Corações Partidos – Capítulo 08

Corações Partidos – Capítulo 08

 

UMA NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

 

CAPÍTULO 8: “O CASAMENTO.”

 

No dia seguinte, Érica já estava em casa…

{Trilha Musical: Instrumental Emoção}

 

Silvia: Érica, minha filha, você… Ah, me desculpe filha, foi tanta correria que eu nem tive tempo de tirar as roupinhas do bebê da gaveta…

Érica (Sorri): Não tem problema mãe… Eu vou doá-las para um orfanato, ajudar a quem precisa e tenho certeza de que isso me fará um bem enorme.

Silvia: Você sempre me surpreendendo, né Érica? É assim desde criança, sempre tão forte e decidida, nunca se deixava abater por nada… Tão diferente da Ellen que sempre foi muito insegura, carente… Eu me lembro de quando vocês eram mais novas, brincavam, caíam, se machucavam… Na hora de passar remédio, você era a primeira a encarar e se ardesse, nem careta você fazia. Já a Ellen, só em pensar no bendito remédio, chorava, corria e se trancava no quarto.

Érica: Tempos bons aqueles, não é mãe? Nós não tínhamos problemas e nem imaginávamos o que era sofrimento de verdade…

Silvia: Quando se é criança tudo é mais simples e fácil… Mas olhe aqui o que chegou para você…

Érica: Flores?! De quem é?

Silvia: O Rodrigo… Muito gentil esse rapaz, né?

Érica: É mãe… O Rodrigo é um cara incrível. – Diz olhando para as flores e sorrindo.

Silvia: Bom, eu vou deixar você lendo o cartão em paz. Eu tenho que dar uma saidinha rápida, mas logo estarei de volta… A Lívia telefonou e disse que está vindo para cá, ela te faz companhia até eu chegar. Tchau filha, fica com Deus.

Érica: Amém. Vai com Deus também, mãe.

***

Na sala…

Silvia: Alberto, você me dá uma carona?

Alberto: Pra aonde, meu amor?

Silvia (Séria): Pra casa da Geórgia.

Alberto: Você não está pensando em ir tirar satisfação com ela, sobre o que ocorreu ontem no hospital, está?

Silvia: Sim, é claro que eu estou. A Geórgia pegou pesado demais com a nossa filha, e agora ela vai ter que me escutar.

***

No quarto, Érica lia o cartão de Rodrigo…

{Trilha Musical: As Dores do Mundo}

 

Érica, você é uma mulher incrível e forte, que sabe enfrentar as dificuldades da vida. Desejo a você, muitas felicidades e paz! E lembre-se que “O verdadeiro herói e aquele que sorri, enquanto o seu coração chora”. Sorria sempre, o seu sorriso é lindo! Conta comigo sempre, Rodrigo… O seu eterno apaixonado.

 

Lívia: Posso entrar?

Érica: Entra, Lívia.

Lívia: Como você está, Érica?

Érica: Melhor… Bem melhor, graças a Deus.

Lívia: Nossa que flores mais lindas! Quem mandou?

Érica (Sorri): Adivinha?

Lívia: Mas esse homem é irresistível, meu Deus! Eu posso ler o bilhete?

Érica: Pode… – Diz entregando o bilhete pra ela.

Lívia: Nossa! Érica, o Rodrigo é um homem em extinção… E pelo que eu já notei por aqui, não tem flores do Vinícius.

Érica: Não mesmo. Ele sempre foi mais desligado pra esse tipo de coisa, nem no hospital ele foi me buscar, meu pai que foi… Parece que a empresa está com problemas e os negócios vêm sempre em primeiro lugar…

Lívia: Não tem nem comparação, né? Você não ama mais o Vinícius, não é Érica? Pra que ficar com ele?

Érica: Depois dos últimos acontecimentos eu tive a certeza que não… Eu só vou dar mais um tempo, enfim, é tudo muito recente ainda, depois eu vou terminar tudo com ele, e dessa vez não tem volta.

Lívia: E o Rodrigo, nessa história como fica?

Érica: Eu demorei pra admitir até pra mim mesma, mas o fato é que eu amo o Rodrigo. Mas mesmo que ele se separe da Sheila e eu estando livre do Vinícius… Nós agora somos sócias e amigas… Eu jamais a trairia.

Lívia: Às vezes o amor fala mais alto, Érica. Nunca diga nunca.

***

Na casa de Geórgia, ela receberia Silvia…

Geórgia (Sorri): Silvia querida! Como vai?

Silvia (Séria): Primeiro eu não sou sua querida, depois, eu não estou nada bem com o sapo que você nos fez engolir ontem no hospital.

Geórgia: Mas o que foi que aconteceu pra você estar tão agressiva comigo? O que foi que eu fiz?

Silvia: Não se faça de desentendida, Geórgia. Você sabe muito bem que eu vim até aqui pra falar da Érica, da maneira como você a tratou ontem, no hospital.

Geórgia: Ah, isso… Mas aquilo foi uma bobagem, eu até já esqueci. Eu fiquei nervosa com o sofrimento do Vinícius e acabei descontando nela… Não leve em conta, minha querida. A minha grande virtude é que eu desabafo na hora, depois eu esqueço e fica tudo certo, não guardo mágoas…

Silvia (Ri): Mas quem deveria guardar mágoas por tudo que ouviu é a minha filha… Meu Deus! Ela estava no hospital, tinha acabado de perder um filho… E você, a culpou por isso? Uma fatalidade que poderia ter acontecido com qualquer mulher… Você foi insensível, desumana, cruel, egoísta e só pensou no seu filho.

Geórgia: Mas é lógico que eu pensei no Vinícius… Ele estava sofrendo, é meu filho!

Silvia: Mas quem perdeu o bebê foi a Érica. O sofrimento dele não foi nem a metade do dela, que ainda está sofrendo e muito… A mãe sempre sofre mais do que o pai. Todos sabem disso… A Érica está sofrendo muito, enquanto o seu filho, mal a viu ontem e já foi correndo para a empresa.

Geórgia: Mas é claro! Ele tem que trabalhar. Não importa o que aconteça, a perda que sofremos, o mundo não para, Silvia. E depois aquela empresa também é do seu marido, portanto de vocês. Não é apenas de minha família…

Silvia: Geórgia, eu vou embora. Acho que eu já perdi tempo demais com você… Mas eu quero deixar um aviso pra você, nunca mais se meta com a Érica, ou com qualquer um da minha família, entendeu? Ou então, da próxima vez, eu acerto as minhas contas com você, no braço!

Geórgia: Você está me ameaçando, Silvia?

Silvia: Estou sim! Se mete com a minha família pra você ver. Você vai apanhar tanto e como nunca apanhou em toda sua vida. Talvez seja disso que você está precisando, para aprender a ser “gente”, e a tratar melhor as pessoas. Passar bem! – Diz e sai nervosa.

Nesse momento, Samara aparece e começa bater palmas…

Samara (Rindo): Gostei de ver… A Silvia é das minhas!

Geórgia: Cala essa boca, Samara! Deu pra escutar atrás da porta agora é?

Samara: Aprendi com você, mamãe.

Geórgia (Nervosa): Escuta aqui, Samara…

Samara: Me desculpa, mas agora não vai dar, eu já estou de saída… Tchau, Geórgia.

Geórgia (Grita): Eu odeio você! Odeio a Silvia! Odeio todo mundo! – Diz enquanto arremessa um vaso contra a parede.

***

No jardim da mansão, Silvia encontraria Manuela…

Manuela: Silvia, o que foi que aconteceu, você está tremendo?

Silvia: Eu acabei de discutir com a Geórgia, sobre o que ela fez ontem com a Érica… Eu estou muito nervosa.

Manuela: Vem aqui, sente-se um pouco… Maria, por favor, prepare um copo de água com açúcar para a dona Silvia… Não liga para a Geórgia não. Ela faz as coisas sem pensar, ultrapassa todos os limites.

Silvia: Imagine se ela pensasse então, antes de fazer? Eu vou embora, Manuela. A qualquer momento eu posso encontrar com ela de novo e eu não quero ver a cara dela tão cedo!

Manuela: Você está de carro?

Silvia: Não, eu vim com o Alberto. Eu vou pegar um táxi.

Manuela: Não, a Samara já está de saída, ela leva você.

Silvia: Não precisa, Manuela… Eu não quero incomodar.

Manuela: Incomodo nenhum. Não discuta comigo, Silvia! Vamos…

***

Na faculdade, Ellen teria uma surpresa …

Ellen: Ah não, Fernanda. Eu não estou a fim de sair hoje, e também não quero encontrar o Marcelo.

Fernanda: É, mas eu acho que você vai ter que se encontrar com ele, de qualquer maneira, olha ele vindo ai…

Ellen: Ah, eu não acredito…

Marcelo: Oi… Eu quero falar com você, Ellen.

Ellen: Eu não tenho nada para falar com você, Marcelo.

Marcelo: Fernanda, por favor, nos dê licença.

Fernanda: Claro.

Ellen: Não Fernanda, você fica!

Marcelo: Tudo bem, eu vou falar assim mesmo… É pra você, Ellen. – Diz entregando uma caixinha com um lacinho em volta.

Ellen (Curiosa): O que é isso?

Marcelo (Sorri): Abre…

Ellen (Emocionada): É uma aliança!

Marcelo: Casa comigo, Ellen? Eu te amo, e prometo que a Amanda não vai mais nos incomodar… Eu só quero fazer você feliz, meu amor.

Ellen (Chorando): Eu… Caso!

Ellen e Marcelo se beijam apaixonadamente…

{Trilha Musical: Till There Was You – Monique Kessous}

***

Chegando em casa…

Érica: E o que você disse pra ele, Ellen?

Ellen: Sim! Eu vou me casar com o Marcelo! Olha só o anel que ele me deu…

Silvia: Que lindo, filha. E para quando é esse casamento?

Ellen: Pra daqui a dois meses, mãe. Eu estou tão feliz…

***

ABERTURA:

 

Dois dias depois, na casa de Geórgia…

Manuela: Bom dia, Francisco.

Francisco: Bom dia, Manuela.

Manuela: Cadê todo mundo?

Francisco: O Vinícius foi trabalhar, ele tinha que resolver uma coisas e foi mais cedo. A Samara saiu com o Danilo e a Geórgia, eu não sei… Ela não me dá satisfação.

Manuela: Francisco, o que a Geórgia fez para afastar o Raul da Samara?

Francisco: Bem, até onde eu sei, nada. O começo da história você já sabe… O Raul era um rapaz pobre que foi trabalhar na empresa, após ter se formado em marketing, com muito custo. Ele e a Samara acabaram se conhecendo e passaram a namorar… A Geórgia nunca aceitou, odiava ele por ser pobre, puro preconceito.

Manuela: E nessa época, o Danilo já gostava da Samara?

Francisco: Já sim, e a Geórgia queria que eles namorassem, foi quando ela me obrigou a demiti-lo. Mas de nada adiantou, eles continuaram a namorar… Depois de algum tempo, ele sumiu e ninguém mais teve notícias dele. E a Samara passou a odiar a Geórgia, por isso. A culpando pelo desaparecimento dele.

Manuela: Você acha que a Geórgia teve alguma coisa a ver com o sumiço dele?

Francisco: Não sei… Talvez sim, ou talvez, ele realmente quis abandonar a Samara, mas isso, só ele poderia nos responder… Mas por que você está me perguntando tudo isso, agora?

Manuela (Sorri): Apenas curiosidade…

***

Na casa de Silvia, ela e Érica, receberiam uma visita inesperada…

Érica: A Ellen está tão entusiasmada com o casamento, não é mãe?

Silvia: É, eu acho que agora eles vão se entender de verdade… Quem será? – Pergunta ao ouvir a campainha e vai abrir a porta.

Érica: Eu vou para o quarto.

Geórgia (Sorrindo): Oi Silvia. Não me convida para entrar?

Silvia (Espantada): Geórgia? Entra… Mas a que devo a honra dessa visita… Inesperada? Eu achei que já tivesse deixado tudo bem claro hoje mais cedo na sua casa.

Geórgia: Eu vim em paz, Silvia. Eu queria me desculpar com você e com a Érica, ela está?

Silvia: Sim, está descansando…

Geórgia: Silvia, eu queria que você soubesse que tudo o que eu falei, foi porque eu estava nervosa, falei sem pensar e esse talvez seja o meu erro… Eu falo demais. Eu sempre escuto a razão e não o coração.  Você me perdoa?

Silvia: Sim, dessa vez eu perdoou… Mesmo porque, todos nós merecemos uma segunda chance, não é mesmo?

Geórgia (Sorri): Obrigada. Como dizem, erra é humano e perdoar é divino. Eu queria ver a Érica, é possível?

Silvia: Eu vou ver se ela pode te receber…

***

No quarto de Érica…

Érica: Inventa alguma desculpa, por favor. Eu não quero vê-la, mãe.

Silvia: Érica, apesar de tudo ela é a mãe do seu noivo… Vamos acabar logo com isso, e depois, eu acho que ela está mesmo arrependida.

Érica: Então, pede para ela entrar vai.

***

Geórgia: Com licença… Oi, Érica querida!

Érica (Séria): Oi Geórgia, tudo bem?

Geórgia: Tudo ótimo… Érica, eu reconheço que errei com você, fui egoísta e fria, mas eu estou aqui para me redimir e pedir desculpas… Você me perdoa?

Érica: Sim, eu a perdôo, Geórgia. Quem sou eu pra não perdoar alguém…

Geórgia: Eu fico muito feliz com isso. É muito ruim não ter o perdão dos outros, nós não vivemos em paz com nós mesmos… E como bandeira branca, eu trouxe estas flores para você.

Érica: Obrigada. Rosas brancas?

Geórgia: Representando paz…

Érica: E uma vermelha no centro, por quê?

Geórgia: A vermelha representa o amor… O amor que eu espero que você ainda sinta pelo meu filho.

Érica: O que você quer dizer com isso, Geórgia?

Geórgia: Eu não sou boba, Érica… Você não ama mais o Vinícius, não é?

Érica: Geórgia, você…

Geórgia: Eu não vim brigar com você, Érica. Longe de mim, eu quero apenas que você seja sincera comigo, para que eu possa estar pronta para consolar o Vinícius… Eu não gosto de ver ele sofrendo.

Érica: Geórgia, se eu amo ou não o Vinícius, isso é só da minha conta. Nem você e nem ninguém tem nada a ver com isso… É algo que só diz respeito a mim e a ele.

Geórgia: Você esta apaixonada pelo Rodrigo, não é mesmo?

Érica: O que? Agora tudo faz sentido e eu entendi porque você me deu essas rosas… Você queria chegar nele, não é mesmo?

Geórgia: Eu sou muito esperta minha querida, tenho bom faro para essas coisas, Érica. Desde que você sofreu aquele acidente, no qual conheceu o Rodrigo, que você não é mais a mesma, você mudou… Quando eu vi você chegar com as flores que ele te deu naquela noite, ali eu já percebi que você estava apaixonada por ele. Érica, o que eu quero é justamente te ajudar a se separar de meu filho, de uma maneira que ele não sofra tanto. Assim, você fica com o Rodrigo e o Vinícius pode se acertar com a Sheila, como eu sempre sonhei, e então, o que você me diz? Temos um acordo?

Érica (Perplexa): Você só pode estar louca, Geórgia! Vai embora, daqui! Deixa que de minha vida, cuido eu. Você é baixa, sórdida, sem escrúpulos… Você acha mesmo que eu vou me unir a você num plano contra pessoas que eu gosto?

Geórgia: Eu vou… Mas depois, não diga que eu não avisei… E quem avisa, amigo é. Tenha uma boa tarde.

***

À noite, na casa de Geórgia…

Vinícius: Então, a senhora esteve com a Érica e se desculpou com ela?

Geórgia: Estive sim, meu filho… Mas, sente-se aqui um pouco, eu quero conversar com você… Você ama a Érica, Vinícius?

Vinícius: Mas, que pergunta, mãe… É claro que eu a amo e muito. Eu sou louco por ela.

Geórgia: Mas ela… Não te ama mais.

Érica: A senhora enlouqueceu? É claro que ela me ama… De onde a senhora tirou um idéia absurda dessas?

Geórgia: Eu vi isso nos olhos dela, hoje… Deixe ela, Vinícius… Antes que ela mesma o abandone.

Vinícius: Jamais! Nós iremos nos casar, ter filhos e seremos felizes para sempre.

Geórgia: Vinícius, meu filho…

Vinícius: Chega mãe! Eu vou para o meu quarto, que eu ganho mais…

Geórgia: Ai meu Deus! Ele vai sofrer tanto…

***

No restaurante, Sabor e Arte, Lívia encontraria Victor…

Victor: Pois não… O que deseja?

Lívia: Victor… É você?

Victor: Sim, sou eu…

Lívia: Eu sou a Lívia… Lívia Araújo.

Victor: Me desculpe, mas eu não a conheço.

Lívia: Como não? Nós nos correspondemos pela internet… Você não se lembra?

Victor: Não… Quem se corresponde muito pela internet é o meu irmão, o Igor… Eu não, já tenho namorada firme.

Lívia (Surpresa): Mas eu recebi até a sua foto. Por isso te reconheci, eu não estou entendendo…

Victor: Eu vou checar os meus arquivos e qualquer coisa, eu falo com você, mas eu te garanto que não fui… Pode ser?

Lívia: Pode. Esse aqui é o meu número… Ah, você é mais bonito pessoalmente.

Victor (Sorri): Obrigado.

***

Mais tarde, Victor falaria com Igor…

Igor: Não Victor, eu não conheço e nem me correspondo com nenhuma Lívia Araújo.

Victor: Tem certeza, Igor?

Igor: Absoluta. Deve ser algum hacker…

***

Na casa de Geórgia…

Amanda: É Geórgia, parece que eu dancei mesmo… O Marcelo e a Ellen vão se casar.

Geórgia: E desde quando casamento é sinônimo de fidelidade? E depois até que eles se casem de fato, tudo pode acontecer. Eu vou te ajudar com o Marcelo, mas você tem que me ajudar, também.

Amanda: Como Geórgia?

Geórgia: Por enquanto, você terá que me prometer que vai deixar os dois se casarem, em paz.

Amanda: Mas, Geórgia eu…

Geórgia: Por favor, Amanda, você confia ou não em mim?

Amanda: Confio.

Geórgia: Então, você promete que não vai interferir?

Amanda: Prometo.

Geórgia: Pois muito bem, você sabe que eu amo Alberto, não é mesmo?

Amanda: Sim, eu sei… Mas o que o Alberto tem a ver com o nosso plano?

Geórgia: Eu quero que você o seduza.

Amanda: Eu? Mas nem pensar… Eu gosto é do Marcelo.

Geórgia: Amanda, sente e escute o que eu vou te dizer… E não me interrompa de novo, por favor. É o seguinte… Você é bonita e atraente, vai seduzir o Alberto, eu tenho certeza, ele vai cair direitinho… E quando ele estiver caidinho por você, então eu darei um jeito para que a Silvia os flagre, na cama… Ela deixará ele e eu entrarei em ação. Então, finalmente, ele será meu.

Amanda: E como você irá me ajudar com o Marcelo?

Geórgia: Simples, minha querida… Nós começaremos a entrar em ação depois do casamento deles. A Ellen é boba e insegura e o seu affair com o Alberto irá afetar até o casamento deles, eu tenho certeza disso. Aí, você entra em cena e começa a seduzi-lo, mas, do meu jeito, nada de pegar no pé dele… Amanda, eu sou capaz até de mudar o meu nome, se tudo isso não acontecer… Eu garanto que o Marcelo será seu e o Alberto, meu… E então, o que me diz?

Amanda: Tudo bem… Você é um gênio, Geórgia!

Geórgia: Que nada! É só o meu jeito, Geórgia de ser. Mas, me responde uma coisa… O Alberto conhece você?

Amanda: Não. Eu já o vi nas suas festas, mas, somente a Silvia e as filhas me conhecem.

Geórgia: Ótimo! Mesmo assim, o seu nome será Bruna, para ficar mais fácil a execução do nosso plano… Lembre-se, eu te dou as cartas e você as joga… Querida Bruna!

***

Dois meses se passaram e Ellen e Ricardo estavam se casando… Ellen estava linda, vestida de noiva, e entrara ao lado de Alberto, este muito elegante. Fernanda e Victor foram os padrinhos e também, Érica e Vinícius, Danilo e Samara. Tudo ia muito bem, a cerimônia prosseguia, e de longe, Amanda assistia…

Padre: Ellen Fonseca, você aceita se casar com Marcelo Martins, e promete amá-lo e respeitá-lo na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, todos os dias de sua vida, até que a morte os separe?

Ellen (Emocionada): Sim, eu aceito.

Padre: Marcelo Martins, você aceita se casar com Ellen Fonseca, e promete amá-la e respeitá-la na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, todos os dias de sua vida, até que a morte os separe?

Marcelo (Sorri): Sim, eu aceito.

Padre: Sendo assim, eu os declaro marido e mulher… Pode beijar a noiva.

Ricardo e Ellen se beijaram apaixonadamente… Todos seguiram para a festa e Fernanda foi quem pegou o buquê. Após a festa, os noivos seguiram para a lua-de-mel…

***

Uma semana depois, Érica e Vinícius, Sheila e Rodrigo estavão passando um final de semana em Angra…

Rodrigo: Bom dia, Érica.

Érica: Oi, Rodrigo. Bom dia.

Rodrigo: Onde estão a Sheila e o Vinícius?

Érica: Foram dar umas voltas pela redondeza, disseram que iam relembrar a infância deles, quando vinham para cá.

Rodrigo: E você e o Vinícius, como estão?

Érica: Pra ser sincera, pelo menos pra mim já não é mais a mesma coisa, há muito tempo. Ele ainda quer muito se casar e ter filhos comigo… Tem feito muitos planos.

Rodrigo: E você, não?

Érica: De jeito nenhum… Por enquanto eu quero deixar as coisas como estão.

Rodrigo: Você não o ama mais, Érica… Pra que se enganar desse jeito?

Érica: Realmente, eu não o amo mais… Agora é só uma questão de tempo até o fim.

Rodrigo: Eu amo você, Érica… É só você dizer que eu deixo a Sheila na mesma hora e me caso com você. Fica comigo? Nós já adiamos isso tempo demais…

Érica: Não é tão simples assim, Rodrigo… E depois, tem a Sheila… A nossa sociedade.

Rodrigo: Com a Sheila, eu me entendo. Eu também não amo mais ela, faz tempo, desde que te conheci.

Érica: Eu tenho muito medo de fazer com que eles sofram, eu não quero construir a minha felicidade em cima da deles. Eu vivi três anos com o Vinícius eu o amava, eu e a Sheila somos amigas e sócias… Mesmo que ela entenda, eu não conseguiria mais ter que trabalhar todos os dias, ao lado dela.

Rodrigo: Não fala mais nada, Érica. Vem aqui, por favor. – Diz puxando-a para si.

{Trilha Musical: As Dores do Mundo – Nila Branco}

 

Rodrigo e Érica se beijam ardentemente… E pela primeira vez Érica se rende e se declara a Rodrigo…

Rodrigo: Eu amo você, Érica. E vou te amar pra sempre .

Érica: Eu também amo você, Rodrigo, desde a primeira vez que eu te vi… Meu amor…

***

 

FIM DO CAPÍTULO

(A imagem congela nos dois se beijando. Logo em seguida surge sobre eles, um enorme Coração Partido).

{O capítulo se encerra com a música: Me Espera – Sandy & Tiago Iorc}.

 

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”

Close