Corações Partidos – Capítulo 07

Corações Partidos – Capítulo 07

 

UMA NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

 

CAPÍTULO 7: “A PERDA.”

 

Dois dias se passaram e Marcelo foi conversar com Ellen…

Marcelo: Bom dia, Silvia.

Silvia: Bom dia, Marcelo. A que devo a honra de sua visita?

Marcelo: Eu preciso falar com a Ellen…

Silvia: Entre, fique a vontade.

Marcelo: Dona Silvia, eu quero que a senhora saiba que eu não tive culpa do que aconteceu lá em Angra. A Amanda apareceu de repente, sem ser convidada, e deu no que deu… Eu amo muito a Ellen e não sei o que seria da minha vida, sem ela.

Silvia: Eu fico muito feliz de saber disso, mas você não deve explicações a mim, e sim, a Ellen. Eu acredito em você, assim como sei que a Ellen, acaba entrando no joguinho da Amanda, por te amar demais. Mas penso também, que falta um pouco mais de firmeza, de sua parte, em relação a essa moça, ou então ela já teria deixado vocês em paz. Bom, a sua conversa agora é com a Ellen… Ela ainda está muito magoada com você, tenha calma com ela… Eu espero que vocês se entendam. Eu vou chamá-la…

Ellen: Mãe, a senhora vai… Marcelo? – Indaga surpresa.

Marcelo: Oi Ellen, será que nós podemos conversar?

Ellen: Eu não tenho mais nada para falar com você!

Silvia: Filha, conversa com ele. Não faça nada de que possa se arrepender depois. Com licença e por favor, conversem como pessoas civilizadas, escutem um ao outro, vocês se amam e é isso o que mais importa.

***

Enquanto isso, Rodrigo encontra Igor em seu restaurante…

{Trilha Sonora: Amores Imperfeitos – Skank}

 

Igor: E aí Rodrigo, tudo bem?

Rodrigo: Igor? Que surpresa! Estou bem e você?

Igor: Tudo bem, graças a Deus!

Rodrigo: Mas, o que você está fazendo por aqui, resolveu sair da toca?

Igor: O Victor me pediu que viesse, por causa do vírus no computador.

Rodrigo: Ah, é verdade, eu já havia até me esquecido… Mas, me diga uma coisa Igor, e aquela sua namorada virtual, como andam as coisas?

Igor: Olha Rodrigo, eu estou apaixonado por ela, mas ainda nem a conheço pessoalmente.

Rodrigo: E por que vocês ainda não se encontraram?

Igor: Na verdade, eu ainda estou um pouco inseguro, mas logo eu tomarei coragem e marcarei um encontro com ela.

Rodrigo: Não demora muito não, ou então, algum gavião chega primeiro hein?

Igor: Você tem razão, não posso demorar muito tempo. Mas, vamos entrar, assim irei vendo os computadores…

Igor: Claro, vamos lá!

***

Na casa de Ellen, ela se mantinha firme e decidida…

Ellen: Não Marcelo… Acabou. Eu não vou viver ao seu lado e a Amanda nos perseguindo o tempo todo, é impossível, agonizante.

Marcelo: Mas o nosso amor não pode pagar esse preço, só por causa da Amanda. Eu amo você e é com você que quero casar, ter filhos… É com você que eu quero ser feliz, Ellen. Eu prometo que vou dar um jeito na Amanda, eu converso com ela…

Ellen: E você acha que iria adiantar? Perda de tempo, isso sim. A Amanda só ficou assim, porque você deixou que ela tomasse conta de sua vida, deu falsas esperanças a ela, mesmo antes de me conhecer… Mas agora, cansei e não quero mais viver com você. Agora, se você me der licença, eu tenho que ir para a faculdade … Ah, e vê se me esquece e não me procura mais… Eu vou seguir a minha vida e você, faça o mesmo. Tchau!

Marcelo: É assim que você quer? Eu sinto muito, mas eu não vou desistir de você, Ellen, de nós, só por causa da Amanda. Eu amo você e vou ter você de volta, nem que seja a ultima coisa que eu faça nessa vida. Tchau!

Silvia: Filha… Você deveria ter dado uma chance a ele… Vocês se amam.

Ellen: Mais uma chance, a senhora quer dizer, não é?

Silvia: Ele foi sincero com você Ellen. Ele realmente te ama, filha… E você também o ama.

Ellen: Amo, e muito. Mas eu cansei de viver um relacionamento com a sombra de uma ex. Agora eu vou pra faculdade, pois já estou atrasada… Tchau mãe.

Silvia: Tchau, filha! Que Deus a proteja e que você não sofra… É só o que eu peço. O menina teimosa essa…

***

Na casa de Geórgia, Manuela e Samara conversam…

Samara: Essa é a segunda vez que ela me agride… Eu não agüento mais.

Manuela: Eu a entendo, Samara, e sei que a Geórgia não é nada fácil, mas você também pega pesado demais com ela, é sua mãe, meu anjo. Apesar de tudo, ela é sua mãe e isso você não pode mudar, deve respeitá-la, não pode falar essas coisas que você fala, senão, vocês vão viver brigando, e eu não quero isso. Só faz mal, às duas…

Samara: Eu só falo a verdade, tia… Eu sei que ela ama o Alberto e nunca foi correspondida, por isso ela é assim, tão amarga.

Manuela: Nunca mais repita isso, Samara, para o seu próprio bem. A Geórgia, já passou por alguns sofrimentos na vida, isso amadurece as pessoas, mas também, as tornam mais duras, frias, sem paciência e até mesmo, infelizes. E depois, não fica bem você ficar falando do Alberto aqui em casa, o seu pai pode escutar… Olha, toda vez em que a Geórgia te falar algo, releve, deixe-a falar sozinha, uma hora ela se cansa. Ninguém agüenta falar sozinho e depois, é como a minha mãe já dizia : “Quem fala cansa e quem cala, vence!”… Aprenda isso meu amor.

Samara: Prometo que vou tenta, tia. Pela senhora, eu vou tentar. Eu só não consigo perdoá-la por causa do Raul… Ela não tinha o direito de afastá-lo de mim.

Manuela: Você não tem certeza disso, minha filha. Esqueça isso, Samara e toque a sua vida pra frente. Seja feliz com o Danilo, que te ama de verdade.

Samara: Eu vou esquecer… Tudo o que eu mais quero agora é ser feliz com o Danilo.

Manuela: Isso, é assim que se fala…

Nesse momento, Francisco chega.

Francisco: Que tanto vocês duas conversam, hein?

Manuela (Sorri): Oi, Francisco. Eu estava aqui dando uns conselhos para a Samara.

Samara: Oi, pai. Nós estávamos falando sobre a vida, só isso… Agora eu vou indo, porque o Danilo está me esperando… Tchau pra vocês. – Diz dando um beijo em cada um.

Manuela: Tchau, meu anjo.

Francisco: Tchau, filha.

Manuela: Ela parece estar tão feliz com o Danilo agora, não é?

Francisco: É sim… Demorou, mas finalmente eles estão se entendendo. Só espero que ela seja mesmo feliz, ela já sofreu demais com a história do Raul… Mas e sobre a nossa história, hein Manuela? Eu morro de saudades de você até hoje…

Manuela: Francisco, nós prometemos enterrar esse assunto junto com o passado. Vamos descer, porque a Geórgia já deve estar tomando café…

Francisco: Eu ainda amo você, Manoela… Eu nunca te esqueci, nem deixei de te amar todos esses anos. Eu deveria ter me casado com você e não com a Geórgia…

Manuela: Agora é tarde, o que está feito, está feito… E depois, eu não o amo mais.

Francisco: Será que não mesmo?

Nesse momento, Francisco beijou Manuela…

{Trilha Musical: Vinho Guardado – Nana Caymmi}

 

Manuela (Surpresa): O que é isso, Francisco? Você ficou maluco?

Francisco: Fiquei sim… Maluco por você!

Manuela: Nunca mais faça isso… Entendeu? Agora, vamos descer antes que a Geórgia suba e nos flagre aqui.

***

Geórgia: Maria… Maria…

Maria: Sim, dona Geórgia?

Geórgia: Todos já tomaram café?

Maria: O Vinícius e a Samara sim, eles saíram logo cedo.

Geórgia: Maria, quantas vezes vou ter que te explicar que você deve se limitar apenas em responder o que eu te pergunto? O Vinícius eu sei que saiu cedo, porque ele tem que trabalhar. A Samara não me interessa se saiu ou está em casa, se está viva ou se está morta… E o Francisco e a Manuela?

Maria: Desculpa, dona Geórgia. O Senhor Francisco e a dona Manuela ainda não desceram.

Geórgia: Vai até lá e fala que eu mandei eles descerem agora…

Manuela: Não precisa se incomodar, Geórgia. Nós já estamos aqui.

Geórgia: Mas que demora vocês dois, hein? Que tanto vocês faziam lá em cima?

Manuela: Nada, minha irmã… Nós apenas nos encontramos no corredor e descemos juntos, só isso.

Geórgia: Sei… Espero que seja só isso mesmo. Eu estou de olho em vocês dois, lembre-se que você esta na minha casa e que a qualquer momento a minha paciência pode se esgotar e ai você volta pro olho da rua… Maria!

Maria: Sim, dona Geórgia.

Geórgia: Pode terminar de arrumar a mesa do café, por favor.

Maria: Sim senhora.

Geórgia: Se tem uma coisa que eu detesto, é fazer as minhas refeições sozinha… Pode ser a pior companhia do mundo, eu prefiro a ter do que comer sozinha. Maria, traz logo as minhas torradas, que eu ainda tenho que sair.

***

ABERTURA:

Na faculdade, Ellen e Fernanda conversavam…

Fernanda: Então, o seu rompimento com o Marcelo é definitivo mesmo, amiga?

Ellen: É sim, Nanda. Mas, eu também não quero ficar falando nesse assunto.

Fernanda: Ok. E a Érica, a barriga dela já está aparecendo?

Ellen: Um pouco, ela se cuida muito, tem o corpo em forme e ainda está de três meses e meio né?

Fernanda: O Victor é doido para ter filhos, sempre comenta isso comigo… Mas eu não quero ter muito cedo, quero aproveitar mais a vida. E depois que a Érica tiver o bebê, aonde eles vão morar?

Ellen: Com a Geórgia, ela disse que faz questão. Só não sei se a Érica vai agüentar ela… Aquela mulher é insuportável.

Fernanda: Morar com sogra não dá, sendo uma Geórgia ainda é pra acabar com qualquer casamento. Deus nos livre!

***

Enquanto isso, na Styllus, Érica e Sheila, recebiam uma visita inesperada…

Geórgia (Sorridente): Bom dia, meninas!

Sheila (Sorri): Geórgia? Que surpresa… Bom dia!

Érica: Oi Geórgia, como vai?

Geórgia: Melhor agora, vendo vocês duas e o meu neto… – Diz passando a mão na barriga de Érica. – Como o tempo passa, meu Deus. Quem diria, eu, vovó? Mas vocês estão sumidas, hein?

Érica: É porque nós estamos trabalhando muito, graças a Deus! – Diz saindo de perto dela.

Geórgia: Pelo que eu vejo, a sociedade deu certo então?

Sheila: Eu acho que melhor, seria impossível, Geórgia. Depois eu e a Érica nos damos muito bem, e isso ajuda tudo a fluir melhor.

Geórgia: Eu sabia disso. Eu sempre tive bons olhos e bom faro para os negócios. E a gravidez, como está indo, Érica?

Érica: Tudo bem, graças a Deus! Eu não tenho enjoado mais, fui ao médico na semana passada e ele disse que esta tudo bem comigo e com o bebê. Enfim, está correndo tudo as mil maravilhas.

Geórgia: É, eu tenho percebido mesmo, através do Vinícius… Ele está muito feliz e a felicidade dele é a minha também. Agora só falta você e o Rodrigo, encomendarem um bebê também Sheila. Você não acha, Érica? – Pergunta a encarando e sorrindo.

Érica: Bom, isso quem tem que decidir são os dois, não compete a mim dar palpites na vida deles ou na de quem quer que seja.

Sheila: Eu quero muito confesso, mas o Rodrigo ainda não. Depois eu quero me casar primeiro, ai sim depois ter filhos. Bom, você aceita uma água, um suco, Geórgia?

Geórgia: Um suco bem gelado, por favor! Eu só vim fazer uma visita rápida, de médico como dizem. – Diz rindo e continua olhando para Érica. – Essa cidade faz um calor africano.

Sheila (Sorri): Nem me fala, eu vou pegar pra você.

***

No consultório, Marcelo daria um basta às provocações de Amanda…

Amanda: Entra. – Diz ao ouvir baterem na porta. – Rick? Que surpresa! Eu fiquei sabendo que a Ellen te deixou… Eu sinto muito, de verdade!

Marcelo: Cala essa sua boca imunda, antes que eu perca a cabeça! Você sabe muito bem que a Ellen me deixou, e que foi por sua causa…

Amanda (Sorri): Mas Marcelo, em Angra eu não tive culpa, foi a Ellen que me provocou.

Marcelo: Ah, sim… Como se eu não te conhecesse, não é Amanda? Olha, eu quero deixar bem claro que é para você se afastar de mim e da Ellen, entendeu? Eu vou voltar com ela ainda, se Deus quiser… Porque a gente se ama de verdade. Mas se isso não acontecer, eu quero você longe, do mesmo jeito. Eu não te amo mais, eu tenho nojo você… Você tinha tudo para me ter de volta, mas com essa sua perseguição, só conseguiu me afastar, cada vez mais. Eu tenho pena de você, Amanda, dessa pessoa que você se tornou. Se cuida e vê se me esquece… E não cruze mais o meu caminho, e muito menos o da Ellen. Entendeu? Porque senão, eu sou capaz de fazer até uma besteira, esteja avisada.

Amanda: Pode deixar, Celo… Que eu agirei na hora certa.

***

Na Styllus…

Érica: Sheila eu posso te perguntar uma coisa?

Sheila: Claro que pode, Érica.

Érica: É que nós estávamos falando de ciúmes e eu percebi uma coisa… Você não tem ciúme do Rodrigo comigo, né? Por quê?

Sheila: Não tenho mesmo, você é minha amiga, eu confio em você… Engraçado que eu acho que você é a primeira mulher, da qual eu não sinto ciúme com o Rodrigo. Mas, por que essa pergunta agora, Érica? Eu deveria sentir ciúmes de você com o Rodrigo?

Érica: Não… Claro que não! Que idéia, Sheila, eu amo o Vinícius… Foi só uma observação mesmo.

Sheila (Sorri): Que bom.

***

Na construtora, Francisco viajava em seus pensamentos…

{Trilha Musical: Vinho Guardado – Nana Caymmi}

 

Vinícius: Pai, aqui estão os relatórios que estavam faltando, o Alberto estava pensando se… Pai, pai o senhor está me escutando?

Francisco: Hein?! Você falou comigo, filho?

Vinícius: Falei sim, mas o que o senhor tem? Parece até que viu passarinho verde. Estava longe e sorrindo…

Francisco (Sorri): Quem me dera ter visto esse tal passarinho que todo mundo fala… Eu só estou de bem com a vida, apenas isso…

Alberto: Da licença. Francisco, aquele projeto, do qual eu te falei…

Francisco: Me desculpa, Alberto. Mas por hoje, eu não quero mais saber de negócios… Eu vou ao jóquei clube me divertir um pouco, espairecer, e só me procurem pra falar de negócios amanhã, até mais…

Alberto: Nossa! O que será que deu no seu pai, Vinícius? Nem parece aquele Francisco, sempre preocupado com os negócios.

Vinícius: Eu também queria saber viu, eu nunca vi o meu pai assim, tão… Distante.

***

Enquanto isso, na casa da Geórgia…

Samara: Entra, Danilo. Eu vou tomar um banho e já volto, meu amor…

Danilo: Pode ir, que eu te espero, amor.

Manuela: Samara, você já chegou? – Pergunta entrando no quarto.

Samara: Oi tia, já sim… Esse aqui é o Danilo, o meu namorado.

Manuela (Sorri): Prazer, Danilo. Como vai?

Danilo: Eu vou bem e a senhora?

Manuela: Bem também, graças a Deus.

Samara: Tia, você faz companhia para o Danilo, enquanto eu tomo banho?

Manuela (Sorri): Claro querida. Pode ir sossegada, que ele está em boas mãos… A Samara parece estar muito bem com você, Danilo.

Danilo: Pois é, demorou mas finalmente nos acertamos e eu espero que seja para sempre.

Geórgia: Danilo, meu querido! Você chega e ninguém me avisa… Como vai?

Danilo: Bem, e você sempre linda e com essa luz própria, hein, Geórgia?

Geórgia (Ri): Obrigada, meu querido. Você sabe ser encantador. Esse é o meu jeito Geórgia de ser, sempre com essa alegria de viver… E a Samara?

Manuela: Está no banho.

Geórgia: Manuela nos dê licença, eu vou roubar o Danilo, que eu preciso falar com ele.

Manuela: Claro, foi bom conhecer você, Danilo.

Danilo: Eu também adorei te conhecer, Manuela, até mais.

Manuela pensou em ir, mas resolver se esconder e escutar toda conversa…

Geórgia: Danilo, me responde uma coisa… Como está a sua relação com a Samara?

Danilo: Ah, Geórgia, melhor impossível… A Samara me disse que quer ficar numa boa comigo e esquecer de vez aquele tal Raul. Eu acho que finalmente, nós vamos nos entender.

Geórgia (Feliz): Que bom! Essa é a melhor notícia que eu poderia ter sobre vocês dois… Mas a Samara deixou isso bem claro, quero dizer, de que é isso mesmo o que ela quer?

Danilo: Não só deixou claro, como ela já até mudou o comportamento dela comigo. Ela não foge mais de mim, está mais carinhosa, mais amiga, enfim, tudo o que sempre sonhei está acontecendo.

Geórgia: Viu só como valeu à pena, nós termos afastado o Raul dela? Demorou mas finalmente, ela cedeu aos seus encantos.

Danilo: É verdade, mas não vamos mais falar nesse assunto, por favor! Às vezes, eu sinto um pouco de remorso com o que nós fizemos… A Samara sofreu muito…

Geórgia: Remorso de que? Seu bobo, é devido a nós que você e ela estão se entendendo… Nada melhor do que a felicidade, primeiro a nossa claro, depois em segundo, terceiro, ultimo lugar, a dos outros… Aprenda isso, meu querido. No amor e na guerra vale tudo, e só vence os melhores.

Manuela, escondida, ouviu tudo e ficou chocada…

Manuela: Meu Deus! A Geórgia e o Danilo, foram os responsáveis pelo afastamento do Raul com a Samara… Eles não tinham o direito de fazer isso.

Samara: Falando sozinha, tia?

Manuela (Branca): Que susto, Samara! É à força do hábito, nada demais… Eu vou para o meu quarto, até mais…

Samara: Que estranho…

 ***

No restaurante Sabor e Arte, Sheila e Rodrigo jantavam…

{Trilha Musical: Provocar – Núria Mallena}

 

Sheila: Eu adorei vir jantar aqui com você, Rodrigo.

Rodrigo: Não é porque eu sou o dono do restaurante, não… Mas o Sabor e Arte é demais… O ambiente, a música, a comida…

Sheila: Tudo isso, graças a você, meu amor. A todo seu empenho e dedicação.

Rodrigo: E ao meu sócio, o Victor também, não é?

Sheila: Eu não acho. Sem você, esse restaurante não seria o que é… O Victor é só um detalhe… Sabe, Rodrigo, eu convidei você pra vir aqui hoje, porque eu queria saber se eu ainda estou muito ciumenta, chata… Você mudou comigo, que eu já percebi…

Rodrigo: Em relação ao seu ciúme, eu tenho que admitir, você melhorou uns vinte por cento.

Sheila: Mas só isso? Eu jurava que fosse mais…

Rodrigo: Claro que não, Sheila! Ciúme, quando razoável e de vez em quando é bom, saudável e dá um tempero na relação, mas o seu, é demais, sufocante e você precisa melhorar mais sim.

Sheila: Só eu sei o quanto eu tenho me esforçado para controlar isso… Mas eu prometo que vou melhorar ainda mais… Tudo por você, pela nossa relação…

Rodrigo: Faça isso, mas primeiramente, por você. Você é quem mais sofre com tudo isso, até mais do que eu, que sou o seu namorado.

Sheila: Mas esse é o único motivo pelo qual você mudou comigo?

Rodrigo: Olha Sheila, eu nem sei como te falar isso…

Nesse momento, Érica e Vinícius chegam no restaurante…

{Trilha Musical: Beija Eu – Silva}

 

Sheila: Olha lá quem chegou, Rodrigo… A Érica e o Vinícius! Eu vou chamar eles para sentar com a gente…

Rodrigo: Sheila, não…

Sheila: Érica, Vinícius, sentem-se aqui conosco.

Érica: Oi Sheila, eu nem a tinha visto… Tudo bem?

Sheila: Tudo ótimo! Oi Vinícius.

Érica: Tudo bem, Rodrigo?

Rodrigo (Feliz): Tudo bem… Como vai Érica?

Érica: Eu vou bem, Rodrigo.

Sheila: Mas, por favor, sentem-se conosco.

Érica: Não, Sheila. Obrigada, mas nós não queremos atrapalhar.

Sheila: Atrapalhar o que, Érica? Nós somos amigos agora, e depois, o Rodrigo também faz questão que vocês fiquem conosco, não é Rodrigo?

Rodrigo: Claro que sim, por favor, sentem-se e fiquem à vontade.

Vinícius: Bom, sendo assim nós aceitamos, não é Érica?

Érica (Sorri): Sim, claro que sim.

Vinícius: Vocês não imaginam o sacrifício que é sair com a Érica, mas hoje eu consegui arrastá-la comigo.

Rodrigo: Você não gosta da noite, Érica?

Érica: Gosto, mas ultimamente eu tenho preferido ficar mais em casa, descansando. Acho que por causa da gravidez, eu tenho me cansado mais fácil.

Rodrigo (Sorri): Também agora o que não falta para vocês é trabalho, né?

Érica: É verdade, Rodrigo. Eu e a Sheila, temos trabalhado e muito. Estamos com muitos projetos solos, uns estão contratando apenas a Sheila para a planta de suas casas e outros, apenas a mim, para redecorarem suas casas… Fora isso, eu e a Sheila temos mais três projetos juntas, ela está fazendo as plantas e depois eu vou decorar… Nós estamos bem realizadas, não é Sheila?

Sheila: Sim, nos negócios e no amor, também.

Sheila beija Rodrigo… Érica disfarça e baixa o olha e depois olha sorrindo para Vinícius.

Vinícius (Sem graça): E vocês, quando se casam?

Sheila: Vai depender do Rodrigo, Vinícius… Por mim, nós já estaríamos casados, já teríamos filhos. Eu só estou esperando a vontade dele.

Rodrigo: Não é bem assim, Sheila… Nós temos que fazer planos, termos o nosso canto primeiro… Não da pra sair casando hoje em dia, sem planejar tudo diretinho.

Vinícius: Eu também não vejo à hora de me casar com a Érica… O primeiro filho já está a caminho… Agora só falta nós oficializarmos a nossa união.

Sheila: Pra quando é a chegada do bebê mesmo?

Érica: Para daqui cinco meses e meio…

Sheila: Vocês me dão licença, eu preciso ir ao toalete… Você vem comigo, Érica?

Érica: Não Sheila, fique a vontade.

Vinícius: Seu restaurante é muito agradável, a comida excelente, Rodrigo. Parabéns.

Rodrigo: Obrigado, Vinícius. Hoje ele está realmente, como sonhei…

Vinícius: Que bom. Com licença, eu já volto.

Nesse momento, Vinícius viu um casal de amigos e foi cumprimentá-los… Érica e Rodrigo ficaram sozinhos …

{Trilha Musical: As Dores do Mundo – Nila Branco}

 

Rodrigo: Eu não via à hora de ficarmos sozinhos… Eu não consigo esquecer você, Érica. Eu te amo… Eu estou enlouquecendo.

Érica: Rodrigo aqui não é hora, nem local pra isso. E depois eu já te pedi, vamos esquecer tudo isso, por favor… Eu vou me casar com o Vinícius…

Rodrigo: Só porque você está grávida dele, mas você não o ama de verdade. Eu sei.

Érica: E você ainda está com a Sheila, não é mesmo?

Rodrigo: Mas eu também não a amo!

Érica: Muita coisa mudou, Rodrigo. Não é só mais o fato de eu estar esperando um filho do Vinícius e você sabe disso. Eu e a Sheila agora somos sócias e amigas, você e o Vinícius estão se conhecendo melhor e ficando amigos… Nós não podemos continuar nos iludindo com algo que nunca vai acontecer. Já parou pra pensar quantas pessoas estão envolvidas nessa história? Além do Vinícius e a Sheila, tem a minha família, a família dele. Nós não podemos simplesmente chegar e destruir tudo isso, anos de convivência, uma sociedade que esta começando, amizades que estão se firmando, e principalmente um inocente que vai nascer e que irá precisar e muito do pai e da mãe dele juntos, do lado dele. Tem muita coisa em jogo, muita coisa contra nós.

Rodrigo: E a nossa felicidade, e o nosso sentimento? O que a gente faz, mata ele? Eu vou me separar da Sheila, eu não a amo mais e não posso continuar enganando ela assim… É você quem eu amo. Eu não esqueci aquele beijo, o nosso primeiro beijo… Eu acho que você esta se acovardando, Érica. Nós não podemos pensar primeiro nos outros, quando é a nossa felicidade que esta em jogo.

Érica: O que você chama de acovardar, eu chamo de bom senso. Tem coisas na vida, que não é pra ser e nós só podemos nos conformar com isso. E quanto ao beijo, não vai acontecer de novo. Nunca mais… E vê se disfarça agora, porque a Sheila e o Vinícius estão voltando…

Sheila: Eu demorei muito? Me perdoem, foi porque eu encontrei uma amiga no toalete, aquela minha amiga de faculdade, Rodrigo. A Joana.

Vinícius: Pronto. Já conversei com o meu amigo… Eu combinei com ele de sairmos juntos qualquer dia desses, amor… Bom, que tal pedirmos o jantar agora?

Sheila: Boa idéia, Vinícius… Eu estou faminta. E vocês?

Érica: Bom, eu e o meu filhote também estamos com fome, confesso. – Diz passando a mão na barriga.

Rodrigo (Sorri): Então vamos pedir, porque mulher grávida não pode esperar… Garçom, por favor!

***

Três dias depois, na Styllus…

Lívia (Empolgada): Meninas, eu tenho uma novidade para vocês…

Érica (Curiosa): O que foi Lívia?

Sheila: Conta, porque nós já estamos curiosas.

Lívia (Feliz): Eu finalmente passei no vestibular, vou fazer arquitetura, como a Sheila!

Sheila: Que legal Lívia, eu espero que você seja uma grande arquiteta.

Érica (Sorri): Com certeza ela vai ser… E quem sabe, você possa até se juntar com a gente, na sociedade…

Lívia: Obrigada meninas. É muito bom ter o apoio de vocês.

Sheila: Lívia, eu preciso que você vá até o banco, para mim fazer uns depósitos.

Lívia: Sim, eu já vou indo então que quanto mais cedo, melhor… Érica, você precisa de alguma coisa da rua?

Érica: Não, obrigada. Até mais, Lívia!

Sheila: Nossa! Eu já estou atrasada para o médico e o Rodrigo ficou de passar aqui e me pegar, mas até agora, nada…

Érica: Deve ser o trânsito dessa cidade, que esta cada dia mais caótico.

Sheila: Bom, de qualquer forma eu não posso mais esperar. Se ele chegar, diz pra ele que eu já fui… Eu vou pegar um táxi.

Érica: Tudo bem, pode deixar que eu falo.

Sheila: Tchau, Érica.

Érica: Tchau, Sheila. Agora eu vou dar uma arrumada nesses papéis lá em cima, porque está uma bagunça só… Daqui a pouco não achamos mais nada aqui…

Érica subiu as escadas, para arrumar os papéis, mas se esqueceu de uma pasta, e ao descer para pegá-la, escorregou e rolou escada abaixo…

{Trilha Musical: Tensão}

 

Érica (Apavorada): Ai, meu Deus… Eu estou sangrando… – Diz colocando a mão embaixo da barriga. – Socorro, socorro… Alguém me ajude, por favor!

Nesse momento, Rodrigo chegou e ao vê-la no chão correu desesperado…

Rodrigo: O que aconteceu, Érica? Você está sangrando!

Érica: Eu caí da escada, Rodrigo. Está doendo muito… O meu filho, eu não quero perder o meu filho, me ajuda, por favor.

Rodrigo: Calma, eu vou te levar pro hospital agora. – Diz pegando-a com todo cuidado no colo.

Rodrigo levou Érica ao hospital, onde ela foi atendida imediatamente. Em seguida, ele avisou a família dela…

Rodrigo: Oi, senhor Alberto, dona Silvia. Que bom que vocês chegaram.

Alberto: Foi você quem socorreu a nossa filha?

Rodrigo: Sim, foi eu mesmo. Eu cheguei lá na Styllus e ela já estava no chão… Ela caiu da escada.

Silvia (Angustiada): Meu Deus! O bebê… Que Deus proteja os dois. Me desculpa, mas você é quem mesmo?

Rodrigo: Eu sou o Rodrigo, namorado da Sheila. Também fui eu, quem bateu no carro da Érica…

Silvia: Ah, sim eu agora me lembro de você… Que bom que você esta sempre presente e salvando a Érica. Os médicos ainda não deram notícias? Eu quero ver a minha filha…

Rodrigo: Agora vai ser impossível, ela está lá dentro com os médicos. Procure se acalmar, logo nós teremos notícias.

Alberto: Você avisou o Vinícius, a família dele?

Rodrigo: Sim, eu liguei e falei com a Samara e ela se encarregou de avisar o Vinicius, e depois eles viriam para cá.

Alberto: Bom, então agora, só nos resta esperar… Fique calma, meu amor.

Silvia: Eu vou até a capela, rezar um pouco, Alberto.

Alberto: Eu vou com você, meu amor… Rodrigo qualquer notícia, por favor nos avise.

Rodrigo (Nervoso): Pode deixar, que eu aviso sim. Vai dar tudo certo, se Deus quiser.

***

Quinze minutos se passaram e Vinícius chegava com Samara…

Vinícius: Como isso foi acontecer, Rodrigo? Eu e a Érica não merecíamos isso.

Samara: Calma meu irmão, vamos aguardar os médicos. Pode ser que não tenha acontecido nada de grave… Vamos confiar.

Rodrigo: A Samara tem razão, Vinícius, pensamento positivo.

Vinícius: Obrigado Rodrigo. Ainda bem que você chegou e a socorreu logo… Eu serei eternamente grato a você, por isso.

Rodrigo: Não precisa me agradecer. Eu não fiz mais do que a minha obrigação… Graças a Deus, que e estava no lugar certo, na hora certa.

Silvia: E aí gente? Os médicos já deram alguma notícia?

Vinícius: Ainda não, dona Silvia…

Rodrigo: Olha o médico vindo ai…

Vinícius: E aí doutor? A Érica e o bebê estão bem?

Médico: Quem é o pai da criança?

Vinícius: Sou eu mesmo, doutor, Vinícius…

Médico: Eu lamento te informar, mas a queda foi muito brusca, ocasionando lesões e a hemorragia… Ela esta bem, mas perdeu o bebê.

Vinícius (Emocionado): Não, não pode ser… O meu filho não.

Silvia (Chorando): O meu Deus… A minha filha não merecia isso…

Rodrigo abraçou Vinícius a fim de confortá-lo. Samara e Silvia também se abraçaram e em seguida Alberto abraçou a esposa.

Alberto: Será que nós podemos ver a nossa filha agora, doutor?

Médico: No momento, não. Ela está sedada, descansando… Deve acordar daqui umas duas horas mais ou menos, aí vocês poderão vê-la, mas por favor, entrem de dois em dois, para não incomodá-la… Mais uma vez, eu sinto muito, se precisarem de mim é só chamar. Com licença.

***

Duas horas depois… Rodrigo e Érica ficaram um longo tempo abraçados e até se esqueceram de que Vinícius estava ali…

Érica: Muito obrigada por tudo, Rodrigo… Se não fosse você me socorrer, talvez nem eu estivesse aqui agora…

Rodrigo: Que isso? Nem me fale uma coisa dessas, Érica. O que eu fiz foi muito pouco, queria ter podido fazer mais por você, pelo bebê… Enfim, ter evitado que você passasse por tudo isso.

Sheila: Com licença, eu posso entrar?

Vinícius: Claro, entre Sheila. Eu vou aproveitar que vocês estão aqui com a Érica e vou tomar um pouco de ar, lá fora…

Érica: Coitado do Vinícius, ele está sofrendo demais…

Sheila: É, mas você tem que pensar somente em você, agora… Eu não vim antes porque o Rodrigo só me avisou há pouco… Eu deveria ter pedido a você que evitasse subir aquelas escadas. Eu me sinto até culpada de certa forma…

Érica: Ninguém tem culpa de nada. Quem poderia adivinhar, Sheila? Acho que foi uma fatalidade, aconteceu porque tinha que acontecer… Eu só quero sair logo desse hospital e deixar tudo isso pra trás agora.

***

Enquanto isso, Samara avisava seus pais…

Geórgia: Como é que é? Com assim perdeu o bebê?

Manuela: Meu Deus! O Vinny deve estar arrasado…

Samara: E está mesmo, tia… Ela foi descer a escada lá na Styllus e acabou escorregando e rolou escada abaixo, foi uma fatalidade do destino.

Geórgia: Também a Érica é muito teimosa… Viva pra cima e pra baixo, carrega peso, aposto que nem comer direito e nas horas certas, ela come. Enfim, ela procurou tanto, que achou…

Manuela: Agora não é hora pra isso, Geórgia, por favor… Vamos para o hospital.

***

Chegando no hospital…

Francisco: Como está a minha nora preferida?

Érica: Oi Francisco… Na medida do possível, estou bem.

Manuela: Oi Érica, eu sou a Manuela, tia do Vinícius.

Érica: Prazer, tudo bem?

Manuela: Tudo… E eu espero do fundo do meu coração, que você fique boa logo, viu meu anjo?

***

Dez minutos se passaram e era a vez de Geórgia entrar com Vinícius…

Geórgia: O minha querida… Eu sinto muito!

Érica: Obrigada, Geórgia.

Vinícius: Alguém virá dormir com você, meu amor?

Érica: A minha mãe vem, não se preocupe.

Geórgia: Que bom, porque o Vinícius está muito abalado, precisando descansar… Um golpe forte como esse acaba com as forças de qualquer um. Eu cansei de te avisar e você não me escutou, Érica… Você poderia ter ficado sem trabalhar até o bebê chegar… Poderia ter evitado escadas, enfim, deu no que deu…

Érica: Eu estava de três meses e meio, Geórgia. Muitas mulheres trabalham até dias antes de ter o bebê… E depois, gravidez não é doença!

Geórgia: Pode até não ser doença minha querida, mas que acidentes como esses podem e devem ser evitados, ah, isso pode… Depois fica fácil atribuir a culpa a uma fatalidade do destino, acho que isso deve ajudar a consciência ficar mais tranqüila não é mesmo?

Vinícius: Chega mãe! A Érica precisa descansar agora… E a senhora está muito nervosa…

Érica (Perplexa): Espera ai… Você está me culpando pela perda de meu filho, Geórgia?!

Geórgia: Sim, estou… Você é a única responsável pela perda do bebê sim, e principalmente, pelo sofrimento de meu filho.

Érica: Eu não posso estar ouvindo isso… Você é louca! Vai embora daqui agora, Geórgia! Ou eu chamo a segurança e peço pra eles te enxotarem daqui.

Nesse momento, Silvia chegou…

Silvia: Filha, o que está acontecendo aqui?

Vinícius: Mãe vamos embora, eu levo à senhora… Depois eu te ligo, amor. Beijo.

Geórgia: Vamos sim… E você Érica, vê se aprende a segurar melhor um filho da próxima vez… Passar bem!

Silvia: Mas o que deu na Geórgia, ela está louca?

Érica (Chorando): Calma mãe, por favor… Ela me culpou, pela morte de meu filho…

Silvia: Ah, mas eu vou lá falar com ela e agora…

Érica: Não mãe, deixa pra lá. Só fica aqui comigo.

Ellen: Oi Érica. O que aconteceu, eu cruzei com a Geórgia e o Vinícius e eles estavam discutindo.

Érica: Oi Ellen, só você mesmo, para me alegrar agora…

Ellen: Eu sinto muito, minha irmã. O que foi que aconteceu aqui?

Érica: Não foi nada, Ellen… Eu só acabei de conhecer a Geórgia de verdade, e do que ela é capaz.

***

 

FIM DO CAPÍTULO

(A imagem congela em Érica. Logo em seguida, surge um enorme Coração Partido sobre ela).

{O capítulo se encerra com a música: Nua – Ana Carolina}.

 

 

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”

Close