Além da porteira: Capítulo 28

Além da porteira: Capítulo 28

Capítulo escrito por: Luiz Lisboa

Classificação indicativa: 

 

 

NA  FAZENDA

Zenaide liberou Ceiçaõ  ,para ir até a vila para começar os preparativos do casamento de Tiãozinho com a sua filha Flor.Para a jovem que sempre foi apaixonada pelo rapaz mas que sempre  era vigiada pela mãe e nunca pode revelar sua paixão,agora está vivendo em êxtase,por causa de seu casamento.

ZENAIDE: Dorico disse que é pra você comprar o que você precisar para o casamento de  flor.Ele disse ainda que tem um carinho muito grande por vocês duas.Compre o que for preciso que ele pagará.

CEIÇÃO: Eu tenho umas economias,mas não da pra muita coisa.E eu agradeço a senhora e o patrão por serem tão generosos com a gente.

Então, mãe e filha foram para a vila.

Dorico de sua varanda chama por Tiãozinho,mas quem o atende é Renato.

DORICO: Cadê Tiãozinho?

RENATO: Tiãozinho foi lá pra casa da chapada seu Dorico,ele e o seu Joaquim foram iniciar a limpeza da casa.

DORICO: É mesmo ,eu mesmo mandei ele fazer isso e acabei me esquecendo.O que eu queria é que ele falasse pra você e o Dico ir olhar uma novilha que agora a pouco eu vi andando pela estrada, perto do sítio daquele rapaz.Vá coloque ela no pasto e procura o lugar por onde ela fugiu.

RENATO: Pode deixar patrão ,faremos isso agora.

E assim,os peões foram cumprir o madado do patrão,e enquanto iam, conversavam pela estrada .

DICO:É verdade que o  rapaz desse sítio vive trancado aí?

RENATO: É verdade,dia e noite sozinho.Não fala com mais ninguém a não ser com a tia dele.

DICO: E será que ele sabe quem matou a família dele.

RENATO: Não sei.Só sei que ele falou que só sairá daí quando for pra vingar a morte da família dele.

DICO: Mais isso não é vida.Esse rapaz deve ter sofrido muito sozinho aí dentro esse tempo todo.

RENATO:O  patrão  é doido pra comprar esse sítio,mas ele não aceita proposta nenhuma.E seu Dorico diz que esse sítio será dele a qualquer custo.

DICO: Mas seu Dorico já tem tantas terras e ainda quer o pouco que o rapaz tem?

RENATO: Segundo seu Dorico,esse síto tira a beleza da sua propriedade.Ele quer tirar essas cercas ,arrancar essa casa.Para limpara sua visão.

DICO: Esse Raul,não venderá o único bem que foi deixado pela sua família.

RENATO: Mais seu Dorico é cabeça dura.Nada faz ele mudar de ideia.

Enquanto os peões estavam no trabalho,mãe e filha conversavam no interior da casa da fazenda.

ZENAIDE: Ceição foi encomendar o vestido de noiva de Flor.Nós também temos que encomendar o seu filha.

PROMESSA: Não precisa mamãe,eu  uso o que a senhora usou no seu casamento.

ZENAIDE: De jeito nenhum,o meu vestido está muito velho,encardido.

PROMESSA: Tanto faz, novo ou velho ,eu não vou me casar mesmo.

ZENAIDE: Minha filha se você não se casar seu pai fará uma loucura.Nem sei do que ele será  capaz.

PROMESSA: Se eu tiver que subir no altar com esse rapaz,eu me mato, antes mesmo de chegar lá.Mas casar com ele ,eu não caso.Essa decisão do papai é ultrapassada.E eu não tenho que ser  usada em suas decisões sem voltas.Ele precisa decidir sobre a vida dele,não  sobre a minha.

SÍTIO DE RAUL

Raul estava em seu quintal cuidando de sua horta,quando ouviu os tropelos dos cavalos de Renato e Dico na estrada,então entrou para dentro de casa e ficou a observar à espreita.Raul já sabia o que os peões estavam procurando,então não se preocupou com as paradas próximas à sua casa.O seu amigo Barão começou a latir….

RAUL: Calma Barão,calma!Não se preocupe,são os peões do maldito,procurando a novilha que estava rondando nossa porteira.Daqui a pouco eles vão embora.Eles não são do mal igual ao patrão deles.

SÍTIO DE GLÓRIA

Lídia quer fazer uma serenata para Raul,então pede a seu pai o violão emprestado.

SEVERINO: Que ideia maluca é essa menina.

LÍDIA: Empresta papai ,por favor.Vou fazer mais uma tentativa com Raul.quem sabe eu consiga tirar ele daquela casa e faço ele abrir aquela porteira e sair pra vida novamente.

SEVERINO: Tá bom,pega ele em cima do guarda-roupa.Mas , sua mãe não vai gostar disso.

LÍDIA: Obrigada papai ,vou começar a ensaiar agora mesmo.Depois eu me viro com a mamãe.

NA  ESTRADA

A caminho da vila,Ceição e Flor  ao cruzarem as belas paisagens sertanejas em cima de uma charrete,iam conversando sobre os preparativos do  casamento.

CEIÇÃO: Tanto que eu te vigiei,quantos galopes dei naquele moleque,pra agora te entregar para ele.

FLOR: Tiãozinho é um bom rapaz,trabalhador,e vai ser um bom genro pra senhora.

CEIÇÃO: Mais antes dele ser um bom genro,ele tem de ser um bom marido.

FLOR: O que importa é que nós dois nos amamos muito mamãe.

CEIÇÃO: Espero que  a gente encontra dona Maricota .

FLOR: Quem é dona Maricota mamãe?

CEIÇÃO: A costureira que vai fazer seu vestido de noiva.

FLOR: E eu quero um vestido bem bonito,com um véu bem grande,uma grinalda com muitas flores.

CEIÇÃO: Pode deixar filha,eu quero você linda no seu casamento.Agora vamos mais rápido pra gente não perder tempo.

NA  VILA

Dolores e Santa,conversam sobre o episódio de ontem.

DOLORES: Tem alguma coisa errada com esse padre e esse tal de Tenório.

SANTA: Também acho.

DOLORES: Agora eu preciso de colocar um gravador lá, pra gravar a conversa deles,só assim descobriremos o que tanto se falam a sós na igreja.

As coisas para o padre e Tenório poderão se complicar,com essa atitude de Dolores.O que farão para se livrarem das desconfianças da beata?

 

CONTINUA …