Corações Partidos – Capítulo 13

Corações Partidos – Capítulo 13

 

UMA NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

 

CAPÍTULO 13: “A FORMATURA!”

 

Na casa de Rodrigo…

Érica: Eu não sei se eu vou agüentar toda essa pressão, Rodrigo. O meu pai disse que a Sheila está morando com a Geórgia. Agora, você imagina só, a Geórgia, o Vinícius e a Sheila, os três juntos na mesma casa… Algo me diz que eles não vão nos deixar em paz.

Rodrigo: E por causa deles você quer acabar com a nossa relação? Érica, não acabe com o nosso amor, nós não merecemos isso. Se ficarmos juntos, nós venceremos tudo isso, mas, se nos separarmos, além de estarmos dando esse gostinho a eles, nós iremos sofrer muito, longe um do outro… Pensa bem, meu amor… Isso é só uma fase, vai passar, eu prometo que não vou permitir que ninguém te faça mal.

Érica: Seria tão mais fácil se eles aceitassem numa boa, se a Sheila continuasse sendo nossa amiga e minha sócia…

Rodrigo: Isso não vai acontecer nunca! “A amizade pode terminar em amor, mas o amor, raramente em amizade”… A Sheila pode até se conformar um dia, mas se ela não tiver o meu amor, nem a minha amizade ela vai querer. E então, como ficamos?

Érica: Por enquanto, tudo fica como esta. Nós jantamos hoje na sua casa. Mas se essa pressão continuar, eu não sei por quanto tempo agüentarei, Rodrigo.

Rodrigo: O nosso amor é mais forte do que tudo e nada vai nos separar… Eu amo você! – Diz dando um beijo em Érica.

***

Na casa de Geórgia…

Geórgia: E o que você pretende fazer, Sheila?

Sheila: Eu vou perseguir tanto eles, principalmente a Érica, que eles não vão agüentar a pressão, e vão acabar terminando aquele namoro, pode apostar.

Geórgia: É, eu acho que pode dar certo, mas veja lá o que vai fazer com a Érica, eu não quero que você toque em um só fio de cabelo dela, entendeu? Eu não estou a fim de ser presa por cúmplice de assassinato.

Sheila: Pode deixar, a Érica só terá o que ela merece… Mas sem tocar nela, eu juro!

Geórgia: Você fala de um jeito, Sheila, que me assusta… Às vezes parece estar fora de si.

Sheila: Fica tranqüila, que eu estou no meu normal, você ainda não me viu fora de mi… Mas, a Érica sim vai ver…

***

No apartamento de Ellen…

Marcelo: Eu queria tanto ser pai… É o único sonho que eu ainda não realizei.

Ellen: Eu sei, meu amor. Eu também quero esse filho, tudo vai dar certo, nós vamos continuar tentando.

Marcelo: Tentar e só o que temos feito, difícil está sendo conseguir…

Ellen: E você não acha que eu sofro com isso? Até mais do que você, mesmo porque o problema pode ser comigo.

Marcelo: Eu não quis dizer isso, Ellen… Me perdoa…

Ellen: Eu vou para a faculdade, antes que a gente comece a brigar, Marcelo… Tchau!

***

Na casa de Victor…

Lívia: Sua casa é muito gostosa, Victor. E os seus pais?

Victor: Morreram num acidente de carro há cinco anos.

Lívia: Eu sinto muito.

Victor: Eu vou chamar o Igor para vocês se conhecerem… Igor, Igor vem até aqui um pouco.

Igor: Oi… Diga.

Victor: Eu queria te apresentar a minha nova namorada, Lívia.

Igor ficou de boca aberta, ao ver a sua amada virtual, e como ela era mais bonita pessoalmente…

Lívia (Sorri): Prazer, Lívia!

Igor (Sem graça): O prazer, é meu…

Victor: Eu não disse que ela é linda?

***

Na casa de Geórgia, Samara voltava para casa… 

Samara: Ah que saudade, tia!

Manuela: Seja bem vinda, Samara. Eu também estava com muitas saudades… Eu avisei ao seu pai que você vinha e ele já deve estar chegando.

Samara: Obrigada tia, você é um amor…

Geórgia: Que cena mais comovente… A filha pródiga volta para casa e abraça a titia destrambelhada… Se eu não tivesse retocado a maquiagem, eu até chorava, juro!

Samara: Como vai Geórgia?

Geórgia: Como você pode ver Samara… Estou melhor do que nunca! Mas deixemos essa receptividade toda de lado, e vamos ao que realmente me interessa. Quem permitiu que você voltasse para essa casa? Sim, porque eu não fui…

Samara: E desde quando eu preciso de permissão para ficar no que é meu? Esta casa, a casa de Angra, a empresa, enfim, todos os bens, são meus por direito, um dia, eu irei herdá-los.

Geórgia: Não enquanto eu estiver viva… E se Deus me ajudar, você morre primeiro que eu, assim ficará tudo só para o Vinícius, o meu filho querido. Ele sim merece todo o meu patrimônio.

Samara: Seu… E do meu pai também, Geórgia. Não se esqueça. Eu voltei também, porque eu consultei um advogado, o qual me informou que eu poderia muito bem entrar na justiça, e exigir parte de minha herança, se por acaso você cortasse o meu dinheiro, cartões de crédito, etc… Somente por isso resolvi voltar e resolver tudo amigavelmente, porque essa casa também é minha, e eu só saio daqui quando me casar. Se é que vou mesmo me casar um dia. Mas, quanto a minha mesada e as minhas contas, fique tranqüila, eu as pagarei de hoje em diante.

Geórgia: E eu posso saber como? Se você nunca teve aonde cair morta?

Samara: Eu arranjei um emprego. Digno, honesto, que paga bem.

Geórgia: Você está falando sério? Não… Me belisca para ver se eu estou sonhando, Manuela. Aleluia, Senhor! Até que enfim você criou vergonha nessa cara!

Samara: Para de palhaçada, Geórgia!

Geórgia: Desculpa, minha filha. É que esse, é o meu jeito, Geórgia de ser… Sempre espirituosa, de bom humor e acima de tudo de bem com a vida… E eu posso saber, que emprego é esse, que você arrumou?

Samara: Eu vou trabalhar como promoter, na Labirintus Night Club.

Geórgia: E isso lá é emprego? Isso para mim é diversão! E ainda vão te pagar para isso… Como existe gente tola nesse mundo; é por isso que o país não vai para frente.

Samara: Pelo menos é um emprego digno, onde eu vou ganhar o meu dinheiro e ser independente. Diferente de você que depende do marido, só sabe falar mal dos outros, é uma invejosa, egoísta e mal-amada… Sim, porque o Alberto, só tem olhos para a Silvia.

Geórgia: Eu vou acabar com a sua raça, Samara!

Manuela: Controle-se Geórgia! Se quiser bater na Samara, vai ter que bater em mim, primeiro, vai encarar?

Nesse momento, Francisco chega…

Francisco: Samara, que saudade, filha…

Samara: Pai! Eu também, estava com muita saudade de você.

Francisco: E por aqui, está tudo em ordem?

Manuela: Está sim, Francisco, não é Geórgia?

Francisco: Que bom, Manuela… Mas, Samara, vamos até lá fora, que eu tenho um presente para você, no jardim.

Samara: Presente pra mim? Que presente?

Francisco: Vamos lá, que você vê… Vem Manuela, Geórgia…

Todos foram para o jardim, e lá estava o presente, um belo carro importado, com um laço de fita em volta dele…

Samara: Pai, esse é o carro dos meus sonhos… Obrigada!

Francisco: Eu sei, foi por isso que eu o comprei para você.

Manuela: É lindo, Francisco… Você merece, Samara.

Geórgia: Você só pode estar ficando louco, Francisco! Dar um carro desses para a Samara? Quanto custou isso?

Francisco: Geórgia, é um presente, seria indelicado eu não posso falar o preço.

Samara: Olha só mãe, da última vez que eu vi, ele estava custando uns cento e cinqüenta mil dólares…

Geórgia: O que? Você pensa que dinheiro cai do céu, Francisco? Aquela empresa é o que é, porque eu a fiz crescer. Agora vem você, como um moleque que gasta dinheiro com doces, e compra um carro desse valor? Onde você está com a cabeça?

Francisco: Relaxa, Geórgia. Lembra-se daquele investimento, aquele que eu e o Alberto fizemos? Então, ele nos deu um lucro fantástico…

Geórgia: Mesmo assim, dinheiro não é para ser jogado fora, assim à toa… E o Vinícius, você deu um carro para ele também?

Francisco: Não, mas ele soube que eu compraria o carro para a Samara e aprovou. E depois, o Vinícius trabalha na empresa, tem os direitos dele e se ele quisesse, poderia comprar o carro do gosto dele, mas ele não quis.

Geórgia: Está bem… Eu vou mandá-lo comprar um de pelo menos trezentos mil dólares. Para ele, as coisas precisam ser bem melhores do que pra essa aí. Ele sim merece.

Samara: Desculpa, pai. Eu acabei causando um problema para o senhor, não é?

Francisco: Não esquenta não, a sua mãe tendo ou não motivo, ela briga. Eu já estou até acostumado. Vamos comemorar?

Manuela: O seu pai tem razão, Samara. Vamos dar uma volta?

Samara: É pra já…

***

Dentro da mansão…

Geórgia: Obrigada, Alberto. E me desculpe por não ter acreditado na sua capacidade. A empresa fechou um excelente negócio, graças a você… Por nada, tchau!

Samara: Agradecendo o Alberto, Geórgia? É por que, foi graças a ele que eu ganhei aquele carrão.

Geórgia: Some da minha frente, Samara!

Samara: Calma Geórgia. Eu só vim te chamar para dar uma volta no meu carro novo. Eu, o papai e a tia Manuela vamos, você vem?

Geórgia: Não! Eu quero que vocês vão é para o raio que os parta!

Samara: Pode ser uma boa, afinal qualquer lugar longe de você é bem melhor. Tchau Geórgia!

Geórgia: Tomara que batam com o carro e morram os três… Só assim para eu me livrar dos três, de uma só vez… Miseráveis! Ai que ódio!

***

ABERTURA:

 

Na clínica, Marcelo e Amanda conversavam…

Amanda: Posso entrar, Marcelo?

Marcelo: Entra, Amanda.

Amanda: Eu vim ver se você está precisando de alguma coisa… Eu o achei tão abatido e triste hoje… O que aconteceu?

Marcelo: É a Ellen, nós temos brigado muito ultimamente.

Amanda: Crise no casamento? Mas já? Vocês estão casados não tem nem três meses…

Marcelo: É, pode-se dizer que sim. A Ellen não está conseguindo engravidar, e esse, é o nosso maior sonho… E por isso, nós temos nos desentendido. É muita pressão, muita cobrança, o tempo todo.

Amanda: Mas ela não procurou um médico?

Marcelo: Não, ela tem medo que o médico diga que ela é estéril.

Amanda: Mas se ela não se consultar, como vai saber? E depois existem tratamentos pra isso, se for mesmo o caso.

Marcelo: Foi o que eu disse para ela. Mas ela esta irredutível…

Amanda: Marcelo, não fique assim não… Eu tenho certeza de que vai dar tudo certo para vocês… Se você precisar de mim para qualquer coisa, mas qualquer coisa mesmo, eu estarei sempre pronta para te receber, te ouvir, seja aqui na clínica, ou lá em casa… Eu só não quero te ver triste… Agora eu vou almoçar, porque ainda não comi nada. Tchau, Marcelo. Fica bem e manda um beijo pra a Ellen.

Marcelo: Obrigado Amanda, tchau.

Amanda (Sorrindo): Ai, ai… Ter você de volta vai ser mais fácil do que eu pensava… Marcelo Martins.

***

Na casa de Érica…

Érica: Mãe, eu vou tomar um banho, se alguém me ligar, por favor, fala que depois eu retorno.

Silvia: Pode deixar, filha… Coitada, eu estou achando a Érica um pouco abatida, cansada… Ela e o Rodrigo mesmo estando juntos, não estão tendo paz.

Alberto: É, a Érica está estressada com toda essa perseguição da Sheila… Quem será?

Nesse momento, a campainha toca…

Silvia: Atende para mim, Alberto.

Alberto: Claro…

Sheila: Cadê aquela vadia da Érica?

Silvia: O que é isso, Sheila? Quem você pensa que é para falar assim da minha filha?

Sheila: Eu sou a ex-namorada do Rodrigo. E tudo isso por causa dela que roubou o meu namorado.

Alberto: Sheila, o Rodrigo não quer mais nada com você. Ele e a Érica se amam, estão juntos e ponto final. Ela não é culpada, por ele ter te deixado.

Sheila (Ri): Quem garante? Você acha que conhece a sua filha direito, não é, Alberto? Pois não conhece não. Ela é uma traidora, vigarista! Ela se aproveitou que eu estava viajando para ficar com o meu namorado, isso se eles já não estavam juntos, mesmo quando eu ainda estava com ele… Eu não duvido de mais nada.

Alberto: Isso não, Sheila. A Érica seria incapaz de uma traição baixa dessas.

Érica: O que esta acontecendo aqui?

Sheila: Finalmente você resolveu aparecer… Como vai, amiga?

Érica: Sheila, eu não vou admitir que você venha até a minha casa, inventando coisas absurdas, para os meus pais. Agora você passou dos limites… Vá embora agora, ou eu te coloco pra fora a força.

Sheila: Primeiro, eu quero te avisar mais uma vez, para sair do caminho do Rodrigo, ou então você vai se arrepender amargamente. E quanto a nossa sociedade, eu já entrei na justiça, pedindo a minha parte de volta, e que o contrato seja anulado, já que a empresa sempre foi idéia minha e você ainda não me pagou pela metade dela… Eu acho melhor você sair de lá, por bem, senão, vai ser por mau, isso eu te garanto! Passar bem. – Sai batendo a porta.

Érica: Meu Deus! Quando isso vai acabar?

Silvia: Calma filha, uma hora essa louca vai acabar caindo na real e vai deixar vocês em paz.

Érica: Vocês não acreditaram nela, não né?

Alberto: Claro que não, filha! Ela nem sabe o que está falando, parece uma louca.

Silvia; O seu pai tem razão, e depois nós sabemos a filha que temos, sua integridade, sua honestidade… Mas eu penso que você e o Rodrigo precisam fazer alguma coisa, para dar um basta nisso. No estado em que essa mulher está, ela não vai deixar vocês em paz.

Alberto: Filha, fique tranqüila, eu vou conversar com o meu advogado, para saber melhor sobre a sua situação na Styllus.

Érica: Obrigada… É bom saber que eu posso contar com vocês… Eu amo muito vocês dois.

Silvia: Você sempre poderá contar com a gente, filha… Sempre!

***

Na casa de Geórgia…

Manuela: Francisco, é lindo! Eu adoro colar de pérolas, mas… Eu não vou poder aceitar, deve ter custado uma fortuna e se a Geórgia ver, vai ficar uma fera!

Francisco: Não liga para ela não… Eu amo você, Manuela, por favor… Aceite?

Manuela: Está bem, então… Obrigada, Francisco.

Francisco: Eu vou ajudar você, Manuela. Nós iremos falar com o Raul, você só precisa conseguir o endereço dele com a Geórgia…

Manuela: Eu vou conseguir! A Samara já sofreu demais, nós vamos ajudá-la… Eu amo você, Francisco.

***

Dez dias se passaram e Ellen e Fernanda estavam se formando. Tudo estava perfeito, uma cerimônia linda; e agora, elas já eram oficialmente médicas.

Alberto: Parabéns Ellen, nós estamos muito orgulhosos de você.

Ellen: Obrigada, pai.

Silvia: Agora sim nós temos uma médica na família. E ela é a minha filha! – Diz orgulhosa.

Ellen: Graças a minha família, você mãe, ao papai e a Érica, eu cheguei até aqui… Eu amo vocês.

Érica: Parabéns! E tudo de bom, Ellen… Você merece.

Ellen: Obrigada, Érica.

Marcelo: Ellen, minha querida, parabéns! Eu amo você!

Ellen: Também amo você, Marcelo. Agora só falta o nosso filho…

Marcelo: Não vamos falar sobre isso agora, hoje é dia de comemoração.

***

No Sabor e Arte, Fernanda e Igor, também comemoravam…

{Trilha Musical: Ink – Coldplay}

 

Fernanda: Eu gostei muito que você foi me prestigiar, Igor. Você é mesmo um amor de pessoa.

Igor: Fernanda, amigo é para essas coisas, e depois, não foi sacrifício nenhum… Eu adoro você!

Fernanda: Eu gostaria tanto de te ajudar Igor… Retribuir tudo o que você tem feito por mim.

Igor: Fernanda, eu não quero que você pense que eu sou o tipo de pessoa que ajudam os outros, esperando ser ajudado depois. Nem pense nisso.

Fernanda: Não, eu não quis dizer isso, longe de mim. Mas, eu sinto que posso te ajudar de alguma maneira… Qual é o seu sonho, Igor?

Igor: Sei lá… Acho que é me tornar uma pessoa mais extrovertida, mais brincalhona, assim como o Victor; mas eu sou muito feio e desajeitado…

Fernanda: Você não é feio não, Igor… Você é uma pessoa linda, tanto por dentro, quanto por fora. Igor… O que você precisa é aprender a se valorizar mais, usar roupas mais elegantes e da moda, cortar os cabelos de um jeito diferente… Esse seu óculos, por exemplo, existem lentes de contato que podem substituí-los, e o seu aparelho… Bem, eu não entendo, mas acho que já está na hora de retirá-lo, o que você acha?

Igor: Eu não sei, será que iria resolver alguma coisa?

Fernanda: Confia em mim… Eu vou ver um dia, em que eu esteja mais sossegada e sem compromissos, ai eu marco com você, e saímos para um dia somente seu, pra cuidarmos de você, então, você será um novo Igor… Eu te prometo! Mas se você não gostar, poderá mudar tudo de novo. Tudo bem?

Igor: Ok. Eu topo!

Fernanda: É assim que se fala.

***

Mais tarde na Styllus, Érica receberia uma visita inesperada…

Érica: Vinícius? O que você está fazendo aqui?

Vinícius: Eu fiquei com saudade, e vim ver como você está… Não posso?

Érica: Deixa de ser cínico! Nós não temos mais nada, um com o outro… E eu, não quero ver você na minha frente, nunca mais!

Vinícius: Eu amo você, Érica… Volta para mim?

Érica: Nunca! Pela primeira vez, eu estou sentindo o que é amar e ser amada de verdade. Sou respeitada, tudo o que nunca tive com você e só encontrei com o Rodrigo… E se você quer saber, eu estou muito feliz, ao lado dele.

Vinícius: Até quando, eu posso saber?

Érica: Como assim… Para sempre, por toda a vida… Se Deus quiser!

Vinícius: Doce ilusão, Érica… Você ainda vai voltar para mim, eu não vou desistir de você… Nem a Sheila, do Rodrigo… Esse romance de vocês está com os dias contados.

Érica: Vai embora daqui, Vinícius… Por favor.

Nesse momento, Vinícius sentiu-se tonto e sentou-se…

Érica: O que foi Vinícius? Você está bem?

Vinícius: Estou, foi só uma tontura… Eu vou ficar bem.

Érica: Você quer que eu te leve para casa?

Vinícius: Não… Eu quero o seu amor, não a sua piedade… Tchau!

Érica (Preocupada): Tchau! Que estranho… Ele me pareceu tão frágil.

***

No escritório da casa de Geórgia…

Danilo: O que você está me dizendo, Geórgia?

Geórgia: É exatamente isso, o que você ouviu, Danilo. O Raul está no Rio. Ele voltou.

Danilo: Mas então, nós temos que agir, Geórgia! E logo agora que eu e a Samara estamos tão bem.

Geórgia: Por enquanto não. Já faz algum tempo que ele está aqui e não procurou a Samara. Ela não sabe que ele está aqui, e já aceitou se casar com você. Se nós interferirmos agora, aí sim, as coisas podem piorar… Vamos fingir que não sabemos que ele está no Rio. Se precisar, nós vamos interferir sim, mais uma vez…

Danilo: Você tem toda razão…

Samara: Em que a Geórgia tem razão, Danilo?

Geórgia: Em nada Samara. É assunto nosso. Eu gostaria muito que você aprendesse a bater na porta, antes de entrar.

Samara: Vocês estavam falando de mim, não é? Eu aposto.

Geórgia: Ah, Samara… Você se julga muito importante, não é? Pois deixa eu te falar uma coisa, você não é.

Samara: Eu não só me julgo não… Eu sou importante sim para muitas pessoas… Mal amada, eu te garanto que não sou, nunca fui e com certeza, nunca serei. Vamos Danilo… Eu quero te mostrar o meu carro novo. Vamos dar uma volta, pra bem longe daqui.

Danilo: Vamos sim, meu amor… Tchau Geórgia.

Samara: O que ela queria com você?

Danilo: O que você acha? Perguntar sobre o nosso casamento.

Samara: Ela não desiste mesmo…

***

No quarto de Sheila…

Geórgia: Posso entrar, Sheila?

Sheila: Entra, Geórgia.

Geórgia: Eu só vim saber como você está.

Sheila: Eu estou bem… Na medida do possível.

Geórgia: Você já esqueceu o Rodrigo?

Sheila: Claro que não! Não esqueci e nunca vou esquecer. Mas, por falar nisso, Geórgia, como está o andamento do processo, para fechar a Styllus?

Geórgia: Você sabe como é a justiça, não é? Ainda vai demorar um pouco.

Sheila: Eu não vejo a hora de fechar a Styllus e dar um fim na Érica.

Geórgia: Sheila, porque você não esquece de vez o Rodrigo? Ele está com a Érica, os dois se amam, dificilmente irão se separar… Mesmo com toda sua insistência.

Sheila: Nunca! Nem que para isso eu tenha que matá-la! Juntos, eles não ficam.

Geórgia: Sheila… Que você queira tomar a Styllus dela, eu até concordo, não gosto dela. Mas, daí a querer matá-la? Não suje as suas mãos, querida. Não vale a pena, isso só vai estragar a sua vida. Por que você não sai para se distrair um pouco, faça talvez uma viagem… Isso te fará muito bem. O Vinícius também está precisando descansar… Quem sabe não é hora de vocês reatarem aquele namoro da adolescência… Eu ficaria tão feliz!

Sheila: Você não desiste mesmo, hein? Eu tenho o Vinícius, como um irmão… Entre nós, nunca haverá amor. Eu quero é o Rodrigo, e o Vinícius, a Érica; e é assim que será! O que eu mais queria, era dar um filho para o Rodrigo, ele sonha tanto em ser pai…

Geórgia: Sheila, por que você não procura se tratar? Você está ficando doente, obcecada com esse amor.

Sheila: E desde quando, amor é doença? O Rodrigo vai ser meu, você vai ver… Palavra de uma mulher perdidamente apaixonada.

Geórgia: Você pensa que não… Mas, se você quiser, você consegue… Se bem que eu não sou a pessoa mais apropriada para te dar esse conselho. Existem amores para toda vida, mesmo que não o tenhamos por perto…

Sheila: Bom, eu vou sair Geórgia… Tchau!

Geórgia: Sheila espera, aonde você vai? Sheila… Eu preciso dar um jeito de ajudá-la, antes que ela faça alguma besteira.

***

No apartamento de Rodrigo…

Érica: Está muito difícil, Rodrigo. Eu não quero estragar a nossa relação, mas também quero viver em paz com você, e isso, com o Vinícius e a Sheila pegando no meu pé, tem sido impossível! Nem trabalhar eu to conseguindo mais, com a Sheila aparecendo por lá, o tempo todo.

Rodrigo: Eu sei, meu amor… Eu pensei numa saída. Que tal se nós fôssemos viajar?

Érica: Não, no momento eu não posso. Tenho vários trabalhos para concluir… E também, não é fugindo dos problemas que vamos conseguir resolvê-los, né?

Rodrigo: Eu sei que não. Mas, um mês fora, quem sabe acalmaria a Sheila e o Vinícius, pelo menos um pouco… E nós, iremos descansar a cabeça e fortalecer o nosso amor. Voltaríamos mais fortes e decididos, assim, nada mais nos separaria… Eu sei que essa pressão tem sido muito difícil para você, e eu tenho muito medo de que você não agüente… Eu vejo o nosso amor correndo perigo e não consigo fazer nada para salvá-lo. Chega a ser angustiante.

Nesse momento, a campainha toca…

Rodrigo: Deixe que eu atendo, Érica.

Sheila (Sorri): Oi meu amor!

Rodrigo: Sheila? Sheila, o que você está fazendo aqui? Eu não tenho mais nada para falar com você! Vai embora!

Sheila: Não sem antes falar o que eu tenho para falar… Eu só vim avisar, mais uma vez, para você deixar o Rodrigo. Ele é meu! Eu não vou deixar vocês em paz! Vocês não vão ficar juntos, nem que para isso, eu tenha que matar os dois! Você tem uma semana pra deixar o Rodrigo. Boa noite!

Érica desanimada se deixa cair no sofá…

Rodrigo: Érica, meu amor, não fique assim…

Érica: Quem sabe se nós tivéssemos esperado ela voltar de viagem, conversado com ela, as coisas poderiam ser diferentes… Mas não, nós fizemos tudo errado, essa perseguição está me matando! Estou me sentindo culpada, e é isso mesmo o que eu sou… Uma traidora, ela tem toda razão.

Rodrigo: Érica, não se culpe… A Sheila está louca, ela precisa é de um bom tratamento. Eu vou conversar com a Geórgia e tentar interná-la… E aqui ela não entra mais, vou avisar o porteiro. Não se esqueça… Eu amo você! E não vou deixar que nada e nem ninguém nos separe… Nunca!

Rodrigo a abraça bem apertado e Érica chora em seus braços…

***

 

 

FIM DO CAPÍTULO

(A imagem congela no rosto de Érica. Logo em seguida, surge um enorme Coração Partido sobre ela).

{O capítulo se encerra com a música: Ink – Coldplay}.

 

 

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”

Close