Corações Partidos – Capítulo 19

Corações Partidos – Capítulo 19

18/12/2017 Corações partidos No ar Web Novela 0

 

UMA NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

 

CAPÍTULO 19: “ATÉ QUE A DOENÇA OS SEPARE!”

 

No dia seguinte, Francisco, Manuela e Geórgia, juntos com o Doutor Moretti, médico hematologista, dariam a notícia para Vinícius…

Dr. Moretti: Bom dia, Vinícius.

Vinícius: Tia… Pai!

Francisco: Como vai, meu filho?

Vinícius: Bem… Mas o que estou fazendo aqui, num hospital?

Francisco: Você teve um desmaio e nós o trouxemos pra cá, e você passou por uma bateria de exames.

Manuela: Vinny, meu querido, a sua mãe está aí fora, querendo entrar pra te ver.

Vinícius: Não tia. Eu não quero falar com a minha mãe… Ela causou muitos sofrimentos a todos nós, inclusive à Érica e a mim. Ela me decepcionou e eu não vou perdoá-la, por isso. Vocês dois eu já perdoei e aceitei, porque vocês foram as maiores vítimas dela, mas ela não. Eu não perdôo mesmo.

Francisco: Vinícius, meu filho, eu sei que a Geórgia já aprontou e muito, mas ela está sofrendo agora, e ela e o médico… O Doutor Moretti, vão entrar e falar com você… Entrem, por favor!

Geórgia entrou, ainda muito abalada, e encostou-se na parede. Enquanto o médico começou a falar…

Dr. Moretti: Bom dia, Vinícius. Prazer… Eu sou o Doutor Moretti, médico hematologista.

Vinícius: Prazer… O que eu tenho doutor? É grave?

Dr. Moretti: Bom, Vinícius o seu caso é sério e requer um longo tratamento… Você está com leucemia.

Vinícius: O que? Eu vou morrer, Doutor?

Geórgia: Ai, meu filho…

Geórgia correu e abraçou o filho…

Dr. Moretti: Calma Vinícius… Hoje em dia em medicina está muito avançada e há tratamentos, você vai ficar bom.

Geórgia: O Doutor tem razão, filho… E depois, você é forte, vai sair dessa, logo, logo.

Manuela: E eu, vou rezar muito por você, meu sobrinho, para que fique bom logo.

Francisco: Doutor, será que o Senhor poderia explicar melhor, a doença do meu filho e o tipo de tratamento?

Dr. Moretti: Sim, claro, Senhor Francisco… A leucemia, é um tipo de câncer no sangue, caracterizada pelo aumento significativo de glóbulos brancos. O indivíduo fica anêmico, pálido, perde peso, cansa-se com facilidade, ao menor esforço; tem dores de cabeça, vertigens, inapetência, etc… O tipo de leucemia que ele apresenta, é a mielóide, que afeta principalmente o baço e a medula dos ossos. Essa doença é de evolução desfavorável, e caracteriza-se por modificações da medula óssea, do baço e do número de leucócitos ou glóbulos brancos do sangue. Há também, esplenomegalia, isto é, aumento do tamanho do baço. O fígado aumenta de tamanho. Ocorre anemia, pouco acentuada, no princípio da enfermidade e pronunciada depois. Há emagrecimento; os gânglios linfáticos costumam ser respeitados. Pode haver febre leve, trombose, que seria a formação de coágulos nos vasos sanguíneos; sintomas nervosos, hemorragias, etc. No sangue observa-se: grande aumento do número de leucócitos por milímetro cúbico: de 200 a 300.000, e às vezes. Até 1.000.000, em lugar do número normal que seria de 6 a 8.000; um grande número de mielócitos, isto é, formas não maduras dos polinucleares; anemia hipocrômica. Conquanto habitualmente a pessoa afetada, não costuma viver mais de três anos; há casos em que a vida se prolonga mais… Tudo, na medicina, deve ser descoberto logo no começo, para que haja cura e ela seja mais rápida. É por isso que hoje mesmo, você deverá começar com a quimioterapia.

Geórgia: Como funciona a quimioterapia, Doutor? O meu filho vai sofrer?

Dr. Moretti: A quimioterapia é feita através de agentes químicos, ou substâncias que atuam efetivamente sobre determinados agentes patogênicos, ou sobre certos órgãos doentes… Você sentirá enjôos, mal estar, dores de cabeça, enfim, tudo isso, devido aos medicamentos que são muito fortes. Bom, agora eu quero que você conheça a Júlia, o nosso anjo da guarda, aqui no hospital… Esse é o Vinícius, os pais dele, a Geórgia e o Francisco, e a tia Manuela.

Júlia: Prazer em conhecê-los… Vamos Vinícius?

Vinícius: Pra onde?

Dr. Moretti: Ela vai levá-lo para outra sala, para começar a quimioterapia… Você pode ir sem medo, daqui a pouco eu vou até lá.

Geórgia: Vá com Deus, meu filho!

Francisco: Coragem, Vinícius.

Manuela: Vai dar tudo certo, eu vou rezar, por você.

Júlia: É por aqui, Vinícius…

Quando chegou na sala, Vinícius não se conteve e começou a chorar…

Júlia: Deite-se aqui… O que foi, você está chorando? Não precisa se esconder, eu sei que dizem que homem não chora, mas para mim, homem mesmo, de verdade, é aquele que chora, que bota pra fora os sentimentos… Eu quero ser sua amiga Vinícius, e poder lhe dar toda força que precisar, confia em mim?

Vinícius: Confio… Diz pra minha mãe, para falar com a Érica, eu quero vê-la.

Júlia: Pode deixar… E quem é Érica?

Vinícius: O grande e único amor da minha vida…

***

Na sala do Doutor Furtado, este conversava com os acompanhantes de Vinícius…

Dr. Moretti: Nós começaremos com sessões de quimioterapia, mas o Vinícius precisará de um transplante de medula; ou seja, uma medula compatível à dele, o que, normalmente, demora muito a ser encontrada; mas que, tendo ele uma irmã ou irmão, do mesmo pai e da mesma mãe, as chances são enormes. Isso poderá salvá-lo. Precisamos fazer os exames, com esse irmão, para nos certificarmos de que ele é compatível.

Geórgia olhou para Francisco e Manuela, e tratou logo de tirar as esperanças do médico…

Geórgia: Isso não será possível, Doutor… A Samara, minha outra filha é adotada.

Dr. Moretti: É uma pena… Mas se Deus quiser, logo, logo, surgirá uma medula na fila de transplante, mas teremos que contar com a sorte.

Enfermeira: Com licença. Doutor Moretti, telefone…

Dr. Moretti: Com licença, vou atender na outra sala. Vocês fiquem a vontade.

Manuela: Geórgia, por que você disse que a Samara é adotada?

Geórgia: E que diferença faz, hein Manuela? Nós todos sabemos que ela não poderá doar essa medula mesmo. Depois eu não iria expor diante do médico a nossa situação né?

***

Na casa de Érica…

Érica: Mãe, eu estou indo no hospital, se o Rodrigo aparecer diz… Oi, meu amor. Que coincidência, eu estava falando de você agora.

Rodrigo: Oi Érica, aonde você vai?

Érica: Eu vou visitar o Vinícius no hospital, por quê?

Rodrigo: Nada. É que nós tínhamos combinado de sair, você iria me ajudar a escolher uns objetos de decoração pro nosso apartamento…

Érica: É verdade, eu esqueci… Me desculpa. Mas vamos deixar pra outro dia… Eu vou no hospital e devo ficar lá um tempo, não sei ainda.

Rodrigo: Você quer que eu vá com você?

Érica: Não, é melhor não, pode ser que o Vinícius não goste da sua presença. Você entende né? Numa situação como essa, nós precisamos ser solidários… Depois querendo ou não, eu me relacionei com ele durante anos né?

Rodrigo: Claro, tudo bem. Você esta certa… Érica, ouça, o que aconteceu com o Vinícius, foi uma fatalidade da vida… Não se culpe por isso.

Érica: Eu não estou me culpando, só estou cumprindo um dever, uma obrigação, uma vez que como eu já disse fomos namorados, e ele esta passando por uma fase difícil, só isso… Agora, eu estou atrasada, tchau! – Diz Érica saindo, sem dar um beijo nele.

Rodrigo (Desanimado): Tchau.

***

Na casa de Ellen…

Marcelo: Ellen, eu já vou meu amor…

Ellen: Tchau, Marcelo.

Marcelo: Eu não ganho nem um beijinho? Afinal, eu estou indo viajar.

Ellen: Pronto… Boa viagem.

Marcelo: Ellen, eu quero ficar em paz com você meu amor… Eu sei que não agi certo, pegando aquela carona com a Amanda, mas eu já prometi que isso não vai mais acontecer. Eu amo você. Me promete que vai começar o novo tratamento… Assim, quando eu voltar, você estará pronta para juntos, fazermos o nosso filho… Promete?

Ellen: Está bem… Eu amo você! Se precisar de alguma coisa, me liga. Vê se volta logo dessa palestra.

Marcelo: Tchau… Amo muito você, sua bobona… Vou voltar voando pra você.

Marcelo e Ellen se beijam e sorriem selando a paz entre eles.

***

Samara e Raul visitavam um lugar para montarem a casa noturna…

Samara: E então, o que você achou, Raul?

Raul: Eu não sei… Parece pequeno.

Samara: Pois é, eu também achei…

Raul: O que foi meu amor?

Samara: Eu não sei, eu tenho sentido arrepios desde ontem, e sonhei com o Vinícius… Será que ele está bem?

Raul: Não sei… Mas não se preocupe com isso. Vamos ver outros locais?

Samara: É, não deve ser nada… Vamos sim!

***

No hospital, Érica chegava…

Érica: Oi, Vinícius. Como você esta?

Vinícius (Feliz): Érica… Me abraça. Eu senti tanto a sua falta… Só mesmo uma doença para nos aproximar de novo.

Érica: Não fale assim… Como você está se sentindo?

Vinícius: Bem, apesar dos enjôos e da dor de cabeça devido à quimioterapia… Agora com você por perto, vou estar sempre bem.

Geórgia: Vinícius, meu filho, eu… Oi, Érica. Eu não sabia que você estava aqui…

Érica: Oi, Geórgia.

Geórgia: Eu não sabia que você tinha visita, depois eu volto. – Diz e sai do quarto.

Érica: Nossa, eu pensei que a Geórgia fosse me tratar mal agora.

Geórgia: Eu conversei com ela e acho que funcionou. Mas me conte sobre você, Érica, como estão as coisas?

Érica: Eu estou bem, graças a Deus. Só falta a Styllus agora, para a minha felicidade ser completa.

Vinícius: E você a terá de volta… Eu prometo! Isto é, se eu não morrer até lá, não é?

Érica: Para com isso, Vinícius! Você vai ser curado, eu tenho fé que vai… Você vai ver. Pensamento positivo.

***

Mais tarde, na casa de Érica…

Lívia: Eu acho que você está ficando muito ligada ao Vinícius. O Rodrigo pode não gostar.

Érica: Mas não tem nada de mais, Lívia… Eu só estou apoiando o Vinícius nesse momento tão difícil, da vida dele.

Lívia: Apoiar tudo bem, mas viver em função dele, dia e noite, deixar o Rodrigo que é seu namorado, de lado… Já é um pouco demais, você não acha?

Silvia: Com licença, filha… O Rodrigo está aí.

Érica: Ah ta… Eu já vou falar com ele. Lívia, depois nós conversaremos mais.

Na sala…

Érica: Oi meu amor, que surpresa boa.

Rodrigo: Oi, eu estava com saudade.

Érica: Eu também estava.

Rodrigo: E lá no hospital, como estão as coisas?

Érica: Bem, graças a Deus! O Vinícius terminou a primeira sessão de quimioterapia, amanhã ele deverá voltar para casa já.

Rodrigo: Que bom. Se Deus quiser, logo ele estará curado. Eu fiz reserva para nós, num novo restaurante, que é maravilhoso… Eu posso pegar você, às nove horas?

Érica: Seria ótimo, eu estou cansada e precisando mesmo sair um pouco… Mas hoje não vai dar. Eu fiquei de dormir no hospital, com o Vinícius.

Rodrigo: Mas ninguém pode dormir lá com ele? Alguém da família tem que ser você?

Érica: É que eles estão cansados, já se revezaram, enfim… E depois, o Vinícius me pediu para dormir lá hoje, pra amanhã bem cedo, irmos pra casa dele. Ele me convidou para almoçar.

Rodrigo: Ah sim, ele convidou… E você agora só saber viver em função dele, não é mesmo?

Érica: Isso não é verdade e você esta sendo egoísta. Eu estou fazendo pelo Vinícius, o que eu faria por qualquer outra pessoa.

Lívia: Érica, você viu aquele meu pente… Oi, Rodrigo.

Rodrigo: Oi Lívia, como vai?

Lívia: Bem, e você?

Rodrigo: Eu vou levando a vida… Bem, mas como eu já fiz a reserva no restaurante e você não vai poder ir, você não se importa se eu levar a Lívia comigo, não é?

Lívia (Surpresa): Eu?

Érica: Claro que não. Se ela quiser ir, eu não vejo problema algum… Vocês podem ir.

Rodrigo: Então, você aceita jantar comigo hoje, Lívia?

Lívia: Bom, já que a Érica não se importa… Eu aceito.

Rodrigo: Ótimo! Pelo menos a minha noite foi salva… Eu pego você às nove horas, tchau… Tchau, Érica.

Lívia: Tchau.

Érica: Tchau Rodrigo… Nossa! Ele nem me deu um beijo…

***

 

ABERTURA:

 

Na casa de Ellen…

Amanda: Como vai Ellen, não me convida pra entrar?

Ellen: Pessoas desagradáveis, como você, não entram na minha casa.

Amanda: Mesmo assim, eu vou ter que entrar… E obrigada, pela parte que me toca.

Ellen: Mas você é folgada mesmo, hein? Saia da minha casa agora, ou eu chamo a polícia! O Marcelo é meu marido e ele não está, e mesmo se estivesse, ele não falaria com você. Portanto, você perdeu a viagem… Rua!

Amanda: Eu sei que ele não está, e sei também, que ele está viajando… Eu vim falar com você mesma.

Ellen: Eu não tenho nada pra falar com você.

Amanda (Sarcástica): É uma notícia bombástica! Pra você, é claro, já pra mim… Eu dormi com o Marcelo e foi maravilhoso. E sabe que eu não tive trabalho nenhum pra isso. Ele mesmo me procurou, tomou a iniciativa. Foi num dia desses, que vocês brigaram, lembra? Ele foi lá em casa, afogar as mágoas e relembrar os velhos e bons tempos… Acabou passando a noite por lá.

Ellen: Cala essa boca! Você é uma oferecida, e ele é um imbecil, por não resistir a uma vadia como você. Eu odeio você, Amanda… Odeio!

Amanda: Você foi muito ingênua e boba, em acreditar no amor do Marcelo por você, esse tempo todo… Ele me ama, a prova disso foi termos dormido juntos. Era em mim que ele pensava, quando beijava e abraçava você, quando faziam amor…  Eu sempre enlouqueci o Marcelo na cama, como nenhuma outra mulher. Agora, é uma questão de tempo, e de você largar o osso, é claro, para ele voltar para mim e ser todo meu. E eu ainda levo uma vantagem sobre você… Eu não sou estéril, posso engravidar e dar ao Marcelo quantos filhos ele quiser; isso se eu já não estiver grávida, é claro! O que foi Ellen? O gato comeu a sua língua? Eu acho que deve ter sido o impacto da notícia, não é? Eu sinto muito, mas não tinha outro jeito, eu tinha que te falar… Se você quiser, eu posso ir até a cozinha e preparar um copo de água com açúcar pra você.

Ellen: Vai embora daqui, agora… Ou eu acabo com a sua raça!

Amanda: Eu vou mesmo. Agora eu já não tenho mais nada pra fazer aqui. E pela sua cara, é bom não arriscar. Eu quero estar, linda e poderosa, quando o Marcelo chegar. Tchau, querida.

Ellen começou a chorar, arrasada e com muita raiva de Marcelo…

***

Na clínica de repouso…

Sheila: Mas Graças a Deus, eu tenho tido paz em meu coração… E hoje, eu consigo ver que o Rodrigo, há muito tempo, só estava mesmo na minha cabeça.

Danilo: Quando a Samara me deixou na igreja, eu pensei que iria morrer, hoje eu vejo que sou capaz de amar outra mulher e ser muito mais feliz, do que eu achei que era… Nós estamos aqui falando de nossos ex, e só agora, eu percebo o quanto temos em comum. Você não acha, Sheila?

Sheila: Acho sim, Danilo… Principalmente na nossa maneira desmedida de amar, de nos envolvermos com alguém, e cometermos coisas loucas e absurdas até, por causa disso… E também na nossa solidão, como agora, por exemplo.

Danilo: Mas, eu penso que nós não amamos de maneira errada, e sim, a pessoa errada. Nós damos o amor que temos, que somos, seja ele grande ou pequeno, ciumento ou obsessivo, doentio, medíocre até… O fato de não dar certo, significa que estamos fora de sintonia, com a outra pessoa. Mas eu estou voltando a acreditar no amor e na felicidade e dessa vez, acho que com a pessoa certa.

Sheila: É… Eu também quero voltar a acreditar nisso, um dia… Mas agora, eu tenho que ir tomar o meu remédio.

Danilo: À noite conversamos mais?

Sheila: Sim, será ótimo. – Diz com um sorriso e sai.

Danilo (Sorri): Sheila… Quem diria?

***

No restaurante La Place, Lívia e Rodrigo conversavam…

Lívia: Nossa… Este restaurante é mesmo divino!

Rodrigo (Sorri): Que bom que você gostou… Eu só espero que ele não seja mais divino que o Sabor e Arte.

Lívia: Não. Claro que não, o Sabor e Arte continua sendo o melhor.

Rodrigo: Estou pensando em abrir outro restaurante… O que você acha?

Lívia: Eu acho muito bom, e sendo você o empreendedor que é, será sucesso garantido.

Rodrigo: Por que você e o Victor se separaram?

Lívia: Sei lá… Acho que descobrimos que não tínhamos muito a ver, um com o outro. Também porque, eu era disponível demais e ele não, sempre cheio de compromissos, sempre atarefado… Entende?

Rodrigo: Entendo. Eu sei bem o que é isso… É o que eu estou vivendo, no momento. Eu e a Érica, sempre tivemos tempo para nós, de vez em quando, até dávamos o bolo no trabalho… E agora, desde que o Vinícius adoeceu, ela só vive para ele, só pensa nele, só fala nele, e me deixou de lado, pra segundo plano mesmo… Eu entendo que ele precise do apoio dela, mas ela tem exagerado. Até da Styllus, parece que ela esqueceu.

Lívia: Eu conversei com ela, dei uns conselhos, mas a Érica parece estar se sentindo um pouco culpada, pela doença dele.

Rodrigo: E com isso, ela está me afastando dela… É como se o fato dela ter deixado ele, tivesse feito com que ele ficasse doente, mas a doença dele é uma fatalidade do destino… Só o Victor mesmo, para deixar uma mulher como você, escapar…

Lívia: Uma mulher, assim como eu…?

Rodrigo: Linda, inteligente, sensível, companheira, amiga, guerreira, boa ouvinte, e… Me desculpa, acho que esgotei todos os meus adjetivos.

Lívia (Sem graça): Obrigada. Vamos brindar?

Rodrigo: O que?

Lívia: Isso eu não sei… Eu passo essa bola pra você.

Rodrigo (Sorri): Vejamos… Um brinde a esta noite maravilhosa, a sua companhia, aos nossos desencontros amorosos, e a nossa felicidade, ainda que tardia… Tim-Tim!

***

No hospital…

Vinícius: Desde que eu estou internado aqui neste hospital, e soube da minha doença, este é o dia mais feliz, da minha vida… Passamos o dia juntos e você vai dormir aqui, comigo. Eu tenho um presente pra você, Érica… Esses dias, eu lembrei do seu aniversário, mas não tive coragem de ir até a sua casa. Toma, é sua. Sempre foi sua…

Érica: O que é isso? – Pergunta segurando a caixinha.

Vinícius: Abre.

Érica: É uma aliança… A nossa aliança de noivado? Eu não posso aceitar. Eu já estou noiva do Rodrigo, é ele que eu amo.

Vinícius: Érica, eu amo você. Acho que chegou a hora de lutar pelo nosso amor… Eu sei que você está noiva do Rodrigo, mas não custa nada tentar… Aceite a aliança de volta, por favor! E, me prometa pensar com carinho em nós dois.

Érica: Está bem, eu aceito e prometo pensar… Mas, eu não quero que você tenha esperanças…

Vinícius: Esperança… É o que eu mais devo ter agora, de me curar e de um dia ser feliz ao seu lado novamente.

Júlia: Com licença… Hora do seu remédio, Vinícius.

Érica: Oi, Júlia.

Júlia: Oi, Érica. Eu tenho que ficar no pé desse rapaz sabe, senão ele não toma os medicamentos na hora certa, não é Senhor Vinícius?

Vinícius: Exagerada…

Érica: Não é não. Eu conheço você muito bem.

Vinícius: Mostre a ela, Érica… O presente que eu te dei.

Júlia: Nossa, que lindo!

Vinícius: É um anel de noivado, dado com muito amor… Mas ela disse que vai pensar, você acredita nisso?

Júlia (Sorri): Se fosse eu, não pensaria duas vezes… Parabéns aos dois e felicidades… Agora eu vou deixar vocês em paz, até amanhã.

Vinícius: Até amanhã Júlia. Boa noite.

Érica: Tchau… Essa moça tem um carinho especial por você, não é?

Vinícius: É… E eu por ela. Eu te amo, Érica.

Érica: Vamos dormir? Você agora precisa descansar.

***

No dia seguinte, Vinícius teve alta, e almoçava com seus pais, sua tia e Érica, na mansão…

Geórgia: Você gostou da comida, filho, eu mandei fazer tudo o que você gosta e pode comer?

Vinícius: Gostei sim, mãe… Está tudo ótimo, principalmente porque a Érica está aqui comigo.

Francisco: Que galanteio hein, Érica?

Érica: Você viu, Francisco… O seu filho não tem mais jeito, ele não perde uma oportunidade de me reconquistar.

Geórgia: Mas você esta firme com o Rodrigo, não está Érica?

Érica: Estou sim, Geórgia… E muito feliz, também.

Vinícius: Mas eu não desisto fácil e estou no páreo com o Rodrigo, e que vença o melhor. E o que merecer o coração da Érica, é claro… E vou ser eu!

Geórgia: A que ponto nós chegamos, hein? Hoje se disputa mulher, um homem, um amor, como se fosse um pedaço de carne e em liquidação… E o que é pior é que muitas vezes, é carne de segunda, terceira, quinta categoria mesmo. No meu tempo, digamos que foi ontem, senão eu vou parecer muito velha; as coisas eram diferentes, se recebiam cartas de amor, flores, serenatas… Era tudo muito romântico, muito sublime e sutil… Os casamentos eram mais duradouros, do que hoje em dia. Hoje, por exemplo, se fala em ficar… Ontem fiquei com fulano, hoje com cicrano, amanhã com beltrano e por ai vai… E isso, muitas vezes, incluindo até sexo. Quando éramos mais jovens não.  Namorava-se em casa, com os pais presentes e sentados no meio dos dois, para evitar que segurassem as mãos e se abraçassem ou se beijassem. E o amor era eterno… Os namorados sofriam, mas esperavam por suas noivas, na lua de mel… Era tudo mais conservador e hipócrita também. Mas sem dúvida, eram bons tempos.

Manuela: Mas por que hipócrita, Geórgia?

Geórgia: Ora, porque Manuela? Nós hoje em dia, somos transparentes, mostramos nossos sentimentos, alegrias e tristezas, na época de nossos pais não, eles escondiam os sentimentos, sofriam calados, eram hipócritas, já nós somos felizes porque vivemos, sofremos, tudo com muita intensidade e felicidade também.

Manuela: É… Eu acho que de certa forma, você tem razão.

Maria: Dona Geórgia, eu já posso servir a sobremesa?

Geórgia: Se nós já acabamos de almoçar e você já tirou a mesa, é claro que você pode servir a sobremesa… Que coisa chata, Maria! Toda hora me perguntando o que deve ser feito, como deve ser feito… Desse jeito, eu acabo virando a empregada, em minha própria casa; já que você parece não saber ainda, como funcionam as coisas por aqui, mesmo depois de vinte anos de serviço.

***

Uma semana se passou e no começo de um novo ano, Vinícius enfrentava a segunda sessão de quimioterapia …

Geórgia (Apreensiva): E então Doutor Moretti, o que o senhor quer falar com a gente?

Dr. Moretti: Eu pedi para que vocês viessem aqui, para falar sobre o transplante de medula, que o Vinícius precisa fazer… Essa é a segunda sessão de quimioterapia que ele faz, e como eu já havia dito, no caso dele a quimioterapia é só para que a doença não se agrave tanto, mas a única solução mesmo é o transplante. Portanto eu preciso que sejam feitos os testes de compatibilidade de medula óssea… Já que no hospital não temos nenhuma e ainda existe uma fila a ser respeitada. Eu precisaria que entre hoje e amanhã, vocês, parentes e amigos, conhecidos, enfim, pessoas do convívio familiar que possam ajudar; viessem até o hospital com a finalidade de realizarmos o teste, precisamos andar rápido, para ganharmos tempo.

Francisco: Pode deixar, eu convocarei todos que eu puder, Doutor.

Dr. Moretti: Faça isso, Senhor Francisco.

Geórgia: Doutor, se essa medula não aparecer logo, o meu filho pode morrer?

Dr. Moretti: Tenhamos fé que não, Geórgia… Agora vamos fazer o teste?

Geórgia: Vamos… Vem também, Manuela.

Manuela: Claro que eu vou.

O teste foi realizado em: Geórgia, Manuela, Francisco, Silvia, Alberto, Danilo, Amanda, Érica, Rodrigo, Ellen, Lívia, Fernanda, Victor, Igor, Nádia e Arnaldo. O resultado, sairia no outro dia…

Na casa de Amanda, Samara recebe a notícia…

Samara: Até que enfim você chegou Amanda… Eu estava conversando com o Raul e nos perguntávamos, onde você estava?

Amanda: Vocês nem imaginam, onde eu estava… No hospital.

Samara: No hospital? Mas o que aconteceu, Amanda?

Amanda: O Vinícius, Samara… Ele está com leucemia…

Samara: O que? Como assim? Mas eu não estou sabendo de nada.

Amanda: Também, você está afastada da casa de sua mãe, Samara… Como poderia saber? Eu fui lá no hospital hoje, junto com outras pessoas conhecidas, para fazermos o teste de medula e verificar a possibilidade de ser compatível com a dele. Ele vai precisar fazer um transplante de medula, por enquanto ele está fazendo quimioterapia, está internado, fazendo a segunda sessão.

Samara: Eu não acredito… O meu irmão? E ninguém me avisou nada… Eu vou pro hospital agora.

Amanda: Não Samara! Melhor não. Espere até amanhã, quando você estiver de cabeça fria… A Geórgia está lá, e depois você não vai poder vê-lo hoje… Amanhã você vai.

Danilo: A Amanda tem razão, meu amor, amanhã você vai.

Samara: Está bem… Mas amanhã, com Geórgia ou sem Geórgia, eu vou do mesmo jeito, e ninguém me segura.

***

Chegando em casa, Geórgia estava arrasada…

Manuela: O minha irmã… Chora, desabafa, coloca tudo pra fora, você vai se sentir melhor. Não precisa ter vergonha, todos nós somos fracos, sentimos medo… O Vinícius vai ser curado, tenha fé, acredita minha irmã.

Geórgia (Chorando): Eu tenho tanto medo, Manuela… Sei lá, se todos esses testes derem negativo, inclusive o meu… Eu não suportaria ver o meu filho numa situação como essa, precisando de ajuda e eu sem poder ajudá-lo.

Manuela: Vamos rezar Geórgia, para que um de nós, tenha a medula compatível e possa salvar o Vinícius.

Maria: É Dona Geórgia… Eu já estou rezando por ele. Estou fazendo a novena da Nossa Senhora Desatadora dos Nós, ela não desampara ninguém.

Geórgia: Obrigada, Maria. Aproveita e pede pra ela também desatar os nós do meu coração… Eu estou me sentindo sufocada, angustiada, perdida… Eu vou pro meu quarto.

***

No dia seguinte, todos foram cedo ao hospital…

Samara: Há quanto tempo você soube que estava com leucemia?

Vinícius: Tem três semanas.

Samara: Desculpa não ter vindo antes, eu não sabia. Ninguém me avisou nada…

Vinícius: Que isso, Samara… Você não me deve desculpas por isso. Eu amo você, minha irmã. E estou muito feliz por ver você de novo, depois de tanto tempo.

Samara: Eu também, Vinny… Amo muito você.

Vinícius: Samara, você soube da tia Manuela e do papai… Eles estão juntos.

Samara: Eu já sabia.

Vinícius: Sabia como?

Samara: Eu os flagrei um dia… Aí, eles me contaram toda história, e eu desde então, torço muito pelos dois. E você?

Vinícius (Ri): Eu os flagrei na cama… Foi difícil, mas depois eu aceitei. Eu só não me conformei com a atitude da nossa mãe… Agora sim, eu conheço a Dona Geórgia, de verdade.

Samara: Mas vamos deixar ela pra lá… E a Érica, ela tem vindo te ver?

Vinícius: Sim, todos os dias… E eu renovei minhas esperanças de poder voltar com ela.

Geórgia: Bom dia, meu filho querido! Samara? O que você está fazendo aqui?

Samara: Visitando o meu irmão e dando o meu apoio a ele.

Geórgia: Você está atrasada, hein? Há semanas que ele ficou doente.

Samara: Acontece que ninguém me avisou nada, eu só soube ontem à noite, pela Amanda…

Geórgia: Agora sai, que eu preciso falar com o Vinícius.

Vinícius: Não, ela fica! Ela é minha irmã e eu a amo… Saia a senhora, se quiser.

Geórgia: Tudo bem, eu volto depois.

Samara: Vinícius… Eu estou boba.

Vinícius: Com ela tem que ser assim, chega de ser bobo.

***

Mais tarde, todos saberiam o resultado dos exames…

Dr. Moretti: Olha, eu confesso que nunca tive nenhum outro paciente, tão paparicado como você, Vinícius.

Vinícius: É verdade, Doutor Moretti… Eu tenho uma família que me ama, e amigos também.

Dr. Moretti: Bom, eu trouxe o resultado dos exames. Infelizmente, Vinícius… Nenhuma medula é compatível com a sua.

Geórgia: Não é possível, Doutor. Nem a minha? Eu sou a mãe dele…

Dr. Moretti: Nem a sua, Geórgia… É mais fácil um irmão ter a medula compatível, do que os pais.

Geórgia chorava sem parar e Manuela a consolava, Francisco estava em estado de choque, e Érica dava forças para Vinícius…

Samara: Oi, gente.

Francisco: Samara, você já sabe?

Samara: Sei sim pai, o médico me contou… E eu tenho uma ótima notícia. O Doutor Moretti me disse, Vinícius, que um irmão tem noventa por cento de chance de ter a medula compatível, sendo esse irmão, filho do mesmo pai e da mesma mãe… Como eu não fiz o exame ainda… Eu vou fazer e ser a sua doadora, pode acreditar.

Geórgia: Não pode… Você não vai fazer esse exame!

Manuela: Calma, Geórgia.

Samara: Eu farei esse exame, sim senhora! Eu vou salvar a vida do meu irmão!

***

Chegando em casa, Érica encontra Rodrigo…

Érica: Ai… Que cansaço! O dia hoje foi péssimo.

Silvia: Érica que bom que você chegou, eu e a Lívia estávamos ansiosas para saber o resultado dos exames.

Érica: Ai, gente… Infelizmente, não houve nenhum compatível… Ele continua na fila de espera. Eu sai de lá arrasada.

Silvia: Poxa, que pena. Mas vai aparecer um doador logo, se Deus quiser. Lívia me ajuda a passar um café? Vem comigo.

Érica: E você meu amor, veio me ver?

Rodrigo: Também… E para irmos ver aqueles objetos de decoração para o nosso apartamento, lembra que nós ficamos de ir num outro dia?

Érica: Sim, estou lembrada… Mas eu tenho que tomar banho e descansar um pouco, depois fiquei de voltar ao hospital. O Vinícius está muito desanimado… Eu preciso dar o meu apoio a ele.

Rodrigo: Eu entendo que ele esteja precisando, mas eu sou seu namorado, você não me dá mais atenção… Desse jeito, não há amor que resista, Érica…

Érica: Você não entende, eu…

Nesse momento, Érica deixou o anel que Vinícius lhe dera cair do bolso da calça…

Rodrigo: O que é isso, Érica?

Érica: É uma aliança.

Rodrigo: Eu sei que é uma aliança, estou vendo. Mas não é a que eu te dei… De quem é essa aliança?

Érica: Era minha. De quando eu fiquei noiva do Vinícius… Ele me devolveu, no hospital.

Rodrigo: Devolveu? Por quê? Ele não sabe que estamos noivos e que vamos nos casar?

Érica: Eu tive pena dele, não falei… Só disse que estamos noivos.

Rodrigo: E com isso, ele deve estar cheio de esperanças, não é? Vai ver até já te pediu em casamento… É melhor você deixar o Vinícius um pouco de lado, parar de iludi-lo e de se culpar pela doença dele, senão eu acabo com o nosso noivado, antes mesmo que você termine comigo. Sim, porque é isso o que vai acontecer, se você continuar dando abertura e espaço para ele desse jeito… Você ainda aceitou essa aliança, meu Deus! Eu vou embora, e você pensa bem no que eu falei, o nosso futuro juntos, só depende de você. – Diz e sai batendo a porta.

Lívia: Eu vou aproveitar e descer com ele, eu preciso ir embora. Tchau Érica.

Silvia: Érica, o que você está fazendo não está certo, filha…

Érica: Chega mãe. O Vinícius precisa de mim, e eu não vou abandoná-lo numa hora como essa, só por causa do ciúme bobo do Rodrigo.

Silvia: Acontece que você tem dado mais atenção ao Vinícius, do que pro Rodrigo, que é o seu noivo. E tem mais, esse negócio da Lívia estar saindo com ele, pra baixo e pra cima… Abre o teu olho, hein?

Érica: A Lívia é minha amiga. Eu confio nela.

Silvia: Tomara que seja mesmo… Tomara.

***

Cinco dias se passaram, e Marcelo retornava da viagem…

Marcelo: O de casa… Ellen, meu amor… Eu cheguei! Ai que malas pesadas…

Ellen: Pode deixar as malas aí mesmo. Você vai dar meia volta e sumir da minha vida, pra sempre!

Marcelo: Que isso, Ellen? Por que está tão agressiva comigo? Eu chego de viagem, feliz e apaixonado, e vejo essa fúria nos seus olhos? Por quê? O que foi que aconteceu?

Ellen: Deixa de ser cínico, Marcelo. A Amanda esteve aqui, enquanto você viajava, e me contou tudo… Você me traiu, dormiu com ela na noite em que nós brigamos. E então, você vai continuar mentindo para mim?

Marcelo: Não. Eu estava confuso naquele dia, nós tínhamos brigado, você sempre com história de Amanda na minha cabeça, dia e noite… Eu fui a um bar, bebi demais e acabei na casa dela, e o resto você já sabe…

Ellen: Quer dizer que agora a culpa é minha e também da bebida?

Marcelo: Eu não quis dizer que você é culpada… Eu sou o culpado, apenas eu!

Ellen: Que bom que você admite… Agora sai! Eu fico no apartamento. Eu vou me separar de você.

Marcelo: Ellen, não faz isso, eu amo você… Por favor, me perdoa?

Ellen: O que você fez não tem perdão e eu já não agüento mais viver com a Amanda nos atormentando, o tempo todo. Ela nunca nos deixará em paz, e agora, que você teve uma recaída, se bobear ainda é apaixonado por ela…

Marcelo: Como você pode colocar em dúvida o meu amor por você? A Amanda não significa nada pra mim, o que aconteceu foi só uma fraqueza minha… É você a mulher da minha vida!

Ellen: Chega Ricardo! Eu não estou mais agüentando, sequer olhar pra sua cara… Vai embora e toma essa aliança… Dá ela pra Amanda, vocês se merecem!

Marcelo: Eu já vi que nada do que eu disser, vai adiantar. Eu vou sim, mas eu não vou desistir de você, nem que isso seja a ultima coisa que eu faça na minha vida, porque eu amo você! Tchau.

***

Na casa de Rodrigo…

Érica: Oi.

Rodrigo: Oi, Érica. Entre, fique a vontade.

Érica: Obrigada. Eu acordei você?

Rodrigo: Não, eu acabei de sair do banho.

Érica: Bom… Eu precisava falar com você e também, te pedir desculpas por tudo… Por eu andar distante, ausente…

Rodrigo: Não fala nada, só me beija…

{Trilha Musical: Kiss Me – Ed Sheeran}

 

Rodrigo (Sorri): Agora você está perdoada… O que mais você tem para me dizer, meu amor?

Érica: É sobre o nosso casamento… Eu quero adiá-lo. Nós nos casamos assim que o Vinícius, estiver curado.

Rodrigo: Era isso? Pois então, eu vou te dizer uma coisa… Isso que você está fazendo é me trocar pelo Vinícius. Você não percebe que ele está usando a doença para nos separar?

Érica: Que absurdo! Ele está doente, jamais seria capaz de usar isso pra se reaproximar de mim. Olha o que você esta falando.

Rodrigo: Ele tanto seria capaz, como já deu o primeiro passo… A aliança que ele te deu… Qual será o próximo passo agora? O noivado, ou o casamento já direto? Hein, responde!

Érica: Você não está entendendo nada, Rodrigo… Você só está complicando ainda mais a situação.

Rodrigo: Eu complicando? Então, vamos simplificar as coisas… Eu aceito adiar o nosso casamento, desde que você se afaste do Vinícius… E então, você aceita?

Érica: Não… Eu não posso. Ele precisa de mim, pode até morrer… Eu jamais me perdoaria, se isso acontecesse e eu o tivesse abandonado. Por favor, me entenda, Rodrigo! Você mesmo, quando a Sheila ficou grávida, me abandonou pra ficar do lado dela.

Rodrigo: Era diferente, você também não me queria, e eu só voltei a morar com a Sheila, pensando que ela estava grávida e pensando no bem estar e na vida do meu filho… Em nenhum momento dei falsas esperanças a ela, muito menos a iludi, como você está fazendo com o Vinícius. Já no seu caso, você parece estar interessada nele de novo, se ele continuar insistindo, você acaba voltando pra ele. Diante desses fatos, não me resta outra opção a não ser deixar você.

Érica: Não Rodrigo. Eu amo você… Eu preciso de você. – Diz implorando.

Rodrigo: Eu também amo você e preciso muito de você… Mas você se esqueceu de mim, às vezes eu passo dias sem ver você, esperando um carinho, um beijo, um abraço, ou apenas, a sua presença do meu lado. O seu coração está dividido, Érica, e nessa história, o Vinícius está levando a melhor… Por favor, vá embora e não me procure mais, eu te peço.

Érica: Rodrigo, como eu vou viver sem você… E tudo o que nós vivemos? Eu amo você! É só uma fase… O Vinícius vai ser curado, depois eu sigo a minha vida e ele segue a dele…

Rodrigo vai até a porta e abre…

Rodrigo: Vá embora, por favor… E seja feliz.

Érica saiu desconsolada e chorando… Rodrigo também chorava, com o coração partido…

À noite, Rodrigo procurou por Lívia na faculdade…

Rodrigo: Lívia.

Lívia: Rodrigo. O que você faz aqui?

Rodrigo: Eu preciso ter uma conversa definitiva com você, Lívia.

Lívia: Comigo? Sobre o que?

Rodrigo: Sobre nós dois, e essa atração estamos sentindo, um pelo outro.

Lívia: Rodrigo, eu não sei do que você esta falando… Eu…

Nesse momento, Rodrigo beija Lívia… Ela corresponde, mas depois o afasta.

{Trilha Musical: Fire Meet gasoline – Sia}

 

Lívia: Rodrigo é melhor nós pararmos com isso. Eu não quero magoar, nem trair a Érica…

Rodrigo: Não existe mais Érica… Eu terminei tudo com ela. Ela preferiu ficar apoiando o Vinícius a casar comigo… Enfim, ela fez a escolha dela e eu também tenho o direito de fazer a minha e ser feliz.

Lívia: Mas eu pensei que…

Rodrigo a interrompe, beijando-a novamente…

Rodrigo: Você aceita namorar comigo?

Lívia: Eu… Eu não sei… Eu admito que estou gostando de você, mas… Eu preciso pensar… Você me espera?

Rodrigo: O tempo que for preciso… Eu só quero ser feliz de novo e agora ao seu lado.

Rodrigo e Lívia voltam a se beijar.

***

 

 

FIM DO CAPÍTULO

(A imagem congela nos dois. Logo em seguida surge um enorme Coração Partido sobre eles).

{O capítulo se encerra com a música: Fire Meet Gasoline – Sia}.

 

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”