Bom dia Vida: Alberto Caeiro

Bom dia Vida: Alberto Caeiro

 

Bom dia! Boa tarde, meus queridos leitores! 

Hoje resolvemos fazer uma edição diferente! O programa que geralmente é apresentado às nove da manhã, hoje está indo ao ar às três e meia da tarde. A razão é evitar ficar no automatismo de sempre, criar, por vezes, uma flexibilidade para nossos horários. Não é a toa que para essa edição, escolhemos um poema sobre o pôr-do-sol.  Segue abaixo para ler:

Autor: Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa. 

~Ao Entardecer ~

 

 

Ao entardecer, debruçado pela janela,
E sabendo de soslaio que há campos em frente,
Leio até me arderem os olhos
O livro de Cesário Verde.

 

 

 

 

Que pena que tenho dele! Ele era um camponês
Que andava preso em liberdade pela cidade.
Mas o modo como olhava para as casas,
E o modo como reparava nas ruas,

 

 

 

 

 

E a maneira como dava pelas cousas,

É o de quem olha para árvores,
E de quem desce os olhos pela estrada por onde vai andando
E anda a reparar nas flores que há pelos campos …

 

 

 

 

 

 

Por isso ele tinha aquela grande tristeza
Que ele nunca disse bem que tinha,
Mas andava na cidade como quem anda no campo
E triste como esmagar flores em livros
E pôr plantas em jarros…

 

 

 

 

Espero que tenham gostado! Bom entardecer para vocês!

 

 

 

Charlotte Marx

Campineira. 26 anos. Estudante de medicina. Autora e divulgadora do Cyber Séries. A escrita para mim é uma companheira da madrugada, a qual surpreendentemente assume o piano e me encanta com suas nuances. Inseparável da arte, esta só viva quando se pode voar e ser quem desejar. Sou viciada no que faço!Ler, por sua vez, é personificar o universo, é observar o amadurecimento de uma planta chamada vida. É amar veladamente o intracelular.

 

Close