Bom dia vida: Ame-se.

Bom dia vida: Ame-se.

“Acordar é evoluir, é lutar contra suas próprias limitações, mesmo sem desejar, é conhecer-se inocentemente ainda mais. Por isso nunca fuja de você, permita o tempo lhe revelar quem mora atrás dessa fachada, pode se surpreender com o grande herói que possui” – Luciana

” Quando recebi a notícia que havia ficado tetraplégica no acidente em Novembro de 2009, o mundo para mim pareceu terminar naquela maca, eu sentia uma vontade de chorar, de gritar, para ver se eu ainda conseguia encontrar sensibilidade, vida, no meu corpo, a meu ver, morto do pescoço para baixo. Deu-me falta de ar, pânico, o que seria de mim, o que seria da minha carreira de modelo sem minhas belas pernas? sem meus braços? Naquele momento eu me odiei, o que eu havia tornado? Uma aleijada! Desejei desesperadamentee morrer”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Foi quando Miguel, ou melhor o Doutor Miguel, Calma amor, eu estou dando entrevista! Ai! ( risos). Esse homem adora me encher de beijos, é uma loucura! Foi quando esse brilhante homem aparece na minha vida e acariciou minha noite por noites e noites em claros me dando forças e dizendo que podemos desistir tudo nessa vida, menos de viver, de viver a nossa vida”.

” Eu achava que antes do acidente, eu me amasse, mas isso nunca foi verdade. Eu aprendi a me amar quando percebi que o pó de arroz, o rímel, todo conforto proporcionado pelo dinheiro dos meus pais, todo meu conhecimento não serviriam de nada por que não iriam trazer minhas pernas de volta, meu andar, eu estaria fardada para sempre a uma cadeira de rodas. Ou eu me escolhia se aceitar ou iria sofrer pelo resto dos meus dias.”

“E felizmente eu escolhi a primeira opção. A grande lição é que não existe jeito certo de viver, de aparecer, de ser, nunca podemos predeterminar nada, pois estamos em uma constante transformação todos os dias. Se algum dia você se vir obrigado a fazer algo para os outros te aceitarem, pode ter certeza, esse caminho é errado. Eu poderia ter ligado para os preconceitos das pessoas que não aceitavam minha deficiência física, principalmente na subida de ônibus, contudo preferi me auto-afirmar. Quem são eles para me julgar? São melhores do que eu? Existe essa classificação quando lido com diferenças? Com humanidade?”.

“A felicidade, meus amigos, não está fora da gente como nos fazem pensar, ela está aqui dentro! Ai dentro, de você! E há pouco tempo para vivê-la. Acha mesmo que vale a pena influenciarmos por opiniões negativas de pessoas que não nos querem bem ? E não se engane, muitos não querem nosso bem! E se por quê? Por que estão no fundo do poço e querem nos levar para junto deles! Sabe o que fazer nessas horas? Não! Não ignore! Traga-os para perto da sua luz, do seu brilho que resplandece aí dentro. Ensina-o a se amar também!”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um grande beijo! E hoje não se esqueça de quando se olhar no espelho, perceber o quanto é uma pessoa perfeita do

jeitinho que é!

 

 

INVISTA!

 

 

Charlotte Marx

Campineira. 26 anos. Estudante de medicina. Autora e divulgadora do Cyber Séries. A escrita para mim é uma companheira da madrugada, a qual surpreendentemente assume o piano e me encanta com suas nuances. Inseparável da arte, esta só viva quando se pode voar e ser quem desejar. Sou viciada no que faço!Ler, por sua vez, é personificar o universo, é observar o amadurecimento de uma planta chamada vida. É amar veladamente o intracelular.

Close