Além da porteira: Capítulo 10

Além da porteira: Capítulo 10

 

NA  FAZENDA

Tiãozinho e Renato preparam o cavalo para Promessa fazer seu passeio.

TIÃOZINHO: Pode montar patroinha.Está bem seguro e o cavalo é manso.

PROMESSA: Obrigada Tiãozinho!

Promessa montou o cavalo e saiu. Renato e Tiãozinho, continuam a conversa.

RENATO: A patroinha parece uma boneca. É linda a danada.

TIÃOZINHO: Tire o olho Peão. Ela não é pro seu bico. E além do mais, ela está de casamento marcado.

RENATO: Estou apaixonadão por ela  moleque.E se ela se casar com o tal do riquinho, sou bem capaz de ir embora daqui.

TIÃOZINHO: Deixa de se iludir Renato. Mesmo que ela não se case com o rapaz que o pai dela arranjou, jamais casará com você. O seu Dorico jamais deixará você se casar com ela. Um peão empregado dele? Acorda peão!

Promessa saiu para cavalgar pela fazenda. Como o sítio de Raul fica bem no meio da fazenda de seu pai,a jovem foi pela estrada principal que passa enfrente a casa do jovem solitário.

NO  SÍTIO  DE  RAUL

Raul estava cuidando de seus afazeres diários, zelando pelo pequeno patrimônio conquistado por seus pais. Estava tão entretido que nem percebeu que alguém estava aproximando. Quando deu por si, bem em frente a sua porteira, estava uma jovem bela montada em seu cavalo garboso, era Promessa. Raul a reconheceu. Ficaram paralisados sem terem o que dizer um para o outro. Raul admirava a beleza da jovem e a simpatia que transparecia. Promessa jamais pensara que o dono do sítio vizinho havia se tornado um homem e tão atraente fisicamente e de um olhar tão contundente que mexeu com seus sentimentos no fundo de sua alma.

Mas como é hábito de Raul se esconder de todos que se aproximam de sua porteira e até mesmo dos que passam na estrada, após alguns segundos de estarrecimento, foi às pressas para dentro de sua casa se esconder. Promessa como já sabe do costume do moço, não estranhou sua atitude,  e a jovem voltou para casa com um sorriso no rosto que expressava algo bom em seu íntimo.

RAUL: Mas que moça bonita ela ficou. É uma pena ser filha do malvado Dorico.

NA FAZENDA

Bem mal tinha saído, Promessa já havia voltado.

TIÃOZINHO: O que houve patroinha?Tinha algo de errado com o cavalo, pra senhora ter voltado tão rápido?

PROMESSA: Não Tiãozinho, está tudo bem .Voltei porque o que eu vi foi o suficiente pra alegrar meu coração,e será o apoio que eu precisava pra lutar para defender meu futuro de um passo forçado e errado.

Tiãozinho, não entendeu nada do que ouviu,mas de uma coisa ele tinha certeza:a filha do patrão estava muito feliz após esse passeio.Algo de bom para ela teria acontecido.

NA  VILA

A noite já está chegando,após a tumultuada missa ministrada pelo padre Chico,Dico,Margarida e Tenório voltaram para casa.Margarida foi preparar um lanche para os três.Tenório  e Dico ficaram na sala conversando e Tenório fala de sua vida para Dico.

DICO: Você ainda não se interessou por nenhuma gatinha aqui da vila?

TENÓRIO: Gatinha?Olha companheiro minha praia é outra.

DICO: Epa,pera aí! Não estou entendendo nada.

TENÓRIO: Entendeu sim.Só me interesso por homem.Sou gay.

DICO: Agora sim ,se aquelas duas beatas souberem disso ,elas não vão só querer te expulsar e sim, matar.

TENÓRIO: Tô pouco me lixando pra elas.Se elas não querem homem ,eu quero todos .

DICO: Sinto muito em lhe dizar ,mas aqui em Raízes da Terra você não vai conseguir um namorado pra você não.Aqui todos os homens jogam em outro time diferente do seu.

TENÓRIO: Não se preocupe!O meu homem está aqui sim.E é por isso que vim pra cá.Vim atrás dele.

DICO: Como assim?Mas quem é esse que está contrariando os homens de nossa vila?

TENÓRIO: Ele não é daqui.Ele está aqui por uns tempos.Mas cedo ou mais tarde iremos voltar juntos para a capital.

DICO: Você tá é me deixando curioso.

TENÓRIO: Na hora certa todos ficarão sabendo quem é.Mas uma coisa te garanto :vai ser um auê.

MARGARIDA: Mas que prosa boa!Olha o lanchinho saíndo.

TENÓRIO: É mana parece estar muito bom.Coma Dico ,experimente,se delicie.

Com essa revelação Dico ficou de queixo caído.O seu espanto maior é de saber que tem um homem em Raízes Da Terra que também é gay.Pra ele ficou um suspense e uma icógnita.Pois até então ninguém dos moradores se manifesta como tal.

NA    FAZENDA

Dorico está se preparando pra sair.Coisa que não é habitual de acontecer à noite.

ZENAIDE: Você vai sair Dorico?

DORICO: Vou fazer uma ronda pela fazenda.

ZENAIDE: Ronda a essa hora?Por que não pede Renato e o Tiãozinho pra fazer isso por você?

DORICO: Porque é eu mesmo que quero ir.E não se preocupe daqui a pouco estarei de volta .

(Dorico sai)

PROMESSA: Onde papai está indo mamãe?

ZENAIDE: Ele me disse que iará fazer ronda na fazenda.Mas confesso que tenho medo do que ele realmente possa está querendo fazer.Na última vez que ele saiu a noite assim…..deixe isso pra lá.

PROMESSA: Mas o que aconteceu na última vez que ele saiu a noite?

ZENAIDE: Esquece minha filha.Vamos falar de seu enxoval?

PROMESSA: Que enxoval mamãe eu não quero saber disso não.Eu não vou me casar com esse sujeito estranho.Vou me repousar.

Zenaide estava encucada com a saída de Dórico,pois teme algo ruim.

Dorico saiu em seu cavalo levando um tonel de gasolina ,em direção a sítio de Raul.Como comprar aquele sítio virou obsessão para ele ,agora fará de tudo para pertubar o rapaz afim de que ele ceda e venda a sua pequena propriedade.Ao se aproximar do sítio,Dorico vai até a porteira do mesmo e despeja o produto e ao atear o fogo ele percebeu que não era gasolina e sim água,havia pego o tonel errado.Nesse momento os cachorros de Raul se manifestam avisando ao rapaz que tinha algo de errado.Raul ascendeu as luzes do terreiro , olhou pele fresta da janela e conheceu quem  estava lá.

Dorico vendo que nada deu certo e quando os cachorros o denunciou e Raul respondeu ligando as lâmpadas,saiu em desparada de volta para a fazenda eo rapaz disparou alguns tiros de revólver .

Se Raul tinha alguma dúvida da emboscada em que sua família morrera,agora ele tem certeza de quem a planejou e a executou.Sempre deconfiara do vizinho fazendeiro,mas nunca havia visto algo tão suspeitoso como agora.

RAUL: Maldito!atormentava meu pai querendo lhe comprar este sítio,e meu pai nunca aceitou nenhuma de suas propostas.Então mandou sabotar o nosso jipe afim de que todos nós morrêssemos queimados.Mas como eu não fui  junto na viagem,agora quer que eu venda para ele o que me restou das pessoas que me amavam e que eu amava.Mas como não quero me dispor desse bem ,irá fazer de tudo para que eu lhe venda.Está muito enganado ,agora irei honrar o nome de meu pai.Esse seu Dorico Antunes irá pagar muito caro pelo sofrimento que me causou.

DE  VOLTA   À  FAZENDA

Dorico chegou em casa muito alterado e preocupado.

DORICO: Se aquele moleque me reconheceu,ele jamais venderá o maldito sítio para mim numa boa.Vai querer bancar o herói querendo vingar a morte da família e eu terei que  mostrar a ele  do que sou capaz para conseguir o que quero.

CONTINUA……………………