Além da porteira: Capítulo 13

Além da porteira: Capítulo 13

NA  FAZENDA

Zenaide e Ceição preparam uma lista para que Tiãozinho vá buscar na mercearia de seu Ciro lá na vila.

ZENAIDE: Ceição faça a lista do que está faltando na cozinha e peça a Tiãozinho que busque na mercearia de seu Ciro.

CEIÇÃO: Tudo bem dona Zenaide ,farei agora mesmo e peço aquele moleque atrevido pra ir buscar.

ZENAIDE: E peça pra ele ir até ao correio ver se tem alguma correspondência para nós.

CEIÇÃO: Sim senhora, vou falar pra ele.

FLOR:Mamãe deixe que eu chame o Tiãozinho pra senhora.

CEIÇÃO: Deixa de ser besta Flor, você acha que eu nasci ontem.Pode deixar que eu mesma chamarei aquele traste.E vá lavando as louças aí.

Zenaide está com a cabeça quente,pois o marido tá esquisito misteriosamente. A filha não aceita o casamento que o pai lhe arranjou e diz com muita segurança que não se casará nestas condições.

PROMESSA: Mamãe ,tenta conversar com o papai mais uma vez sobre esse maldito casamento.

ZENAIDE: Minha filha ,até parece que você não conhece seu pai.Quando ele fala uma coisa ele não volta atrás de forma alguma.Não adianta insistir.

PROMESSA: Não sei até quando vou seguir os conselhos do padre Chico,em não bater de frente com o papai.

ZENAIDE: Pelo amor de Deus filha,não arranje briga com seu pai,eu não sei o que ele será capaz de fazer.

PROMESSA: Olha mamãe ,para eu me casar com esse tal que ele arrumou só se eu estiver morta,pelo contrário,não me casarei.

Promessa levará o pai a banho-maria,fazendo de tudo para não haver brigas,se ele não mudar de ideia,quando chegar ao extremo ela porá as cartas na mesa e baterá de frente com ele.

NA VILA

Na mercearia de Ciro,comentavam o episódio ocorrido na igreja.

CIRO:O que aconteceu ontem durante a missa é uma vergonha pra Raízes da Terra.

TINA:Que nada papai,isso é bom,movimenta a vila.Todo mundo tem o que falar.

CIRO:De agora em diante, vocês só vão à missa com a minha companhia.Não vou deixar vocês no meio de confusões.

TINA: Iiiiiiiii,agora até pra ir a igreja precisamos de acompanhante.

VERA:Que bom Ciro,só assim você vai às missas.

Chega Tiãozinho em sua bicicleta.

TIÃOZINHO: Bom dia seu Ciro!

CIRO: Bom dia Tiãozinho! O que manda?

TIÃOZINHO: Prepara essas encomendas para a patroa aí,enquanto vou no correio.

CIRO: Tá certo,vá  lá enquanto organizo tudo pra dona Zenaide.

Enquanto isso na igreja.

TENÓRIO: Padre Chico!Cheguei.Meu Padre preferido,tô aqui!……Mas que coisa ,esse padre parece que morreu.(grita bem alto)CHIQUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIINHO !Cadê você, padre de meia tigela.

PADRE CHICO: (chega correndo) Mas que gritaria é essa na minha igreja?….Mas não acredito! É você Tetê?

TENÓRIO: Uai,entrei,chamei,esperei não apareceu,aí eu gritei.E só assim que deu certo.

PADRE: Mas já conversamos que não podemos dar bandeira.Temos que nos portar como estranhos.Se esse povo descobrir alguma coisa,arrancarão nossos couros vivos.Você não pode ficar vindo à igreja sozinho em horas isoladas.

TENÓRIO: Não se preocupe ,não tinha ninguém aqui perto.Só encontrei aquela velha encalhada indo pra casa daquela outra solteirona a perigo.

PADRE: É de dona Dolores que você tá falando?

TENÓRIO: É essa mesma.

PADRE:Mas é ela o perigo.É com ela que temos ter cuidado.Ela se mete na vida de todo mundo nessa vila.Vive procurando algo pra espalhar pra população toda.

TENÓRIO: Não se preocupe Chiquinho,sou muito cauteloso.Cofessa aí vai:uma aventura faz bem né?

PADRE: Chega de conversa mole e vai embora ,antes que as coisas se complicam pro meu lado.

TENÓRIO: Tudo bem padre Chico,já estou indo.Fui.

NA Casa de dona Santa.

TIÃOZINHO: O dona Dolores, a senhora pode chamar a dona do correio pra mim?

DOLORES: Posso sim Tiãozinho.Mas antes me fala como estão as coisa lá na fazenda.

TIÃOZINHO: Tá bem dona,o patrão que tá num nervo só ,mas ninguém sabe porque.Ah,a senhora já sabe que senhorinha Promessa vai se casar?

DOLORES: É mesmo ?Mas com quem?

TIÃOZINHO: Seu Dorico prometeu ela em casamento, antes mesmo dela nascer com o filho de um fazendeiro lá do Pantanal.

DOLORES: Então ela está muito feliz?

TIÃOZINHO: Que nada ,ela não quer de maneira alguma.

SANTA: Olá Tiãozinho. Acabou de chegar uma carta para seu Dorico.Leve-a e a entregue a ele.

TIÃOZINHO: Pode deixar,vim procurar isso mesmo.Será entregue em poucos minutos.Obrigado dona!

Tiãozinho se foi.E Dolores em poucas horas na rua já conseguiu assunto pra tratar com Santa.E não vai perder tempo em comunicar a amiga tudo que viu e soube na rua.

NO  SÍTIO DE  RAUL

Isolado de tudo e de todos em seu sítio,Raul se apega em tudo que lembra sua família.Hoje por exemplo,abriu um velho baú,onde estão guardados os brinquedos de sua irmã.Raul sempre foi habilidoso.Quando criança fez pra sua irmãzinha um fogãozinho, usando um pedaço de madeira.A mesma brincava sempre com o pequeno objeto e era muito grata ao irmão pelo precioso brinquedo que a deu.Nesse momento a mente de Raul,revive tudo que vivera na infância alegre e feliz ao lado de sua família.

RAUL: Droga. Por que a vida foi tão cruel assim comigo?(chorando)Por que isso foi acontecer?Meus pais ,meus irmãos e agora eu vivo nessa penúria,mordido de saudade misturada com raiva.Por que a maldade ,a ambição e a ganância dos outros é tão grande,a ponto  de roubar das pessoas boas até a felicidade,a alegria de viver?Por que a justiça dos homens só atende aqueles que tem dinheiro e esquece os que sofrem por causa do descaso do poder supremo dos homens,por que…….

Raul vive angustiado e agarrando-se às lembranças do tempo em que era feliz. Mas ele não sabe que a vida às vezes guarda como trunfo uma felicidade que chegará na hora certa e que o fará novamente sentir a vida leve e suave. Nada repõe o que perdeu,porém nada arrancará o que de bom nascerá em seu coração.

CONTINUA…………………………