Além da porteira: Capítulo 3

Além da porteira: Capítulo 3

 

FAZENDA DO SR. DORICO

Promessa, nunca soube do combinado entre seu pai e o amigo fazendeiro. Agora ,veio a carta ,avisando que o pai do noivo prometido já está pra chegar. Então sua mãe é quem está com a missão de comunicá-la.

ZENAIDE:Já está na hora de fazer seu enxoval minha filha.

PROMESSA: Enxoval?Pra que mamãe?

ZENAIDE: Uai ,minha filha você esta moça feita,precisa fazer seu enxoval pra quando for se casar não ter correria para fazer um .

PROMESSA: Não se preocupe com isso mamãe!Nao pretendo me casar tão cedo.

ZENAIDE: Mas, não é isso que seu pai está pensando.

PROMESSA: Como assim ,mamãe?

Promessa ainda não entendeu o que a mãe está querendo lhe dizer,pois, jamais pensou em se casar com alguém arranjado pelo pai.

Enquanto isso, NO SÍTIO Glória e Lídia continuam falando de Raul.

LÍDIA: Sabe  mamãe, eu sempre foi apaixonada por Raul. Quem sabe se me revelar para ele, ele sairá daquele sítio, se livrará desses sentimentos ruins que carrega no seu coração.

GLÓRIA: Minha filha, tire esse amor que você sente por ele do seu coração ,vocês são primos, e além do mais Raul não demonstra sentir esse tipo de sentimento por você.Não se iluda.Ele nem fala com você.

LÍDIA: Não  mamãe, tirar ele do meu coração jamais ,vou é lutar por esse amor. Não deixarei outra conquistar seu coração. Raul tem de ser meu .Só meu.

FAZENDA DO  SR. DORICO

Mãe e filha continuam sua conversa.

PROMESSA:E o que o papai está pensando ?

ZENAIDE: É uma longa história,filha.Mas eu vou te contar tudo.

PROMESSA: Mas o que está acontecendo ?

ZENAIDE:Olha só,quando: você estava pra nascer,a gente nem sabia se seria menina ou menino.Seu pai recebeu um amigo de infância que se tornou um adulto bem sucedido,dono de grandes fazendas no Pantanal.Enfim ,ele é muito rico.E seu pai querendo garantir o futuro da criança ,se fosse uma menina ,a prometeu em casamento ao filho desse fazendeiro que na época tinha 4 anos.E assim ficou combinado, o amigo foi se embora e dias depois você nasceu e seu pai imediatamente escreveu um telegrama ao amigo confirmando o prometido.E para não esquecer  o que havia combinado lhe deu o nome de Promessa.Alguns meses depois,  o amigo Francisco veio para lhe batizar e nos tornamos  compadres.E anos se passaram sem nos comunicar.Agora ,seu pai  recebeu uma carta do compadre ,que chegará  aqui na fazenda nos próximos dias para marcar a data do casamento e cumprirem o que foi prometido no passado.

PROMESSA:Não é possível!Que coisa absurda!Então quer dizer que sou uma mercadoria?E que pode ser negociada?

ZENAIDE:Não minha filha seu pai, só está pensando no seu bem.

PROMESSA:Mas é justamente nisso que ele não está pensando.Me casando a força com quem nem conheço, é querer meu bem?Não me caso de forma nenhuma. Não quero me casar  com quem não conheço .

Promessa ,ficou transtornado com o que ficou sabendo e foi para o seu quarto.Zenaide agora está numa situação difícil.Como convencer a filha de se casar com o jovem?Ou como falar para seu Dorico sobre a reação da filha?Será um drama rodeado de dissabores para toda a família Antunes.

Mas antes de qualquer conversa com o marido,Zenaide decide ir até a vila para conversar com o padre Chico,sobre o problema o qual está enfrentando e  enfrentará.Então pediu a Tiãozinho para preparar a charrete para ela e a filha irem  a procura do padre.

PRÓXIMO A CASA DE RAUL

Renato ,o peão da fazenda de seu Dorico,como de costume faz rondas pela fazenda todos  os dias.Como  o sítio de Raul está no meio da propriedade de seu Dorico,Renato ao passar na estrada, enfrente a casa de Raul ,o seu cavalo foi atacado pelo cachorro do mesmo. Então o peão ficou nervoso e foi logo chamando pelo rapaz e esbravejando.

RENATO:Olha aqui seu moleque, da próxima vez que esse maldito cachorro atacar o meu cavalo ,ele irá morrer,é melhor você prendê-lo e não o deixar sair.Tranque ele aí, junto a você.

Como Raul não atende ninguém que o chama ,Renato falou sozinho e foi-se embora.Mas Raul não gostou da ameaça que ouviu em relação ao seu animal; e isso, aumenta ainda mais a ira do mesmo ,com as circunstãncias da vida e com as suspeita que carrega sobre o fazendeiro vizinho, para quem o peão ameaçador trabalha.

FAZENDA DE SEU DORICO

Zenaide então se prepara para ir até a vila com sua filha para que o padre a aconselha sobre o casamento.

ZENAIDE: Ceição você viu o Tiãozinho por aí.

CEIÇÃO: Aquele moleque, está podando as plantas do quintal,dona Zenaide.

ZENAIDE: Vá até  lá e o peça para preparar a charrete, que eu e Promessa vamos sair.

FLOR:Pode deixar mamãe que eu dou o recado.

CEIÇÃO: Abaixa o facho sua assanhada. Não quero você de prosa com esse moleque. Eu mesma vou dar o recado.

ZENAIDE:Então vá rápido,que estou com pressa.

Zenaide se retira.

FLOR:Mas será o porque de tanta pressa assim?

CEIÇÃO: Não sei filha,mas não é da nossa conta.Deixa eu ir falar com o Tiãozinho.

NO SÍTIO DE GLÓRIA

Lídia tomou uma decisão, saiu às escondidas e foi tentar falar com o seu primo,por quem  ela morre de amor.

LÍDIA:Raul.Sou eu Raul,sua prima Lídia!Venha falar comigo!

Ao ouvir o chamado de Lídia, Raul se escondeu e soltou os cachorros para impedi-la de entrar  além da porteira.Mas a jovem não desiste e insiste chamando por ele.

LÍDIA:Venha Raul,quero estar  próxima de você.Lembra quando a gente era criança?Você me defendia eu te ajudava toda vez que precisava de mim.Saia Raul ,venha viver sua vida novamente,ela continua,você é jovem, bonito,inteligente, não pode viver sua vida toda preso nesta casa.Abra essa porteira e saia para a vida.

Lá de dentro da sua casa ,Raul ouvia a prima falando,e se emocionou ao ouvir sobre passado.Mas como seu desejo de vingança o alimenta ,ele não sede a nenhum apelo.Realmente ele e Lídia eram muito próximos,mas agora a força que impera em seu cotidiano é a do ódio ,que o fez se distanciar de todos.

Lídia por enquanto, desiste da tentativa de se aproximar de Raul,pois ele nem ao menos apareceu na janela, para que ela pudesse vê-lo.Ao retornar  para casa Lídia encontra  com sua mãe que já imaginando onde ela pudesse estar , veio a sua procura.

GLÓRIA:O que você estava fazendo minha filha?

LÍDIA:Estava tentando conversar com Raul,mas ele soltou seus cachorros para impedir que eu entrasse em seu quintal.Mas eu não desisto.Voltarei outras vezes.Ele tem de mim atender.

 

GLÓRIA:Desista minha filha,venha para casa ,que seu pai ficou lá, muito preocupado.

NA  VILA

Dolores mais uma vez está na rua,rumo ao correio da vila.

DOLORES:Olá dona Santa.Tem chegado muitas correspondências para a vila.

SANTA:Algumas Dolores.Acabou de chegar esse telegrama para o padre Chico.

DOLORES :Para o padre Chico?Se quiser eu o entrego para  a senhora.

SANTA:Não posso .Deixe que eu mesma o levarei.

DOLORES:Então irei com  a senhora.

SANTA:Não precisa,irei sozinha.

DOLORES:Estou indo para a igreja mesmo,preciso falar com o padre.Então não me custa nada acompanhar a senhora, dona Santa.

SANTA: Tudo bem ,então vamos.

Na verdade Dolores não se aguentava de curiosidade para saber do que se tratava o telegrama que chegou para o padre.Agora tentará descobrir o teor do mesmo.

O padre Chico estava na igreja se preparando para a missa quando Santa e Dolores chegaram para lhe entregar o telegrama.

SANTA:Sua benção padre Chico.

PADRE:Esteja abençoada.

DOLORES:A dona Santa veio entregar um telegrama para o senhor.

PADRE:E a senhora, não se aguentou de curiosidade, né dona Dolores e veio junto.

SANTA:Aqui esta seu padre ,o telegrama que chegou agora mesmo para o senhor.

PADRE:Muito obrigado.Vão na paz.

DOLORES:O senhor não vai abrir o telegrama padre?

PADRE:Não se preocupem,o telegrama é para mim.

Dolores queria a todo custo saber do que se tratava o telegrama ,mas o padre, não lhe deu esse gostinho.Após terem se retirado, o padre leu o telegrama e se extremeceu ao ler a mensagem.O que poderia estar escrito naquele papel que abalou tanto o homem santo?

Continuem acompanhando os próximos capítulos.

CONTINUA ….

Close