Além da porteira: Capítulo 5

Além da porteira: Capítulo 5

ALGUNS DIAS SE PASSAM.

NA  IGREJA  DA  VILA

A chegada daquele telegrama para o  Padre Chico,o fez ficar com os nervos a flor da pele.

PADRE: É hoje !É hoje que Tenório irá chegar. É hoje, que serei degolado !E agora, o que vai ser de mim? As pessoas de Raízes da Terra me expulsarão. Chegou o fim do Padre Chico. E o pior, é que ele está vindo acompanhado de sua irmã Margarida, porão fogo nesta vila. E irão chegar justamente quando eu estiver celebrando a missa. Pobre de mim…Já sei! Vou cancelar a missa,direi que estou com dor de barriga.

NA  FAZENDA

O senhor Dorico ,está muito ansioso,pois a qualquer momento o seu compadre Francisco ,chegará pra marcarem a data do casamento de Promessa  com o filho do amigo.

DORICO..Zenaide,como está o enxoval de nossa filha.Já está pronto.

ZENAIDE..Ainda não,está quase pronto,falta pouco.

Promessa chega pra falar com o pai.

PROMESSA:Papai !Eu ainda estou muito jovem para me casar,vamos esperar mais um pouco.

DORICO..Não minha filha, todo pai sabe a hora certa de casar a filha.Estou preocupado com o seu futuro e já chegou a hora de você se casar.Vamos aguardar o compadre Francisco chegar, pra gente marcar logo esse casamento e assim cumpriremos o nosso combinado.

PROMESSA..Mas ,não era isso que eu queria par minha vida,meu pai.As vezes isso não será o melhor pra mim.

DORICO..Quem sabe o que é melhor pra você ,sou eu, o seu pai.Vai tratando de terminar seu enxoval,por que a questão do casamento, já está decidida desde quando você nasceu.E não se fala mais nisso.

Promessa se retira e vai para seu quarto.Bem que ela está tentando seguir os conselhos do padre Chico.Zenaide tenta falar do assunto com o marido.

ZENAIDE..Pense bem no que você está fazendo Dorico. Nosso casamento foi arranjado,mas os tempos eram outros.As meninas da minha época não tinham visão nenhuma de mundo.Hoje tudo mudou,não adianta casar Promessa à força, pra daqui a um mês ela se separar ou viver uma vida de sofrimento.Tanto ela, quanto ele poderão não aturar a vida a dois nessas circunstâncias.

DORICO..Acabou seu discurso?Quem manda aqui sou eu ,se já falei que ela vai casar com o filho do compadre.Ela  vai casar.E se ela largar dele depois de casada eu a deserdo e a expulso daqui .

Zenaide, se retira  querendo não acreditar no que ouviu,e foi ter-se com a filha.

Dorico chama por Tiãozinho e o pede para chamar Renato.

DORICO..Tiãozinho!Oh moleque.Venha aqui,preciso de você agora.

Tiãozinho chega ofegante.

TIÃOZINHO:O que foi patrão?O que tenho de  fazer?

DORICO: Vá até  o curral ,procure por Renato e manda ele vir aqui agora.Vai rápido moleque.

Tiãozinho sai a todo vapor a procura de Renato.

TIÃOZINHO:Renato!Renato…

RENATO:O que foi Tiãozinho?O que tá acontecendo?

TIÃOZINHO:O patrão tá te chamando com urgência.É melhor ir bem depressa,ele tá com uma cara de dar medo.

Zenaide vai até  a cozinha .

ZENAIDE:Ceição prepare uma água com  açúcar bem forte e leve no quarto para Promessa.

CEIÇÃO:Sim, dona Zenaide ,farei e levarei agora.

Renato vai até o patrão.

RENATO:O senhor me chamou patrão?

DORICO:Vá até ao sítio do seu Severino e pede a esposa dele para oferecer negócio aquele rapaz do sítio da porteira trancada.Diz que tenho interesse em comprar aquelas terrinhas e que pagarei uma boa quantia por elas.

RENATO:Sim senhor patrão,farei isso agora mesmo.

NA  VILA

Os fiéis foram para a igreja para participarem da  missa e quando chegaram lá ,se depararam com o seguite aviso:

AVISO:Por motivo de saúde ,não poderei ministrar a missa hoje.Não se preocupem, estou me repousando e em breve haverá missa normal.Obrigado,PADRE CHICO.

Não podia ser diferente ,quem leu o aviso primeiro foi Dolores,e logo tratou de espalhar a notícia para a vila inteira,gerando assim ,uma preocupação em massa dos fiéis pelo padre.E foi nesse exato momento que desembarcou na praça um casal desconhecido para a vila.Como não conheciam ninguém por ali, se direcionaram a mercearia de seu Ciro.

TENÓRIO:Bom dia meu senhor!

CIRO:Bom dia!Em que posso ajudar?

TENÓRIO:Estamos procurando por Chico Honório,o senhor o conhece?

CIRO:Chico Honório.O único Chico que conheço por aqui é o Padre Chico,mas não sei se é Honório.

MARGARIDA:Não,com certeza não é esse Padre Chico que estamos procurando.A última coisa que

Chiquinho poderia ser, era padre.

TENÓRIO:Verdade mana,o Chiiiquiinho,jamais poderia ser um padre…Mas que movimentação é aquela em frente a igreja,senhor?

CIRO:É o padre que está doente e todos estão aguardando por notícias.

TENÓRIO:É o padre Chico?

CIRO:Sim, é ele mesmo.Não teve condições nem de rezar a missa.

MARGARIDA:Pobre padre.Vamos até lá Tenório?

TENÓRIO:Vamos.Vamos conhecer esse padre Chico.Muito obrigado senhor.Ah,podemos deixar nossas bagagens aqui por um tempo?

CIRO:Podem sim,deixe aí no catinho.Aqui ninguém mexe.

Ao saírem da mercearia se dirigiram a igreja e quem sabe conseguirão informações sobre o amigo Chico Honório,por quem estão a procura.

NO  SÍTIO DE SEVERINO

Renato foi até a casa de seu Severino de Dona Glória para cumprir o mandado do patrão.

RENATO:Ô de casa.Bom dia seu Severino!

SEVERINO:Bom dia Renato!Achegue-se.Venha tomar um cafezinho.

RENATO:Minha visita é de pouca demora seu Severino.Na verdade vim a mando do patrão Dorico.

SEVERINO:O que aconteceu?Tem alguma criação nossa amolando o seu patrão?

RENATO:Não,não é isso!O patrão quer que sua esposa converse com o sobrinho dela,o do sítio vizinho,e ofereça a ele uma boa quantia em dinheiro pelo o sítio dele.

SEVERINO:Isso é impossível Renato.Vou falar com ela e ela com ele,mas já te adianto:Éimpossível.Ele não sai daquele sítio por nada e jura vingança quando descobrir quem matou seus pais e irmãos.

RENATO:Bom ,fiz o que o patrão mandou.Agora preciso ir.Obrigado o cafezinho.

Renato voltou para a fazenda e Severino chama por Glória e lhe da o recado.

SEVERINO:Glória,vem cá mulher!

GLORIA:O que foi homem?

SEVERINO:Viu quem tava aqui?

GLORIA:Sim ,era o Renato.O que ele queria?

SEVERINO:O seu Dorico,mandou ele aqui pra que você fale com Raul que ele quer comprar o seu sítio.

GLÓRIA:Mas que diacho!Esse homem não dava sossego ao meu irmão com essa ideia de comprar o sítio .Foi até que morreu ele e quase toda família e agora  ,seu Dorico,começa com esse assunto de novo.Além do mais Raul desconfia que foi ele que armou toda tragédia que casou essa fatalidade levando quase todos a morte.Raul jamais irá vender o sítio,ele já disse isso.

SEVERINO:Mais fala pra ele das ideias do vizinho.

GLÓRIA:Depois eu vou até lá e falarei pra ele.Só tenho medo de acontecer outra tragédia,por causa de tão pouca terra.

Lídia chega e entra na conversa.

LÍDIA:Raul precisa de arranjar uma namorada,pra esquecer tudo o que já viveu de ruim.

GLÓRIA:Esquecer como minha filha,pois lhe foi tirado o que tinha de melhor ,que era a família.E com o ódio que carrega no coração,ele jamais irá interessar por moça nenhuma.E você pode tratar de esquecer dele pra ser seu namorado.

A cada dia que passa ,Lídia fica ainda mais apaixonada por seu primo Raul. Tem em seu coração a esperança que irá conseguir fazer com que ele se apaixone por ela também.

Glória sente a nova má querência do fazendeiro pelo seu sobrinho. Ele precisa saber das ideias do vizinho, para que possa se precaver das investidas possíveis de acontecer.

CONTINUA NO PRÓXIMO CAPÍTULO …

 

Close