Corações Partidos – Capítulo 01 (Especial de Estreia)

Corações Partidos – Capítulo 01 (Especial de Estreia)

UMA NOVELA DE:  EDUARDO MORETTI                                                                      

CAPÍTULO 1: AMOR A PRIMEIRA VISTA!

{Trilha Sonora: Aquele Abraço – Sambô}

Imagens do Rio e de todos seus cartões postais aparecem, dia ensolarado… Corcovado, pão de açúcar, o Cristo, as praias, calçadão, trânsito. Depois mostra a fachada de uma mansão na Barra.

{Legenda: Rio de Janeiro, dias atuais…}

 

Residência de Francisco e Geórgia Fontenelle – Barra da Tijuca.

 

Vinícius (Sorrindo): Oi meu amor… Tudo bem?

Érica (Séria): Bom dia Vinícius. Eu preciso ter uma conversa muito séria com você.

Vinícius: Entra Érica… O que foi que aconteceu? Você está me deixando preocupado…

Érica: Deixa de ser cínico Vinícius! Eu vi você ontem naquela casa noturna em Copacabana… E você estava muito bem acompanhado de uma mulher. Agora nem tente me enganar que eu sei que você também me viu.

Vinícius (Sem graça): Ah, agora eu to me lembrando… Você deve estar falando da Cíntia. Ela é uma amiga minha dos tempos da faculdade. Fazia mais de cinco anos que eu não a via, e acabamos nos encontrando por acaso ontem, foi isso.

Érica (Grita): Chega de mentir, Vinícius! Eu não agüento mais as suas mentiras. Eu vi vocês dançando, se acariciando, se beijando… Será que você não percebe que mentir para mim é o que mais me dói?

Vinícius: Está bem Érica… Eu admito que trai você, mas foi coisa de momento meu amor, já passou. Eu fui fraco e não pensei em nós, no nosso amor… Me perdoa Érica, por favor! Eu amo você e prometo que nunca mais vou te trair…

Érica (Chorando): E não vai mesmo… Acabou Vinícius! Eu cansei das suas traições e das suas desculpas esfarrapadas. Se você me amasse mesmo, nunca teria me traído, e olha que essa não foi à primeira vez. Agora vê se me esquece, ta bom? Eu não quero te ver nunca mais. Adeus…

Vinícius: Érica não faz isso, por favor! Volta aqui meu amor… Eu amo você! Érica… Me perdoa! (Grita desesperado).

Vinícius amava Érica… Do seu jeito, mas amava. Ele, na verdade, era um mulherengo convicto e não agüentava ver uma linda mulher na sua frente sem conquistá-la para ele, assim como um belo troféu… Nesse momento, Geórgia, sua mãe, desce as escadas …

Geórgia: Vinícius, que gritaria foi essa, meu filho?

Vinícius (Preocupado): Era a Érica, mãe. Ela terminou tudo comigo.

Geórgia: Mas de novo? Eu só espero que dessa vez seja definitivo.

Vinícius: Mãe! Não diz isso… Você sabe que eu amo ela.

Geórgia: Pois não devia! Ela não lhe dá valor e nunca vai te fazer feliz como você merece. A Sheila sim, seria a mulher ideal para você, mas você demorou tanto em notá-la que ela já namora com o tal de Rodrigo. Vinícius, meu filho, esquece a Érica de uma vez por todas. Você é um rapaz rico, bonito, charmoso… Com certeza irá encontrar alguém melhor do que ela, que te mereça e o aceite como você é. Afinal, é da natureza do homem trair, e toda mulher que ame o namorado, noivo ou marido de verdade, tem que entender e aceitar isso… Vocês homens não raciocinam direito quando o assunto é mulher. São fracos, mentirosos e traidores, fazer o que? É assim desde que o mundo é mundo… Depois o que importa é ser a titular, isso sim nos garante não sair de um casamento com uma mão na frente e outras atrás, mas algumas mulheres hoje em dia ainda pensam primeiro com o coração e depois com a razão, por isso é que se ferram.

Vinícius: Eu amo a Érica mãe… E é com ela que eu quero me casar e ponto. Ela não é interesseira como a maioria das mulheres é. A Érica é diferente, é especial… Por isso eu me apaixonei por ela.

Geórgia: Maldita hora em que o seu pai se uniu em sociedade na construtora com o pai da Érica viu… Foi devido a isso que tudo aconteceu, enfim, você e ela, e esse namoro que mais parece uma montanha russa com tantas idas e vindas…

Vinícius: Sinceramente eu não te entendo… O que a senhora tem contra os Fonseca, afinal? A Silvia, por exemplo, é sua amiga… Ou eu estou enganado?

Geórgia: Eu não tenho absolutamente nada contra eles e nem a favor. E depois, a minha amizade com a Silvia é puro marketing filho, já que os nossos maridos são sócios, você sabe muito bem como funcionam essas coisas… Enfim, agora eu preciso ir ao cabeleireiro, que eu tenho hora marcada. Fica com Deus, meu filho, e cabeça erguida. Assim como ela se foi, outras virão… Mulher é o que nunca faltou para homens bonitos, ricos e interessantes como você. Ah, eu já ia me esquecendo, você está proibido de procurar a Érica hein? Tchau!

Vinícius ficou pensativo, enquanto a mãe saia e resolveu ligar para o celular de Érica, mas só dava caixa postal… Érica saira sem rumo e muito atordoada, ela dirigia nervosa e chorando pelas ruas do Rio.

***

Do outro lado da cidade, no apartamento de Rodrigo, ele e Sheila discutiam mais uma vez por causa do ciúmes doentio dela.

Rodrigo (Impaciente): Sheila, eu não agüento mais esse seu ciúme doentio. Você me sufoca!

Sheila: Até parece que eu não tenho motivos para isso, não é mesmo? E aquela fulana com quem o senhor conversava no restaurante, será que foi imaginação da minha cabeça? Hein? Me responde!

Rodrigo: Sheila, eu não sei se você se esqueceu, mas eu sou sócio do Sabor & Arte. Aquela moça me perguntava alguma coisa sobre o cardápio, nada mais natural do que eu, como sócio do restaurante, atendê-la, ser educado e conversar um pouco. Afinal, eu devo e muito aos meus clientes, sem eles, o restaurante não seria o sucesso que é.

Sheila: Eu estive pensando Rodrigo, por que você não fala com o Victor e pede para ele ficar a frente do restaurante, recebendo os clientes e você cuida da contabilidade, hein?

Rodrigo (Nervoso): Isso é ridículo Sheila! O Victor é muito bom na contabilidade e depois eu sempre gostei de recepcionar os clientes, conversar com eles, fazer as honras da casa, enfim, ter o contato direto com as pessoas e passar uma boa imagem do nosso restaurante. Olha de verdade… Eu estou cansando do seu ciúme, dos seus pits, dos seus escândalos, de tudo! Agora, ou você muda e confia em mim, ou nós paramos por aqui. O que não dá é a gente continuar vivendo nesse inferno direto, brigando quase todos os dias e por motivos banais, sem o menos sentido… Eu gosto de você Sheila, eu jamais seria capaz de te trair… Agora se você não acredita em mim, eu infelizmente não posso fazer mais nada, sinto muito. Mas eu vou procurar alguém que pelo menos confie em mim. Tchau! – Diz saindo e batendo a porta.

Sheila (Implora): Rodrigo, eu amo você! Me perdoa, meu amor… Aonde você vai? Volta aqui, Rodrigo…

Rodrigo pegou o carro e saiu nervoso, sem rumo.

***

Na rua, Érica continuava dirigindo descontrolada e ao fazer uma curva seu carro se chocou com o carro de Rodrigo, que também dirigia acima da velocidade permitida. Ela ainda tentou freiar, mas era tarde demais… E os dois bateram.

{Trilha Sonora: Instrumental Tensão}.

 

Rodrigo (Preocupado): Meu Deus! Será que a moça está bem?

Rodrigo saiu do carro apavorado e foi ver como ela estava…

Rodrigo (Desesperado): Moça, você está bem? Fala comigo, moça…

Érica: Sim, eu estou bem. Foi tudo tão rápido, eu atravessei o sinal sem olhar, me desculpa…

Rodrigo: Não se preocupa com nada agora. Eu vou levar você para o hospital. Você ta com um corte feio na cabeça, tem que ver isso imediatamente.

Érica: Não precisa se dar ao trabalho… Eu já disse que estou bem, é só um corte. Os nossos carros sim, que não ficaram nada bem, não é mesmo? – Diz sorrindo e saindo do carro.

Rodrigo: É. Mas o importante mesmo é que não aconteceu nada com a gente. Me desculpa, eu nem me apresentei… Meu nome é Rodrigo. – Diz simpático.

Érica (Sorri): O meu é Érica, prazer.

***

Nesse momento, Rodrigo e Érica se olharam melhor e sorriram um para o outro, ao mesmo tempo em que sentiram uma forte atração um pelo outro, ao apertarem suas mãos… Como se fosse amor à primeira vista…

Rodrigo: Olha só, depois você leva o carro para consertar que eu pago, faço questão.

Érica: Mas de jeito nenhum… Nada disso. Eu fui à culpada, estava dirigindo feito uma louca, devo até ter ultrapassado alguns sinais pelo caminho…

Rodrigo: Eu ínsito e não acho justo. Eu também fui errado, estava dirigindo acima da velocidade permitida. Eu proponho a você que nós dois levemos nossos carros ao conserto então… Eu pago o seu, e você paga o meu. Dessa forma eu acho mais justo. O que você me diz?

Érica: Ok. Eu concordo com você e acho mais justo também.

Rodrigo: Ótimo. Eu também gostaria de lhe convidar para jantarmos juntos hoje à noite, como um pedido de desculpas, você aceita?

Érica: Eu acho ótimo, mas não sei… Bom, pode ser. Assim também a gente aproveita para apresentar um ao outro, o valor dos nossos prejuízos. (Diz sorrindo) – Combinado?

Rodrigo (Ri): Combinado! Eu vou anotar o seu endereço e as oito, eu passo pra te pegar.

Érica: Não… Eu acho melhor nos encontrarmos no restaurante mesmo, se você não se importar.

Rodrigo: Como quiser, você manda. Agora hospital, que nós vamos ver esse corte, sim senhora.

Rodrigo levou Érica até o hospital, onde depois de medicada, o médico lhe deu cinco pontos. Em seguida, ele a levou até a porta de casa… Já em casa, seus pais ficaram preocupados ao vê-la com um curativo na testa.

***

Silvia: Minha filha, o que foi que aconteceu?

Érica: Nada mãe, eu só bati com o carro, mas está tudo bem, foi só um arranhão.

Silvia: Graças a Deus! Mas como isso foi acontecer?

Alberto: O que foi isso na sua testa, Érica? (Disse o pai vindo do quarto).

Silvia: Ai Alberto, a Érica bateu com o carro…

Alberto: E está tudo bem?

Érica: Ta tudo bem sim, pai. O pior já passou.

Alberto: E o seu carro, como ficou?

Érica: Um pouco estragado, mas nada que um bom conserto não dê jeito. Agora o que eu preciso mesmo é de um bom descanso… A Ellen telefonou mãe?

Silvia: Sim, ela disse que volta na semana que vem e que está adorando Paris.

Érica: Se ela telefonar de novo, não fala nada sobre o acidente, eu não quero estragar a viagem dela e nem preocupá-la atoa por causa de uma bobagem

Silvia: Tudo bem, minha filha. Agora vá se deitar e descansar um pouco, vai.

Alberto: Érica, e o Vinicius, ele sabe que você sofreu um acidente?

Érica: Não pai. E eu não quero que o senhor o avise. Nós brigamos e eu terminei o namoro com ele.

Alberto: Mas por que isso filha? O Vinicius é um bom rapaz, você não deveria ter terminado com ele…

Érica: Acontece papai, que o bom rapaz como o senhor diz, me traiu mais uma vez e eu estou cansada disso. Chega… Agora não tem mais perdão.

Alberto: Érica, vocês dois ainda são novos, pense bem, minha filha… Pode ter sido uma coisa de momento, ele ama você. Eu acho que você deveria dar uma segunda chance a ele. Primeiro porque ele te ama e depois, porque eu sou sócio do pai dele na construtora.

Silvia: É minha filha, o seu pai tem razão, pense nisso direito.

Érica: Papai, o senhor e o Francisco tem a mesma quantidade de ações, portanto, o seu futuro na empresa não depende do meu namoro com o Vinícius. E depois, eu estou muito magoada com ele. E essas coisas não passam assim do nada, leva tempo. De qualquer forma, eu não quero mais. Essa não foi a primeira vez, e eu perdi a confiança nele, ponto.

Alberto: É minha filha, mas mesmo assim, pense direito, é a sua felicidade que está em jogo. Depois se a Geórgia cisma com a gente, ela é capaz de tudo! É ela quem manda na casa, no Francisco, nos filhos e até na empresa…

Érica: Mas ela não manda em mim e nem nos meus sentimentos. Depois a gente sabe que ela não gosta de mim papai. Se o senhor quer saber, a Geórgia deve estar até feliz porque eu terminei do filhinho dela.

Alberto: Pode ser, mas como o Vinicius é o filhinho predileto dela, mesmo não gostando de você, ela pode se voltar contra nós e ainda querer que você volte para ele, somente para vê-lo feliz.

Érica: Olha papai, eu entendo a sua preocupação, juro. Mas depois nós conversamos, eu estou muito cansada e vou me deitar um pouco que mais tarde eu tenho um compromisso.

Silvia: Compromisso? Com quem Érica? Você deve repousar, filha…

Érica: Eu vou jantar fora com o rapaz que eu bati no carro dele, ou que ele bateu no meu carro, eu já nem sei mais… E tudo por causa do Vinícius, porque eu sai da casa dele nervosa…

Silvia: Mas vocês batem um no carro do outro e depois saem para jantar?

Érica: E o que é que tem mãe? Nós acabamos ficando amigos… E depois nós combinamos de um pagar o conserto do carro do outro. Achamos que seria mais justo assim… Agora se vocês me dão licença, eu vou descansar um pouco.

Alberto: Que estranho… Nem parece a mesma Érica.

Silvia: Deixa Alberto, ela só está cansada.

***

Na casa de Rodrigo, Sheila cuidava dele…

Rodrigo: Ai Sheila, está doendo! (Diz tirando o braço ferido de perto dela que fazia um curativo).

Sheila: Desculpa meu amor… Mas como tem gente barbeira dirigindo por aí, meu Deus… E ainda por cima era mulher, só podia mesmo. Não são todas claro, eu por exemplo dirijo muito bem, mas tem umas…

Rodrigo: Preconceito bobo. Isso poderia ter acontecido com qualquer um, e depois eu também fui culpado.

Sheila: Rodrigo… Você me perdoa por ontem meu amor? Por todo aquele vexame que eu dei lá no restaurante?

Rodrigo: Perdôo Sheila, mais uma vez eu te perdôo sim, mas espero que você mude, porque eu não vou ficar te perdoando pelo resto da vida não. Que essa seja a última vez que você me apronta viu…

Sheila (Feliz): Pode deixar, eu prometo. O que você acha de sairmos para jantar hoje, meu amor? Assim aproveitamos para selar a paz no nosso namoro. O que me diz?

Rodrigo: É uma ótima idéia, mas só que hoje não vai dar Sheila. Eu tenho um jantar de negócios com o Victor e não posso faltar.

Sheila: Tudo bem, eu entendo. Amanhã então, combinado?

Rodrigo (Sem jeito): É… Amanhã.

***

Enquanto isso, na casa de Geórgia…

Geórgia: Samara minha filha, o Danilo ligou e disse que não te encontrou a tarde toda. Onde foi que você esteve?

Samara: Eu fui almoçar com uma amiga… Depois eu ligo pra ele.

Geórgia: Depois não! Liga agora! O Danilo é um ótimo rapaz, ele não merece ficar esperando, não.

Samara: Com certeza, né dona Geórgia? Ele é um ótimo rapaz e tem muito dinheiro, que é o que você mais gosta nele, não é verdade?

Geórgia: Não fale assim comigo Samara… Eu só quero o melhor para você e depois dinheiro por dinheiro, nós também temos e muito mais do que ele.

Samara: Pois é, mas dinheiro nunca é demais, não é assim que você sempre fala, mamãe? Depois eu ligo pra ele, do meu relacionamento cuido eu…Tchau!

Geórgia: Samara… Samara… Volta aqui. Sua ingrata!

Vinícius: Brigando de novo Dona Geórgia?

Geórgia: Eu não tenho culpa se a sua irmã me tira do sério. E como é que você está, meu filho?

Vinícius: Eu estou com o coração partido, mãe. Eu amo a Érica e acho que dessa vez não tem mais volta. Eu ferrei com tudo.

Geórgia: O meu filho, não fica assim. Ela não merece você…

Francisco: Boa tarde. Oi Geórgia, tudo bem meu amor? (Diz dando um beijo na testa da esposa) – O que foi que aconteceu Vinícius? Então você já está sabendo?

Vinícius: Sabendo do quê, pai?

Francisco: A Érica sofreu um acidente. Bateu com o carro.

Vinícius (Preocupado): A Érica? Meu Deus! Eu vou até lá agora… Ela está no Hospital? É grave?

Francisco: Calma Vinícius. Ela está em casa, não foi nada grave, ela só sofreu um arranhão.

Vinícius: Graças a Deus! A culpa é minha, se ela não tivesse saído daqui daquele jeito…

Geórgia: Vaso ruim não quebra fácil não, meu filho. E depois você não tem culpa de nada.

Francisco: Geórgia! Isso é coisa que se diga?

Geórgia: É verdade Francisco. Olha só o estado em que ela deixou o nosso filho. Quem ela pensa que é para terminar o namoro com Vinícius Fontenelle, hein? Ele é quem deveria ter terminado o namoro com ela e já há muito tempo se voe quer saber. A Érica com aquela carinha de santa e aquele topete de querer ser melhor que todo mundo, eu não suporto ela.

Vinícius: Eu vou até a casa dela, eu preciso vê-la e oferecer todo meu apoio…

Francisco: Não vai não Vinícius. O Alberto já disse que ela não quer ver você nem pintado de ouro. E depois, hoje ela tem mais é que descansar.

Geórgia: Pode deixar meu filho, amanhã, eu mesma irei vê-la e terei uma conversa séria com ela. Eu te prometo. (Diz e sorri pra ele).

***

A noite chegou, e era hora do jantar de Rodrigo e Érica…

{Trilha Sonora: As Dores do Mundo – Nila Branco}

 

Érica: Oi, eu fiz você esperar muito? (Indaga sorrindo).

Rodrigo (Sorri): Não, eu acabei de chegar. Você está linda! (Diz puxando a cadeira pra ela se sentar).

Érica (Sem jeito): Obrigada!

Rodrigo: Você esta melhor? Com licença, garçom o cardápio, por favor.

Érica: Sim, eu estou ótima. E você?

Rodrigo: Eu estou bem também. Obrigado por perguntar… Você quer que eu escolha pra você? É que eu sempre venho a esse restaurante e conheço o cardápio todo.

Érica: Sim, por favor. Pode escolher.

Rodrigo: O que foi Érica, você não parece estar muito à vontade?

Érica: É que eu acabei nem me arrumando direito e esse restaurante é chique demais.

Rodrigo: É, ele é sim. Mas ele ficou ainda mais chique depois que você entrou, linda e deslumbrante.

Érica: Desse jeito, você me deixa sem graça. (Disse baixando o olhar).

Rodrigo: Me desculpa, não foi a minha intenção. Eu só quis dizer que você é linda demais, com toda a sua simplicidade e simpatia. A roupa, o restaurante, nada disso importaria se não fosse o seu charme, a sua beleza e essa pessoa encantadora que você é.

Érica: Você também é encantador…

Por um minuto, os dois ficaram se olhando com um brilho no olhar, até que o silêncio foi quebrado por Rodrigo…

Rodrigo: Érica, você tem namorado?

Érica: Tenho… Ou tinha, eu já nem sei mais. Faz três anos e meio que estamos juntos. Eu o namoro desde os meus vinte e cinco anos e já estou com quase vinte e nove.

Rodrigo desanimou com a resposta que ouvira de Érica, pois, já achava que ela era a mulher ideal para ele. A mulher com quem ele sempre sonhara. Mas logo depois, suas esperanças foram renovadas…

Rodrigo: E porque você acha que não tem mais namorado?

Érica: Porque foi ele o culpado do meu acidente.

Rodrigo (Surpreso): Como assim?

Érica: É que no momento nós não estamos mais juntos, eu me separei dele. Ele me traiu e eu o flagrei… Hoje pela manhã, eu estive na casa dele, nós brigamos e eu terminei o namoro, foi quando eu sai desesperada, dirigindo feito uma louca, e… Bom o resto nós já sabemos…

Rodrigo: Sim. Eu sinto muito, Érica que tudo tenha terminado dessa forma entre vocês.

Érica: Não sinta, porque eu já não sinto mais. Agora eu quero mais é virar essa página e ser feliz.

Rodrigo: Você tem toda razão. E depois, se você não tivesse discutido com ele, nós não teríamos nos conhecido e essa é a parte boa dessa história toda. Só mesmo um louco, um estúpido, seria capaz de trair uma mulher como você… Eu nunca trai e nem trairia ninguém, ainda mais, se essa pessoa fosse você…

Érica: Mas não se iluda porque eu não sou tão perfeita assim, eu também tenho os meus defeitos. (Fala sorrindo).

Rodrigo: Duvido! Me diz pelo menos um…

Érica (Sorri): Deixa pra lá… Eu não quero te assustar logo no nosso primeiro jantar. Mas e você, tem namorada?

Sheila: Tenho sim. E ainda por cima, é muito ciumenta.

Érica não gostou do que ouviu, já que também se sentia envolvida por Rodrigo.

Érica: Ciumenta por quê? Você dá motivos pra isso?

Rodrigo: Não, ela é que é muito insegura mesmo. O acidente de hoje, também foi causado por ela. Nós brigamos porque ela me viu dando sugestões do cardápio, no meu restaurante para uma cliente. Daí ela cismou que eu estava tendo um caso com ela, pode?

Érica: Nossa, ela deve ser muito paranóica mesmo, desculpa. Quer dizer então que você é proprietário de um restaurante?

Rodrigo: Sou sim. Na verdade, eu sou sócio de um amigo, o Victor. Qualquer dia desses, eu vou te levar lá pra conhecer…

Érica: Que engraçado, eu e você tivemos um dia péssimo, brigamos eu com meu namorado e você com a sua, depois batemos nossos carros e agora estamos aqui, conversando e prestes a jantar juntos… Você não acha tudo isso uma infeliz coincidência?

Rodrigo: De forma alguma… Eu diria que é uma feliz coincidência, isso sim. Afinal, nos conhecemos e nos tornamos amigos, depois de termos uma manhã cheia de discussões e desilusões que resultaram em corações partidos e carros batidos. (Diz e sorri). – E depois, tudo acontece como tem que acontecer… Era pra ser assim, estava escrito.

Érica (Ri): Você acredita em destino?

Rodrigo: Sim, eu acredito que tudo está escrito, e que, tudo acontece na hora e no momento certo.

Érica: Eu também acredito um pouco… Bom, antes que eu me esqueça, aqui está a conta do conserto do meu carro.

Rodrigo: Amanhã eu passo lá e deixo tudo pago, e, como prometemos, aqui está a conta do meu também…

Érica: Eu também vou lá amanhã e deixo tudo acertado.

Rodrigo: Ah, agora a conta do restaurante é minha, já que a despesa do meu carro ficou um pouco maior que a sua, só para compensar. Tudo bem?

Érica (Sorri): Claro… Por mim tudo bem.

***

Enquanto isso na casa de Érica…

Silvia: Já vai… Geórgia? Que surpresa! (Diz ao abrir a porta).

Geórgia (Sorri falsa): Olá Silvia, como vai?

Silvia: Eu vou bem obrigada, e você? Entra e fica a vontade.

Geórgia: Bem, apesar de tudo… Eu fiquei sabendo que a Érica se acidentou. Eu iria vir só amanhã para ver como ela esta, mas o Vinícius ficou muito preocupado, que eu achei melhor vir hoje mesmo. Cadê ela? Como ela está?

Silvia: Sente-se Geórgia, por favor. A Érica está bem, graças a Deus, foi só um susto. Ela saiu com um amigo, mas já deve estar chegando.

Geórgia (Sarcástica): Bom, pelo visto ela está muito bem mesmo, já até saiu com um amigo. Mas ainda é cedo, eu vou aguardá-la se você não se importar é claro. É que eu preciso conversar com ela e tem que ser ainda hoje. (Diz séria).

Silvia: Claro, eu entendo.

Silvia sorri sem graça…

***

No restaurante…

Érica: Vamos então, Rodrigo? Eu estou um pouco cansada e com sono, acho que deve ser o efeito do remédio.

Rodrigo: Vamos sim, só um minutinho… Garçom, por favor, a conta.

Nesse momento, Érica se surpreendeu ao ver o garçom entrar com um buquê de rosas amarelas e somente uma vermelha no centro. Ela adorou …

Rodrigo (Sorri): São para você Érica, espero que goste…

Érica: São lindas, Rodrigo! Eu adorei… Obrigada. (Diz toda sorridente ao pegar o buquê).

Rodrigo (Charmoso): Elas só não são mais lindas que você.

Érica (Sorri): Que isso Rodrigo, desse jeito eu vou sair daqui me sentindo uma princesa e o que é pior, muito metida ainda por cima…

Rodrigo: Você já é uma princesa, Érica.

Érica: Mas, me diz uma coisa Rodrigo…

Rodrigo: Sim, fala.

Érica: Eu fiquei curiosa… Por que só uma rosa vermelha no meio de tantas amarelas?

Rodrigo: Simples… As amarelas significam amizade, e a vermelha, amor… Eu não vou mentir pra você, Érica. Eu gostei muito de você desde o primeiro momento em que eu te vi… Sei que você brigou com o seu namorado, que foi traída por ele e eu não agüento mais o ciúmes que a minha namorada sente de mim, mas eu acredito muito em destino e sei também que nada na vida da gente acontece por acaso, portanto, amigos nós já somos, e, essa rosa vermelha é a esperança que eu tenho de um dia ser mais que isso e poder ser feliz ao seu lado e te fazer muito feliz também… Eu nunca pensei que um dia eu diria isso, até mesmo por que, eu não acreditava que isso fosse possível, mas hoje eu sei que é. Érica, quando eu te vi, senti que foi amor à primeira vista. Foi como se eu soubesse e sentisse que fomos feitos um para o outro. E eu nunca senti isso em toda a minha vida, nem mesmo com a Sheila.

Érica: Nossa! Eu nem sei o que dizer… Olha Rodrigo, talvez seja melhor deixarmos tudo como está e sermos apenas bons amigos. Você tem a sua namorada, eu terminei meu namoro hoje e ainda estou muito magoada com ele, é tudo muito recente e de repente pode ter volta ainda, e depois não seria justo com eles, com quem estamos há muito tempo, e nós nos conhecemos apenas hoje…

Rodrigo: E com a gente, seria justo adiar uma coisa tão bonita e tão romântica? Eu sei o que estou dizendo. Érica, nós fomos feitos um para o outro.

Érica: Eu fico muito lisonjeada Rodrigo, de verdade. Eu gostei muito de você, do restaurante, da comida e principalmente da sua companhia, que é muito agradável. Muito obrigada pelas flores e por tudo. Mas agora eu tenho que ir embora e eu acho melhor a gente não se ver mais…

Rodrigo: Tudo bem. Eu entendo você e se estiver mesmo no nosso destino, nós ainda nos encontraremos. Leve pelo menos o meu cartão com o número do meu telefone e se você mudar de idéia e resolver me conhecer melhor, me dar uma chance… É só me telefonar, que eu irei correndo até você.

Érica: Ta bom, eu fico com o seu cartão… Foi um prazer conhecê-lo Rodrigo. De verdade. (Diz estendendo a mão para ele).

Rodrigo: O prazer foi todo meu, Érica. Até qualquer dia… Quem sabe. (Diz beijando a mão dela).

Érica (Sorri): Até… Tchau!

Rodrigo: Tchau, Érica… Felicidades.

Érica: Felicidades para você também.

***

Érica foi embora sem olhar para trás e com o coração partido. No fundo, ela não pensava que um amor pudesse acontecer tão rápido assim, mesmo se sentindo apaixonada por Rodrigo, ela tinha receio de se machucar ainda mais… E tinha medo dessa felicidade instantânea que chegava a assustar. Rodrigo por sua vez, ficou muito triste, mas tinha a certeza de que a veria novamente. Pelo menos ele sentia isso.

***

Ao chegar em casa, Érica deu de cara com Geórgia, que estava esperando por ela. Érica entrou em casa toda sorridente, feliz e cantarolando…

Érica: Lá, la, la… Geórgia? O que você esta fazendo aqui? (Indaga surpresa).

Geórgia: Como assim, o que eu estou fazendo aqui minha querida? Eu vim ver você, lógico! Depois do susto que você nos deu hoje cedo… Mas quando eu cheguei aqui, a sua mãe me disse que você havia saído com um amigo. Eu fiquei até surpresa e vejo que você está mesmo boa. Chegou tão alegre, cantarolando e ganhou até rosas… Deixe-me ver… Ah, rosas amarelas e uma só vermelha no centro. Curioso, eu nunca vi nada igual. Venha ver Silvia… Qual é o significado hein, Érica? Sim, porque deve haver algum… Uma só rosa vermelha no meio de tantas amarelas? (Indaga sorrindo e sarcástica).

Érica: Sabe Geórgia, que eu nem perguntei? Vai saber né? (Devolve sorrindo).

Geórgia: Deve significar… Amor e amizade. Bom, mas eu vim até aqui mesmo só para ver como você estava, meu bem. E já vi que você está muito bem, graças a Deus! Você esta melhor ainda do que eu esperava para ser franca. Agora se a Silvia nos der licença, eu gostaria muito de ter uma conversa com você, em particular.

Silvia: Ah, eu vou lá para dentro. Aceita um café, uma água, um suco, Geórgia?

Geórgia: Não Silvia, obrigada. Eu não vou demorar.

Érica: Mãe, por favor, leve as minhas rosas e coloque-as em um vaso bem bonito com água, no meu quarto…

Silvia: Claro, pode deixar filha. (Diz e sai levando o buquê consigo).

Geórgia era uma mulher esperta e sabia muito bem, que Érica estava diferente e que aquele buquê de flores significava algo mais do que simplesmente amizade. Por isso agora ela estava disposta a tudo para fazer Érica perdoar Vinicius, já que ele era o seu filho querido e ela não suportaria a idéia de vê-lo sofrer, caso Érica o deixasse de vez…

Geórgia: Bom, eu acho que você já sabe o que eu tenho para falar, então eu vou direto ao ponto. Eu vim pedir para que você perdoe o meu filho e volte pra ele. O Vinícius está sofrendo muito e tem se mostrado bastante arrependido.

Érica: Olha Geórgia, eu entendo perfeitamente a sua preocupação, mas não é assim que se resolvem as coisas. O Vinícius me traiu… Você sabia disso?

Geórgia: Sabia sim… E sei também que ele está sofrendo muito, e só por isso eu vim até aqui, já que ele queria vir visitar você, mas você disse que não o receberia.

Érica: E não receberia mesmo eu acho a minha atitude bem natural depois de tudo, você não acha?

Geórgia: O que eu acho é que você deveria voltar para ele, dar mais uma chance… Um homem bonito, charmoso, paquerado por todas as mulheres do Rio e ainda rico? Outras em seu lugar não pensariam duas vezes minha querida.

Érica: Você só se esqueceu de citar um detalhe, ele é infiel, e o que realmente importa para mim é amar e ser amada, ser fiel e respeitada. Eu penso que é só através disso que um relacionamento pode dar certo, à base de muita confiança e isso, eu já perdi no Vinícius, a confiança no seu filhinho querido.

Geórgia: Eu continuo achando que você deveria pensar melhor. Você está exaltada, confusa e desse jeito, você não tem condições de tomar decisão nenhuma Érica. E depois que vocês se casarem, a empresa vai ser dos dois no futuro, já que o seu pai é dono de uma metade e eu de outra. Sim, porque lá mando eu, não o meu marido. E caso vocês não fiquem juntos, à parte de seu pai na empresa pode vir a diminuir ou não vingar, tudo é possível… Se é que você me entende.

Érica: Por acaso, você está me ameaçando Geórgia?

Geórgia (Ri): Eu? De forma alguma, minha querida, o que é isso? Eu só quis dizer que o mundo, a economia, tudo isso hoje em dia esta muito volúvel e inconstante. Hoje se tem um bom patrimônio, dinheiro no banco, no caixa da empresa, amanhã não se sabe… A minha família também corre esse risco. Hoje temos a empresa, dinheiro, já amanhã… Nós não sabemos Érica… É a vida, ninguém sabe. Tudo que vem, vai, tudo que sobe, desce… Bom, você é uma mulher inteligente, esperta e eu não preciso ficar te explicando essas coisas. Eu só te peço que, por favor, reconsidere e perdoe o meu Vinícius, ele ama você de verdade e fez tudo sem pensar. Sabe como é homem, não é? E depois, ele já teve a lição que precisava, enfim, agora ele sabe que se vacilar de novo, vai perder você e para sempre. Dê mais uma chance a vocês… Eu te imploro. Bom, já está tarde, agora eu tenho que ir. Eu estimo suas melhoras do fundo do coração, meu bem… Um beijo. Ah, e fale para sua mãe que eu deixei lembranças e pense muito bem no que eu te falei… Quem ama, tudo perdoa. Boa noite.

Érica: Boa noite. (Diz rindo e meneando a cabeça).

Silvia: Filha, a Geórgia já foi? (Diz vindo da cozinha).

Érica: Ela acabou de sair, mãe.

Silvia: Que estranho. Ela nem se despediu… O que ela queria com você?

Érica: Adivinha? Que eu volte para o Vinicius, é lógico! Mas se ela pensa que me intimida ou que eu irei fazer o que ela quer, ah, mas ela esta muito enganada…

***

Lá embaixo na entrada do prédio, Vinícius esperava dentro do carro ansioso por sua mãe…

Vinícius (Nervoso): E aí mãe, como foi lá com a Érica?

Geórgia (Confiante): Foi do jeito que eu queria… Não se preocupe meu filho, de um jeito ou de outro, a Érica vai voltar para você. Eu garanto! Palavra de Geórgia Fontenelle. (Diz sorrindo misteriosa).

***

 

FIM DO CAPÍTULO.

(A imagem congela em Geórgia. Logo depois um enorme Coração Partido surge sobre ela).

{O capítulo se encerra com a música: Saber Amar – Greice Ive}.

 

 

 

 

Eduardo Moretti

Um cara do bem, romântico, sonhador, apaixonado pela vida e que ama o que faz… “Escrever para mim, é deixar de ser criatura para ser criador.”

  • Gabriel Rezende

    Muito boa a estreia. Parabéns, Eduardo.

    • Eduardo Moretti

      Obg Gabriel meu amigo. <3

  • Andrea Bertoldo

    Começou bem,Edu! Parabéns! *-*

    • Eduardo Moretti

      Obg Dea, minha linda! <3