DOIS DESTINOS – CAPÍTULO 18

DOIS DESTINOS – CAPÍTULO 18

12/01/2018 Dois destinos No ar Web Novela 0

CAPÍTULO 18

 

 

DO AUTOR

MARCELO MAIA

CENA 01 – CONTINUAÇÃO DO CAPÍTULO ANTERIOR.

 

Marion – Assustada com o que ouve – Acho que está havendo um engano. Eu nunca matei ninguém!

Delegado – É meio estranho o que aconteceu com o senhor Mohamed, principalmente depois dele mandar um e-mail a seu filho.

Marion – E-mail? Como assim?

Mohamed Said – Com isso você não contava né?… Era uma garota bem esperta, mas muito jovem. Lamento!

Marion -… Sorrindo – Lamenta o que seu árabe de merda! Eu não fiz nada à ninguém.

Mohamed Said – Vou ler um trecho do e-mail para você… Meu filho, depois de tudo que lhe deixo, também quer lhe contar algumas verdades se um dia achar necessário… No Brasil, onde criei minha fortuna tem uma desequilibrada querendo me ver no caixão, já não aguento mais brigar com ela. Diz ela que tem dois filhos meu. É duas crianças lindas mesmo meu filho, mas não consigo acreditar nela. Sei que há algo estranho, e não quero falar isso para ela, pois já descobri coisas do passado desta moça… Mas o DNA eu já fiz, realmente não são meus filhos. Eu suplico Said, me ajude!…

Marion – Sorrindo – Isso?… Senhor delegado, você sabe que isso pode ser uma farsa né?

Mohamed Said – Um dia após este e-mail meu pai morreu, não acha coincidência?

Delegado – Por favor, queira nos acompanhar Marion?

Marion – Claro, não tenho nada a esconder.

 

CENA 02 – DELEGACIA/ INT./ NOITE.

 

Adentrando a Delegacia, junto aos policiais e ao Mohamed Said, Marion continua na maior classe. Até ver Adma.

Adma – Marion sendo escoltada…

Marion – Gostou querida? – Olhando para Adma.

Adma – O que você fez desta vez?

Delegado – Porque desta vez?… Há algo que você anda aprontando senhora Marion. Posso saber?

Marion – Eu… Não querido delegado, apenas minha nora com o bom humor dela.

Adma – EX… Ex-nora!

Delegado – Foi casada com o Perso?

Adma – Sorrindo – Não querido, com o Davi mesmo! Eu nem conheço o tal do Perso.

Marion – E não precisa né!

Adma – Para ser bem sincera, eu iria adorar conhece-lo! –Sorrindo.

Marion – Sua doente! Acabou com a vida do meu filho!

Adma – Não, não, não queridinha. Seu filho que vez da minha vida um inferno. Eu sei bem o que estou falando. Agora só quero o que eu tenho direito.

Marion – Vai denunciar ele?… Você não tem motivos…

Adma – Sorrindo – Há não?… Primeiro, ele é foragido da policia Brasileira, não é delegado?

Delegado – Sim.

Adma – Para completar, ele tem outro crime nas costas, ele é bígamo.

Delegado – Sorrindo – Além de estuprador é bígamo?

Adma – Assustada – Então realmente ele é um estuprador?

Delegado – Você não sabia?

Adma – Sabia apenas que ele havia cometido algo, mas não sabia o que!

Mohamed Said – Pois é, essa família é podre.

 

 

CENA 03 – MANSÃO MARION/ MANHÃ/ QUARTO DAVI E JULIANA/ INT.

 

Juliana – No telefone conversando com Elis – É minha irmã, a safada da Marion foi obrigada a comparecer na delegacia, espero que fique presa.

Elis – Que morra na prisão, maldita.

Juliana – Lis, jaja nos falamos, o Davi chegou.

Elis – Está pronta?

Juliana – Mais que pronta! – Desliga o telefone.

Davi – Entrando no quarto e chamando por Juliana – Amor…

Juliana – Deitada na cama – Oi amor.

Davi – Minha mãe passou a noite na delegacia, já liguei para os melhores advogados de São Paulo, mas não está fácil a situação dela.

Juliana – Você tem certeza que você quer falar de sua mãe?

Davi – Por que?

Juliana – Quero nossa noite de núpcia. Ou tarde!

Davi – Mas não estou com cabeça…

Juliana – Tem certeza?

Davi – Pra ser bem sincero. Eu quero muito! – Pula na cama.

Juliana – Calma, amor vamos com calma!

Davi – Calma por quê?…

Juliana – Eu quem mando ok, e você me obedece ok?

Davi – Sorrindo – Pelo visto minha mulher gosta!

Juliana – Eu amo muito mais do que você me imagina. Tenho algumas fantasias.

Davi – Quais?

Juliana – Simular um espancamento com estupro.

Davi – Oi… como assim? – sorrindo.

Juliana – Vai fazer o que eu mando?

Davi – Certeza que você quer isso?

Juliana – Mais que nunca nesta vida, me bate muito, quero ficar bem machucada, aaahhh não se esqueça de rasgar minha roupa.

Davi – Levanta da cama e vai em direção ao banheiro.

Juliana – Aonde você vai?

Davi – Pegar o preservativo.

Juliana – Sorrindo – Tá maluco, eu quero o serviço completo. Vem aqui rasgar minha roupa agora.

Davi – Você quer mesmo? É sério?

Juliana – Sim, faça agora. Bate na minha cara seu covarde. Vai me bate, me espanca, me ESTUPRA. – Sorrindo ALTISSÍMO.

 

CENA 04 – DELEGACIA/ MANHÃ/ INT./ SALA DE VISITAS.

 

Sentada sozinha na sala de visita, onde Marion dormiu, até chegar o Delegado.

Delegado – Bom dia Dona Marion.

Marion – sorrindo – Bom dia?… Ficou maluco foi?

Delegado – Olha o respeito.

Marion – Veio me soltar?

Delegado – Tem uma pessoa querendo falar com você!

Marion – Não quero visitas! Apenas ir para casa!

Mohamed Said – Não quer mesmo. – Entrando na sala.

Marion – O que você está fazendo aqui seu desgraçado.

Mohamed Said – Senhor delegado, pode nos dar licença?… O assunto é serio!

Delegado – Claro. – Sai da sala.

Marion – Realmente o assunto é serio. O que você quer comigo? Dinheiro?

Mohamed Said – Justiça mesmo querida, apenas isso.

Marion – Sorrindo – Sua justiça é me jogar na cadeia? Cê ta de brincadeira né!

Mohamed Said – É só o primeiro passo.

Marion – Levanta e vai até onde Mohamed está sentado e fala no ouvido dele – Talvez seja o último passo, já pensou nisto. Torça para que eu nunca saia daqui, se não…

Mohamed Said – É uma ameaça?

Marion – Você caçou, assim como o velho do seu pai. Tudo que é plantado tem que ser colhido. – sorrindo.

Mohamed Said – Você é doente.

Marion – Sim sou, muito doente! Muito mais do que você imagina.

Delegado – entrando na sala novamente – Chega de visitas, agora a conversa é entre agente Marion. Senhor Said, por favor, nos deixe a sós.

Mohamed Said – Ok, obrigado Delegado. – Sai da sala.

Marion – Então, o que você quer falar de tão importante?

Delegado – O seu advogado conseguiu o seu habeas corpus.

Marion – Sério?…

Delegado – Sim, você tem a melhor equipe de advogado não é?

Marion – Sorrindo – Sim, Eu tenho tudo que eu quero!

 

CENA 05 – CASA DE PERSO/ INT./ TARDE.

 

 

Elis – Entrando em casa, imediatamente vê a surpresa e se emociona – Mentira… Perso, cadê você?

Perso – Vem da cozinha – O que foi meu amor?

Elis – Você quem fez isso?

Perso – Gostou meu amor?

Elis – Chorando de emoção – Eu amei, amei muito… É serio?

Perso – Muito mais que sério, eu quero casar com você! Aceita?

Elis – Claro que eu aceito meu amor. – Corre e beijar seu amado.

 

Perso – EU AMO VOCÊ! – Falando no ouvido de sua amada.

BATENDO NA PORTA…

Perso – Eu atendo. – Vai até a porta – Pois não…

Suzi – Oi meu filho.

Perso – Se assusta ao conhecer sua avó, e imediatamente da um forte abraço em sua avó.

Suzi – Sempre quis fazer isso, seu abraço é o mais verdadeiro deste mundo. – chorando.

Perso – Soube que você ia sempre na cadeia só para ficar perto, é verdade?

Suzi – Sim meu neto, era tudo por amor. Eu vi você crescer. – emocionada.

Perso – Você é totalmente diferente da Marion. – Emocionado abraça Suzi novamente.

 

 

CENA 06 – DELEGACIA/ MANHÃ/ INT./ SALA DO DELEGADO.

 

Delegado – Assustado com o visual de Juliana, imediatamente diz: – Moça, o que houve?

Juliana – chorando – Fui estuprada… Pelo meu próprio marido.

Delegado – Diz o nome do seu marido?

Juliana – Davi, ele é o filho da Marion. Quero ver ele na cadeia!

Delegado – Vamos prendê-lo hoje mesmo. Isso não se faz com uma mulher.

Juliana – Eu quero fazer o exame de corpo de delito, aquele maldito me machucou muito. Estou sangrando.

Delegado – Ele é seu marido no papel?

Juliana – chorando – Sim, casamos anteontem senhor delegado, aquele monstro me estuprou, quero ver ele preso.

Delegado – Vamos atrás dele, pois já temos a mesma denuncia da ex-mulher dele. O Davi, à partir de agora é um foragido da policia.

 

CENA 07 – CASA DE SUZI/MANHÃ/ SALA/ INT.

 

Delegado batendo palma no portão.

Suzi – Pois não…

Policial – Sou da policia senhora, o senhor delegado pediu para que comparecesse na delegacia.

Suzi – Agora?

Policial – Sim, levamos a senhora e também deixamos a senhora em casa, pode ser?

Suzi – É importante?

Policial – Sim senhora, é de suma importância.

 

Enquanto isso, do outro lado da rua Perso observava tudo pela janela.

[CONTINUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO]

 

Você não pode perder Nesta Sexta Feira o capítulo especial de VERNISSAGE – do Auto Felipe Veiga.

 

 

Marcelo Maia

Amo escrever… Cursando Roteirista. Apaixonado pelas Antagonistas.