Corações Partidos – Capítulo 02

Corações Partidos – Capítulo 02

 

UMA NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

 

CAPÍTULO 2: QUEM AMA PERDOA.

 

{Trilha Musical: Mais Alguém – Roberta Sá}

 

Dia amanhecendo, um nascer do sol lindo em meio ao mar, a praia, trânsito, prédios, barulho de buzinas, o Cristo…

Fachada do prédio de Érica.

***

Silvia bate na porta do quarto de Érica…

Érica: Pode entrar.

Silvia (Sorridente): Bom dia, filha. Você está melhor?

Érica: Bom dia, mãe… Eu estou ótima, obrigada por perguntar.

Silvia: Que bom. A Lívia está aqui… Ela veio te ver.

Érica: Por favor, pede pra ela vir até aqui no quarto…

Silvia: Está bem. Se precisar de alguma coisa é só chamar. Lívia pode entrar, fique a vontade. Com licença. – Diz saindo e fechando a porta.

Lívia: Obrigada, Dona Silvia… Oi amiga, como você está?

Érica: Passado o susto, bem, graças a Deus! Ontem mesmo eu já até saí pra jantar fora com o rapaz que eu bati no carro dele. Pode? (Indaga sorrindo).

Lívia (Curiosa): Que história é essa? Me conta isso direito, Érica…

Érica contou tudo a Lívia, que ficou admirada com a história.

Lívia: É… Por tudo o que você acabou de me dizer, esse tal de Rodrigo, além de bonito, interessante e romântico, ainda gostou muito de você. E acho que você também gostou dele, não adianta negar. Então o que você está esperando para pegar o telefone e ligar pra ele?

Érica: Sinceramente, eu não sei, parece tudo perfeito demais. Sei lá, eu tenho receio desse tipo de felicidade, inesperada, fácil, ao alcance das mãos… Parece ser tudo um mar de rosas. O homem perfeito, na hora certa, e depois? É disso que eu tenho medo, entende? De quebrar a cara mais uma vez e sofrer de novo… E ver que o príncipe encantado, na verdade nunca passou de um sapo.

Lívia: Mas Érica, se você não tentar, não der uma chance pra vocês, como vai saber, hein?

Érica: É Lívia, você tem razão… Mas eu nem sei como vão ficar as coisas ainda, depois tem a Geórgia e tudo o que ela me falou ontem… A minha cabeça esta cheia.

Lívia: Esquece a Geórgia. Pelo que você me fala dela, ela gosta mesmo é de mandar na vida dos outros, pressionando, fazendo chantagem barata, e o pior é que ela consegue viu… Pra esse tipo de pessoa a gente não pode baixar a cabeça não.

Érica: Ah, mas isso eu não faço mesmo. Eu vivo batendo de frente com ela. Enfim, acho que vou pensar mais um pouco… Oi Marcelo, que surpresa boa. Entra. (Diz ao ver o cunhado abrindo a porta).

Marcelo (Sorri): Da licença… Eu vim visitar a minha cunhada predileta. Tudo bem Lívia?

Lívia (Sorri): Tudo bem, graças a Deus.

Érica: Predileta e única, não é mesmo? Mas desse jeito é bom sofrer acidente, porque o que eu tenho recebido de visitas e sido paparicada nas últimas vinte e quatro horas, vocês não acreditam… Confesso que eu não quero outra vida. (Diz rindo).

Marcelo: Isso porque você é muito querida, não é qualquer pessoa que tem esse privilégio, não. Mas eu vejo que está tudo bem, você me parece ótima.

Érica: Pois é, eu só sofri mesmo só um arranhão e esse corte na testa… Graças a Deus, não foi nada demais. A Ellen telefonou hoje e eu acabei contando tudo pra ela, porque ela disse que havia sonhado comigo e que estava preocupada, enfim… Achei melhor ela saber por mim, mas eu já a tranqüilizei fica sossegado.

Lívia: E quando ela volta?

Érica: Na próxima semana… Disse que elas estão aproveitando muito, a Fernanda e ela. E a Amanda, Marcelo… Parou de pegar no seu pé?

Marcelo: Quem me dera Érica. Aquela não tem mais jeito… É o meu karma.

Érica: Coitada da Ellen… Ela não pode nem ouvir falar no nome dela… Ai, nossa… Um momento.

Lívia: O que foi Érica? – Perguntou preocupada.

Marcelo: Você está bem?

Érica: Estou bem sim, só enjoando um pouco, deve ser algo que eu comi, logo passa.

Marcelo: Bom, agora eu tenho que ir. Na próxima semana eu quero preparar um jantar especial, para recepcionar a Ellen. Eu conto com vocês, hein? Melhoras cunhadinha, tchau Lívia.

Érica (Sorri): Obrigada e pode contar com a gente. Ela vai adorar…

Lívia: Tchau. Bom, eu também vou indo, amiga. Ainda tenho que ver um emprego que eu fiquei sabendo, é pra uma vaga de recepcionista num hotel. Torce por mim.

Érica (Sorri): Claro que sim, sempre. Você vai consegui Lívia. Eu tenho certeza.

Lívia: Deus te ouça. Melhoras para você, e, vê se procura esse Rodrigo de novo, viu… E esquece o Vinícius de uma vez por todas, que ele não te merece.

Érica: Está bem, eu prometo que vou pensar no seu caso…

Lívia: Tchau, Érica.

Érica: Tchau, Lívia… Boa sorte.

***

Uma semana depois, Ellen chegava de viagem…

Silvia: Érica, você não pode continuar assim minha filha. Amanhã mesmo, eu vou com você ao médico. Tem que ver o que esta se passando… Agora vem, vamos jantar.

Érica: Obrigada mãe, mas eu não estou me sentindo bem… Essa comida, esse cheiro… Eu já volto. (Diz e corre para o banheiro).

Silvia: Ah meu Deus! Será que é o que eu estou pensando… Alberto vem jantar.

Alberto: Hum… Silvia meu amor, essa comida está com um cheiro maravilhoso.

Silvia: Pelo menos você gostou, porque a Érica…

Alberto: Enjoando de novo? Onde ela está?

Silvia: Foi para o quarto, o cheiro da comida a fez enjoar! (Nesse momento a campainha toca) – Ué… Quem será?

Alberto: Deixa que atendo, meu amor… Ellen! Minha filha que saudades.

Ellen (Sorridente): Oi pai. Não vai me dar um abraço?

Alberto: Claro que sim. Oh filha, que saudades…

Ellen: Eu também morri de saudades, pai… De todos vocês.

Silvia: E a mamãe aqui, não ganha um abraço também?

Ellen (Sorri): Oi mãe… Claro, vem cá. Como vocês estão e a Érica?

Silvia: Está no quarto, ela não está se sentindo bem.

Ellen: O que ela tem? Eu vou lá vê-la rapidinho e já volto para o jantar… Esse cheirinho está uma delícia.

Alberto: Nossa filha caçula está linda. Não é mesmo, meu amor?

Silvia: Sim, é verdade. As duas são meninas de ouro. Deus nos abençoou muito, com duas filhas lindas e de bom coração.

***

Enquanto isso, no quarto de Érica…

Ellen: Oi maninha… Tudo bem por aqui?

Érica (Surpresa): Ellen! Como você está bonita… Que saudades minha irmã… Essa viagem fez muito bem pra você.

Ellen: Você também está linda, Érica.

Érica: Mas você não chegava só amanhã?

Ellen: Sim. Mas eu estava com tantas saudades que decidi vir hoje mesmo. E o Marcelo, tem vindo aqui?

Érica: Ele esteve aqui na semana passada, veio me visitar.

Ellen: Graças a Deus não foi nada grave, não é mesmo?

Érica: É sim, eu tive muita sorte.

Ellen: E você e o Vinicius, já se acertaram?

Érica: Ainda não. E eu não gostaria de falar sobre esse assunto agora. Ah, o Marcelo estava preparando um jantar surpresa para te receber amanhã. Ele já sabe que você chegou?

Ellen: Não, ainda não. Eu vim do aeroporto direto pra casa, depois eu falo com ele. Mas me diz o que aconteceu Érica. Você está diferente, mais alegre, mais cheia de vida… O que você não esta me contando, hein?

Érica (Sorri): É uma longa história… Foi quando eu sofri o acidente. Eu vou te contar tudo…

***

ABERTURA

Na casa de Vinicius…

Geórgia: O meu filho… Come um pouco vai, por favor!

Vinícius: Eu estou sem fome, mãe. Obrigado.

Geórgia: Mas você precisa se alimentar… A Érica e o fim desse namoro só está fazendo você sofrer.

Samara: Nada mais natural, depois de tudo o que ele fez com ela… – Diz passando pela sala.

Geórgia: Cale essa boca, Samara! Ninguém aqui pediu a sua opinião. Desculpa Danilo, mas a Samara tem o dom de me tirar do sério.

Samara: Como quiser, Dona Geórgia. Danilo vem, vamos subir por que o clima aqui hoje está pesado demais.

Danilo: Com licença, Senhor Francisco, Dona Geórgia…

Francisco: Fique a vontade, Danilo.

Geórgia: Francisco abre a porta pra mim, que a Sheila chegou. Esse barulho é do carro dela, eu já até conheço.

Vinícius: Eu vou para o meu quarto…

Geórgia: Mas nem pensar, Vinícius! Eu a convidei para você se distrair um pouco, conversar… Você não vai me fazer uma desfeita dessas, né?

Sheila (Simpática): Oi. Boa noite a todos.

Geórgia (Sorri): Sheila querida! Como vai?

Sheila: Bem e você? – Diz dando um beijo em Geórgia.

Geórgia: Melhor agora que você chegou… Tava sumida, não veio mais nos visitar.

Sheila: Muita correria minha amiga, mas não foi por falta de vontade viu… Oi Vinícius, tudo bem?

Vinícius (Sério): Oi Sheila. Tudo indo…

Geórgia: Sheila, você aceita algo para beber?

Sheila: Pode ser um suco, Geórgia, por favor.

Geórgia (Grita): Maria… Maria… Traz um suco de laranja para Dona Sheila e um para o Vinícius também. E para mim, champanhe, por favor.

Maria: Sim senhora. Com licença.

Vinícius: Mãe, eu não quero suco nenhum… Eu estou com um pouco de dor de cabeça.

Geórgia: O que é isso, meu filho? Que grosseria é essa? Acompanhe a Sheila. Não se deve nunca deixar uma mulher bebendo sozinha. Vocês me dão licença? Eu vou falar com o Danilo rapidinho e já volto. Fiquem a vontade, meus amores…

Vinícius olha sem graça para Sheila que sorri.

***

Enquanto isso, no quarto de Samara…

{Trilha Musical: Luz dos Olhos – Cássia Eller}

 

Danilo: Eu sei Samara, mas já faz dois anos que nós estamos juntos. Eu quero me casar com você. Eu te amo…

Samara: Acontece que eu não sou de casamento, Danilo… Poxa eu sempre te falei isso… Depois eu…

Geórgia (Sorri e abaixa o som): Uma proposta assim, eu não recusaria…

Samara (Nervosa): Você não sabe bater na porta antes de entrar, não? Que mania você tem de se esgueirar pelos cantos…

Geórgia: Me desculpa, Samara. É que eu não resisti, minha filha. E depois eu não estava me esgueirando como você disse, eu só vim falar com o Danilo… Olha eu dou a maior força pra vocês. Sabe que eu faço muito gosto nesse casamento, Danilo. Eu sempre gostei muito de você, como um filho até.

Danilo (Sorri): Sei sim, Geórgia. Muito obrigado. Mas está sendo muito difícil convencer a Samara a se casar comigo viu… Quase impossível, eu diria.

Geórgia: Samara, minha filha, diga sim para o Danilo. Você está perdendo um homem e tanto. Muitas mulheres fariam de tudo para estar no seu lugar, sua bobinha… E você fica ai, fazendo doce.

Samara: Escuta aqui, Dona Geórgia, a minha vida quem decide sou eu. Se o Vinícius permite que você faça dele um fantoche, que você controla e manda, o problema é dele e eu só tenho pena dele por isso. Mas comigo não! Eu sou maior de idade e vacinada, não preciso de você e nunca precisei, graças a Deus! Você nada mais é do que uma fracassada… Não fez as escolhas que julgava certas na vida e agora quer fazer as escolhas no lugar dos filhos. Me poupe… Eu tenho vida própria e vou ser feliz a minha maneira e garanto que não vou ser uma infeliz como você…

Nesse momento, Geórgia perde a cabeça e dá uma bofetada em Samara…

Geórgia: Quem você pensa que é, pra falar comigo desse jeito hein? Nunca mais fale assim comigo, sua ingrata. Você não entende nada da vida e nem das pessoas… Não estuda, não trabalha e acha que sabe alguma coisa da vida? Você não passa de uma menina mimada e mal educada, apesar do seu tamanho e da sua idade. Na sua vida e o que você faz dela, realmente eu não mando, mas enquanto você morar na minha casa, tem que me respeitar e obedecer sim, ouviu bem? Lá fora, longe daqui, você faz o que bem quiser… Mas aqui, mando eu! E se você se julga tão esperta assim… A porta da rua é serventia da casa. Tente viver lá fora sem estudar, sem trabalhar, sem ter um marido que lhe sustente e banque os seus caprichos pra você ver como a vida é dura. Garanto que você não chega nem na esquina, e ainda volta correndo pro colinho da mamãe aqui. Me desculpa todo transtorno, Danilo. E vê se qualquer dia desses traz a Amanda para jantar conosco eu adoro a sua irmã e estou com saudades dela. – Diz sorrindo.

Danilo (Sem graça): Pode deixar. Eu trago sim, Dona Geórgia.

Geórgia: E quanto a você Samara, chora, porque chorar faz bem! (Diz saindo do quarto).

Samara: Eu odeio essa mulher… Odeio!

Danilo: Não fala assim da sua mãe, Samara… Ela pode pegar pesado às vezes, ser dura com você, mas ela só quer o melhor para você e o Vinícius, como toda mãe quer para os seus filhos.

Samara: Você diz isso porque não conhece a Geórgia. Tudo que ela faz tem uma segunda intenção por trás, e normalmente do interesse dela. Depois ela nunca foi minha mãe, sempre foi mãe só do Vinicius. Dando sempre mais atenção pra ele, se preocupando só com ele, desde que eu sou pequena é isso, eu já estou até acostumada…

***

{Trilha Sonora: As Dores do Mundo – Nila Branco}

Na casa de Érica, sua irmã lhe dava a maior força…

Ellen: Nossa Érica! Mas pelo que você me contou, esse Rodrigo parece ser mesmo um príncipe encantado, um homem em extinção nos dias de hoje… Agora que você esta sozinha, terminou tudo com o Vinícius, você não deveria deixar esse partidão escapar… Afinal, o que te impede agora hein?

Érica: Eu não sei… Ta ai uma pergunta que eu adoraria saber responder. Talvez seja medo, insegurança. Eu também não gostaria que ninguém saísse magoado, ferido dessa história… Sabe, eu acho que pela primeira vez eu estou amando de verdade. Porque nem com o Vinicius em todos esses anos de namoro, eu senti algo parecido. Ele me disse umas coisas e agiu como um cavalheiro, como o Vinícius nunca disse ou foi… Eu não estou dizendo que o Vinícius não é educado, carinhoso, não é isso. Mas o Rodrigo é diferente e a gente nota essas coisas… O olhar dele, os gestos, as palavras… Ele te faz se sentir valorizada, especial, demonstra querer estar com você de verdade, ele é o tipo de homem que toda mulher procura. (Conclui sorrindo).

Ellen (Sorri): Érica, minha irmã… Definitivamente, você está apaixonada!

Érica: Será? (Indaga com entusiasmo).

Ellen: Ta na cara né? Só você ainda não percebeu… Bom, deixa eu telefonar para o Marcelo agora, que ele nem desconfia que eu já cheguei… Beijo maninha.

***

{Trilha Sonora: Ink – Coldplay}

 

Casa noturna…

Marcelo (Sem paciência): Amanda, larga do meu pé. Eu amo a Ellen! O que houve entre nós já acabou faz tempo… Vê se me esquece. (Diz chegando ao balcão e pedindo uma cerveja).

Amanda: Ai que você se engana meu amor… O que houve entre nós ainda não acabou, e vai ter volta. Você vai ver, eu não sou mulher de desistir fácil não. E depois, eu nunca te esqueci… Eu te amo! (Diz dando um beijo no rosto dele).

Marcelo: Para de gracinha, vai… Onde esta o Victor?

Amanda: Ele está ali, conversando com um amigo.

Marcelo: Ah… Sim, já vi. Eu vou ao banheiro e já volto. Depois eu vou pra casa que aqui já deu pra mim. Sem a Ellen, nada tem graça.

Amanda: E você diz isso na minha cara? Seu cretino! Volta aqui… – Nesse momento o celular de Marcelo que ele esqueceu no balcão, começa a tocar. – Marcelo o seu celular esta tocando… Deixa eu ver… É a Ellen. Interessante. (Diz sorrindo e atende ao telefone).

Ellen: Alô, oi meu amor… Sou eu. Eu tenho uma surpresa pra você… Adivinha de onde eu to falando? Do Rio! Eu já voltei e estou morrendo de saudades de você. (Diz toda alegre).

Amanda: Oi Ellen, tudo bem? É a Amanda… Me desculpa atender o celular do Marcelo, mas é que o meu amor não pode atender no momento. Obrigada e tchau! (Amanda desliga e ri muito).

Ellen: Amanda… Amanda! (Grita) – Desgraçada! O Ricardo me paga, eu mato ele.

Érica (Preocupada): O que foi Ellen? Eu ouvi os seus gritos do corredor…

Ellen: Aquela ordinária da Amanda de novo, Érica! Eu acabei de ligar pro celular do Marcelo, e adivinha só… Foi ela quem atendeu. Cumprimentou-me e disse que, o amor dela não podia atender no momento, depois desligou na minha cara! Ah mas eu vou matar o Marcelo hoje… Ele pensa que vai aprontar comigo e vai ficar por isso mesmo, eu vou mostrar pra ele que comigo ele não brinca.

Érica: E onde eles estão?

Ellen: Pelo barulho e música no fundo, devem estar numa casa noturna. E dever ser a mesma onde nós costumamos ir. Mas eu vou até lá agora, tirar essa história a limpo. (Diz pegando sua bolsa).

Érica: Ellen espera, pega leve… Você sabe que a Amanda gosta de provocar, o Marcelo te ama e jamais te trairia…

Ellen: Será mesmo? Eu já não sei de mais nada. Mas deixa comigo, que eles vão ver só.

Érica: Espera, eu vou com você…

Ellen: Não precisa. Eu vou levar a Fernanda comigo, pois eu tenho certeza de que o Victor está com ele…Tchau!

Érica: Ta. Mas vê se não vai fazer nenhuma besteira hein? Tchau! (Diz preocupada).

***

Enquanto isso na casa de Geórgia…

Geórgia (Sorrindo): Voltei meus amores! Sheila, onde está o Vinícius?

Sheila: Ele subiu, disse que estava cansado.

Geórgia: Eu não to acreditando nisso! E deixou você sozinha? Bom, mas realmente ele está precisando descansar. Não tem sido fácil pra ele, coitado.

Sheila (Sorri): Geórgia, quando é que você vai desistir de querer nos unir, hein?

Geórgia: Sabe que eu já estou quase desistindo… Sim, porque desse mato não sai cachorro, mas nem que eu vire mágica e tire um coelho da cartola. (Diz rindo) – O Vinícius ultimamente só sabe ficar pelos cantos pensando na Érica. Ah, se eu pudesse varreria essa mulherzinha do planeta, viu.

Sheila: Geórgia, ele ama essa Érica, o que é que tem demais nisso? O que você tem contra a ela, me diz?

Geórgia: Nada! Só tenho a seu favor, claro. Eu queria ver você com o Vinícius e não com ela. E depois ela tem esnobado muito ele e eu detesto quando fazem pouco caso do meu filho. Eu só espero que esse término de namoro seja pra valer agora e que eles não voltem a ficar juntos, nunca mais.

Sheila: Geórgia, nada nesse mundo é do jeito que nós queremos, ainda mais quando se trata dos outros né? O Vinicius ama a Érica e eu amo o Rodrigo e é assim que nós queremos, é assim que somos felizes. Entenda isso de uma vez! Eu e o Vinny somos quase irmãos, nos conhecemos desde crianças…

Geórgia: Mas vocês já namoraram.

Sheila: É verdade, mas um namorico de adolescência, sem importância… Nós éramos jovens demais e ainda não sabíamos o que queríamos da vida. Hoje somos adultos e sabemos muito bem o que queremos. Geórgia, eu adoro você, o Francisco, a Samara e o Vinícius, vocês são como uma família pra mim. Mas entre eu e o Vinny sempre vai ser só amizade. Agora eu preciso ir, porque o Rodrigo está me esperando. Boa noite, querida. Tchau.

Geórgia: Tchau, Sheila! E vê se você aparece mais vezes aqui em casa, hein?

Danilo: Geórgia, eu já vou indo.

Geórgia: Mas já Danilo?

Danilo: Já. Amanhã eu pego cedo no plantão. Boa noite.

Geórgia: Tchau… Boa noite.

Francisco: Geórgia, você não vem se deitar?

Geórgia: Não! E some da minha frente, Francisco!

Francisco: Mas o que foi que eu fiz?

Geórgia: Você existe. E isso para mim já basta! Vai, me deixa sozinha! Oh meu Deus, ninguém me entende nessa casa. Eu só quero a felicidade de todos… Está certo que a minha maneira, mas eu quero. Depois eu sei o que é melhor pra eles… Principalmente pro meu filho, que é o único que me importa nesta casa…

***

Na casa noturna, Ellen aprontaria um escândalo…

Fernanda: Ellen, eu não estou vendo nenhum deles aqui. Vai ver já foram até embora, é melhor a gente ir também.

Ellen: Calma Fernanda! Nós ainda nem vimos no segundo andar. Vem, vamos subir…

No segundo andar, Marcelo dançava com Amanda…

Amanda: Sabia que eu adoro dançar assim, coladinha com você, Marcelo?

Marcelo: É. Mas é só essa dança, viu… Depois eu vou embora e você me deixe em paz!

Nesse instante, Amanda viu Ellen e beijou Ricardo…

Ellen: Olha Fernanda, eles estão lá… Que cachorro! Eles estão se beijando… Eu não to acreditando nisso. Mas ele vai ver só comigo… (Disse indo feito um furacão pra cima deles) – É desse jeito que você me ama, Marcelo?

Marcelo (Surpreso): Ellen! Você já voltou?

Ellen: Já sim. E a tempo de pegar você com essa biscate!

Amanda: Vê lá como fala comigo… Sua patricinha mimada.

Marcelo: Ellen, não é nada disso que você está pensando, meu amor… Me deixa explicar, por favor.

Ellen: Sai de perto de mim, Marcelo! E você fique sabendo sua vagabunda, que eu prefiro mil vezes ser patricinha mimada, do que ser uma ordinária como você, que dá em cima do namorado das outras.

Amanda: Agora você vai ver quem é vagabunda…

Ellen: Vem, pode vir… Sua ordinária!

Marcelo: Parem com isso, vocês duas! Olha o escândalo! Victor… Victor… Me ajuda aqui.

Fernanda: Você também por aqui, Victor?

Victor: Oi Nanda, que bom que você voltou meu amor…

Marcelo: Chega! Vamos Ellen, eu levo você pra casa. E você Amanda, desaparece da minha frente!

Fernanda: E você Victor, vem comigo que em casa a gente conversa.

Todos saíram da boate para resolverem seus problemas e Amanda continuou lá sozinha, rindo de tudo e de todos, enquanto dançava…

***

No meio do caminho…

Marcelo: Ellen, acredita em mim, por favor! Eu amo você! A Amanda me persegue e você sabe disso. Eu fui naquela casa noturna só com o Victor, nós estávamos preparando um jantar pra recebermos vocês amanhã, a gente nem desconfiou que vocês viriam hoje… Nós encontramos a Amanda lá e ela, como sempre, não desgrudou de mim. Acredite em mim, por favor! Você sabe como ela é…

Ellen: É? E quando eu telefonei para você… Ela estava com o seu celular, foi ela quem atendeu…

Marcelo: Você me telefonou?

Ellen: Sim. E agora, o que o senhor me diz?

Marcelo: Espera aí… Agora eu me lembro! Eu fui ao banheiro e deixei o celular em cima do balcão, deve ter sido quando você ligou e ela atendeu… Ela deve ter deduzido que você viria até aqui. Por isso ela insistiu tanto para dançarmos e quando viu você chegar, me beijou…

Ellen: Simples, não é Marcelo? Ma eu acredito em você, até porque eu sei muito bem quem é a Amanda e do que ela é capaz. Eu amo você, meu amor…

Marcelo: Eu também te amo, Ellen. Vamos matar a saudade, então? Me dá um beijo…

Ellen: Agora não! Eu estou cansada da viagem e quero ir para casa. Você me leva?

Marcelo: Só depois que você me der um beijo…

Ellen: Pronto.

Marcelo: Eu amo você, sua boba! Quero que você saiba que não tem Amanda e nem ninguém nesse mundo, capaz de me fazer te esquecer…

***

Na casa de Victor…

Fernanda: Será que a Ellen perdoou o Marcelo?

Victor: Eu acho que sim, Nanda. Ou então ela ainda não sabe quem é a Amanda, né? Todos nós já sabemos…

Fernanda: É verdade… E o senhor, estava com alguém lá?

Victor: Não! Nós só saímos pra distrair um pouco e também pra combinar uma recepção para vocês amanhã. Mas vocês estragaram tudo agora…

Fernanda: E nós é quem fizemos à surpresa… Que barulho é esse?

Victor: Deve ser o Igor no computador, eu nunca vi igual, ele fica na internet o dia todo! Corresponde-se com moças que nunca encontra, moças que ele não conhece e nem marca encontro para conhecer. Nem parece meu irmão…

Fernanda: É, mas o senhor não se esqueça que também se correspondia pela internet e que foi assim que nos conhecemos.

Victor: Mas eu sou bem diferente dele, não ficava só no virtual não. Corria logo pro abraço…

Fernanda: O Igor só é tímido, Victor, só isso. Já você, sempre foi atirado demais.

Victor (Sorri): Mas é assim que você gosta, não é?

Fernanda: É sim…

Victor: Então agora vamos parar de falar no Igor… Vem cá vem…

Os dois começaram a se beija ali mesmo no sofá e não demorou muito para que o clima esquentasse e eles fossem para o quarto…

***

Na casa de Rodrigo, Sheila conversava com as paredes…

Sheila: Sabe hoje eu fiquei com pena da Geórgia, ela e a Samara tiveram uma discussão horrível! Ela pensa que eu não ouvi, mas eu ouvi tudo… Rodrigo… Você está me escutando? Rodrigo…

Rodrigo: Oi? O que foi que você disse?

Sheila: Onde é que você estava? Eu estou falando há horas com você, meu amor…

Rodrigo: Pensando na vida… Como foi lá na Geórgia?

Sheila: Era exatamente disso que eu estava falando, agora já não tem mais importância.

Rodrigo: Então, vamos dormir?

Sheila: Eu não quero e nem estou com vontade de dormir, meu amor… Poxa você quase não me dá mais atenção.

Rodrigo: Isso não é verdade, eu só estou cansado e com muito sono, Sheila. Amanhã eu tenho que ir cedinho pro restaurante resolver uns problemas… Boa noite! (Diz dando um beijo nela e se virando pra dormir).

Sheila: Fazer o que? Então ta, boa noite!

***

No dia seguinte, Silvia acompanhava Érica ao médico…

Silvia: E então Doutor Xavier, o que a Érica tem?

Dr. Xavier: Nada de grave e que com acompanhamento médico, tudo certinho, não passe daqui a nove meses… Ela está grávida! (Disse sorrindo).

Érica (Surpresa): Eu… Grávida?

Dr. Xavier: Exatamente. Você está com quatro semanas de gestação.

Silvia: Mas então era por isso que você estava enjoando tanto filha… Que boa notícia. (Diz toda feliz).

Dr. Xavier: Bom, eu quero acompanhar a sua gravidez e lhe fazer algumas recomendações…

Érica já não ouvia nada do que o médico dizia, ela só pensava em Rodrigo. Já do lado de fora do consultório…

Silvia: E agora… O que você vai fazer filha?

Érica: Bom, o que deve ser feito e o que é mais certo, afinal essa criança vai precisar de um pai não é mesmo? A senhora não se importa em pegar um táxi agora, mãe?

Silvia: Claro que não filha, por quê?

Érica: Porque eu tenho que resolver esse assunto, e agora… (Disse decidida).

***

Enquanto isso, na casa de Geórgia…

Francisco: Pode entrar.

Samara: Bom dia, pai!

Francisco: Bom dia, filha!

Samara: Eu trouxe o seu café na cama, já que não desceu hoje para tomar…

Francisco: Obrigado, filha. Cuidado que assim eu fico mal acostumado, com tanto mimo… (Diz sorrindo) – Samara, o que foi que aconteceu ontem, eu escutei você e a sua mãe discutindo.

Samara: Não foi nada não, pai. Ela só se meteu na minha vida de novo, e na frente do Danilo. Eu detesto quando ela faz isso… Ainda por cima fez questão de me humilhar na frente dele.

Francisco: O minha filha… Vem cá, não fique assim, você sabe como é a sua mãe. Deixe-a falar sozinha que ela para.

Samara: Ah me desculpa mas não dá pai, ela me tira do sério… Depois eu não tenho sangue de barata.

Francisco: Quando eu penso que tudo poderia ser tão diferente… Me desculpa, filha… Por tudo.

Samara: Que conversa é essa, pai? Te desculpar pelo o que?

Francisco: Por eu ter sido um fraco, e por não ter dado a você uma família de verdade, a que você merecia e tinha todo o direito.

Samara: Que isso pai? Do que o senhor está falando? Você é o melhor pai do mundo… O único problema dessa família, é a dona Geórgia.

Francisco (Com olhar perdido): Não é nada não, Samara… Deixa pra lá. Bora tomar café comigo? Você trouxe muita coisa nessa bandeja, da pra nós dois e ainda sobra…

***

{Trilha Sonora: As Dores do Mundo – Nila Branco}

Em frente à casa de Geórgia, Érica estava parada dentro do carro e hesitava em entrar… Ela começou pensar em Rodrigo, enquanto olhava para o cartão que ele lhe dera no restaurante…

Érica (Pensando em off): Rodrigo Campana, endereço e telefone. É… Infelizmente agora não tem mais jeito. Se aconteceu assim, é porque tinha que ser assim e vai ser melhor para todos nós…

Érica rasgou o cartão de Rodrigo e desceu do carro. Logo depois, ela entrou na casa…

Geórgia: O Vinicius, filho, não fique triste meu filho… Vai ser melhor assim, você vai ver.  Quem será agora? (Indaga ao ouvir a campainha tocar) – Maria… Atende a porta!

Maria foi até a porta e abriu para Érica, que entrou em seguida…

Érica: Bom dia Geórgia, Vinícius.

Vinícius (Surpreso): Érica?

Érica: Geórgia, será que você poderia nos dar licença? Eu preciso ter uma conversa com o Vinicius, em particular…

Vinícius: Vai mãe, por favor.

Geórgia: Está bem. Mas veja lá o que vai falar com ele, hein… O meu filho já sofreu demais. (Diz saindo da sala).

Vinícius: Pode falar Érica… Senta, fica a vontade.

Érica: Não, eu estou muito bem de pé. O que eu vim te dizer vai ser rápido… Eu vim para dizer que eu resolvi te dar mais uma chance e que eu quero voltar para você…

Vinícius (Feliz): Eu não to acreditando… Érica, eu amo você! Me desculpa, eu prometo que nunca mais vou te trair ou magoar, eu juro, meu amor…

Érica: Eu ainda não acabei… Eu vim te dizer também que eu só aceitei te dar essa chance, por causa do nosso filho, que não tem nada a ver com as suas burradas, mas que fique bem claro, que é a última vez que eu te perdoou… Eu estou grávida. Você vai ser pai.

Vinícius: O que? É sério isso? Meu Deus… Quanta felicidade… Eu vou ser papai! É demais pro meu coração isso… Eu vou me casar com você, Érica. E vou te fazer a mulher mais feliz desse mundo!

Vinícius emocionado abraça Érica, que não esboça nenhuma reação ou sorriso… Atrás da porta, no escritório, Geórgia ouvia tudo e não gostara nada da notícia de dentro em breve ser vovó, ela estava com ódio de Érica.

***

FIM DO CAPÍTULO.

(A imagem congela em Geórgia. Logo depois um enorme Coração Partido surge sobre ele).

{O capítulo se encerra com a música: As Dores Do Mundo – Nila Branco}.

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”