ele sorri admirando o cheque:
Marcelo – Isadora …

Já do lado de fora do shopping, ás escondidas, Isadora conversa com dois jovens usuário de drogas que moram na rua, mostrando a foto de Marcelo no celular dela:

Isadora – Estão vendo esse cara aqui?. Quando ele sair do shopping, quero que vocês deem uma surra nele. Valendo hein sem pena!

Eles concordam sorrindo. Dora tira da bolsa 400 reais:

Isadora – Aqui oh! 200 para cada um. Quero que quebrem a cara dele!

Os jovens pegam o dinheiro:

Jovem 1 – Ele fez alguma coisa contigo dona?

Isadora coloca os óculos escuros e ameaça os rapazes:

Isadora – Isso não interessa, vamos lá trabalhar, ação, façam o que eu mandei e de bico fechado hein… não esqueçam que vocês ficam de bobeira por aqui todo dia e o dia todo!

Isadora sai de perto dos jovens caminhando e conversa sozinha se referindo a Marcelo:

Isadora – Desgraçado! Agora vai ter com o que gastar os meus 10 mil.

Algumas horas depois … no Rio de Janeiro, Renata conversa com sua mãe enquanto almoça encostada à cabeceira da cama:

Renata – Até que não está tão mal essa comida.
Sandra – Também né filha, você tem sorte de poder está num desses aqui, já pensou em quem sofre nos Hospitais públicos?. Daí você tira o porquê da má fama da comida de Hospital.

Renata responde entristecida:

Renata – É verdade!. Um absurdo.

Renata lembra do anel que ganhou de Danilo:

Renata – Mãe, esqueci de te contar uma coisa!
Sandra – O que?
Renata – O Danilo e eu fomos passear de bondinho na URCA, ele me pediu em casamento lá.
Sandra – Foi mesmo? quando?
Renata – Ontem mesmo. Me deu um anel fabuloso, horas depois já lá e casa, descobri tudo aquilo.
Sandra – Meu deus! Então no mesmo dia que ficou noiva dele, acabou tudo…

Sandra olha com ternura pra Renata, que está emocionada.

Horas se passam … Eduardo espera impaciente por Bruna no restaurante onde haviam marcado para almoçar juntos:

Eduardo – Não acredito nisso…

Ele liga para o celular dela, mas recebe mensagens de que está desligado:

Eduardo – Será que aconteceu alguma coisa? Ela falou que não precisava busca-la, mas nem o celular atende….
Bruna está em seu quarto dormindo do mesmo jeito que se jogou na cama quando chegou da RAVE:

Na “Construtora Paes Medeiros” Ernesto e Giovana conversam sobre Renata:

Giovanna – Ela está bem?
Ernesto – Sim, graças a Deus! Passou por uma cirurgia e correu tudo bem.
Giovanna – Meu Deus!. Tadinha…, mas ela vai se recuperar logo, deve ter muitos planos para a construtora
Ernesto – Ah, ela está bastante empolgada com a ideia de trabalhar aqui!
Giovanna – Que bom, adoraria conhecê-la.

Ernesto diz se referindo ao neném na barriga de Giovanna:

Ernesto – Ah ela vai se identificar muito com você e com seu bebezinho também.

Giovanna sorri e Lorena entra a sala:

Lorena – Sr. Ernesto com licença, tem uma senhora chamada Isadora Novaes, aqui fora querendo falar com o senhor.
Ernesto – Ah, Isadora. Por favor Lorena peça que aguarde só um minuto que eu já vou atende-la.
Lorena – Tudo bem.
Lorena se retira da sala e avisa a Isadora do lado de fora:
Lorena – Ele pediu que a senhora aguardasse um pouco, está com a gerente do financeiro na sala.

Isadora observa a secretária dos pés à cabeça a deixando constrangida:

Lorena – Algum problema, senhora?
Isadora – Você é a secretária dele?
Lorena – Sim!
Isadora – Vou aguardar aqui, Obrigada.

Isadora acomoda-se no sofá em frente a secretaria e observa a beleza de Lorena, desconfiada.

Marcelo sai do Shopping distraído, carregando algumas sacolas de loja e ao chegar numa rua sem movimento, é atacado pelos jovens que Isadora contratou, eles estão com pedaços de madeira e o primeiro golpe é dado nas pernas de Marcelo por trás, ele cai e grita:

Marcelo – Ai!

A partir daí, várias pancadas são dadas em todas as partes e Marcelo sem entender tenta evitar:
Marcelo – Que merda é essa? O que vocês querem? Parem com isso! Para, para!

Eles continuam:

Até o momento que uma das pauladas acerta em cheio a cabeça de Marcelo que desmaia de imediato. Os jovens param com a agressão e correm deixando Marcelo desacordado e fortemente machucado.

Wellyngton Vianna

Recifense, 23 anos, CEO fundador do CYBER SÉRIES.

“Escrever liberta, podemos criar, recriar e inovar. Podemos tornar públicas as nossas idéias”.