Além da porteira: Capítulo 34

Além da porteira: Capítulo 34

 

 

Capítulo escrito por: Luiz Lisboa

Classificação indicativa: 

 

 

Na vila ,os moradores não falam outra coisa ,a não ser do noivo de Promessa.

SANTA: Ele é bonitão ,né Dolores?Igual ao peão Dico.

DOLORES: Põe bonitão nisso amiga.É um pedaço de mal caminho.

SANTA: Eu estava observando a filha de seu Dorico,na hora que o noivo chegou ela nem deu atenção ,virou as costas pra ele.

DOLORES: Me parece que esse casamento foi arranjado pelos pais dos dois.Não é de interesse deles se casarem um com o outro.Estão sendo obrigados para cumprir um combinado dos pais mesmo antes da menina nascer.

SANTO: Isso é loucura do passado.Mas com um homem daquele,eu esqueceria que era arranjado e aceitava me casar logo.Não perdia tempo.

DOLORES: Mas isso amiga,nunca vai acontecer com nós.Acho que já passamos do ponto de nos casar.

Na mercearia de Ciro ,o assunto também era esse.Aliás,na vila inteira todos comentavam a chegada do noivo da filha do maior fazendeiro da região .

CIRO: Quanto tempo padre! O senhor quase  não aparece por aqui.

PADRE: São as ocupações com a igreja seu Ciro que não me deixam visitar os amigos.

TINA: Mas tempo pra ir tomar banho ,de rio com os seus amigos de BH o senhor tem,né padre?

VERA: Tina,não fale assim com o padre.

PADRE:Tudo bem dona Vera.É que eu tinha que ir à  fazenda para tratar dos casamentos que terão por lá,aí aproveitei e me banhei no rio.Mas foi com descência e ordem.

 

CIRO: Por falar em casamento,o noivo da filha de seu Dorico já chegou?

PADRE: Já sim,ele vai ficar até o casamento e depois retornará para o Pantanal com Promessa.

VERA: É verdade padre Chico, que esse casamento foi arranjado pelo seu Dorico e pelo pai  do rapaz?

PADRE:Foi sim,mas me parece que ambos estão  de acordo.Tudo vai dar certo.

VERA: Tomara.

TINA: Se fosse comigo ,eu não me casaria jamais.Isso fez parte do passado,hoje tudo mudou,os tempos são outros.Isso é ultrapassado.

O padre pra escapar de certos detalhes,costuma colocar uma pitada de mentira em suas  desculpas.Mas como ele está vivendo em meio à farça e mentiras,uma a mais e uma a menos não fará diferença  no seu currículo de falso padre.

 

NA  FAZENDA

Dorico de sua varanda vê Promessa e Carlos caminhado e conversando no jardim em frente a casa,e fala pra si só.

DORICO: Tudo está dando certo.Minha filha vai se casar com o filho de um dos  maiores  fazendeiros do Pantanal,futuro gordo garantido pra nós todos.Agora só falta conseguir esse sitiozinho porqueira desse moleque aí da frente.Mas isso é fácil,é dar a ele o mesmo fim que teve seus pais e irmãos.Mas para isso ,eu precisava de Tibúrcio,nele eu confio,com a ajuda dele tudo fica mais fácil de conseguir.Mas o miserável sumiu.Ainda tenho esperança dele voltar .Aí minha vida terá descanso e sossego.Tudo sairá perfeito.

Promessa e Carlos se deram muito bem,juntos terão mais forças pra lutar contra esse casamento que não é desejado por nenhum dos dois.

PROMESSA:No fim do dia ,vamos cavalgar,aí te mostrarei o meu verdadeiro pretendente.

 

CARLOS: Mediante a tudo que você me contou que aconteceu a ele,o pobre deve viver uma vida sofrida e amarga,vivendo assim isolado do mundo.

PROMESSA: Mas eu o tirarei dessa vida.Pode crer.O integrarei  na sociedade novamente.

CARLOS: Se ele  só fala com a tia ,será difícil pra você conquistá-lo.

PROMESSA: Se ele não quiser me ouvir ,pedirei ajuda a tia dele.

CARLOS: Pelo o verdadeiro amor ,tudo é válido para conseguí-lo.

PROMESSA: Vamos entrar e fazermos um bom lanche que a Ceição sabe preparar.

Na cozinha,Ceição já está com o lanche dos dois prontos e pede pra Flor serví-lo aos jovens.

FLOR: Com licença ,Promessa.

PROMESSA: Ah,entre Flor.Essa é Flor, Carlos,ela irá se casar primeiro que nós com Tiãozinho,empregado aqui da fazenda também.

CARLOS: Prazer Flor e meus parabéns pelo casamento.

FLOR: Obrigado moço!

PROMESSA: Tiãozinho  é aquele que está preparando os cavalos pra nós,ele é pau pra toda obra aqui na fazenda…Bom fique aí lanchando que eu vou falar pro papai que nós vamos cavalgar.

Promessa então se dirigiu ao pai para lhe falar sobre o passeio combinado com Carlos.Como já era esperado,da parte de Dorico não teve nenhuma rejeição.Pelo contrário,total apoio.

E então, os dois saíram a cavalgar,rumo às proximidades da casa de Raul.

CARLOS: Que lugar bonito é esse Promessa!

PROMESSA: É verdade,aqui tudo é muito bonito.

CARLOS: Veja que nuvem formada por pássaros,que variedade de árvores,que ar puro,quantas cores,quantas belezas,águas límpidas.Aqui é o paraíso.

PROMESSA: Veja ,aquela porteira , ali é a casa de Raul.Vamos bem devagar pra ele não ouvir os tropelos dos cavalos e se esconder.

Então fizeram com que os cavalos diminuíssem os passos e foram bem devagar pra Raul não se esconder.

Raul estava em seu quintal,regando as plantas,ao olhar em direção a estrada viu Promessa em seu cavalo branco e abriu um sorriso de quem está entregue ao amor.Carlos que havia ficado um pouco atrás ,quando se juntou à Promessa em frente à porteira,Raul se assustou e saiu correndo para dentro de sua casa.Pois nunca havia visto aquele rapaz por ali.E logo começou a ficar perturbado com a presença do jovem ao lado de sua amada.

Promessa não estranhou a atitude de Raul,pois esse é o costume dele.Ela nem imaginou que Raul poderá se sentir traído  em relação à confiança depositada nela.Afinal de contas ela trouxe um estranho para vê-lo.

Com isso poderá ser um pouco mais difícil Promessa  conquistá-lo. Ainda mais quando ele souber do casamento planejado pelo pai dela com o rapaz que a acompanhava.

Raul se sentirá menosprezado e traído por ela e se retrairá ainda mais em seu mundo solitário ,vazio e rodeado de recordações dolorosas do passado.

De volta para a fazenda ,Carlos e Promessa falam da atitude de Raul.

CARLOS: Como pode  um ser humano se isolar e viver como um bicho.Porque é isso que ele se assemelha:a um bicho.

PROMESSA: Mas eu ei de tirá-lo desse isolamento.

CARLOS: Mas antes disso,você tem uma guerra armada com seu pai .O que faremos quando chegar a data  do nosso casamento?Como nos livraremos disso?

 

CONTINUA  …