Cyber News: Leitura de textos jornalísticos e escrita fazem aluna de SP tirar nota mil na redação do Enem

Cyber News: Leitura de textos jornalísticos e escrita fazem aluna de SP tirar nota mil na redação do Enem

Para Julia Oya, conhecimento no tema e os próprios textos presentes na prova ajudaram na formulação do argumento da redação.

FOTO DIVULGAÇÃO DO G1:

Leitura de notícias e muita escrita levaram uma estudante paulistana de 17 anos a tirar nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Julia Oya tirou nota máxima no texto após usar repertório adquirido em textos jornalísticos e dicas aprendidas em sala de aula.

Em entrevista ao G1, a adolescente contou que ficou aliviada ao abrir a folha de questões e descobrir o tema deste ano: “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”.

Segundo ela, o conhecimento no tema, adquirido nas leituras de notícias, e os próprios textos presentes na prova ajudaram na formulação do argumento da redação. “O segundo dia do Enem, para mim, é o mais difícil de todos. Tem português, matemática e redação no mesmo dia. Então, eu pegava a prova, lia os textos de apoio e já grifava o que eu achasse útil para o texto.”

Ela rascunhou logo a introdução, listou os argumentos e definiu a proposta de intervenção de usaria no texto. Para ela, seu maior diferencial na prova foi o repertório utilizado nos argumentos. Ela fez citações e comparou o passado ao presente, falando sobre a herança da escravidão do Brasil e a postura da chamada bancada evangélica da Câmara dos deputados.

Julia também atribui o sucesso ao método de ensino de redação de seu colégio, o Marista Arquidiocesano, em São Paulo. Sua sala era dividida em duas turmas e a professora orientava um aluno de cada vez. “Ela chamava cada um na mesa dela e corrigia individualmente.” Além disso, ela costumava escrever diversos textos em casa.

Sisu e outros vestibulares

Apesar do sucesso na redação, a estudante diz que dificilmente conseguirá conquistar uma vaga no curso de Medicina, um dos mais concorridos, em uma universidade pública. Isso porque ela não foi tão bem nas outras áreas do exame. “A nota da redação aumentou bastante a minha média, mas não o suficiente para conseguir uma vaga numa Universidade Federal”, disse.

Apesar disso, ela acredita que sua nota será suficiente para ingressar em outros cursos da área da Saúde. “Eu queria usar a nota no curso de Odontologia ou Nutrição da USP e Farmácia da Unifesp, porque valeria a pena começar numa outra área da Saúde, já que são cursos muito valorizados e em faculdade muito boas.”

Wellyngton Vianna

Recifense, 23 anos, CEO fundador do CYBER SÉRIES.

“Escrever liberta, podemos criar, recriar e inovar. Podemos tornar públicas as nossas idéias”.

Close