Conta mais – Entrevista com o escritor Geraldo Medeiros Junior

Conta mais – Entrevista com o escritor Geraldo Medeiros Junior

Boa tarde amigos!

Eu sou o Wellyngton Vianna e hoje mais uma vez apresentando a vocês uma entrevista especial com um de nossos excelentes autores. 

Geraldo Medeiros Junior, meu conterrâneo, natural de Recife – PE. Casado, tem  54 anos de idade, é escritor profissional e já publicou com êxito, 14 obras literárias. Hoje no Conta mais,  vamos bater um papo sobre sua vida e carreira e falar um pouco sobre os futuros projetos do autor.

Vamos a entrevista:

Imagem relacionada

 

WV – Geraldo, você vem fazendo um trabalho excepcional com escritor, suas obras são sempre muito interessantes e nos levam a imaginar com facilidade cada expressão ou ação dos personagens. Nem todos os autores descrevem os sentimentos e ambientes tão bem. Pra você, descrever detalhes na escrita é uma estratégia pra facilitar a compreensão do leitor, ou uma obrigação do autor?

GMJ –  “A escrita é uma forma de estimular a construção mental do leitor. Detalhes são fundamentais para que o cenário faça parte da mente participante. Contudo, a omissão de alguns outros (omissões propositais), estimulam a criatividade, a imaginação. Traz o leitor como coadjuvante da história. O papel do escritor é fazer com que o seu mundo crie vida através de lacunas bem dosadas. Tarefa bastante difícil, diga-se de passagem”.

WV – Quando você descobriu que tinha talento pra escrever?

GMJ –  “Desde criança. Aos nove anos já rascunhava algumas estorinhas. Nesta idade, escrevi um livro sobre evolução animal. Desenhei o que aconteceria com alguns animais no futuro. Minha mãe ficou tão emocionada que mandou encadernar aquelas páginas. Depois mandou gravar um título na capa, em letras douradas, e também mandou gravar meu nome. Fiquei super feliz.”

WV – A pesquisa é fundamental independente do tema que será abordado?

GMJ – “Para mim, sim. Especialmente se pretendo escrever um romance de época. A pesquisa é fundamental. Às vezes, levo mais de ano só com levantamento de dados. Estes podem ser sobre locais, ambientes, pessoas e por aí vai. O último livro lançado, Geena: Eles voltaram, a pesquisa levou cerca de dois anos para ser concluída.”

WV – Na sua opinião de escritor, qual a grande importância da leitura?

GMJ –  “Sem leitura não há como ter novas perspectivas de vida. A leitura nos inspira, motiva, nos faz refletir, pensar e repensar sobre tudo. É uma relação íntima entre você e aquele mundo, o qual, o convida a entrar.”

WV – O livro “Geena: eles voltaram” é um dos seus mais bem-sucedidos. Como leitor do mesmo, posso afirmar que a história é genial, trata-se de um futuro distópico? O que te inspirou a contar essa história?

GMJ – “Sim, considero o livro Geena: Eles voltaram, uma distopia apocalíptica. Com esta característica, extrapolei, e muito, a condição atual humana. O que me inspirou escrevê-lo foi pensar sobre o berço de todos os medos: a morte. Como seria se ela inexistisse? E o que aconteceria em níveis político, social, familiar e ambiental, caso a ressurreição se tornasse um fato? Pesquisei muito sobre a natureza humana. Consultei analistas importantes a respeito, e descobri que o ser humano é capaz de reagir de forma inusitada diante de fatos que não consegue explicar. Confesso que eu mesmo ainda fico assombrado com o que escrevi em Geena.”

WV – Você também é um excelente contista. Os temas abordados são incríveis e contados de maneira única. Uma curiosidade logo me veio em mente: Qual deles é o seu preferido, qual você mais gostou de escrever?

GMJ – “Escrevi cerca de vinte contos. Alguns deles ainda não publicados. Devo confessar que, de todos, o qual considero formidável é Mundo em coma. Muito embora tenha outros que foram, inclusive, premiados. Mas este é especial.”                                                

WV – Suas obras foram sempre publicadas pela mesma editora?

GMJ –  “Já publiquei com diversas editoras. Contudo, identifico-me com a editora atual, Alfa do Cruzeiro, pela sua forma arrojada de tratar e lançar uma obra, bem como sua capacidade de compreender o que o autor deseja. O respeito mútuo é fundamental.”

WV – O conto “Mundo em coma” será transformado em animação pela FH Filmes, parceira do Cyber Séries. Como você recebeu a notícia?

GMJ –  “O dia que recebi a mensagem do nosso querido Rick Lobo diretor da FH Filmes e produtor executivo do Cyber Séries sobre o interesse de adaptar o conto Mundo em coma para um longa animado, eu quase caí para trás. Fiquei chocado sem saber o que responder. Parecia um sonho, sei lá, uma espécie de pegadinha. O meu “de acordo” no contrato foi o que fez a “ficha cair”. Até festejei. O difícil agora é conter a ansiedade até o dia do lançamento. E o legal de tudo isso é que será pela Cyber Séries. Tenho certeza que este será um marco na revolução do mercado literário e cinematográfico.”

WV – Além desse projeto extraordinário, existem mais novidades para seus leitores?

GMJ –  “Sim. Um deles está pronto e será lançado o ano que vem. Um livro com um tema simplesmente divino. Adorei tê-lo escrito. Já está pronto e depende de alguns poucos detalhes. E estou na escrita de uma outra obra a qual é segredo. Posso adiantar que tem muito a ver com um fato histórico importante ocorrido em Pernambuco. Promete emocionar muita gente.”

WV – O Cyber Séries é um dos meios que promove e compartilha seu trabalho. Como surgiu essa parceria qual a importância dela?

GMJ – “Conheci a Cyber Séries através de uma amiga escritora, por quem nutro profundo respeito e consideração, Cainara Biondo, diretora de divulgação do Cyber Séries e autora do livro Segredos Mortais. Ela me apresentou ao querido amigo, diretor-fundador da Cyber, Wellington Vianna, que abriu os braços para receber os meus textos. O tratamento dado a eles foi de um profissionalismo invejável. Esta plataforma, genuinamente brasileira, é superior a muitas que existem por aí. Só tenho que ser grato pela oportunidade de estarmos juntos.”

WV – Para finalizar, o que você aconselha para aqueles que desejam seguir carreira como escritor? O que é necessário para realizar esse sonho com êxito?

GMJ –  “Jamais desista do seu sonho. É difícil? Sim, como qualquer outra área profissional. Talvez um pouco mais complicada. Mas jamais escreva por dinheiro tão somente. Escreva por paixão. Procure fazer o seu melhor para encantar os leitores, traga esperança para eles. Leve-os a desejaram ingressar no seu mundo. A fama e o dinheiro são secundários.”

Agradecemos ao Geraldo Medeiros por nos conceder esta maravilhosa entrevista, veja todo conteúdo do autor no Cyber Séries, clique aqui.

 

Nos vemos no próximo sábado, vamos entrevistar a Débora Costa, autora de “Hierarquia” Nova novela das 19h do Cyber Séries.

Wellyngton Vianna

Recifense, 23 anos, CEO fundador do CYBER SÉRIES.

“Escrever liberta, podemos criar, recriar e inovar. Podemos tornar públicas as nossas idéias”.